Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

PASSATEMPO - ERMELINDA DO RIO Nocturno para voz e concertina

O Blog Cultura de Borla em parceria com o CINE TEATRO DE ESTARREJA tem bilhetes duplos para o espetáculo ERMELINDA DO RIO Nocturno para voz e concertina a exibir no dia 23.nov.19, pelas 21h30,  no Cine - Teatro de Estarreja aos primeiros leitores que de 5 em 5 participações:

 

 Enviem um email para o culturadeborla@sapo.pt com a frase "Eu quero ir ao espetáculo ERMELINDA DO RIO Nocturno para voz e concertinacom o Cultura de Borla" com nome, BI e nº de telefone.

 

ATENÇÃO

Só é aceite uma resposta válida por endereço de e-mail e por concorrente pelo que não adianta enviar mais do um e-mail.

Excepto em casos de força maior que deverão ser atempadamente comunicados através do email culturadeborla@sapo.pt, contamos que os participantes aproveitem os bilhetes que ganharam, portanto concorra apenas se tem a certeza que pode estar presente.

Reservamo-nos o direito de excluir de futuros passatempos todos os que não procederem desta forma.

 

evento_1687_destaque_2.jpg

SÁB 23 NOV 21H30

TEATRO

ERMELINDA DO RIO

NOCTURNO PARA VOZ E CONCERTINA
 

[COMPRAR BILHETE] [ENVIAR A UM AMIGO]

 

AUDITÓRIO 6,00€ | 4,00€ (cartão amigo, cartão sénior e jovem municipal) | SESSÃO c/ lugares marcados


GÉNERO DRAMA| 55 MIN | M/12


“Nocturno para voz e concertina” é o subtítulo do testemunho dorido de quem perdeu grande parte da família na maior catástrofe natural em Portugal, desde o terramoto de 1755. As cheias do Tejo a 26 de novembro de 1967 no ribatejo e arredores de Lisboa, serviram de inspiração para João Monge escrever na primeira pessoa, um poema narrativo pelos olhos de uma menina e de sua mãe, que vivem a tragédia de sobreviver para assistir impotentes ao desaparecimento da sua família, de amigos, de conhecidos, e bastou uma noite de chuva, como tantas outras, para que de madrugada o mundo estivesse virado do avesso. 


João Monge, texto, Maria João Luís, encenação e interpretação, Miguel Leiria Pereira, Sofia Pires, Sofia Queiroz Orëibir, José Peixoto, música para três contrabaixos, José Carretas, cenografia, Pedro Domingos, desenho de luz, Clarisse Ricardo, assistência de encenação e design gráfico, Rita Costa, produção, Vitorino Coragem, fotografia de cena, Pedro Domingos, direção de produção, Teatro da Terra 2019, produção