Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

O disco de estreia das COBRACORAL chega hoje às plataformas digitais

descarregar (11).jpg

Disco de estreia das COBRACORAL chega hoje às plataformas digitais

Coletivo actua em Lisboa, no CCB, a 12 de março

Fica hoje disponível no bandcamp da editora e para encomenda em formato vinil cobracoral, o disco de estreia do colectivo portuense composto por Catarina Miranda, Clélia Colonna e Ece Canlı. A primeira data de apresentação para o disco está marcada para o dia 12 de março, no CCB em Lisboa, no âmbito da Carta Branca que a instituição deu ao artista e músico Jonathan Saldanha. Informações e bilhetes disponíveis no site do CCB

COBRACORAL é um projeto que entrança as vozes de Catarina Miranda (Portugal), Clélia Colonna (França) e Ece Canli (Turquia). Cada artista coloca na espiral a sua própria prática vocal: Miranda explora a oralidade de um ângulo coreográfico, Colonna desenvolve uma pesquisa sobre as tradições polifónicas da Ásia e do Mediterrâneo, e Canli investiga práticas de voz expandida. O resultado é uma teia de linhas do tempo que tanto mantém um pulso comum como se distancia dele numa dinâmica constante de reação e adaptação. 

Através de uma constante chamada e resposta, as camadas de ostinatos / repetições são os meios através dos quais COBRACORAL assumem uma textura sonora única, que deriva da voz. Enquanto que uma das vozes insiste num fragmento de apenas duas notas, outra voz vai ocupar os lugares rítmicos vazios de forma a construir uma base harmónica que servirá de base para uma terceira voz. COBRACORAL exploram o potencial da voz através do uso de efeitos sonoros e do gesto, para amplificar a experiência aural que sugere a extensão da voz para além dos limites elétricos e corporais. O movimento dos corpos também molda o som, tal como um eco artificial, um delay, ou uma mudança de tom. Este é um trio vocal contemporâneo, elétrico e eletrificante.

Padrões geométricos dão cor à superfície de COBRACORAL, tal como a espécie de cobra que serviu de inspiração para o nome do trio. Cada música tem o seu padrão respiratório, um rito comunitário que se concentra no movimento do ar, em que os atos de inalação e exalação se tornam sistemas complexos que transformam o tempo numa expressão vocal. O tempo da respiração merece um imenso cuidado na sua dimensão lúdica, e ao mesmo tempo de energia vital, sendo uma responsabilidade partilhada pelas três. Cantos ritualísticos, ciclos oníricos e técnicas vocais contemporâneas formam a paisagem rítmica, imagética e narrativa de COBRACORAL.

 

COBRACORAL: cobracoral
1. [ Ta-Tu ]
2. [ kabraʃ ]
3. [ gɔlfin ]
4. [ sta-ta-U ]

Composto e interpretado por: Catarina Miranda, Clélia Colonna and Ece Canlı
Gravado, misturado e produzido por José Arantes
Masterizado por Jonathan Saldanha
Artwork por Anja Kaiser
Apoiado pelo Programa Criatório da Câmara Municipal do Porto