Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Passatempo - "FIM DE PARTIDA (ENDGAME)"

O Blog Cultura de Borla em parceria com CHÃO DE OLIVA tem bilhetes para  "FIM DE PARTIDA (ENDGAME)" na CASA DE TEATRO DE SINTRA para as sessões de 28,29 e 30 de Junho (21h45) e 1 de Julho (16h)  aos leitores que de 5 em 5 participações:

- enviem um mail para culturadeborla@sapo.pt com a frase "Eu quero ver "FIM DE PARTIDA (ENDGAME)" com o Cultura de Borla" com nome, BI e nº de telefone e sessão pretendida.

 

 

 

ATENÇÃO

Só é aceite uma resposta válida por endereço de e-mail e por concorrente pelo que não adianta enviar mais do um e-mail.

Excepto em casos de força maior que deverão ser atempadamente comunicados através do email culturadeborla@sapo.pt, contamos que os participantes aproveitem os bilhetes que ganharam, portanto concorra apenas se tem a certeza que pode estar presente.

Reservamo-nos o direito de excluir de futuros passatempos todos os que não procederem desta forma.

 

site_home_beckett.jpg

 

 

Casa de Teatro de Sintra apresenta obra de Samuel Beckett

“Fim de Partida” (Endgame) com encenação de Carlos Pimenta e com Ivo Alexandre e Pedro Lacerda nos protagonistas

 

Entre 21 de junho e 8 de julho, a Companhia de Teatro de Sintra, pertencente à Associação Cultural Chão de Oliva apresenta “Fim da Partida” (Endgame) a tragicomédia escrita pelo Nobel da Literatura Samuel Beckett, que traz a palco o enigma da condição humana. A peça é encenada por Carlos Pimenta e pode ser vista de quinta a domingo na Casa de Teatro de Sintra.

“Fim de Partida” conta a história de Hamm e Clov, dois homens fechados num abrigo (bunker) à beira-mar. As duas personagens principais representam uma metáfora sobre as limitações da condição humana e agem e dialogam num jogo de repetições ao estilo da comédia burlesca: Hamm, paralisado e cego, e Clov, meio serviçal meio filho adoptivo, estabelecem entre si relações de poder manipulação, dependência e submissão, que têm em comum o seu cariz disfuncional.

Nesta peça, que conta também em palco com os pais de Hamm (Nell e Nagg) dentro de caixotes do lixo, só o jogo, a repetição e o diálogo permitem que se sobreviva. Vítimas de um apocalipse emocional, espiam o mundo ou o que restou dele, sem esperança, procurando adiar a morte. As quatro personagens estão em fim de partida, no limite das suas condições humanas.

Originalmente escrita em francês (Fin de Partie - 1957), a peça foi traduzida para inglês pelo próprio Beckett com o título Endgame. A tradução, que agora é levada a cena, é da autoria de Francisco Luís Parreira, e a encenação assinada por Carlos Pimenta, que, até agora, dirigiu mais de três dezenas de espetáculos, de teatro, ópera e bailado, nas principais salas do país. A sua última produção foi “Morte de um Caixeiro Viajante” de A. Miller, para a Companhia de Teatro de Almada (2018).  

Esta dupla já trabalhou em conjunto em “À Espera de Godot” apresentada em 2014 no Teatro Municipal de S. Luíz e no Teatro Nacional de S. João, numa co-produção destas instituições com o Ensemble.

O elenco conta, nos papéis principais, com Ivo Alexandre (como Hamm), ator que se divide entre teatro, cinema e televisão e integrou já séries como “Equador” ou “Conta-me Como Foi”, e Pedro Lacerda (na pele de Clov), ator de cinema e televisão, já entrou em filmes de João Botelho e conta com participações nas telenovelas “Jogo Duplo” e “Espelho d’Água”. Também em palco estarão Nuno Correia Pinto (como Nagg), ator, marionetista, encenador e diretor artístico do Chão de Oliva, e Anabela Faustino (a dar vida a Nell), atriz de teatro, cinema e televisão que, nos últimos anos, fez parte do elenco de “Anjo Meu” ou “Mulheres Assim”.

A peça vai estar em exibição de 23 de junho até 8 de julho. De quinta a sábado a sessão tem início às 21h45 e domingo começa às 16h. O bilhete tem um custo de 7,50€, existindo vários descontos disponíveis para grupos, jovens, entre outros. Há ainda bilhetes para o espetáculo com refeição incluída.

 

Sobre o Chão de Oliva

Fundado em 1987, o Chão de Oliva - Centro de Difusão Cultural (CO) é uma associação que tem o teatro como atividade-âncora, promovendo também todo o tipo de artes nas suas diversas expressões, através da criação de espetáculos, festivais e formação. Em 1990 fundou a

 

Companhia de Teatro de Sintra, a primeira companhia profissional do concelho e hoje a mais antiga, e em 2002, o Fio d’Azeite, um grupo profissional de marionetas. Na vertente da formação, criou a Mostra de Teatro das Escolas de Sintra, uma iniciativa pioneira e a mais antiga que se realiza em Portugal.

 

Ao longo dos anos foi responsável pela organização de alguns dos maiores eventos culturais no concelho de Sintra e é continuamente reconhecida pelo Ministério de Cultura desde 1994. Em 30 anos, o Chão de Oliva já promoveu 270 espetáculos / eventos e já passaram mais de 1.100 artistas / grupos pela associação.

https://www.chaodeoliva.com/

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.