Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Passatempo CASAL ABERTO

O Blog Cultura de Borla em parceria com o CEGADA - GRUPO DE TEATRO tem bilhetes duplos para a peça  CASAL ABERTO epara as sessões de 8 e 9 de Fevereiro, sexta e sábado,  às 21h30,  e dia 10 de Fevereiro às 16h no TEATRO-ESTÚDIO Ildefonso em Alverca do Ribatejo aos primeiros leitores que de 5 em 5 participações:

 

 Enviem um email para o culturadeborla@sapo.pt com a frase "Eu quero ver CASAL ABERTO  com o Cultura de Borla" com nome, BI e nº de telefone.

 

ATENÇÃO

Só é aceite uma resposta válida por endereço de e-mail e por concorrente pelo que não adianta enviar mais do um e-mail.

Excepto em casos de força maior que deverão ser atempadamente comunicados através do email culturadeborla@sapo.pt, contamos que os participantes aproveitem os bilhetes que ganharam, portanto concorra apenas se tem a certeza que pode estar presente.

Reservamo-nos o direito de excluir de futuros passatempos todos os que não procederem desta forma.

 

 

 

50882552_2672150606159143_3646911732384792576_n.jp

 

Estreou na passada sexta feira, dia 25, a peça Casal Aberto de Dario Fo e Franca Rame, uma texto sobre a igualdade de género.
(estará em cena no TEIV até 10 de Fevereiro, sextas e sábados às 21:30 e domingos às 16:00)

Dois dias antes da estreia a Companhia Cegada, de Alverca do Ribatejo, anunciou estarem esgotados os lugares para as duas primeiras sessões no TEIV – Teatro Estúdio Ildefonso Valério. Na noite de estreia estiveram diversas personalidade do meio: Tito Lívio, Sónia Cláudia entre outros criadores e interpretes dos quais se destacam as presenças do actor Carlos Vieira de Almeida e a actriz Io Appolloni, ambos protagonistas da primeira encenação da peça de Fo e Rame em Portugal, decorria o ano de 1986.

A peça Casal Aberto, da autoria do Prémio Nobel Dario Fo e sua musa Franca Rame, aborda a temática de um homem que, por via dos continuados relacionamentos extra conjugais, provoca um constante estado de sofrimento e depressão na sua esposa. Sob o aparente objectivo de lhe minimizar o sofrimento - e confiante que convenção social de género vigente impossibilitará qualquer alteração comportamental à mulher - propõe que se tornem num "Casal Aberto" a outros relacionamentos.

Depois de realistas cenas de violência física, verbal e psicológica, e ultrapassadas a barreiras sociais exclusivas à Mulher que a impedem da igualdade de comportamentos, talvez possamos ter um ensaio de uma situação de justa igualdade de género. A partir deste ponto no texto, Dario Fo expõe de forma satírica e altamente cómica, as alterações comportamentais em torno de todo o Homem que, mesmo sem qualquer plano ardiloso por principio, é obrigado a reagir à perda do conforto que a sociedade, conservadora de costumes, lhe proporciona.

Estreia de "CASAL ABERTO"
de Dario FO e Franca RAME

EM CENA
de 25 de Janeiro a 10 de Fevereiro
Sex. e Sáb. às 21:30, Dom às 16:00

INFORMAÇÕES E RESERVAS:
926 941 164 / 910 923 397
publico.teiv@gmail.com

FOTOGRAFIA
Luana RIBEIRO

CRIAÇÃO
Cegada Grupo de Teatro

ESTRUTURA FINANCIADA
Governo de Portugal - Cultura / Direcção-Geral das Artes
Câmara Municipal de Vila Franca de Xira