Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Óbidos apresenta Ópera em Setembro - Concertos dias 16 e 23, na Cerca do Castelo

Concertos dias 16 e 23, na Cerca do Castelo

Óbidos apresenta Ópera em Setembro 

 

OPERA.jpg

 

Em Setembro, Óbidos será palco de Concertos onde a música lírica será protagonista, unindo o cenário natural da Cerca do Castelo à melodia das orquestras e dos solistas, numa produção que promete surpreender as noites de final de Verão.

 

Assim, no dia 16, pelas 21h30, o concerto será composto por dois «Intermezzos»: “Il Maestro di cappella” e “La Serva Padrona” e será levado a cabo pela Orquestra Filarmonia das Beiras, sob direção do Maestro Vassalo Lourenço, em versões semi-encenadas, tendo como solistas Nuno Dias (baixo), Vera Silva (soprano) e Leandro Alves como personagem de Vespone (La serva Padrona).

 

Já no dia 23, com início às 21h30, a Cerca do Castelo recebe a Gala de Ópera, com a soprano Alexandra Bernardo, o barítono Armando Possante, os Coros Coral Nascente e Coral Alma Nova e a Orquestra Sinfónica Juvenil. Direção de Bernardo Marques.

 

Local e Bilhetes

Cerca do Castelo | Anfiteatro de Cima | Espaço semi-coberto

Bilhetes à venda nos locais habituais.

Preço por pessoa e espetáculo: 22,00€ - Plateia (cadeiras) e 18,00€ - Balcão (bancada)

 

Os concertos:

 

16 Setembro

Dois intermezzos (versão original): Il Maestro di Capella, de Domenico Cimarosa, e La Serva Padrona, do compositor italiano Giovanni Battista Pergolesi.

 

Il Maestro di Cappella de Domenico Cimarosa

O Mestre de Música está a ensaiar com a sua própria orquestra. Declara que quer executar uma ária em “estilo sublime”, referindo-se à autoridade dos antigos mestres “que sabiam tanto”. Quando finalmente a orquestra inicia a execução da ária, o resultado é desastroso. Cada um dos instrumentos entra no momento errado, estragando a música e obrigando o mestre a cantar, ele próprio, a parte de cada um. E assim o mestre continua, ensinando um a um, até que todos os músicos dos diferentes instrumentos aprendam a sua parte.

Depois de aprenderem, experimentam, enfim, tocar todos juntos a música proposta. Têm sucesso. O mestre de música, satisfeito, decide então que a orquestra toque uma “grande peça”, de grande efeito. Será que vão conseguir?

 

Intervenientes:

Músicos - Orquestra Filarmonia das Beiras

Mestre de Música – Nuno Dias (baixo)

Maestro – António Vassalo Lourenço

 

La Serva Padrona de Giovanni Battista Pergolesi

Sinopse:

Serpina, criada atrevida de Uberto, que dele, no entanto, faz os encantos, serve-o com demora e sobranceria e leva o seu atrevimento a ponto de, primeiro, querer condicionar as saídas do seu patrão e, depois, de se lhe impor como noiva, o que ele recusa. Um criado mudo, Vespone, também ao serviço de Uberto e nem sequer muito bem tratado por Serpina, será dela, porém, precioso comparsa na farsa que levará o amo a aceitar a criada em casamento: tomando a “máscara” de Capitão, numa autêntica rábula de “commedia dell’arte”, faz-se passar por noivo de Serpina, a quem o patrão deverá dar um dote, ou, se o não fizer, tomá-la então para si. A recusa de Uberto em pagar é o triunfo de Serpina, que de criada passa a patroa, desposando Uberto, que acede de bom grado ante a ameaça do terrível Capitão Tormenta.

 

Intervenientes:

Serpina – Vera Silva (soprano)

Uberto – Nuno Dias (baixo)

Vespone – Leandro Alves

 

Ficha Técnica e Artística:

Orquestra Filarmonia das Beiras (OFB)

Direção Artística e Musical - António Vassalo Lourenço

Encenação - Leandro Alves

Produção OFB – Messias Simões, Bruno Marques, Belinda Morais, Margarida Mendes, Rita Carvalho

Classificação etária: maiores de 3 anos

Coprodução- Estúdio de Ópera do Centro/Orquestra Filarmonia das Beiras (uma estrutura financiada pelo Ministério da Cultura / Direção Geral das Artes.

 

23 Setembro

Gala de Ópera

MOZART | As Bodas de Fígaro – Abertura (1756 – 1791)

PUCCINI | Gianni Schichi - O mio Babbino caro (1858 – 1924)

MOZART | As Bodas de Fígaro - Non più andrai (1756 – 1791)

VERDI | Nabucco - Coro dos Escravos Hebreus (1813 – 1901)

VERDI |Rigoletto - Caro nome (1813 – 1901)

ROSSINI | O Barbeiro de Sevilha - Largo al factótum (1792 – 1868)

ROSSINI | O Barbeiro de Sevilha - Dunque io son… tu non m’inganni (1792 – 1868)

VERDI | Traviata – Brindisi (1792 – 1868)

 

 

Ficha Técnica e Artística:

Orquestra Sinfónica Juvenil (OSJ)

Direção – Bernardo Marques

Produção OSJ – Vítor Mota

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.