Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

QUANDO VAI CARMEN FAZER LADY MACBETH? | TEATRO DOS ALOÉS

c483f267-7c7f-420f-b2c1-a486be99c3b6.png

 

 

QUANDO VAI CARMEN FAZER LADY MACBETH?
24 a 26 de maio no Cine-Teatro D.João V

(sexta e sábado às 21h30/ domingo às 16h00)
O Teatro dos Aloés irá repôr o espetáculo QUANDO VAI CARMEN FAZER LADY MACBETH com Direcção de Nuno Pinto Custódio e Encenação de Elsa Valentim.
 
Quem é Carmen?

Trata-se de um espectáculo construído a partir de princípios estruturantes da Commedia dell’Arte e do Clown, abrangendo faixas alargadas de espectadores e espaços não-convencionais, o improviso e a interacção directa são materiais determinantes. Tanto na forma como no conteúdo, desta inter-relação com o público, o espaço, o agora, as exibições, as propostas são sempre tão imprevisíveis quanto únicas. Na verdade, a ideia de Carmen é muito simples e ao mesmo tempo extremamente complexa. Ela tem o sonho de fazer os papéis femininos mais famosos das peças de Shakespeare (como já foi o caso de Julieta) e acorda com o público só lhes retirar uma hora da sua atenção. E dado que o tempo é hoje o bem mais inalienável e precioso, ela firma um contrato muito sério. Nem mais que um segundo da vida lhes retirará com a sua interpretação, posta em monólogo. Não perdendo o facto de ser uma Clown, ela sela este contrato prometendo dar o seu máximo no cumprimento de todas os trechos e tarefas que afincadamente preparou para dar a mostrar.

Sobre Quando vai Carmem Fazer Lady Macbeth?

É um lugar-comum dizer-se que um espectáculo nunca é igual a outro, que nunca se repete. Contudo, em Quando vai Carmen fazer Lady Macbeth? isso pode ser mesmo considerado como exacto. Dado que, à priori, é levado até aos seus limites... É que o espectáculo não só não pode ser igual como a actriz só o saberá um pouco antes deste começar! Porque se trata de um trabalho de improvisação sobre uma estrutura-partitura feita de inúmeras cenas fragmentadas que se sorteiam previamente. E isto já para não falar que Carmen pode também (e inevitavelmente) interessar-se por qualquer coisa que repare na sala e que nós não podemos prever aqui. Esta é então a essência de Carmen e que se desenvolve a partir do projecto de 2012 (“Julieta”) com o encenador Mario Gonzalez: a aceitação plena da impermanência como a única coisa realmente permanente desta vida. Ou a apologia do desapego enquanto forma imediata de felicidade. Toda uma filosofia, enfim, com a qual a própria Lady Macbeth se identifica, não é verdade?... Bem-vindos a Quando vai Carmen fazer Lady Macbeth?! Nuno P. Custódio