Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

MUSEU NACIONAL DA MÚSICA | próximos concertos

 
Quinta, 15 de Novembro |19h
 
Associação dos Amigos do Museu Nacional da Música apresenta:

“CON MI GUITARRA EN VIAJE" 
recital de viola de Verónica Muñoz
Convidadas especiais - Luisa Amaro, Ana Sadio e Heloisa Monteiro

Verónica Muñoz é uma cantora, guitarrista, compositora e professora Argentina que se encontra a desenvolver um projecto artístico intitulado “Con mi guitarra en viaje” que tem origem nas viagens que se encontra a realizar pelo mundo, sempre acompanhada da sua viola. Será este projecto que apresentará no Museu Nacional da Música. Organização: Associação dos Amigos do Museu Nacional da Música. Bilhetes - Normal 5,00 / Sócio - 3,00.

O concerto que realizará pretende ir ao encontro da canção no seu estado puro, através de um repertório em que concilia a música crioula, o tango e a milonga. Além de composições da própria cantora, poderemos ouvir alguns dos mais importantes compositores da música popular argentina e do tango, onde se incluem nomes como Amalia de la Veja, Cármen Guzmán, Expósito, Charlo e Piazzolla. Grande parte do concerto que vamos ouvir no Museu Nacional da Música faz parte do seu trabalho discográfico “Milonguita flor del alba”.
Luisa Amaro (guitarra portuguesa), Ana Sadio (guitarra portuguesa) e Heloisa Monteiro (viola) acompanharão Verónica Muñoz em alguns temas.

http://espacioveronica.blogspot.com.ar/
https://www.facebook.com/veronicavmunoz12/videos/1532349500117532/
https://www.youtube.com/watch?v=Y3vAjk_lrUo
https://www.youtube.com/watch?v=hnadbOJVvrc
https://www.facebook.com/veronicavmunoz12/videos/1564265666925915/
Apoio: Embaixada da Argentina  

veronika.jpg

Sexta-feira, 16 de Novembro | 19H

 

Recital | violinista Marija Mihajlovic e pianista Miriam Bastos 

 

 

Entrada Livre |

 
PROGRAMA 

Edvard Grieg: Sonata para violino e piano nr. 3 em dó-menor
Allegro molto ed appassionato
Allegretto expressivo alla Romanza
Allegro animato

Heitor Villa-Lobos: Sonata-fantasia para violino e piano nr.1, op. 27 “Désespérance”

Francisco Mignone: Valsa da Esquina

José Vieira Brandão: Dança e Serestra

Marija_Miriam.jpg

Marija Mihajlovic e Miriam Bastos possuem um sólido trabalho desde 2009 quando formaram o Duo Mihajlovic/Bastos, apresentando recitais em diversas cidades brasileiras, assim como em Belgrado, Roma e Buenos Aires. Em 2011 o Duo apresentou um concerto intitulado Noite da Música Brasileira na Galeria da Academia Sérvia de Artes e Ciências em Belgrado com o apoio da Embaixada do Brasil na Sérvia, que chamou muita a atenção de várias rádios e jornais na Sérvia. Posteriormente, o Duo foi para Itália, onde se apresentou na cidade de Roma dentro da série de concertos A Lume de Candela que acontece na Igreja San Paolo dentro Le Mura. A partir deste trabalho de Duo, sempre pesquisando Música Brasileira e Música Sérvia para esta formação, convidaram o violoncelista Robson Fonseca a integrar o conjunto. Entre as várias apresentações do Trio destaca-se o concerto realizado em 2016 a convite da Academia de Ciências e Artes de Belgrado - Sérvia intitulado “Homenagem a Villa-Lobos”. 
 

dia 16 2.jpg

Miriam Bastos, Doutora em Música no programa de Pós-graduação da Escola de Música da UFMG, obteve o título de Mestre em Música Brasileira pela UNI-RIO, na linha de pesquisa práticas interpretativas. É Bacharel em Piano pela Escola de Música da UFMG. Integra o corpo docente da Universidade do Estado de Minas Gerais desde 1996, onde actua como professora de piano, música de câmara e oficina de performance. Nesta mesma instituição ocupou o cargo de vice-directora, coordenadora do Centro de Música Brasileira e actualmente coordena o Centro de Extensão. Realizou diversos cursos de aperfeiçoamento Musical como: IX Semana Internacional de Piano, em Óbidos, Portugal; Curso Internacional de Pescara – Itália; Academia de Piano e música de câmara de Konz - Alemanha 2007 e 2008, Curso de Aperfeiçoamento Musical 2009 em Maenza - Itália. Coordenou a série de concertos “Projecto Segunda Musical” realizado no Teatro da Assembleia Legislativa de Minas Gerais entre 2001 e 2008. Em 2005 idealizou e é directora artística da série de concertos “Terra Sem Sombra” na cidade de Patos de Minas. Apresenta-se regularmente em concertos, e é frequentemente convidada para fazer parte de bancas em concursos e para organização de produções culturais.
 
 
 

dia 16.jpg

 

Natural de Belgrado, Sérvia, Marija Mihajlovic iniciou seus estudos no violino nas escolas de música Vladimir Djordjevic e Josip Slavenski com o professor Zoran Ilic. Graduou-se na Faculdade de Música de Belgrado com a professora Fern Raskovic e conquistou o título de Mestre em Artes na mesma instituição. Apresentou-se em Belgrado e em cidades do interior da Sérvia com a pianista russa Natalija Mladenovic. Conquistou vários prémios em competições para jovens músicos nas categorias Solo e Música de Câmara na Sérvia, Montenegro e Itália. Depois de mudar-se para o Brasil, em 2008, integrou o naipe de violinos da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais durante sete anos. Em 2009 formou o Duo Mihajlovic/Bastos com a pianista Miriam Bastos, tendo apresentado vários recitais em Belo Horizonte, Patos de Minas, Brasília, Ilha de Paquetá, Belgrado, Roma e Buenos Aires. No ano de 2015 concluiu mais um mestrado em Performance Musical pela Universidade Federal de Minas Gerais, sob orientação do Prof. Dr. Edson Queiroz. Atualmente, Marija é doutoranda da Universidade Nova/FCSH, membro do CESEM – Grupo de Investigação de Música Contemporânea, e colabora com a Orquestra Geração, com a Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras e com o Conservatório de Música de Cascais.
 
 
 
𝐐𝐮𝐢𝐧𝐭𝐚-𝐅𝐞𝐢𝐫𝐚, 𝟐𝟐 𝐝𝐞 𝐍𝐨𝐯𝐞𝐦𝐛𝐫𝐨 – 𝟏𝟖 𝐇 
#EntradaLivre
𝐔𝐦 𝐌ú𝐬𝐢𝐜𝐨, 𝐔𝐦 𝐌𝐞𝐜𝐞𝐧𝐚𝐬 | 𝐃𝐢𝐚 𝐝𝐞 𝐒𝐚𝐧𝐭𝐚 𝐂𝐞𝐜í𝐥𝐢𝐚 

𝐂𝐫𝐞𝐦𝐢𝐥𝐝𝐞 𝐑𝐨𝐬𝐚𝐝𝐨 𝐅𝐞𝐫𝐧𝐚𝐧𝐝𝐞𝐬 (cravo Antunes de 1789) 𝐞 𝐀𝐧𝐚 𝐏𝐚𝐮𝐥𝐚 𝐑𝐮𝐬𝐬𝐨 (voz)
interpretam "Música Portuguesa do século XVIII"
Em breve mais informação

O próximo concerto do ciclo "Um Músico, Um Mecenas" apresentará um cravos construído em Lisboa por um membro da Família Antunes, João Baptista Antunes, em 1789. No contexto da organologia portuguesa, esta é uma família muito importante, conhecida pelos exímios construtores de cravos e pianofortes que trabalharam em Lisboa durante o século XVIII.
O cravo que poderá ouvir no dia 22 de Novembro é praticamente desconhecido, dado que esteve durante muitos anos em reserva, em mau estado de conservação. Recentemente este instrumento foi exposto na entrada do museu, tendo posteriormente sofrido uma cuidada intervenção do luthier Geert Karman.
O exemplar tem um valor inestimável: é um dos únicos cravos originais portugueses em todo o país e um dos poucos que sobreviveram em todo o mundo. 
Desta família conhece-se ainda o cravo de Joaquim José Antunes de 1758, Tesouro Nacional deste museu, um pianoforte que faz parte da colecção do National Music Museum (NMM) nos Estados Unidos da América e um cravo que até há pouco tempo pertenceu à Finchcocks Collection, na Inglaterra. 
Por todos estes motivos e por ter uma mecânica que possibilita execuções musicalmente muito exigentes, o museu vai apresentar até ao final do ano uma candidatura para que o cravo de João Baptista Antunes de 1789 seja classificado como Tesouro Nacional. 
 

 

Programa

 

Marcos  Portugal, “Cuidados, tristes cuidados” (modinha)

- Sonata (em Ré M)

- 3 canções : “Ma tornerai fra poco

“La Partenza

È la fede degli amanti

- Rondó (em Dó M)

 

J. Francisco Leal, “Deliro e Suspiro” (modinha)

 

Padre José  Maurício, Lição em Dó M

 

Policarpo José de Silva, “Nel mirarvi, o boscho amici

Voi sole, o luci belle

 

Sousa Carvalho,  Sonata em Sol m (Allegro e Rondó)

 

Almeida Mota, “L’Innocenza 

fb cravo antunes novo.jpg

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.