Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Prazo de candidaturas ao Prémio Literário Fernando Namora da Estoril Sol termina a 31 de Maio

Fernando Namora 4.jpg

Expira no próximo dia 31 de Maio o prazo de recepção das obras candidatas à 27ª edição do Prémio Literário Fernando Namora. Instituído pela Estoril Sol, em 1988, este prestigiado galardão tem o valor pecuniário de 15 mil euros. Trata-se de uma referência maior entre iniciativas congéneres no meio literário nacional. O júri será presidido por Guilherme D`Oliveira Martins.

 

Com um espaço único no panorama das Letras portuguesas, o Prémio Literário Fernando Namora destina-se a galardoar uma obra de ficção (romance ou novela), de autor português, editada em 2023, desde que o escritor não tenha sido premiado nas três edições anteriores. 

 

O Prémio Literário Fernando Namora, de periodicidade anual, consolida uma tradição prestigiada nos meios literários. Recorde-se que foi Lídia Jorge, com o seu romance “Misericórdia”, a vencedora no ano passado.

 

Em acta, o Júri evidenciou que a obra “Misericórdia”, de Lídia Jorge, “é um romance, numa escrita marcada por singular criatividade, transfigura ficcionalmente a matéria do real que o suscita e, na construção da personagem nuclear como de outras, nos múltiplos momentos da efabulação, nos planos em torno dos seus universos sociais, emocionais, afectivos, e nas notações de um processo de perda sem excessos descritivos, exprime uma voz com atributos incomuns de generosidade e humanismo. Trata-se, com efeito, de uma obra maior na bibliografia da Escritora”.

 

É de realçar, ainda, que o Prémio Literário Fernando Namora, atribuído regularmente desde 1988, teve um Júri presidido, durante vários anos, por Agustina Bessa-Luís, que dá agora o seu nome ao Prémio Literário Revelação, também instituído pela Estoril-Sol.

 

O Júri, além de Guilherme D`Oliveira Martins, que preside, em representação do CNC – Centro Nacional de Cultura, integra, ainda, José Manuel Mendes, pela Associação Portuguesa de Escritores, Manuel Frias Martins, pela Associação Portuguesa dos Críticos Literários, Maria Carlos Gil Loureiro, pela Direcção-Geral do Livro, Arquivos e Bibliotecas, Ana Paula Laborinho, Liberto Cruz e José Carlos de Vasconcelos, convidados a título individual e, ainda, Dinis de Abreu, em representação da Estoril Sol.