Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Noite de fado no Casino Estoril com Margarida Bessa e José da Câmara

 

Com entrada livre

 

Margarida%20Bessa%20-%20capa%20de%20disco.jpg

 

Margarida Bessa e José da Câmara

em noite de fado no Casino Estoril

 

É já na próxima Quarta-Feira, 25 de Maio, a partir das 22 horas, que Margarida Bessa e José da Câmara se apresentam no Lounge D para protagonizar mais uma noite dedicada ao fado. Com um ambiente intimista, esta conceituada dupla de intérpretes será acompanhada por Diogo Lucena Quadros e Bernardo Romão, nas guitarras, e Luis Roquette, na viola. A entrada é livre.

 

Margarida Bessa

Nascida em Lisboa, Margarida Bessa começou, desde muito jovem, a cantar em festas de amigos. O seu percurso musical ganhou notoriedade quando participou no "Grande Prémio do Fado", de 1993, venceu em "exequo" com Luis Almada.

 

Com mais de duas décadas de carreira, Margarida Bessa gravou os álbuns "Fado", "Entrecantos", "Nocturnos", "Casa de Fados" e "Saudade das Saudades", além de ter participado nos CD das bandas sonoras das telenovelas "Roseira Brava" e "Cavalos no Vento". Lançado em 2013, "Saudade das Saudades" inclui 12 temas, maioritariamente do repertório da fadista Maria Teresa de Noronha, sendo a única exceção "Fado Triste", de António Lopes Ribeiro e Frederico de Freitas.

 

José da Câmara

José da Câmara, filho de Vicente da Câmara, desde muito cedo pareceu querer ser o único a perpetuar a tradição do fado na família, que vinha desde a sua tia-avó, Maria Teresa de Noronha, e continuou na voz do seu pai. A tradição que José da Câmara herdou, deveu-se em grande parte à sua tia-avó, Maria Teresa de Noronha. Assim, em 1993, o fadista homenageou em disco a herança recebida, em conjunto com o seu pai, Vicente, e com Nuno da Câmara Pereira.

 

O álbum, intitulado "Tradição", foi, assim, a forma encontrada para materializar o agradecimento. Em 2010, José da Câmara decidiu ir em busca de outras sonoridades. Admirador de Roberto Carlos há vários anos, José da Câmara pensou que seria interessante unir o encanto da guitarra portuguesa, viola e viola baixo, a alguns dos clássicos do ‘Rei’ da música brasileira, no álbum "Emoções – José da Câmara canta Roberto Carlos! -, reforçando a ideia que a música não tem fronteiras.

 

Por imperativo legal, o acesso aos espaços do Casino Estoril é reservado a maiores de 18 anos.

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.