Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

NATIONAL GEOGRAPHIC ESTREIA ‘IRAQUE: LONGE DE CASA’ DIA 5 DE NOVEMBRO

Estreia em simultâneo no National Geographic e na FOX

 

Michael Kelly (‘House of Cards’), Jason Ritter (‘Parenthood’), Kate Bosworth (‘Super-Homem: O Regresso’), Sarah Wayne Callies (‘Prison Break’ e ‘The Walking Dead’), Noel Fisher (‘No Limite’) e Jeremy Sisto (‘Lei e Ordem’) são algumas das caras da nova série

 

image005.jpg

 

ESTREIA de ‘IRAQUE: LONGE DE CASA’, domingo, dia 05 de novembro, às 22h30

 

‘Iraque: Longe de Casa’ é a nova série dramática do National Geographic que, no seu dia de estreia, vai estar a ser exibida em simultâneo na FOX. Este drama é baseado no best-seller da jornalista Martha Raddatz e conta com um total de oito episódios onde aparecem caras conhecidas como Michael Kelly (‘House of Cards’), Jason Ritter (‘Parenthood’), Kate Bosworth (‘Super-Homem: O Regresso’), Sarah Wayne Callies (‘Prison Break’ e ‘The Walking Dead’), Noel Fisher (‘No Limite’) e Jeremy Sisto (‘Lei e Ordem’).

 

‘Iraque: Longe de Casa’ conta a história do dia 4 de abril de 2004, quando um pequeno pelotão de soldados da 1.ª divisão de Fort Hood, Texas, foi ferozmente emboscado no labiríntico subúrbio de Sadr City, Bagdade. Este dia viria a ficar conhecido pelos militares americanos como “Black Sunday” (Domingo Negro).

 

Nenhum soldado luta sozinho. E os soldados nesta história não são exceção. Esta série oferece aos espectadores uma janela íntima sobre a experiência da guerra vista através dos olhos e dos corações dos próprios soldados e das suas famílias que aguardavam em casa. Esta é uma jornada repleta de adrenalina e emoção que segue a ação no campo de batalha em duas frentes: as caóticas e terroríficas ruas de Sadr City, onde um grupo de jovens soldados inexperientes enfrentam um inesperado ataque com a bravura que nunca pensaram ter; e a frente familiar em Fort Hood, Texas, onde os membros das suas famílias, desesperados por notícias dos seus entes queridos e esperando sempre pelo pior, descobrem uma outra espécie de coragem. ‘Iraque: Longe de Casa’ não só conta a história destes soldados, mas também dos que estiveram presentes em três missões de resgate criadas para os salvar.

 

Os homens da Task Force Lancer, parte da 1.ª Cavalaria de Fort Hood, no Texas, estavam com calor, cansados e preparados para voltar à base depois de um longo dia de escolta aos camiões iraquianos numa missão de rotina em Sadr City, nos subúrbios de Bagdade. Para muitos, esse era o primeiro dia de patrulha e o quarto dia no país para uma missão de um ano no sítio denominado, não oficialmente, de “o lugar mais seguro do Iraque”. De acordo com o que tinha sido contado aos soldados, esta seria uma missão pacífica, um esforço de conquistar os corações e mentes de uma população oprimida que sofreu bastante sob o “reinado” de Saddam Hussein.

 

Uma série que recria um horror real

 

Eram quase 6 horas da tarde, do dia 4 de abril de 2004.

 

A milhares de quilómetros de distância, em Fort Hood, as famílias estavam a aproveitar uma bela manhã de primavera. Por sua vez, em Sadr City, os dias precedentes a este foram bastante tensos. Protestantes encheram as ruas e alguns empunhando espadas e armas. A equipa de iraquianos que tratavam dos camiões foram afugentados por ameaças vindas dos seus compatriotas. Depois destes intensos dias, o pelotão estava mais que preparado para voltar à base. Mas foram instruídos a fazer mais uma viagem até à mesquita onde, mais cedo nesse dia, tinham sido relatados alguns distúrbios. Depois de uma longa discussão com os líderes, voltaram a esquina de volta à base. As ruas que tinham estado até então agitadas estavam, de repente, vazias.

 

Os primeiros tiros pareciam pipocas. Em poucos minutos viram-se numa tempestade de balas que rapidamente mataria um dos seus, incapacitava dois dos quatro veículos e colocava os restantes membros do pelotão no centro da batalha das suas vidas.

 

Aguero e os seus homens viram-se em grande desvantagem numérica à medida que avançavam pelas ruas de Sadr City. As balas vinham de todas as direções. Voltar à base não era uma opção. Aguero, no seu primeiro grande teste de liderança em combate, enfrenta o desafio e, com coragem, lidera os seus homens até uma rua onde podem ter cobertura e onde se podem reagrupar, lutar e esperar por reforços.

 

Entretanto, em Camp War Eagle, a base de operações da divisão onde Volesky tinha em agenda ganhar o comando de Sadr City naquele dia, preparava-se um plano de resgate. O sistema de comunicações ainda não estava totalmente restabelecido, deixando os veículos com rádios inutilizáveis. Rapidamente, as tropas ocupavam camiões armados e blindados para dar resposta aos diversos obstáculos que iam encontrar pelo caminho. Os militares iriam encontrar ruas bloqueadas que, como consequência, complicariam a missão, impedindo-os de abrir caminho até aos seus irmãos e tornando-os ainda mais vulneráveis ao fogo inimigo.

 

No entanto, nenhum obstáculo nem nenhum perigo deteve os homens das unidades Alpha e Charlie de tentarem trazer de volta os seus companheiros de armas. Mesmo no pico da batalha e com os feridos a voltarem a Camp War Eagle em veículos desfeitos e ensanguentados, eles não desistiram da missão de salvar os soldados emboscados. Volesky, que com Denomy também se juntou à força de resgate, disse mais tarde que “valentia incomum foi bastante comum nesse dia”.

 

Oito americanos fizeram, nesse dia, o seu grande e último sacrifício e outros 65 sofreram feridas de combate graves. Todos os que lá estiveram vão carregar para sempre as cicatrizes do que lá viveram. O Black Sunday foi, naquele tempo, o pior dia da força militar americana desde a guerra do Vietname.

 

A valentia incomum que Troy Volesky mencionava iria também revelar-se em Fort Hood durante algumas horas. À medida que as primeiras notícias começaram a aparecer no ecrã da televisão, começou uma batalha diferente. A informação era escassa; as famílias começavam a ficar ansiosas. Lee Ann Volesky (Sarah Wayne Callies), que liderava o Family Readiness Group, preparou-se para desempenhar um trabalho que esperava nunca ser necessário. Gina Denomy (Kate Bosworth), recente membro do FRG, direcionou toda a sua força para ajudar outros através dos piores momentos das suas vidas, sem nunca saber ao certo o destino do seu marido. Ela e Troy tinham acabado de dar as boas vindas ao primeiro filho apenas alguns dias antes da sua partida.

 

‘Iraque: Longe de Casa’ foi gravada quase inteiramente em Fort Hood, a maior instalação militar americana que se espalha por bastantes metros quadrados. É também a casa da 1.ª Cavalaria e o lugar onde os soldados retratados na série viveram e treinaram antes da fatídica missão.

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.