Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Onde é que eu já vi isto, perguntou ele| Última semana em cena no Teatro Garcia de Resende em Évora

image001 (4).jpg

 

 

Cendrev apresenta a sua última criação, Onde é que eu já vi isto, perguntou ele, de Rui Pina Coelho, até dia 23 de Novembro no Teatro Garcia de Resende. Depois desta temporada em Évora o espectáculo segue para Espanha onde será apresentado, no âmbito do Circuito Ibérico de Artes Cénicas recentemente criado por um conjunto de companhias portuguesas e espanholas, no dia 27 no Teatro Alkázar em Plasencia e no dia 28 no Teatro Guirigai em Los Santos de Maimona (Zafra), no regresso a Portugal será apresentado, nos dias 5 e 6 de Dezembro no Teatro Mascarenhas Gregório em Silves. Esta produção do Cendrev voltará aos palcos portugueses e espanhóis a partir de Fevereiro do próximo ano.

 

Rui Pina Coelho refere-se ao texto que escreveu, nos seguintes termos: … é claro que a história recente do Cendrev e o seu digno exemplo de resistência e verticalidade face aos brutos e cegos cortes à actividade cultural é a estrutura dominante da peça. Onde é que eu já vi isto, perguntou ele é, portanto, um texto sobre o trabalho e sobre a opressão que o capital exerce sobre os indivíduos. É um texto sobre arte, sobre marxismo e sobre resistência cívica. Mas é, sobretudo, uma homenagem ao Cendrev e aos heróis da história do teatro. É um texto que só existe porque existem o José Russo, a Ana Meira e o Rui Nuno – actores de generosidade inesgotável. Velhos amigos. Camaradas preciosos. E isso é, para mim, de uma importância extrema. Porque não há no teatro nada que não seja sentimental.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.