Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

“Portugal que Dança”, na RTP 2,a partir de 31 de Maio

599ea377-f0bc-467e-8489-80f94a02b085.png

 

Primeiro episódio é dedicado à premiada Marlene Monteiro Freitas

“Portugal que Dança”, na RTP 2, a partir de 31 de Maio

A série documental “Portugal que Dança” regressa à RTP 2, no dia 31 de Maio. Pioneira na televisão portuguesa, trata-se da primeira série de documentários sobre dança contemporânea portuguesa e dá visibilidade à mais recente geração de criadores de dança no nosso país.

De 31 de Maio a 21 de Junho, sempre às quintas-feiras, são exibidos quatro documentários: o primeiro dedicado a Marlene Monteiro Freitas, uma das mais reconhecidas coreógrafas da sua geração. Marlene Monteiro Freitas vai receber o Leão de Prata da Bienal de Veneza, destinado a jovens promessas da dança ou a instituições que se distingam pelo investimento em novos talentos, no dia 28 de Junho.

O episódio é um documentário "on the road", que acompanha a construção de "Bacantes - Prelúdio para uma Purga", criação de Marlene Monteiro Freitas. Filmado entre Annecy, Montpellier, Lisboa e Bruxelas, dá a conhecer o modo de trabalho e a complexidade criativa da criadora.

Assistimos à evolução da coreografia complexa e de experimentação de "Bacantes - Prelúdio para uma Purga" até à sua estreia, em Lisboa, no Teatro Nacional D. Maria II e também à sua apresentação na abertura no Kundsten Festival des Arts, um dos principais festivais de dança a nível europeu.

Produzida pela Mares do Sul, com realização de Cristina Ferreira Gomes e autoria de Luiz Antunes, “Portugal que Dança” é uma série de 17 episódios que dá a conhecer o trabalho criativo e heterogéneo de 21 jovens coreógrafos portugueses, segue o seu quotidiano de construção criativa, mostrando as suas obras, as suas aspirações e o cruzamento com diferentes disciplinas artísticas.

Filmada em 13 cidades em Portugal, de Norte a Sul, Açores, e em 8 cidades internacionais, de Paris a São Paulo passando por Roterdão ou Estocolmo, entre outras, Portugal que Dança é uma autêntica viagem pelo mundo da dança contemporânea portuguesa com notável projecção internacional.

Produzida para a RTP 2, a série contou com os apoios do Teatro Municipal do Porto Rivoli Campo Alegre, da Fundação Calouste Gulbenkian e da Fundação GDA.

 

"Portugal que Dança" - RTP 2
Série documental: 17 episódios
Realização: Cristina Ferreira Gomes
Autoria: Luiz L. Antunes
Produção: Mares do Sul Produções
Apoios: Teatro Municipal do Porto Rivoli Campo Alegre, 
Fundação Calouste Gulbenkian, Fundação GDA

 

 

 

Portugal que Dança, de 31 de Maio
Sinopse
Marlene Monteiro Freitas

Documentário "on the road", acompanha a construção de "Bacantes- Prelúdio para uma Purga", criação de Marlene Monteiro Freitas. A coreógrafa irá receber, no próximo dia 28 de Junho, o Leão de Prata, da Bienal de Veneza, na categoria de dança.

Filmado entre Annecy, Montpellier, Lisboa e Bruxelas, o documentário dá a conhecer o modo de trabalho e a complexidade criativa da criadora, uma das mais reconhecidas a nível europeu.

Assistimos à evolução da coreografia complexa e de experimentação de "Bacantes - Prelúdio para uma Purga" até à sua estreia, em Lisboa, no Teatro Nacional D. Maria II e também à sua apresentação na abertura no Kundsten Festival des Arts, um dos principais festivais de dança a nível europeu.


Biografias
Marlene Monteiro Freitas

Nasceu em Cabo Verde onde co-fundou o grupo de dança Compass. Estudou dança na P.A.R.T.S. (Bruxelas), na Escola Superior de Dança e coreografia na Fundação Calouste Gulbenkian (Lisboa). Paralelamente, trabalhou com a Associação Moinho da Juventude no Bairro da Cova da Moura, em Lisboa, num projecto de dança contemporânea. Em 2006, foi bolseira do Programa Jovens Criadores do Centro Nacional de Cultura. Trabalhou com Emmanuelle Huynn, Loic Touzé, Tânia Carvalho, Boris Charmatz, entre outros. Criou as peças “de marfim e carne-as estátuas também sofrem” (2014), “Paraíso-colecção privada” (2012-13),”(M)imosa” (2011) com Trajal Harell, François Chaignaud e Cecilia Bengolea, “Guintche” (2010), “A Seriedade do Animal” (2009-10), “Uns e Outros” (2008), “A Improbabilidade da Certeza” (2006), “Larvar” (2006) e”Primeira Impressão” (2005), obras que têm como denominador comum a abertura, a impureza e a intensidade. É co-fundadora da P.OR.K, estrutura de produção sediada em Lisboa.

Mares do Sul
empresa produtora da série documental

Cristina Ferreira Gomes
realizadora da série

Realizadora e produtora. Fundou e dirige a produtora Mares do Sul. Integra o júri do Sir Peter Ustinov Television Scripwriting Awards, da International Academy of Television Arts & Sciences, desde 2013. Trabalhou como jornalista e guionista. Foi uma das seleccionadas, este ano, no programa de apoio financeiro para a produção de documentários do Instituto de Cinema e Audiovisual, com o projecto para filme documentário "Rio de Onor, Outro Tempo".
Documentários realizados:
- "À Procura de António Botto", RTP 2, 2018
- "Cesina Bermudes, Uma Vida Só Não Basta", RTP 2, 2018
- "122-45 graus", 2015-2016
- " Max, o Menino do Assobio", sobre a carreira do cantor e compositor Max, RTP2, 2015
- " Laurinha", sobre a vida da actriz Laura Alves, RTP1, 2012
- " Domingo à Tarde, RTP2, 2012. Exibição Mostra de Cinema Documental Panorama, cinema São Jorge, 2013
- " Menina Limpa Menina Suja", sobre a artista plástica Ana Vidigal, a partir da mostra no CAM- Fundação Calouste Gulbenkian, RTP2, 2011
- "Carta de Chamada", financiamento ICAM, RTP. Exibição RTP1, RTP2 – 2005. Menção Honrosa para melhor documentário e Prémio do Público, festival Caminhos do Cinema Português 2006. Exibição na Mostra Panorama e na Mostra de Cinema Português, São Paulo e Rio de Janeiro, de 19 a 23 Junho 2007. Panorama cinema português, 2006. Ciclo de cinema sobre Emigração, organização da Presidência da República, cinema São Jorge, 2008
- Realização e autoria do documentário "Mulheres ao Mar”, financiamento ICAM, RTP, Comissão para os Descobrimentos. Exibição RTP2. Prémio Revelação, festival Caminhos do Cinema Português 2002.
- Texto para documentário sobre Vitorino Nemésio, RTP 2- Artes e Letras, realização Maria João Rocha
- Pesquisa, entrevistas e texto para documentário sobre o actor e encenador Mário Viegas, RTP 2- Artes e Letras, realização Maria João Rocha
- Pesquisa, entrevistas e co-autoria de documentário sobre o compositor e cantor António Variações, RTP 2- Artes e Letras, realização Maria João Rocha

 

Luiz Antunes
autoria e entrevistas da série

Bailarino, coreógrafo. Presidente e fundador da associação Cultural Heurtebise. 
Estudou música no Conservatório de Música de Lisboa e da Covilhã, tendo completado o curso de piano e iniciando os seus estudos em Dança com Jorge Levy e Joclécio Azevedo.
Licenciado em Dança pela Faculdade de Motricidade Humana da Universidade de Lisboa.
A sua formação foi complementada em cursos na escola da Ópera de Paris e na escola de Jacques Lecoq na mesma cidade, assim como workshops e estágios, nacionais e internacionais, de dança contemporânea, composição, teatro e dramaturgia.
Desenvolve trabalho com vários criadores e professores, tais como Anna Mascolo, João Fiadeiro, Rui Lopes Graça, Né Barros, René Bon, Winthrop Corey, Tânia Carvalho, Allan Falieri, Iratxe Ansa, Olga Roriz.
Como coreógrafo desenvolve o seu trabalho desde 2000, destacando entre outros:”Pastiche”, ”Off Man”, “Bath for two”, “Clown Lírico em exercício de Expiação”, “Le Coq is Dead”, “Rosa de Papel”, ou “Varius Multiplex Multiformis”, Litle Steps to Nijinski (Festival Internacional de Dança de Praga, com menção honrosa).
Foi editor convidado da revista Literária Textos e Pretextos -11 “Coreo-Grafias” do Centro de Estudos Comparatistas da Faculdade de Letras de Lisboa, com quem tem colaborado e onde é Coordenador de Arte. O seu trabalho estende-se à formação tendo trabalhado com diversas escolas e já foi apresentado em todo o território nacional assim como noutros países da Europa como França, Alemanha, Espanha, Suíça, Áustria e República Checa.
Leccionou na E.E.D.C. Anna Mascolo como Professor Assistente durante vários anos.
Tem publicado trabalhos de investigação e análise de Dança em revistas da área tanto nacionais como internacionais.