Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Museu Nacional da Música | Esta semana: 10 Abril - Recital de piano e viola de arco | 11 Abril - Coro | 12 de Abril - Recital de Piano

10 Abril – 19h   #EntradaLivre | Duo Sanches-Antico (recital de piano e viola de arco)
 
11 Abril – 19h   #EntradaLivre |GRUPO CORAL DO CENTRO CULTURAL E DESPORTIVO
DOS TRABALHADORES DO METROPOLITANO DE LISBOA  | Ciclo de Coros 
 
12 Abril – 19h   #EntradaLivre  | Recital de piano de António Luís Silva
| Ciclo Músicas do Acervo - Compositores Portugueses e Seus Contemporâneos 
 
 
 
10 Abril – 19h   #EntradaLivre | Duo Sanches-Antico (recital de piano e viola de arco)  

10 abril.jpg

Concerto de câmara
Chiara Antico, violetista
Daniel Sanches, pianista

 

PROGRAMA

  1. S. Bach, Suite n. 3 para viola solo (transcrita do original para violoncelo)

Preludio

Sarabanda

Giga

 

  1. Villani-Côrtes – INTERLÚDIO V PARA VIOLA E PIANO

 

  1. Brahms - SONATA OP. 120 N. 1, PARA VIOLA E PIANO
    Allegro apassionato
    Andante um poco adagio
    Allegretto grazioso
    Vivace
      

 

Chiara Antico

Chiara Antico nasceu em Pescara (Itália) e aos três anos iniciou os estudos musicais no Instituto Musical Suzuki da Valle D’Aosta. Frequentou o Conservatório “L. D’Annunzio” e posteriormente o Instituto de Alta Cultura “L. Perosi” de Campobasso, onde, em 2013, terminou o Mestrado em Viola com votação máxima e honras académicas na classe dos Professores Silvio Di Rocco e Stefano Morgione. Durante a sua formação, participou em Master classes com os professores Danilo Rossi, Felice Cusano, Sergej Krylov, Zakhar Bron, Maurizio Sciarretta, Bruno Giuranna, Rocco De Massis, Luigi Piovano, Samuel Barsegian e Eddy Malave.

Em Itália destaca-se a experiência em orquestras juvenis e profissionais que a levaram a tocar em salas e teatros importantes como o Auditorium Parco della Musica em Roma, o Antico Teatro Greco de Taormina (Sicilia), o Teatro Lingotto em Turim, o Centro Cultural de Belém de Lisboa e a Sala Grande da Filarmonia de St. Petersburg. Em 2010 foi a viola do quarteto Opéra Petit Ensemble de José Carreras, no Festival de Carcassonne (França). Em setembro de 2011 foi convidada como Chefe de Naipe das Violas para um programa com a Galyani Vadhana Institute Orchestra em Bangkok. Em 2013, como Bolseira da Associação “Amici della Musica” apresentou-se com o Ensemble F. Fenaroli na Zankel Hall da Carnegie Hall em New York. Em Portugal, foi selecionada para a Fundação Orquestra Estúdio da Capital Europeia da Cultura 2012, em Guimarães. Em Lisboa, colaborou como reforço com a Orquestra Metropolitana de Lisboa e com a Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras. Doutoranda em Artes Musicais na Faculdade Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, foca a sua investigação sobre a estética e a ética da performance em contextos extremos, nomeadamente no universo dos campos de concentração instituídos pela Alemanha nazista na II Guerra Mundial, e sobre o valor da música como resistência interior e prática coletiva além de continuar o seu aperfeiçoamento musical na classe do Prof. Samuel Barsegian. Além das atividades como investigadora, possui uma intensa atividade artística como integrante como reforço do naipe de violas da Orquestra Gulbenkian e em concertos de câmara em diversas formações.

 

 

Daniel Sanches

Natural do Rio de Janeiro, o pianista Daniel Sanches é um dos destaques do cenário musical brasileiro. Pianista da Escola de Música da UFRJ, é Mestre em Performance Musical pela UNIRIO e estudou com Maria Teresa Madeira no Conservatório Brasileiro de Música onde concluiu seu bacharelado e especialização Pedagogia do Piano.

Vencedor do Concurso Nilda Freitas X Concurso Nacional de Piano Souza Lima, obteve o segundo lugar no Concurso Nacional de Piano Art-Livre na Categoria Música Brasileira. Também foi premiado no Concurso “Jovens Solistas” da Bahia e no Concurso “Jovens Destaques” do Fórum de Ciência e Cultura da UFRJ na Categoria Música de Câmara.

Foi solista de diversas orquestras, como a Orquestra Filarmônica do Espírito Santo, Orquestra Sinfônica da Bahia, Orquestra Sinfônica Jovem de Campos e a do Programa Prelúdio da TV Cultura, atuando sob regência de Modesto Flávio, Osvaldo Colarusso, Luis Maurício Carneiro, Julio Medaglia, e Anderson Alves.

 

Participou da Gravação do CD e DVD “Música Viva” sob a Direção da Maestrina Ligia Amadio e no teatro musical, atuou como diretor musical assistente e pianista na peça “Forrobodó, um choro na cidade nova”, “Bilac vê estrelas” e “Ou Tudo ou Nada - O musical”.
Participou de diversas master classes e cursos de aperfeiçoamento com Stefan Meylaers (Bélgica), Sergei Dukachev (Rússia), e Roberto Bravo (Chile). Como professor lecionou no Centro Cultura Musical de Campos, no XIV e XV FEMUSICAs e no Departamento de Piano da UFRJ.
Recentemente, lançou o CD intitulado “Carioca”, álbum totalmente dedicado à música brasileira de concerto. Atualmente é Investigador do Doutorado em Artes Musicais da Universidade Nova de Lisboa e da Escola Superior de Música de Lisboa.   

 

______________________________________________

 

11 Abril – 19h   #EntradaLivre    

Ciclo de Coros do Museu Nacional da Música

GRUPO CORAL DO CENTRO CULTURAL E DESPORTIVO
DOS TRABALHADORES DO METROPOLITANO DE LISBOA
  

11 abril.jpg

HISTORIAL
O Grupo Coral do CCDTML foi constituído em Março de 1991, com o objectivo de divulgar e incentivar a cultura musical através do canto coral.
Já contou com a participação de mais de trinta elementos, femininos e masculinos, distribuídos por quatro naipes (sopranos, tenores, contraltos e baixos), na sua maioria trabalhadores do Metropolitano de Lisboa, mas, atualmente, tem muito menos.
O repertório, que se pretende diversificado, é constituído por trechos de música erudita e tradicional/popular, de carácter religioso e profano, de autores nacionais e estrangeiros, cantados em língua portuguesa – contemporânea e arcaica – e em línguas estrangeiras, incluindo o latim.
O Grupo Coral tem organizado e participado em Encontros de Coros, marcando presença em diversas actividades lúdicas e culturais, promovidas por autarquias, escolas e outras associações, em todo o território nacional.
No estrangeiro, o Grupo, correspondendo a um honroso convite, participou em 2008 num Encontro de Coros que teve lugar em Paris.
De salientar que o Grupo Coral atingiu a maioridade, como coro de amadores, graças ao empenho e persistência da direcção técnica e artística, inicialmente, da responsabilidade do Maestro Ivo de Castro até Setembro de 1996. Desde esta data a Julho 2014 a direcção técnica e artística esteve a cargo do Maestro João Crisóstomo e desta data a Outubro de 2017 do maestro Rui Silva.
Atualmente, dirige o Coro do C.C.D.T. Metropolitano de Lisboa a maestrina Ana Sofia Gato.

Ana Sofia Vale de Gato
Natural de Évora, iniciou os seus estudos em clarinete aos 8 anos na Banda de Lavre e completou o Curso de Instrumentista na Escola Profissional de Évora. Licenciou-se em Ciências Musicais na Universidade Nova de Lisboa e mais tarde realizou o Mestrado em Ensino da Educação Musical no Ensino Básico no Instituto Politécnico de Setúbal.
Teve a oportunidade de realizar Masterclasses de Direcção Coral e Pedagogia Coral com os maestros e pedagogos Paulo Lourenço, Cara Tasher, Eugene Rogers, Gonçalo Lourenço, Gonçalo Gouveia, Elisenda Carrasco e Stephen Coker. Participou em vários projetos, salientando-se o Studio Conducere - Estúdio de Aperfeiçoamento em Direção Coral.
Durante largos anos integrou o Coral Luísa Todi enquanto coralista e maestrina assistente, tendo em 2009 fundado e dirigido o Coral Infantil/Juvenil desta mesma instituição.
Atualmente, para além de maestrina do Coral Samouco e do Coro do Centro Cultural dos Trabalhadores do Metropolitano de Lisboa, coordena e leciona a disciplina de Coro do Conservatório Regional de Artes do Montijo.  

 

 

__________________________________________________

12 Abril – 19h   #EntradaLivre  | Recital de piano de António Luís Silva
| Ciclo Músicas do Acervo - Compositores Portugueses e Seus Contemporâneos 

12 ABRIL ADRIANO.jpg

Ciclo Músicas do Acervo
Comissário: Adriano Nogueira

PROGRAMA
E. Carrapatoso
Quatro Últimas Estações — Outono: Fado das Tágides
I. Albéniz
Suite Espanhola Op. 47 — Castilla
F. Poulenc
Improvisation No15
F. Chopin
Polonaise Op.40 No2 "Militar"
E. Grieg
Dança noruguesa Op.35 No3
A. Babadjanian
Improviso
S. Rachmaninoff
Prelúdio Op.32 No10
M. Tokuyama
Musica Nara
Y. S. Wang
Sunflower
L. Godowsky
Suite Java — Gamelão
G. Gershwin
Songbooks — The man I love; I got Rhythm
M. Ponce
Intermezzo No1
H. Villa-Lobos
Choro No1
A. Ginastera
Dança argentinas No2 — Danza de la moza donosa
N. El Ruheibany
Suite Árabe — Abendgebet: Noturno
António Silva
Improviso — realizado em concerto

ANTÓNIO LUÍS SILVA
Pianista, compositor e improvisador português, António Luís Silva
foi premiado em diversos concursos internacionais e nacionais,
destacando-se os primeiros prémios no Concurso Internacional Cidade
do Fundão, no Concurso de Interpretação Frederico de Freitas e no
Concurso Ibérico de Piano do Alto Minho, e ainda o segundo prémio
no Concurso Internacional Santa Cecília. Estreou-se em 2017 a tocar
a solo com orquestra, interpretando o 1o Concerto de Rachmaninoff,
com a orquestra Filarmonia das Beiras. A solo realizou diversos recitais
em Portugal e França, actuando em diferentes palcos, entre eles a Sala
Amália Rodrigues e grade auditório do CCB, Teatro Aveirense, Museu
Tavares Proença e Sala dos Espelhos no Palácio Foz. Realizou também
concertos transmitidos em direto e em diferido pela estação de rádio
Antena 2.
Foi orientado por professores de renome, entre eles Carla Seixas, Jill
Lawson e Álvaro Teixeira Lopes. Em 2010 terminou com distinção o
curso de piano na Escola de Música do Conservatório Nacional sendo
galardoado com prémio de mérito ao melhor aluno da instituição,
atribuído pelo ministério da educação. Licenciou-se em Música na
Escola Superior de Música de Lisboa e na Escola Superior de Artes
Aplicadas, e concluiu o Mestrado em Ensino da Música em 2016, na
Universidade de Aveiro, sempre com as mais altas classificações. Ao
longo dos estudos, António Luís Silva trabalhou com conceituados
pianistas e professores como Caio Pagano, Jeffrey Swan, Fausto Neves
e Pedro Burmester.
Enquanto pianista, António Luís Silva interessa-se por explorar os
múltiplos períodos da história da música ocidental e oriental, desde
o Barroco ao Contemporâneo. Executa não só obras de grandes
vultos da música como Liszt, Brahms, Rachmaninoff e Grieg, como
frequentemente dá a conhecer ao seu público obras de compositores
menos explorados como MacDowell, Godowsky, Okumura e Schmitt.

https://www.facebook.com/Antonioluisilva
 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.