Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Os Dias do Público no Teatro São Luiz

O que fazem uma advogada, uma cientista e um professor no Teatro São Luiz? 

 

pvtgeral-assinatura_email.jpg

 

A 15, 16 e 17 de junho, a programação será desenhada exclusivamente pelo público. A iniciativa “Os Dias do Público” pretende trazer a cidade para o Teatro e levar o Teatro à cidade.

 

Durante três dias, a 15, 16 e 17 de junho, o São Luiz Teatro Municipal vai abrir por completo as portas ao público, ficando a programação a cargo de quem está habituado a ser mero espetador. Uma advogada, uma cientista e um professor são apenas alguns dos elementos por detrás da iniciativa “Os Dias do Público”, que dá aos cidadãos a oportunidade de saltar da plateia para os bastidores do teatro. Nesta temporada, o mote é trazer a cidade para o Teatro e levar o Teatro à cidade.

 

Desenhada pelos participantes de “O Público vai ao Teatro”, um projeto único no país promovido pelo teatro meia volta e depois à esquerda quando eu disser(www.teatromeiavolta.com), em parceria com instituições culturais, a programação irá seguir duas linhas: “de dentro para fora”, dando a conhecer o Teatro e tudo aquilo que nele se faz; e “de fora para dentro”, mergulhando a cidade no Teatro.

 

Na primeira linha da programação, “de dentro para fora”, haverá espetáculos guiados para desvendar os segredos mais bem guardados do Teatro São Luiz – e até os seus fantasmas. Ensaios abertos, leituras encenadas, mostra de fotografias. Tudo pensado para colocar quem entra nos “Sapatos do Sr. Luiz”, uma das muitas propostas de “Os Dias do Público”.

A equipa deste projeto andará pelas ruas da cidade à procura de quem nunca entrou no Teatro e estará na “Frente de Casa”, logo à entrada, pronta a explorar recantos e histórias.

Na segunda linha da programação, “de fora para dentro”, será a cidade a tomar conta do espaço do Teatro, com propostas como “Atlas Lisboa”, uma performance que reunirá 100 pessoas de diferentes profissões em palco. Aliás, o São Luiz será durante estes três dias o gabinete de uma esteticista, o salão de uma cabeleireira, o consultório de uma taróloga e o estúdio de um professor de danças de salão em “Hoje vim trabalhar para o Teatro”. 

As rotinas da cidade vão confundir-se com as do São Luiz: será possível dormir no palco com um saco-cama e um concerto pela noite; participar num típico almoço de domingo em que Lisboa será o tema de conversa; e até cantar no duche dos camarins.

A programação incluirá ainda projetos comunitários de quem vive na cidade, com um coro infantil e dança urbana, propostas em que caberá ao público o papel de ator, duetos improváveis de artistas e não-artistas que vão falar sobre “o que amamos, o que construímos e o que nos move” e uma tertúlia para debater “O Teatro como espaço público”. 

 

“O Público vai ao Teatro”, um projeto de desenvolvimento de públicos, foi criado em 2011. A presente edição (2016-2018) envolveu três grupos distintos – adultos, professores e crianças – no acompanhamento da programação e do trabalho da equipa do São Luiz Teatro Municipal, bem como dos artistas que aqui se apresentam.

 

O projeto O Público Vai ao Teatro é a âncora da importância dada pelo Teatro São Luiz à relação com o seu público. Através deste projeto, o Teatro cria uma proximidade real com o público, que passa a ser um dos seus parceiros no dia-a-dia. Isso permite-nos também uma reflexão sobre o nosso trabalho, ajudando-nos a repensar aquilo que fazemos, a forma como funcionamos e aquilo que aqui programamos”, aponta Aida Tavares, diretora artística do Teatro São Luiz.

 

Enviamos em anexo informação sobre este projeto e os elementos da programação d’Os Dias do Público – que são parte integrante das Festas de Lisboa’18 -, convidando-o/a a estar connosco nesta troca das cadeiras do público e pedindo a vossa colaboração na divulgação desta iniciativa inédita.