Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Noites de Queluz | Concerto de 22 outubro é dedicado à figura do compositor Domenico Scarlatti

O 5.º concerto das “Noites de Queluz – Tempestade e Galanterie” tem por figura central o italiano Domenico Scarlatti (1685-1757), que passou em Lisboa dez anos da sua vida. Música sua, mas também da Roma que ele deixou por Lisboa, preenche o programa que Il Sogno Barocco, dirigido por Paolo Perrone, traz no dia 22 à Sala da Música do Palácio Nacional de Queluz.

 

image001.jpg

 

Quando o italiano Domenico Scarlatti (1685-1757) chegou a Lisboa, em 1719, já era um compositor conceituado, ocupando desde 1715 o cargo de mestre da Capella Giulia, da Basílica de São Pedro. O rei D. João V (1689-1750), o Magnânimo, contratou-o para exercer as funções de mestre de capela e de professor de cravo da família real, nomeadamente dos infantes e em particular da princesa Maria Bárbara de Bragança, que se viria a revelar a mais dotada.

 

No dia 22 de outubro, por sinal a data de aniversário de D. João V, o agrupamento italiano Il Sogno Barroco, liderado pelo virtuose do violino Paolo Perrone, apresentará um programa que, sob o título “Domenico Scarlatti e a Roma que ele trocou por Lisboa”, aborda várias composições de Scarlatti, com particular destaque para as únicas obras suas não destinadas a instrumento de tecla solo, as quais foram recentemente gravadas por Perrone. Mas também se escutarão obras de Georg Friedrich Händel, Arcangelo Corelli e Carlo Ambrogio Lonati, três compositores marcantes da Roma de inícios do século XVIII.

 

O alemão Händel esteve por três períodos em Roma, no início da sua carreira, e logo fez furor na cidade papal. Já Corelli era um dos mais prestigiados compositores europeus do tempo, nomeadamente no que ao violino diz respeito. Quanto a Lonati, figura de excêntrico e aventureiro, era um genial virtuose do violino, instrumento ao qual dedicou obras de grande originalidade.

 

As “Noites de Queluz – Tempestade e Galanterie” regressam ao Palácio Nacional de Queluz, com sete concertos distribuídos entre 27 de setembro e 29 de outubro. Estes espetáculos, que acontecem na Sala do Trono e na Sala da Música, propõem repertórios criteriosamente ajustados ao contexto histórico do Palácio, numa viagem pelas sonoridades do período Setecentista e do 1.º Romantismo.

 

“Noites de Queluz – Tempestade e Galanterie” é uma iniciativa conjunta da Parques de Sintra e do Centro de Estudos Musicais Setecentistas em Portugal / Divino Sospiro, com direção artística do maestro Massimo Mazzeo. Este ciclo de concertos assinala o início da 4.ª Temporada de Música da Parques de Sintra.

 

 

Informações úteis

 

Preço de bilhete por concerto: 10 euros

 

Locais de venda:

Bilheteiras da Parques de Sintra

FNAC, Worten, El Corte Inglés, MEO Arena, Media Markt, lojas ACP, rede PAGAQUI e Postos de Turismo de Sintra e Cascais.

Online em www.parquesdesintra.pt e em www.blueticket.pt

M/6

 

Após o início do espetáculo, apenas no intervalo será permitida a entrada na sala. Poderá haver concertos sem intervalo.

Falta de comparência ou atraso não dão direito a reembolso do valor do bilhete.

 

“Noites de Queluz – Tempestade e Galanterie” conta com a Antena 2 como ‘media partner’.

 

Programação

 

Noites de Queluz – Tempestade e Galanterie

 

 

22 de outubro | 21h30 | Sala da Música

 

“Domenico Scarlatti e a Roma que ele trocou por Lisboa”

 

Il Sogno Barocco

Paolo Perrone                           violino barroco e direção

 

Quando em 1719 troca Roma por Lisboa, chamado por D. João V para ser Compositor régio, Domenico Scarlatti já era um prestigiado músico, ocupando desde 1715 o cargo de mestre da Capella Giulia, da Catedral de São Pedro. Em Lisboa passaria dez anos, também como professor dos infantes, mormente da primogénita e mais dotada, Maria Bárbara. Das suas mais de 550 sonatas e ‘essercizi’, apenas oito não são para tecla solo. Um concerto que viaja entre a Lisboa que fez sua e a Roma que deixou.

 

 

27 de outubro | 21h30 | Sala da Música

 

“Os alvores do Romantismo em Portugal”

 

Laura Fernández Granero         pianoforte

 

João Domingos Bomtempo (1775-1842) e Muzio Clementi (1752-1832) adquiriram ambos fama fora dos seus países de origem: o português em Paris e em Londres, o italiano na Inglaterra onde cedo se fixou. Conheceram-se entre uma e outra dessas capitais e, quando Bomtempo se mudou para Londres, uma sincera amizade nasceu entre estes dois compositores, virtuoses do piano e pedagogos. Um face-a-face musical, na estreia portuguesa da jovem pianofortista espanhola Laura Fernández Granero.

 

 

29 de outubro | 21h30 | Sala do Trono

 

“Uma serenata para o aniversário do príncipe herdeiro”

 

Melite                        Eduarda Melo | soprano

Adrasto                    Patrycja Gabrel | soprano

Amaltea                    Giuseppina Bridelli | mezzosoprano

Temide                     Mariana Castello-Branco |soprano

Cassandro                Pedro Matos | tenor

 

Divino Sospiro

Riccardo Doni                     cravo e direção

 

João Cordeiro da Silva foi um dos principais compositores do período que medeia entre o Terramoto de 1755 e a fuga da Corte para o Brasil. Escreveu a serenata ‘Il Natal di Giove’ (‘O nascimento de Júpiter’), sobre libreto de Pietro Metastasio, para o 17.º aniversário do infante José Francisco, primogénito de D. Pedro III e da rainha D. Maria I. A obra foi ouvida no Palácio de Queluz a 21 de agosto de 1778. Esquecida desde então, é agora recuperada e dada em estreia moderna.

 

 

Neste link poderá consultar a programação completa do evento: http://www.parquesdesintra.pt/programacao-cultural/noites-de-queluz-tempestade-e-galanterie-2017/

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.