Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

O Feio, estreia dia 28/9/2016 no TMJB

image001 (2).jpg

image002.jpg

 

Maria João Falcão e João Tempera em O Feio.

 

A Companhia de Teatro de Almada estreia dia 28 de Setembro, às 21h30, O Feio, de Marius Von Mayenburg, com encenação de Toni Cafiero. O espectáculo estará em cena até 16 de Outubro de quarta a sábado às 21h30 e domingos às 16h.

 

O Feio: uma parábola moderna sobre a identidade e a sociedade de consumo.

 

O texto de Marius Von Mayenburg retrata uma sociedade onde ressaem as premissas absurdas do mundo contemporâneo, no qual a forma prevalece sobre a qualidade. Em O Feio, um cientista de sucesso não é autorizado pelo patrão a apresentar a sua descoberta porque não é bonito. O cientista não tinha consciência de que era feio, e dirige-se à sua mulher, que lhe confirma a sua suspeita. Resolve então fazer uma operação plástica, que acaba por ser um sucesso não só para ele como também para o cirurgião plástico que o opera, que resolve repetir a operação noutras pessoas. Os duplos sucedem-se e acabam por confundir a mulher do cientista, que vê o seu marido em vários outros indivíduos. Ao mesmo tempo, a beleza do marido vê-se desvalorizada à medida que o número de duplos aumenta.

 

Javier Villan, crítico de teatro do El Mundo, de passagem pelo Festival de Almada, aquando da antestreia do espectáculo, escreveu: “O Feio tem o ritmo de um vaudeville agradável, de uma alta comédia inclinada para o absurdo mais puro, contaminada pelo absurdo existencialista. Um diálogo agilíssimo, arguto e muito humor. E excelentes intérpretes que se desdobram em várias personagens

 

Toni Cafiero, actor e encenador, convidado pela companhia de Teatro de Almada para encenar O Feio, formou-se na Escola Jaques Lecoq, em Paris, e na Escola de Belas-Artes de Bolonha. Entre 1984 e 1986, frequentou sucessivas edições da École des Maître. Em 1994 deu inicío a uma carreira de professor, que o fez passar, por exemplo, pela École Nationale Supérieure d’Art  Dramatique de Montpellier (2006 – 2014) e pelo Institut del Teatre de Barcelona (1994 – 2000). Em 1999, co-fundou a companhia Faux Magnifique, mantendo-se na sua direcção artística até 2007. Entre 2007 e 2010, co-dirigiu o Théâtre de L’Archipel, em Perpignan. Toni Cafiero foi também artista associado no Théâtre Jean Vilar, em Montpellier, e artista residente no Théâtre Jacques Coeur, em Lattes.

 

Marius Von Mayenburg, autor de O Feio, estudou Alemão Antigo na universidade, em Munique, antes de se mudar para Berlim, em 1992, e completar um curso de Dramaturgia na Hochschule der Künste. Em 1998, depois de um período na Kammerspiele de Munique, passou a integrar a direcção artística da Baracke, a sala estúdio do Deutsches Theater em Berlim. Em 1999, tornou-se dramaturgo residente da Schaubühne de Berlim, ao lado de Thomas Ostermeier. A sua obra foi já distinguida com o prémio Kleist para as Jovens Dramaturgias, pela peça Cara de fogo (1997), e com o Prémio da Sociedade de Autores, atribuído durante o Festival Heidelberger Stückemarkt (1998).

 

No Sábado dia 1 de Outubro haverá uma Conversa com o Público, às 18h, com a participação dos actores e do encenador Toni Cafiero, no Foyer do TMJB.

 

 

FICHA ARTÍSTICA

 

Encenação: Toni Cafiero

Assistente de encenação: Catarina Barros

Tradução: Elena Probst e Rodrigo Francisco

Cenografia e luz: Toni Cafiero e Guilherme Frazão

Figurinos: Sandra Dekanic

Selecção musical: Toni Cafiero

Desenho de som: Miguel Laureano

Movimento: Catarina Câmara e Francesca Bertozzi

 

Intérpretes:

André Pardal

João Farraia

João Tempera

Maria João Falcão

 

 

 

TMJB | SALA EXPERIMENTAL | M/12

28 SET a 16 OUT | QUA a SÁB às 21h30, DOM às 16h. PREÇO: 5€ a 10€ (Clube de Amigos: entrada livre)

RESERVAS: +351 212 739 360 COMPRAR: http://cta.bilheteiraonline.pt/

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.