Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Ruy de Carvalho homenageado no Casino Estoril com uma tertúlia e exposição patente até domingo

Ruy de Carvalho foi homenageado, esta quarta-feira, no Casino Estoril, perante numerosos admiradores e amigos. No átrio principal, foi inaugurada a exposição de fotografia “Retratos Contados de Ruy de Carvalho” seguindo-se, no Lounge D uma tertúlia com o carismático actor. Numa curta intervenção, Mário Assis Ferreira sublinhou: “É uma honra para a Estoril Sol receber nos seus espaços esse querido amigo e exponencial símbolo da Cultura que é Ruy de Carvalho. Pois que a Cultura sempre foi uma indissociável matriz da Estoril Sol. E, no meu caso, acresce a sincera homenagem ao Amigo”.

Ruy de Carvalho com António Vieira Coelho e Mári

“A vida deve ser um acto de amor e de entrega”. A frase não é minha. É, sim, o lema que, desde sempre, norteou a vida de Ruy de Carvalho. Quem assim percorre a vida, faz jus a semeá-la de amizades ditadas por profunda admiração. E quem assim serve a Cultura está destinado a ser esse sublime Actor, figura ímpar do nosso Teatro, do Cinema, da Televisão, guindando-se a referência de orgulho para todos nós”, referiu Mário Assis Ferreira.

 

Com natural emoção, Ruy de Carvalho agradeceu a homenagem que lhe foi concedida, recordando que é o actor mais velho em actividade na Europa. Com 95 anos de idade e oito décadas dedicadas ao teatro, o actor realçou que “o trabalho é fundamental na vida de todos nós. Devemos trabalhar com amor e dedicação para todos aqueles que nos servem, nos rodeiam e nos amam”.

 

Durante uma sessão de perguntas colocadas pela assistência, Ruy de Carvalho disse que, em tantas décadas dedicadas à representação, a peça que mais gostou de fazer e que guarda no coração é “O Render dos Heróis”, de José Cardoso Pires.

 

Por sua vez, Pedro Morais Soares, Presidente da Junta de Freguesia de Cascais e Estoril, referiu: “é impossível dissociar a cultura ao nome de Ruy de Carvalho. Devemos agradecer-lhe tudo o que tem feito pela cultura, pelo teatro e pelo cinema, honrando o nome de Portugal”.

 

Com um registo acolhedor, a tertúlia foi moderada por Nelson Mateus que assinou também a curadoria da exposição “Retratos Contados de Ruy de Carvalho”. Esta mostra destaca a vasta história de vida de um actor que construiu uma inigualável carreira. Estão patentes fotos retrospetivas, a preto e branco, da vida e obra do actor, incluindo imagens da família, do casamento, de colegas e de momentos marcantes do seu percurso profissional. São fotos que revelam momentos marcantes, desde a sua infância até aos dias de hoje. O texto final da exposição é da autoria da escritora Alice Vieira.

 

A exposição “Retratos Contados de Ruy de Carvalho” termina, precisamente, no próximo Domingo, 25 de Setembro, dia em que o Salão Preto e Prata acolhe, pelas 21 horas, “A Ratoeira”, de Agatha Christie. Com produção da Yellow Star Company e encenação de Paulo Sousa Costa, a peça conta com um elenco de luxo, reunindo, em palco, nomes como Ruy de Carvalho, Elsa Galvão, Filipe Crawford e Henrique de Carvalho.