Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Prémio Artes Plásticas Henrique Silva com candidaturas até 31 de maio na Câmara de Paredes

CARTAZ _PrémioHS 2024.png

 
Estão a decorrer, até 31 de maio, as candidaturas à 6ª edição do Prémio Artes Plásticas Henrique Silva. Criado pelo Município de Paredes, o prémio tem como objetivo estimular e contribuir para o aparecimento de novas obras no domínio das artes plásticas em Portugal.
Cada artista poderá apresentar apenas uma obra inédita a concurso. As candidaturas serão analisadas por um Júri de Seleção. O júri, quer da fase da seleção, quer da fase final, será constituído por um representante da Câmara Municipal de Paredes, sem direito a voto, que presidirá três elementos de reconhecido mérito na área das Artes Plásticas.
O prémio das artes plásticas "Henrique Silva", reconhecido artista plástico nascido em Paredes, em 1933, e que fez-se pintor e escultor em Paris, contempla três vencedores. Assim, à pessoa vencedora será atribuído um prémio no valor de  mil euros, o segundo prémio receberá 500 euros e o terceiro prémio 250 euros. 
O regulamento e o formulário de candidaturas estão disponíveis no website da Câmara Municipal de Paredes.
As candidaturas devem ser enviadas para o e-mail: cultura@cm-paredes.pt, até ao dia 31 de maio de 2024.
 
Notas Biográficas de Henrique Silva
O artista plástico que dá nome ao projeto, Henrique Silva, nasceu em 1933 na cidade de Paredes. Foi Diretor Executivo da Árvore, Coop. Atividade Artísticas de 1978 a 1995, Presidente da Projeto, Núcleo de Desenvolvimento Cultural, Cofundador e Diretor da Bienal de Cerveira desde 2003. É Diretor do Curso Superior de Artes e Multimédia da Escola Superior Gallaecia, desde 2009. É Presidente do Conselho Científico da Escola Superior Gallaecia.
Foi bolseiro da Fundação Gulbenkian em Paris de 1961 a 1963, frequentando a École Superieur de Beux-Arts de Paris. Licenciou-se pela Universitée de Paris
VIII, em 1977 em Artes Plásticas para o Ensino, tendo-se doutorado em Média-Arte Digital na Universidade Aberta e Universidade do Algarve em 2015.
Foi Diretor Geral e Pedagógico da Escola Profissional de Economia Social em 1989/91 e 1998/2000, participou em seminários e reuniões internacionais em
Varsóvia – 1983, Bruxelas – 1986, Creta – 1987, entre outras, sobre políticas de desenvolvimento territorial e cultural.
Expôs em Portugal, Espanha, França, Bélgica, Estado Unidos, etc. desde 1958, com mais de 50 exposições individuais e 200 exposições coletivas.