Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Ministro da Cultura preside à Apresentação da Intervenção no Mosteiro de Arouca

Investimento de 1 Milhão de Euros no Mosteiro de Arouca

Ministro da Cultura preside à apresentação da intervenção

Sábado 25 novembro | 11h00 | Mosteiro de Arouca

 

O Ministro da Cultura, Luis Filipe de Castro Mendes, preside amanhã, dia 25 de novembro, pelas 11h00, à sessão de Apresentação do Programa de intervenção no Mosteiro de Arouca, cujo investimento se encontra integrado na Operação Mosteiros a Norte, desenvolvida pela Direção Regional de Cultura do Norte e cofinanciada pelo Programa Norte 2020.

Após a referida apresentação, será realizada uma visita ao Mosteiro e ao Museu de Arouca.

 

Intervenção no Mosteiro de Arouca

No âmbito da Operação Mosteiros a Norte, no Mosteiro de Arouca será investido cerca de 1 Milhões de Euros.

Dada a existência de instalações obsoletas e desajustadas dos espaços de receção do visitante prevê-se uma empreitada de Instalação da Estrutura de Acolhimento do visitante, que inclui receção, bengaleiro, posto de vendas, instalações sanitárias, vestiário, elevador e dispositivos para pessoas com mobilidade reduzida e ainda a concretização do Espaço da Memória que, para além da musealização de vestígios medievais, irá albergar sistemas multimédia para visualização/audição de conteúdos interpretativos do Mosteiro (Mafalda Sanches e 10 Séculos em 10 minutos). A complementar estes trabalhos será concebida e implementada a sinalética para melhor informação dos visitantes.

Atendendo ao mau estado dos janelões da Igreja e coro-alto está preconizado substituírem-se todos os respetivos caixilhos tendo em conta questões de sustentabilidade térmica, ambiental e de manutenção com o objetivo de melhorar-se as condições de conforto dos visitantes.

 

Sobre a Operação Mosteiros a Norte

Os MOSTEIROS A NORTE - Arouca, Grijó, Rendufe, Tibães, Pombeiro e Vilar de Frades - constituem um importante legado da arquitetura religiosa monástica a norte de Portugal. Estão classificados como Monumentos Nacionais ou Imóveis de Interesse Público, sendo por isso prioritária a sua preservação, valorização e divulgação. Simultaneamente assumem pela sua dimensão e valor patrimonial, uma forte presença no território, e constituem pólos dinamizadores de atratividade na paisagem rural e urbana onde se inserem, pela proximidade com os respetivos centros urbanos de Arouca, Vila Nova de Gaia, Amares, Braga, Felgueiras e Barcelos.

Pretende-se com a implementação da rede de MOSTEIROS A NORTE dar continuidade às intervenções de consolidação do edificado, melhorando e criando espaços de receção/acolhimento, articulando com o reforço de iniciativas culturais e artísticas (criação da composição/paisagem monástica e ciclo de interpretação itinerante nos mosteiros) e de divulgação dos espaços monásticos como pólos de atração no território e consequente aumento do número de visitantes e criação de novos públicos. É objetivo desta Operação privilegiar a fruição e usufruto do património cultural como uma rede temática de grande valor patrimonial resultante do aprofundamento da interpretação dos percursos de visita. 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.