Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

MUSEU NACIONAL DA MÚSICA | último concerto da temporada UM MÚSICO, UM MECENAS

Sábado, 10 Dez, 17h30 
UM MÚSICO, UM MECENAS
Último concerto da temporada com 
instrumentos históricos do Museu Nacional da Música
Entrada Livre
 
Daniel Bolito no violino Sanhudo de 1867 (inv. nº MM 185)
Duarte Pereira Martins no piano Bechstein de 1925 (inv. nº MM 659) 
 
encerrarão o ciclo UM MÚSICO, UM MECENAS desde ano . 
 
Os músicos-mecenas interpretam Bach, Beethoven e Brahms.
 
O concerto será excepcionalmente às 17h30
 
O ciclo regressa em 2017!
 

15304279_1289453037778136_419802447441273484_o.jpg

 

 
Agradecimentos:
Neste concerto, e para além dos nossos músicos-mecenas, contámos também com o apoio da luthier Elise Derochefort, da Antena 2 e do Horto do Campo Grande.
 
 
Sobre o violino Sanhudo
É a primeira vez que este instrumento, construído por António Joaquim Sanhudo em 1867 no Porto, será tocado no ciclo Um Músico, Um Mecenas.
 
Na Rua da Bainharia, na cidade do Porto, estavam estabelecidos diversos violeiros desde final do séc. XVIII. O compositor e etnomusicólogo Armando Leça refere no seu artigo Violeiros da Sé de 1957 António Joaquim Sanhudo como artista de rabeca, violoncelo, contrabasso e violão francês, de tripa e arco. Desta oficina faz a seguinte descrição: 
'Trabalhavam, sentados no banco, à porta caseira, como ainda hoje se vêem os torneiros. Em 1869, José sucedia ao irmão António. Deste, conheci uma idosa moradora da Bainharia que se lembrava de o ver à porta, no banco a trabalhar, com óculos e asmático.'
 
Essa ex-oficina tem hoje o número 50, na Bainharia. António esteve activo entre 1849 e 1865. Tornou-se um dos construtores mais relevantes dessa cidade e de todo o século XIX português. Muitos dos seus violinos foram construídos sob a orientação do violinista e compositor português Sá de Noronha. Foi premiado na Exposição Industrial de 1861. O Museu Nacional da Música possui seis instrumentos da sua autoria, entre os quais se contam dois violoncelos. O irmão, José Ferreira Sanhudo, que continuou a trabalhar na oficina após a sua morte, esteve ativo até finais de oitocentos. A coleção possui ainda dois violinos e um bandolim deste construtor. 
 
Etiqueta: 'ANTONIO JOAQUIM SANHUDO/ ARTISTA DE INSTRUMEN-/ TOS DE CORDAS/ a fez no Porto no/anno de 1867/ Premiado com Meda-/lha de Prata/Rua da Bainharia nº 150/ Medalha 1: AO MÉRITO. D. PEDRO V REI DE PORTUGAL Medalha 2: EXPOSIÇÃO PROMOVIDA PELA ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL PORTUENSE. 1861. Lisboa, 1867'
Museu Nacional da Música, Lisboa, Inv. MM 185 

DanielBolito_foto.jpg.png

 

 
DANIEL BOLITO iniciou os estudos musicais na Escola de Música Nossa Senhora do Cabo e na Academia de Música de Santa Cecília com as professoras Paula Fernandes e Lígia Soares. Em 2004, ingressou na Escola Superior de Música de Lisboa, onde estudou com Khatchatour Amirkhanian. Mais tarde, ingressou na Universidade de Évora, na classe de Valentim Stefanov, na qual completou um ano de pós-graduação, finalizando com 20 valores. Frequentou ainda diversos cursos de aperfeiçoamento, concursos e cursos de direcção. Colaborou com orquestras como a Orquestra Sinfónica Juvenil, a Orquestra de Câmara Portuguesa e a Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras. Em Dezembro de 2012, integrou a Orquestra Fundação Estúdio, em Guimarães. Com essas colaborações, tem-se apresentado em vários festivais, tais como City of London Festival, Dias da Música, no CCB, e Cistermúsica, em Alcobaça. Tendo leccionado em diversas instituições de ensino do país, é presentemente professor de violino no Conservatório de Cascais. Participa regularmente em concertos fora do panorama clássico, privilegiando uma abordagem menos tradicional e mais ecléctica ao instrumento. Colabora assiduamente com o Ensemble MPMP, desempenhando funções de concertino.
 

duarte.jpg

DUARTE PEREIRA MARTINS iniciou os seus estudos de piano aos quatro anos de idade. Aos oito ingressa no Conservatório Nacional, onde conclui o curso de piano com a classificação máxima, em 2009, estudando aí com Hélder Entrudo e Carla Seixas.
Premiado em diversos concursos, apresenta-se regularmente em concerto por todo o país, tanto a solo como em eclécticos grupos de música de câmara. Neste panorama, é de notar a importância dada às obras de compositores portugueses, tendo já apresentado diversas obras inéditas e estreias de compositores como João Pedro Oliveira ou Sérgio Azevedo. O duo que forma com o violoncelista Nuno Cardoso é um exemplo notório desta redescoberta de património, tendo, entre outros, iniciado activamente a colaboração no Ciclo de Instrumentos Históricos do Museu da Música em 2013 e 2015, na recuperação de um violoncelo Lockey Hill que pertenceu a Guilhermina Suggia. Apresenta-se igualmente com regularidade no estrangeiro, destacando-se os concertos que apresentou em Paris e numa digressão pelo Brasil em Março de 2014. 
Fundou o mpmp, movimento patrimonial pela música portuguesa, associação cuja temporada dirigiu numa programação com mais de duas centenas de eventos dedicados exclusivamente à música portuguesa. É o director artístico das inéditas integrais de sonatas de Carlos Seixas (por José Carlos Araújo) e João Domingos Bomtempo (por Philippe Marques), para a colecção melographia portugueza.
O seu repertório valoriza as obras para canto e piano, tendo já gravado para a Antena 2, a convite da ESML, obras de Debussy e Freitas Branco. Tem igualmente gravações realizadas, a solo, para a etiqueta do MPMP e para a TVBrasil, juntamente com o pianista Philippe Marques, com quem se apresenta regularmente em concerto.
É licenciado em piano pela Escola Superior de Música de Lisboa, tendo aí sido aluno de Jorge Moyano. Frequentou, paralelamente aos estudos musicais, o mestrado integrado em Engenharia Física Tecnológica no Instituto Superior Técnico, em Lisboa, e, actualmente, conclui o mestrado em Empreendedorismo e Estudos da Cultura no ISCTE.

 
 
________________________________________
 
 
 
 
 
Terça, 13 Dez, 19h 
O Museu Nacional da Música e o Instituto Italiano de Cultura apresentam:
Recital 
Violinista Lucrezia Lavino Mercury (Itália, 11 anos) 
acompanhada ao piano por Angela Lavino | Entrada Livre
 
Com apenas onze anos de idade, Lucrezia Lavino Mercury apresenta-se no Museu Nacional da Música. Aos 3 começou a estudar piano e canto e com seis iniciou-se no violino.
Estudou sob orientação dos maestros Raffaele Schiavone e Marco Fiorentini.
 
Venceu numerosos concursos nacionais e internacionais.
 
 

13 dezembro alternative.png

 

 

LUCREZIA LAVINO MERCURI
lucrezialavinomercuri.com


2013 (8 anos)
1° Premio Assoluto (100/100) Concorso “Note sul mare” (Roma)
1° Premio Concorso Internazionale “Luigi Zanuccoli” (Sogliano al Rubicone – Forlì Cesena)
2014 (9 anos)
1° Premio “Chroma” (Roma)
1° Premio Concorso Internazionale “Clivis” (Roma)
1° Premio Assoluto (100/100) “7 Note Romane” su tutte le categorie e strumenti con menzione speciale (Roma)
1° Premio V Concorso Internazionale “Premio Crescendo” (Firenze)
1° Premio Assoluto “Giovani Musici” nella categoria fino a 18 anni e su tutte le categorie e strumenti con borsa di studio, esibendosi presso l’Aula Magna dell’Università “La Sapienza” di Roma alla presenza del Magnifico Rettore Prof. Frati. (Roma)
2015 (10 anos)
1° Premio e 1° Classificato Concorso Internazionale “Euritmia” (Povoletto – Udine)
1° Premio Assoluto Concorso “Riviera della Versilia Daniele Ridolfi” (Viareggio – Versilia)
1° Classificato Concorso Internazionale “Narnia Arts Academy” (Narni – Terni)
2016 (10/11anos)
3° Premio Concorso Internazionale “Grumiaux” (Namur – Belgio)
1° Premio Concorso Internazionale “J. Micka” e Premio Migliore Interpretazione Studio J. Micka (Praga – Repubblica Ceca)
1° Premio Assoluto (100/100) Concorso Internazionale di Esecuzione Musicale “Giovani Musicisti” (Treviso)
1° Premio Assoluto (100/100) Concorso Nazionale di Esecuzione Musicale “Riviera Etrusca” (Piombino – Livorno)
1° Premio Assoluto Concorso “Chroma” nella categoria superiore 12/14 anni (Roma)
1° Premio Assoluto (100/100) Concorso Internazionale “Euterpe” nella categoria superiore 13/16 anni (Corato – Bari)
1° Classificato (100/100) VI Concorso Nazionale “V. Marchitelli” nella categoria superiore 13/14 anni (Roma )
1° Premio Assoluto (100/100) VII Concorso Internazionale “Premio Crescendo” (Firenze)
1° Classificato 14° Concorso Internazionale “Premio Città di Padova” (Padova)
1° Premio Assoluto 17° Concorso Internazionale Valsesia Musica Juniores “Premio Monterosa-Kawai” su tutte le categorie fino a 23 anni con borsa di studio di E 1.000 e Premio speciale “Paola Materozzi Rosa” quale miglior talento. (Varallo Sesia-VC, Italia)
Grand Prix 100/100 XXVII Concorso Internazionale “Flame” (Parigi-Francia)

 

Participa em aultas e masterclasses de: M° Viktor Tretiakov (il Teatro “La Fenice” di Venezia), M° Igor Petrushevski ( il Conservatorio” R. Wagner” di Vienna), M° Vadim Brodski.


PROGRAMMA 

Recital de VIOLINO e PIANO

 


VIOLINO: LUCREZIA LAVINO MERCURI
PIANO: ANGELA LAVINO

Primeira Parte


G.F. HANDEL SONATA N. 4 IN Re Mag. (10 min)
Affettuoso
Allegro
Larghetto 
Allegro 

C.A.DE BERIOT SCENE DE BALLET OP. 10 (12 min.)
Allegro vivace
Tempo di bolero
Valse Moderato
Adagio
Allegro appassionato

J.MASSENET Meditation "Thais" (5 min)


Segunda Parte

W.A. MOZART Sonata n. 4 in Mi min k 304 ( 10 min)
Allegro
Tempo di Menuetto

MANUEL DE FALLA Danse Espagnole "La vida breve" ( 5 min)


PABLO DE SARASATE Introduzione e Tarantella op.43 (5 min)
Moderato
Allegro Vivace

N.Paganini "Cantabile" (5 min)


______________________________________________________________________________________________


 

Exposição Temporária 

Patente até 27 de Fevereiro de 2017

 

 

...O Contralto castrato Girolamo Crescentini e a Soprano  Angelica Catalani eram rivais no S. Carlos, o  que provocou acesas trocas de acusações e alguns distúrbios... e Elisabetta Gafforini, a Mezzo-soprano buffa,  fez moda em Lisboa com o seu vasto cabelo louro, dando origem à expressão "Gaforina", que abrangia todas as raparigas que queriam imitar a diva.

 

Venha saber mais sobre  o drama, a comédia, a intriga e o repertório que rodeava algumas das figuras centrais da ópera de Portugal e da Europa no séc. XIX, através da Exposição CANTORES DE ÓPERA - Colecção de Gravuras do Museu Nacional da Música.

Patente no Museu Nacional da Música. 

 

Comissários: José Manuel Russo e Ana Paula Russo

15025590_1256652644391509_3775644226224894926_o.jp

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.