Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Próximos eventos no Museu Nacional da Música

Apresentação do CD “Cancioneiro Musical Português”
de Gustavo Romanoff Salvini
#EntradaLivre

27907857_1723342094389226_209103908644107659_o.jpg

 

Tânia Valente soprano
Bernardo Marques piano
Moderação de Jorge Rodrigues 
Gustavo Romanoff Salvini. Chegou a Portugal em 1859 como tenor para cantar no Real Teatro de São João, integrado na Companhia Laneuville, da qual também fazia parte Elisa Hensler (futura esposa consorte do rei D. Fernando II). A 17 de Outubro de 1859 debutou neste teatro, na ópera “Beatrice di Tenda” de Bellini. Porém um incidente nana ópera seguinte -“Os Puritanos” de Bellini – levou-o a perder a voz, pondo termo à sua carreira lírica. 
Fixando-se na cidade do Porto, Salvini virou-se para uma carreira no ensino de Canto, Piano e Solfejo. Com
o professor de Canto, Salvini não entendia por que razão os portugueses não cantavam na sua Língua, preterida em favor do Italiano. Encantado pela sonoridade da Língua Portuguesa e pelos seus poetas, Salvini resolveu tomar a iniciativa de pôr em música os grandes poetas do Romantismo Nacional, de Camilo Castelo-Branco a Garrett, passando por Guerra Junqueiro, Alexandre Braga, João de Deus, entre outros. Começou por publicar em 1865 uma compilação de 40 canções , a que deu o nome de “Romanceiro Musical”. 

 
Programa de concerto
• "Rosas purpurinas" , poema de Gonçalves Crespo (Epitalâmio) 
• "Queres a flor? ", poema de Camilo Castelo Branco 
• "Os meus martírios”, poema de Alexandre Braga, 
• Junto ao berço” , tradução de A. Albano
• “O Tronco Annoso”, poema de José Tomaz de Carvalho 
• “Eu não gosto”, poema de Fernando Castiço