Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

O Barão de Edgar Pêra

 

 

 

 

Introdução Histórica

A história de um vampiro marialva que aterrorizava os habitantes duma região montanhosa. O Barão é um camaleão emocional. Ora se apresenta dócil, ou irascível, um homem-javali, «uma pura besta». Vive um amor aprisionado, dentro e fora de si. Um amor inatingível. Um ideal corrompido. Idalina, criada aristocrata paira pelo castelo…

O parágrafo acima é o resumo oficial de apresentação de “O Barão”, o novo filme de Edgar Pêra é umas das mais singulares estreias do ano. A película adapta uma história de Branquinho da Fonseca e é uma viagem ao Portugal dos anos 40, pensada que se tivesse sido filmada na própria altura.

O registo é expressionista e gótico e a película, protagonizada por Nuno Melo, é uma metáfora a qualquer ditadura.

O-Barão.jpg

 

Elenco

  • Leonor Keil
  • Marcos Barbosa
  • Marina Albuquerque
  • Miguel Sermão
  • Nuno Melo
  • Vítor Correia

Equipa técnica

Argumento: Edgar Pêra  ·  Luísa Costa Gomes

Direcção de Fotografia: Luís Branquinho

Montagem: João Gomes: Tiago Antunes  ·  Edgar Pêra

Música: Vozes Da Rádio

Produção: Cinemate

Produtora: Ana Costa

Realização: Edgar Pêra

Som: Tiago Raposinho

Prémios nos XVIII Caminhos do Cinema Português (2011)

PRÉMIO MELHOR ARGUMENTO ADAPTADO | Luísa Costa Gomes e Edgar Pêra por O Barão
PRÉMIO MELHOR FOTOGRAFIA | Luís Bran­qui­nho por O Barão
PRÉMIO MELHOR CARATERIZAÇÃO | Jorge Bra­gada por O Barão
PRÉMIO MELHOR MONTAGEM | Tiago Antu­nes por O Barão