Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Museu do Oriente inaugura Animal Farm | Fotógrafo taiwanês reflecte sobre as prisões sociais invisíveis

Animal Farm No.06_Imagem 2-min.jpg

Um paralelo entre o enclausuramento de um jardim zoológico e a “jaula” da vida contemporânea é o que Chou Ching-hui, fotógrafo e artista multimédia taiwanês, retrata na exposição Animal Farm, que o Museu do Oriente inaugura a 14 de Julho, às 18.30.

 

Durante cinco anos, Chou Ching-hui usou os jardins zoológicos como inspiração criativa e cenário para mostrar os excessos e as contradições da sociedade actual, realizando grandes produções nos zoos de Hsinchu e Shoushan, com actores, cenários intricados e centenas de adereços. O resultado são imagens surrealistas e teatrais, que encenam comportamentos humanos e interacções sociais em recintos artificiais destinados a exibir animais: uma refeição familiar por trás de uma cerca electrificada, um recreio onde brincam crianças sob o olhar de um leopardo, a toilette de uma mulher elegante, rodeada por grades e um fosso.

 

Ao introduzir uma cena quotidiana num cenário improvável, o artista leva o público a analisar atentamente os elementos nas imagens, à procura de pistas que ajudem a interpretá-las. Entre referências à cultura das celebridades, aos cânones da beleza ou à arte erudita ocidental, as fotografias criadas por Chou abordam questões sociais como o consumismo, a obsessão com a imagem, o isolamento real versus conectividade digital, a doença mental, os estereótipos em torno dos papéis tradicionais homem/mulher e as questões de género.

 

Segundo Chou Ching-hui, “todos nós vivemos dentro de um jardim zoológico, numa vida restrita. A sociedade é como uma jaula e olhamos para os outros enjaulados com um sorriso”. O absurdo e o distanciamento são enfatizados quando o artista situa os humanos entre as demais espécies animais, no espaço pleno de “imaginação e conflito” que é o jardim zoológico. Daqui nascem imagens misteriosas e visualmente exuberantes, que revelam as prisões invisíveis que a sociedade nos impõe.

 

Animal Farm integra nove fotografias de grande escala, nove vídeos, retratos e instalações. A exposição está organizada em três núcleos: A Consciência do Comportamento ColectivoA Consciência da Sobrevivência e a Consciência do Corpo, sendo a "consciência" a força motriz invisível do comportamento humano, ao mesmo tempo que o limita.

 

A anteceder a inauguração, Chou Ching-hui protagoniza, às 17.00, uma artist talk sobre o processo criativo subjacente a Animal Farm. Esta é a primeira apresentação do projecto na Europa.

 

Animal Farm está patente no Museu do Oriente até 23 de Outubro.

 

Sobre o artista

 

Chou Ching-hui (n. 1965) é um dos fotógrafos contemporâneos mais representativos de Taiwan. Dedicou-se ao fotojornalismo durante mais de dez anos, experiência que viria a nutrir a sua criação posterior. Os seus três primeiros projectos - Out of the ShadowsVanishing LeaguesImages of Workers and Wild Aspirations; The Yellow Sheep River Project – consistiam em registos documentais de realidades sociais, apresentadas de forma artística.

 

Animal Farm foi o primeiro projecto em que transitou de “fotografia documental” para “fotografia conceptual”. Aqui, Chou interpreta o quotidiano real através da teatralidade, criando imagens hiper-reais com uma linguagem própria, fruto da sua observação e reflexão críticas sobre a condição humana na sociedade atual.

 

Nos últimos anos, as obras de Chou têm recebido uma grande atenção internacional, tendo sido expostas em países como Hong Kong, Japão, Singapura, China, Itália, Israel, Alemanha, Reino Unido, Austrália, Canadá e Rússia. As suas exposições individuais mais recentes incluem The Yellow Sheep River Project no Istituto degli Innocenti, Itália; Theatre of Reality em DECK, Singapura; Animal Farm na Galeria Chelouche, Israel, e agora no Museu do Oriente, Portugal.

 

Chou é como um contador de histórias, cujas narrativas visuais procuram emocionar o espectador, levando-o a procurar conexões relevantes com a sua própria experiência.

Actualmente, vive e trabalha em Taipei.

 

 

Animal Farm | Exposição de Chou Ching-hui

 

Inauguração | 14 Julho | 18.30

17.00 | Artist Talk com Chou Ching-hui [entrada gratuita]

 

Até 23 Outubro 2022

 

Terça-feira a domingo: 10.00-18.00
Sexta-feira: 10.00-20.00 (entrada gratuita das 18.00-20.00)
Preço: 6 €

Museu do Oriente – Piso 0 – Galerias Sul e Nascente

 

Patrocinadores:

Ministério da Cultura (Taiwan)

Oficina Económica y Cultural de Taipei en España

Centro Económico e Cultural de Taipei em Portugal

Departamento dos Assuntos Culturais do Governo da Cidade de Taipei

Chini Gallery

UShow Design