Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

NOVEMBRO NO MUSEU NACIONAL DA MÚSICA | MÚSICAS DO ACERVO | novo ciclo no Museu Nacional da Música | Entrada Livre

 
4 NOV. | CICLO 'Músicas do acervo - compositores portugueses e seus contemporaneos' 
Ciclo de concertos onde serão tocados compositores portugueses tendo por base o espólio documental do museu e o panorama musical internacional 
NOVIDADE ! 
Entrada livre
Comissário: Adriano Nogueira

O ciclo realizar-se-á uma vez por mês, às sextas, pelas 19:00, entre os meses de Novembro de 2016 e Maio de 2017, com a apresentação de 8 concertos de instrumentos solistas e música de câmara. Entre os músicos convidados são de destacar os pianistas João Paulo Santos (Portugal), Anne Kaasa (Noruega-Portugal), Steven Chervenkov (Brasil), Veronika Schreiber (Polónia), entre outros profissionais do actual cenário musical português.
 
PROGRAMA DO CICLO

04 de Novembro – Recital de Piano 
Anne Kaasa, piano interpreta ao piano ARMANDO JOSÉ FERNANDES, CLAUDIO CARNEYRO, MAURICE RAVEL e CLAUDE DEBUSSY

anne kaasa.jpg

 

Restante programa:

18 de Novembro – Recital de Canto e Piano
Guilhermina Lopes, canto | Carla Ruaro, piano 

27 de Janeiro de 2017 – Recital de Piano
Steven Chervenkov, piano

03 de Fevereiro de 2017 – Recital de Piano
Ricardo Martins, piano

17 de Março de 2017 – Ensemble Pictorico

09 de Abril de 2017 – Recital de Piano
João Paulo Santos, piano

19 de Maio de 2017 – Recital de Violino
Veronika Schreiber, violino | Steven Azzola, piano
 

CICLO ADRIANO 1 (1).jpg

 

"É objectivo deste ciclo de concertos a divulgação e valorização do repertório da música erudita portuguesa, bem como a sua contextualização nas estéticas musicais ocidentais dos séculos XIX e XX, tendo por base o espólio de partituras do Museu Nacional da Música.
O museu conta com um acervo de partituras de compositores portugueses ainda não inteiramente divulgadas, apesar da riqueza musical nelas contidas. Referimo-nos, em concreto, aos períodos correspondentes aos séculos XIX e XX, deles fazendo parte compositores como João Domingos Bomtempo, Alfredo Keil, José Viana da Mota, Alexandre Rey Colaço, Luis de Freitas Branco, Joly de Braga Santos, Ernesto de Campos Melo e Castro e Fernando Lopes Graça.
Enquanto depositário destes registos históricos, o Museu serve uma das suas missões. Contudo, a valorização destas obras, através da sua divulgação pública, completa a função teleológica da atividade museológica. 
Em cada concerto, com a duração de 50 minutos, procurar-se-ão apresentar as mencionadas composições e enquadrá-las no contexto musical do qual fazem parte, a partir da execução de obras de compositores estrangeiros que marcaram aquela mesma época. Deste modo, o público irá ser estimulado para confrontar as obras portuguesas com as composições estrangeiras, algumas delas, em geral, já do seu conhecimento. 
Os músicos convidados terão a oportunidade de reflectir a sua interpretação nas obras escolhidas, através dos recitais a solo e música de câmara em que participarão." 
Adriano Nogueira (comissário)



1º concerto: 4 Novembro

ANNE KAASA
 

PROGRAMA 


ARMANDO JOSÉ FERNANDES
Sonatina
Allegretto grazioso
Tempo di Folia
Allegro non troppo

MAURICE RAVEL Sonatine
Modéré
Mouvement de menuet
Animé

CLAUDIO CARNEYRO Arpa-eólea

CLAUDE DEBUSSY Dos “Prelúdios”
Le vent sur la plaine
Les collines d’Anacapri
La cathédrale engloutie
Ce qu’a vu le vent d’ouest

ARMANDO JOSÉ FERNANDES
Cinco Prelúdios
Moderato con sentimento
Presto giocoso
Allegro no troppo
Andante con moto
Allegretto

CLAUDE DEBUSSY L’Isle joyeuse

BIOGRAFIA
Anne Kaasa, piano
Natural da Noruega, Anne Kaasa obteve o seu primeiro diploma em piano no Conservatório de Trondheim com o professor Holger Prytz. Continuou os seus estudos em Paris, como bolseira do governo francês e norueguês, onde estudou com Edson Elias. Em Lisboa, estudou um ano no Conservatório Nacional, com Leonor Leitão Cadete, realizando o Curso Superior de Piano com a classificação máxima. Recebeu preciosos conselhos do pianista russo Vladimir Viardo, então professor no Conservatório de Moscovo, herdeiro da escola de Heinrich Neuhaus. Em Londres, teve lições de música de câmara com William Pleeth.
Após, em 1990, ter vencido o concurso Prémio Teresa Vieira, tem prosseguido com sucesso uma carreira de solista internacional na maioria dos países da Europa, nos Estados Unidos da América, na América do Sul e em países do leste, em particular da Ex-União Soviética. Apareceu como solista em prestigiadas salas, entre as quais, Wigmore Hall (Londres), Auditório Nacional (Madrid), Ateneu Romeno da Filarmónica de Bucareste, Ferenc Liszt Memorial House (Budapeste), Salle Molière (Lyon), Grande Auditório do Centro Cultural de Belém (Lisboa), Troldhaugen (Bergen) e Palácio Sheremetev (São Petersburgo). Actualmente é professora de piano no Conservatório Nacional de Lisboa.
Como solista, tem-se apresentado com várias orquestras, tais como: Orquestra da Comunidade de Madrid, Orquestra Gulbenkian, Orquestra da Cidade de Granada, Orquestra Sinfónica Nacional (Rio de Janeiro, Brasil), Orquestra Nacional do Porto, Orquestra Sinfónica Portuguesa, Orquestra de Câmara da Flandres, Orquestra de Câmara de Florença, Orquestra de Craiova, Orquestra Filarmónica de Timisoara, Orquestra de Baden-Baden, Orquestra Filarmónica de Bacau, sob a direcção de maestros como José Ramón Encinar, Laurent Petitgirard, Corneliu Dumbraveanu, Gheorghe Costin, Dirk Vermeulen, Marc Tardue, Manuel Ivo Cruz, Gheorgi Costin, Ovidu Balan, Flávio Chamis, Ligia Amadio, Johannes Willig, Cesário Costa, Manuel Peres Newton, Roberto Pérez.
No domínio da música de câmara, Anne Kaasa tem colaborado com inúmeros músicos, nomeadamente como os violoncelistas Truls Mørk, Øystein Birkeland e Miguel Ivo Cruz, os violinistas Arve Tellefsen, Bjarne Fiskum, Aníbal Lima e Pierre Hommage, o clarinetista António Saiote e os flautistas Katharine Rawdon e António Carrilho.
O repertório de Anne Kaasa estende-se de J. S. Bach aos contemporâneos. Trabalhou com muitos compositores e estreou várias obras dos mesmos, entre os quais Clotilde Rosa, Amilcar Vasques Dias, António Victorino d’Almeida, José Firmino, Bjarna Isaksen e David Schvets. Em 2002, como solista com a Orquestra Gulbenkian, fez a estreia absoluta do Concerto Nº 2 para Piano e Orquestra que lhe foi dedicado pelo compositor francês Philippe Fénelon. No corrente ano estreia de um novo concerto para piano e orquestra de António Pinho Vargas.
Anne Kaasa gravou para a rádios nacionais em Portugal, Espanha, França, Noruega, Itália, Eslovénia e Moldávia. Com o violinista Aníbal Lima, gravou a integral das sonatas para violino e piano de Grieg para a EMI Classics. Em 1996 gravou um disco com obras para piano de Grieg para a etiqueta francesa Grave. Este disco obteve diversas referências elogiosas da crítica musical. Em 2000 gravou outro disco dedicado a Ravel para a etiqueta francesa Saphir, o qual obteve também destacadas críticas (Le Monde de la Musique, Diapason e Clássica em Paris e La Stampa em Roma).
Fonte : https://gulbenkian.pt/musica/biography/anne-kaasa/ (Visto em 13 de Outubro de 2016)


5 NOV. | CICLO 'Músicas do acervo - compositores portugueses e seus contemporaneos' 
Ciclo de concertos onde serão tocados compositores portugueses tendo por base o espólio documental do museu e o panorama musical internacional 
NOVIDADE ! 
Entrada livre
Comissário: Adriano Nogueira
 
 
 
 
 
 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.