Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

nova criação Sofia Dias & Vítor Roriz - Satélites / estreia 10-11 abril - culturgest

satélites
uma breve desorientação do olhar

sofia dias & vítor roriz
estreia 10-11 Abril | Culturgest - Lisboa

Header-PR-1.jpg

 


O ano de 2015 marca o regresso de Sofia Dias & Vítor Roriz aos palcos com uma nova criação: “Satélites”. Com estreia marcada para 10 e 11 de Abril, na Culturgest (Lisboa), “Satélites” dá continuidade às pesquisas desenvolvidas ao longo das suas anteriores criações e colaborações de Sofia & Vítor, com destaque para “Fora de qualquer presente“ (2012) e “Um gesto que não passa de uma ameaça“ (2011, peça distinguida com o Prix Jardin d’Europe): a palavra como matéria dúctil; o corpo oscilante entre sujeito e objecto; a cenografia enquanto elemento móvel; a voz e o canto como aquilo que “extravasa” dos corpos. Nas palavras de Tiago Bartolomeu Costa (Público – Ípsilon, Novembro 2011): “É este trabalho com a palavra, a língua e a voz, que antecipa o movimento ou o complementa, que caracteriza a linguagem da dupla. (…) Ali, cada acção, cada som, cada palavra, instala-se com o rigor formal e poético de uma escultura cuidadosamente trabalhada.”

A repetição, a transformação e a simultaneidade, são as ferramentas que os criadores têm vindo a utilizar na procura de materiais que se destacam pela sua precisão, obsessão e desvio das lógicas de composição e interpretação. Formada em 2006, a dupla desenha pela primeira vez uma peça para quatro intérpretes, integrando no elenco Clément Garcia (FR) e Raúl Maia (PT).

Em "Satélites", Sofia & Vítor investigam noções de interdependência e equilíbrio de forças opostas, associadas ao conceito de órbita: “Nesta nova criação, vamos explorar uma ideia coreográfica relacionada com o conceito de órbita, enquanto percurso ou trajectória de um corpo em relação a outro. Órbita como a distância mínima para não nos perdemos no outro, para não sermos absorvidos pelo seu campo “gravitacional” e nos precipitarmos numa irrevogável rota de colisão. No limiar dessa força de atracção reside a tensão dramática de todo o encontro - a eminência da autodestruição subjaz à própria vontade incomensurável do contacto, do toque.
“Satélites” é uma imagem para o que é periférico, para o movimento da e na periferia. Um movimento em relação a um centro que nunca se nomeia e cujo lugar não se determina.”

Depois de residências em Poznan, Lisboa, Dublin, Atenas, Montemor-o-Novo, Barcelona e Porto, com estágios ainda no Centro Cultural de Belém (2 a 8 de Março), n’O Espaço do Tempo (9 a 22 de Março) e no Centro Cultural do Cartaxo (23 de Março a 4 de Abril), Sofia e Vítor reservam para Abril um exercício do olhar. “Talvez uma breve desorientação do olhar.


estreia 
10 e 11 abril (sexta e sábado) às 21h30 | Culturgest
Culturgest – Fundação Caixa Geral de Depósitos

Rua Arco do Cego, Lisboa | +351 21 790 51 55 | culturgest.bilheteira@cgd.pt