Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Recital de Piano

Música portuguesa no quarto concerto do ciclo de piano de Matosinhos

Sábado, 25 de maio // 19 horas // Estúdio da Orquestra de Jazz de Matosinhos, na Real Vinícola

Artur Pizarro.jpg

 

 

A música erudita portuguesa do século XX vai estar em destaque no quarto recital do ciclo de piano do programa Música em Matosinhos. Temas de Luís de Freitas Branco, Armando José Fernandes e Fernando Lopes-Graça vão compor o cardápio da atuação de Artur Pizarro, que tem início marcado para as 19 horas de sábado, 25 de maio, na sala-estúdio da Orquestra Jazz de Matosinhos (Avenida Menéres, 456). O concerto é de entrada gratuita.

 

Nascido em Lisboa em 1968, o pianista Artur Pizarro venceu os prémios Vianna de Mota (1987), Greater Palm Beach Symphony Competition (1988) e Leeds International Pianoforte Competition (1990), que marcaram o início da sua carreira internacional. Trabalhou já com nomes tão importantes como os dos maestros Simon Rattle, Philippe Entremont, Yan Pascal Tortelier, Andrew Davis, Esa-Pekka Salonen ou Yuri Temirkanov.

 

Frequentemente considerado uma espécie de Fernando Pessoa da música, Luís de Freitas Branco marcou de forma indelével o repertório clássico português do século XX, antecipando, em alguns casos, aquelas que viriam a ser as principais tendências musicais da Europa. Os “10 Prelúdios”, dedicados ao compositor Vianna da Motta, que Artur Pizarro interpretará, foram escritos entre 1914 e 1918, culminando um processo de apropriação e contaminação pela estética impressionista.

 

De Armando José Fernandes será interpretada a “Sonatina” dedicada à pianista Helena Sá e Costa, composta em 1941 e estreada no ano seguinte no Teatro Ginásio, em Lisboa, pelo piano, precisamente, de Helena Sá e Costa.

 

O encerramento do recital ficará a cargo das “Glosas sobre danças tradicionais portuguesas”, que Fernando Lopes-Graça compôs em 1950. Correspondendo ao período em que o compositor estudou e trabalhou na valorização da música tradicional portuguesa, as “Glosas” foram dedicadas à pianista Maria da Graça Amado da Cunha, que estudou com José Viana da Motta e Luís de Freitas Branco, tendo sido retratada pelo pintor Abel Manta.

 

O ciclo de piano do programa Música em Matosinhos vai, recorde-se, decorrer até 29 de junho, reunindo nomes como os de Mário Laginha, Fausto Neves, Artur Pizarro, Luís Pipa, Marta Meneses ou Vasco Dantas. A Música em Matosinhos, programa de música erudita da CMM, acontece há mais de uma década e inclui este ano, entre outros, um conjunto de recitais também gratuitos do Quarteto de Cordas de Matosinhos nas igrejas do concelho, com o objetivo de descentralizar e democratizar o acesso e a fruição da música clássica.

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.