Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Seixal World Music regressa entre 31 de maio e 2 de junho, com entrada livre

image002 (1).png

Maria Mazzotta, Buba Espinho, Lucibela, Bandua, 47Soul e Pongo vão subir, este ano, ao palco do Seixal World Music. O Parque Urbano José Afonso, em Miratejo, entre os dias 31 de maio e 2 de junho, recebe este evento dedicado à promoção da tolerância, do conhecimento e da paz entre os povos, através da música e de outras expressões culturais oriundas das mais diversas geografias. Além da música, não faltará o tradicional espaço dedicado às associações de imigrantes do concelho do Seixal, com gastronomia do mundo. Estarão representados neste espaço a Associação Cabo-Verdiana do Seixal, Potu Betu – Associação para o Desenvolvimento Social, Solidariedade e Cooperação com São Tomé e Príncipe, AAGA – Associação de Apoio à Comunidade dos Países de Língua Oficial Portuguesa, ANALP – Associação dos Naturais e Amigos de Lobata em Portugal (São Tomé e Príncipe), Kamba – Associação de Angolanos do Concelho do Seixal, Associação Raízes do Bairro de Santa Marta e Associação Juntos Sem Fronteiras.

 

«Numa verdadeira homenagem à multiculturalidade, o Seixal World Music é um projeto singular na Área Metropolitana de Lisboa que traz ao nosso concelho a música que se faz pelo mundo. De realçar, nesta edição, entre outros nomes sonantes da música africana e europeia, a participação de uma banda palestiniana que relembrará a urgência da paz no Médio Oriente e do fim do genocídio do povo da Palestina», salienta o presidente da Câmara Municipal do Seixal, Paulo Silva.

A iniciativa, com entrada livre, integra as comemorações dos 50 anos do 25 de Abril.

Programa


31 de maio, sexta-feira


16 horas – Abertura dos espaços de restauração


21 horas – Maria Mazzotta | Itália

A versatilidade única de Maria Mazzotta é o que a torna uma das vozes mais importantes da cena musical da região italiana de Apúlia e também das músicas do mundo. Desde 2020, ano que marcou a sua estreia a solo com o lançamento do álbum «Amoreamaro», já percorreu milhares de quilómetros, realizando mais de 200 concertos em mais de 25 países da Europa, América Latina e Ásia.

O seu novo álbum, «Onde», une a interpretação visceral de Maria Mazzotta com sons elétricos do post rock, criando uma união original e profunda.


23 horas – Buba Espinho | Portugal

Buba Espinho é um jovem cantor natural de Beja. Desde cedo que vive e sente a música de raiz intensamente, pela mão do pai, também músico, que lhe transmitiu a importante missão de a preservar. A música tradicional portuguesa tem em Buba Espinho um dos seus mais importantes porta-vozes da atualidade. Apesar da sua jovem idade, Buba cruza géneros musicais como ninguém e viaja do cante ao fado com a mesma mestria com que domina a música pop nacional e as sonoridades mais urbanas e atuais. As mais recentes atuações de Buba consagram-no como o cantautor que há muito despertava dentro dele e são o resultado de toda a sua vivência em Beja e no mundo da música de raiz, do fado e mais recentemente da pop.


1 de junho, sábado


16 horas – Abertura dos espaços de restauração


21 horas – Lucibela | Cabo Verde

Foi o barlavento, Ilha de São Nicolau, em crioulo Son Niklau, Saniklau, reconhecida como berço da intelectualidade cabo-verdiana, que viu nascer Lucibela em meados dos anos 80. O seu primeiro disco, «Laço Umbilical», fê-la percorrer o íntimo caminho entre o ser e a terra, dando voz de forma sublime a clássicos e prestigiados compositores cabo-verdianos, num prisma de maturação que a levou rapidamente a integrar alguns dos maiores festivais e salas por todo o mundo. Em tributo à mulher cabo-verdiana, e a todas as mulheres, «Amdjer», o seu segundo disco, realça a força e a alegria de viver, não obstante as angústias e desafios do quotidiano. Ao vivo irradia o sentimento envolvido na genuína tradição musical da alma cabo-verdiana. A sua mestria, potencial vocal e interpretativo colocam-na entre as grandes vozes da atualidade.


23 horas – Bandua | Portugal

Bandua agarra no cancioneiro popular da região da Beira Baixa e encara-o com uma reinterpretação folk eletrónica. Concebido pelo músico e produtor luso-brasileiro Tempura the Purple Boy, agora residente em Berlim, e pelo cantor, e versátil músico português, Edgar Valente, Bandua representa a primeira vez em que estas sonoridades, poemas e canções são transformadas num som pop eletrónico de língua portuguesa.


2 de junho, domingo


16 horas – Abertura dos espaços de restauração


20 horas – 47Soul | Palestina

A banda palestina 47Soul lançou as sementes do shamstep, um género que reúne influências do hip-hop, da música eletrónica e do R&B, fundindo-as com os sons do dabke, uma dança folclórica tradicional, e outras músicas de raízes shaa’bi, da região do Levante. As letras das suas músicas misturam árabe e inglês e apelam à celebração e festa na luta pela igualdade em todo o mundo.

Depois do sucesso do EP «Shamstep», a banda lança, em fevereiro de 2018, «Balfron Promise», um álbum com influências mistas entre a contemporaneidade londrina e os últimos 100 anos de controvérsia política do Médio Oriente. «Balfron Promise» está repleto de mensagens socialmente relevantes e inteligentemente escritas, integrando todos os elementos de uma transbordante e pulsante declaração de liberdade de expressão. Em 2020 o grupo lança o álbum «Semitics», com a colaboração de nomes como Lowkey, Fedzilla e Shadia Mansour.


22 horas – Pongo | Angola

Conhecida como a rainha do kuduro, Pongo é uma força da natureza, tanto dentro como fora do palco. A sua energia contagiante e criatividade notória fazem com que a cantora e bailarina misture a sua herança musical com ritmos que nos arrepiam desde a primeira batida. Em temas como o nostálgico «Kuzola» ou o eletrizante «Bruxos», o kuduro mistura-se com o pop, o EDM e com uma linguagem que só Pongo nos pode oferecer, viajando entre o kimbundu e o português e hipnotizando-nos com a sua entrega.

Após a sua aclamação em órgãos de comunicação como o «New York Times» e a BBC, Pongo já percorreu festivais por todo o mundo, encontrando-se neste momento a promover o seu último álbum, «Sakidila».