Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Passatempo COPPIA

O Blog Cultura de Borla em parceria com CINE TEATRO DE ESTARREJA  tem bilhetes duplos para o espectáculo COPPIA  no dia 20 de Novembro no Cineteatro de Estarreja aos primeiros leitores que de 5 em 5 participações

:

 Enviem um email para o culturadeborla@sapo.pt com a frase "Eu quero ver COPPIA com o Cultura de Borla" com nome, BI e nº de telefone:

 

 

 

 

Coppia

Manuela Azevedo, Hélder Gonçalves e Victor Hugo Pontes
 

 

 


Manuela Azevedo, Hélder Gonçalves, Victor Hugo Pontes 
cocriação
Hélder Gonçalves direção musical
Victor Hugo Pontes direção cénica e coreografia
Wilma Moutinho direção técnica
Nuno Meira desenho de luz
Ricardo Santos operação de luz
Nelson Carvalho desenho de som
Hélder Gonçalves, Joana Castro, Manuela Azevedo, Valter Fernandes interpretação
Carlos Tê textos
Eva Ângelo registo vídeo
Joana Ventura direção de produção
Centro Cultural de Belém, Nome Próprio coprodução
Orbita Bikes, Sports Partner, Anjos Urbanos apoios
Circolando, Teatro Municipal do Porto. Rivoli. Campo Alegre residência
F. Ribeiro agradecimentos

COPPIA nasce do convite feito pelo Centro Cultural de Belém a Manuela Azevedo, concedendo-lhe Carta Branca para a construção de um espetáculo. Na procura do conceito-mãe para o projeto, descobre a palavra italiana “coppia”, que logo a seduziu pelo seu potencial semântico e simbólico. “Coppia” significa parelha, dupla, casal, par. E se, quase imediatamente, esta palavra remete para a ideia de casal amoroso (não fosse a origem desta palavra a mesma que a palavra “cópula”), cabem aqui também outras parelhas – profissionais, artísticas, familiares... E há ainda a associação gráfica evidente de “coppia” com a palavra portuguesa “cópia” e os seus significados – réplica, reflexo, repetição. A ideia de explorar todas estas possibilidades de expressão e de o fazer tendo as canções como ponto de partida passou a ser a ideia central da construção do espetáculo. Para a criação conjunta deste projeto, desafiou uma dupla de antigos cúmplices – Hélder Gonçalves, a quem cabe a direção musical e Victor Hugo Pontes, responsável pela direção cénica e coreografia. E, assim (em trio, mas sempre a par), se foi desenhando COPPIA – uma viagem pelo que, em todos nós, só faz sentido a dois.