Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

SERRALVES // 28 E 29 JUN // CELEBRAÇÃO DO 50º ANIVERSÁRIO DO PROGRAMA UNESCO - MAN AND THE BIOSPHERE // RESERVAS DA BIOSFERA, TERRITÓRIOS SUSTENTÁVEIS, COMUNIDADES RESILIENTES – DIÁLOGOS LUSÓFONOS

RESERVAS DA BIOSFERA

TERRITÓRIOS SUSTENTÁVEIS, COMUNIDADES RESILIENTES – DIÁLOGOS LUSÓFONOS

 

28 - 29 JUN 2021

 

CONFERÊNCIA + WORKSHOP

Evento híbrido (presencial e online) de acesso gratuito, com inscrição obrigatória em www.serralves.pt

 

A Conferência “Reservas da Biosfera: territórios sustentáveis, comunidades resilientes - Diálogos lusófonos”, a realizar nos dias 28 e 29 de Junho na Fundação de Serralves constitui o evento oficial das celebrações do programa global UNESCO MAB - 50º Aniversário, que tem como objetivo apresentar o conjunto das Reservas da Biosfera Lusófonas[1], a sua relevância patrimonial e valioso contributo para o desenvolvimento dos territórios.

 

A abertura contará com as intervenções de Francisco AndréSecretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação, doDiretor da Divisão de Ciências Ecológicas e da Terra da UNESCO,Miguel Clüsener-Godt, e de Anabela Trindade, Presidente do Comité MAB de Portugal, para além da Presidente da Fundação de Serralves, Ana Pinho.

 

PROGRAMA: AQUI

 

A conferência constituirá uma oportunidade para dar a conhecer o património natural e cultural das Reservas da Biosfera, mas também as vivências que as tornam singulares. A conservação dos valores naturais em harmonia com as atividades humanas, tendo em vista a prosperidade e o bem-estar das comunidades residentes, é o desígnio que levou a UNESCO à criação do Programa MaB – Man and the Biosphere - há exatamente 50 anos.

 

“Reservas da Biosfera: territórios sustentáveis, comunidades resilientes - Diálogos lusófonos” assinalará um momento de celebração deste aniversário do Programa MaB, congratulando a decisão histórica e visionária da UNESCO ao afirmar uma estratégia de desenvolvimento pioneira na senda da sustentabilidade planetária. O Programa MaB está na base da constituição das 714 Reservas da Biosfera classificadas à escala global, territórios justamente considerados laboratórios vivos de sustentabilidade. A sua salvaguarda é parte de uma vontade/motivação universal para a conservação dos ecossistemas naturais e dos serviços que prestam à humanidade, integrando as comunidades e a atividade económica, numa coexistência dialogante e inclusiva com vista ao bem-estar e à prosperidade sustentável dos territórios em que se inserem.

 

 

[1] Castro Verde, Corvo, Gerês-Xurês, Graciosa, Fajãs de São Jorge, Flores, Transfronteiriça Meseta Ibérica, Paúl do Boquilobo, Santana Madeira, Transfronteiriça Tejo/Tajo Internacional, Berlengas Peniche e Porto Santo

 

WORKSHOP: AQUI

 

O segundo dia será preenchido por um workshop que recorrendo às metodologias da história oral e da investigação colaborativa, fará a integração de diferentes agentes e protagonistas da história, numa dinâmica transgeracional, de forma a valorizar as histórias de vida de cada um, acreditando que todos têm algo para contar e acrescentar à História. Uma dinâmica desenvolvida em colaboração com outras áreas científicas como a psicologia, o turismo, a biologia, a ecologia, ciências da comunicação e da informação de modo a podermos realizar leituras transversais do património e da história.

 

Um processo de colaboração na construção de espaços dedicados à partilha e preservação da memória local e das comunidades, transmitindo as ferramentas da investigação histórica a todos aqueles que partilhem esta missão.

 

Este workshop surge integrado num conjunto de iniciativas e atividades dedicadas ao estudo, identificação e organização do património material e imaterial e da memória, contando com a iniciativa e colaboração de quem protagonizou a história. A preservação da memória de todos, para todos, numa estrutura aberta de investigação e de produção do conhecimento numa construção colaborativa, sem barreiras etárias, onde a experiência de cada um conta.

 

ORADORES:

 

FRANCISCO ANDRÉ,Secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação, nasceu em Leiria, em 1976. Licenciado em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa (2000), na menção jurídico-económicas, e iniciou a sua carreira profissional como advogado em 2003. Foi chefe do Gabinete do Secretário de Estado da Presidência do Conselho de Ministros do XVII Governo Constitucional entre 2005 e 2008 e Conselheiro na Representação Permanente de Portugal (REPER) junto da União Europeia, entre 2009 e 2013. Foi chefe do Gabinete do Primeiro-Ministro dos XXI e XXII Governos Constitucionais, desde outubro de 2018 até agosto de 2020. Exerceu ainda funções como Conselheiro técnico principal na Representação Permanente de Portugal junto da OCDE entre setembro e dezembro de 2020.

 

ANA PINHO, Presidente do Conselho de Administração e da Comissão Executiva da Fundação de Serralves, Administradora da REN, SGPS, SA, Gerente da Arsopi Lda., Administradora da Tecnocom SA e Administradora da ATP – Associação do Turismo do Porto e Norte. Foi Administradora da TAP SGPS, S.A., CEO da UBS Portugal e membro da Comissão Executiva da UBS España tendo, antes disso, exercido vários outros cargos na UBS AG. Anteriormente, foi Equity Analyst na Schroder Securities, em Londres e Analista Financeira no Banco Português de Investimentos, no Porto. Licenciada em Economia pela Faculdade de Economia da Universidade do Porto, detém um MBA pela Cass Business School, London e um Corporate Finance Executive Programme pela London Business School. Frequentou vários cursos de história de arte na Fundação de Serralves Porto, na Sociedade Nacional de Belas Artes Lisboa, na Christie’s Education London e no Sotheby’s Institute London.

 

ANABELA TRINDADE, bióloga, com pós graduação em Managing Nature in Protected Areas, pela Universidade de Évora e pelo University College London (1995)e mestrado em Conservação da Biodiversidade Animal da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, ingressou, no agora, Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) em 1985. Desde aí, esteve sempre ligada ao Ministério do Ambiente entre o ICNF, os gabinetes ministeriais e a Agência Portuguesa do Ambiente, assumindo várias funções de direção e participando em variadíssimos fóruns, projetos e ações, de âmbito nacional e internacional, sempre relacionados com áreas classificadas e conservação da natureza e da biodiversidade. Atualmente é assessora do Conselho Diretivo do ICNF e Presidente do Comité Nacional do Programa Man and the Biosphere (MaB) da UNESCO, um desafio que lhe foi lançado em 2014.

 

ANTÓNIO DOMINGOS ABREU, Biólogo, doutorado em Biologia Marinha, investigador e gestor na Cátedra UNESCO em biodiversidade e conservação para o Desenvolvimento Sustentável e do Centro de Ecologia Funcional da Universidade de Coimbra. Possui uma extensa experiência de trabalho internacional, tendo trabalhado nos últimos 20 anos para a UNESCO; Banco Africano de Desenvolvimento, Banco Mundial, IFAD, e outras agências e governos de diferentes países em África, Ásia, América do Sul e Europa.

Em particular relativamente ao programa MAB e às Reservas da Biosfera da trabalhou na UNESCO como Especialista de Programa na Divisão de Ciências Ecológicas e da Terra e foi membro do Comité MAB Nacional. Tem coordenado diversas candidaturas, processos de revisão periódica e avaliação de Reservas da Biosfera em Portugal e no estrangeiro e integrou o Grupo de Peritos responsável pela Revisão da Estratégia do Programa MAB. É o Coordenador geral do projeto EEAGrants: Reservas da Biosfera portuguesas- territórios sustentáveis comunidades resilientes.

É Vice-Presidente da Rede Europeia de Conselhos de Ambiente em representação do Conselho Nacional do Ambiente e Desenvolvimento Sustentável.

 

CLAYTON FERREIRA LINO, Arquiteto formado na brasileira Universidade Mackenzie, com especialização em Patrimônio Ambiental Urbano na USP e Manejo de Áreas Protegidas (Costa Rica/1986 e Estados Unidos/1989). É fotógrafo e espeleólogo, com vários livros e textos técnico e científicos publicados sobre Cavernas, Vale do Ribeira, Mata Atlântica, Áreas Protegidas e manejo de recursos naturais, no Brasil e exterior. 

Foi Diretor Geral do Instituto Florestal de São Paulo e de vários outros órgãos governamentais.

Foi presidente da Sociedade Brasileira de Espeleologia, fundador e vice-presidente da Fundação SOS Mata Atlântica e membro de diversas ONGs na área de meio ambiente e pesquisa.

É presidente do Conselho Nacional da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica e representante da América Latina e Caribe na Comissão Mundial de Reservas da Biosfera da UNESCO. 

 

HELENA FREITAS doutorou-se em Ecologia pela Universidade de Coimbra, em colaboração com a Universidade de Bielefeld, Alemanha, em 1993, e realizou um pós-doutoramento na Universidade de Stanford, EUA, entre 1994 e 1996. É Professora Catedrática na área da Biodiversidade e Ecologia da Universidade de Coimbra desde 2003, e detentora da Cátedra Unesco em Biodiversidade e Conservação para o Desenvolvimento Sustentável desde 2014.

Atualmente, é Coordenadora da unidade de investigação Centre for Functional Ecology – science for people and the planet (cfe.uc.pt), Coordenadora científica do FitoLab - Laboratório de Fitossanidade do Instituto Pedro Nunes, e integra o Conselho Científico do Departamento de Ciências da Vida da Universidade de Coimbra. Em Julho de 2019 integrou o comité europeu para a adaptação às alterações climáticas, incluindo a transformação societal. Desde Agosto de 2019 representa Portugal no IPBES.

As áreas científicas de especialidade relacionam-se com : Ecologia; Ecossistemas Mediterrânicos; Floresta e Agricultura; Ecologia e Gestão de espécies exóticas e invasoras; Conservação da Natureza, Biodiversidade; Fisiologia da árvore; Diversidade de Plantas e Fungos; Tolerância ao Stress e Bioremediação; Política ambiental; Bioenergia; Conservação da Natureza; Ecologia microbiana; Ecologia e Sociedade. Foi coordenadora ou participante em vários projetos e consórcios nacionais e internacionais, incluindo o Millennium Ecosystem Assessment. Orientou ou coorientou 20 dissertações de mestrado e 34 teses de doutoramento.

É autora em mais de 300 publicações científicas internacionais indexadas e várias obras de promoção e divulgação da ciência. Publica regularmente na imprensa nacional e regional, em particular sobre ambiente, territórios e sociedade, planeamento e políticas de desenvolvimento com base no conhecimento. Em março de 2000 foi-lhe atribuída a Comenda da Ordem do Infante D. Henrique pelo Presidente da República Portuguesa Jorge Sampaio.

 

JOSÉ CARDOSO DOS RAMOS CASSANDRA, Engenheiro de formação. É, atualmente, Presidente da Associação dos Amigos das reserva da Biosfera da Ilha do Príncipe - AARBIP. Foi Presidente do Governo da Região Autónoma da Ilha do Príncipe, República Democrática de São Tomé e Príncipe tendo promovido e liderado o processo de candidatura da Reserva da Biosfera da Ilha do Príncipe, aprovada pela UNESCO em 2012. Nesse contexto tem participado ativamente em projetos e programas internacionais no domínio da biodiversidade, alterações climáticas e desenvolvimento sustentável, no Programa MAB da UNESCO; na Rede Mundial de Reservas da Biosfera em Ilhas e zonas costeiras, no Small Islands Development States, Convenção das Nações Unidas para as Alterações Climáticas, entre outros. Atualmente colabora com o Programa de Desenvolvimento das Nações Unidas.

 

MARIA FERNANDA ROLLO, Historiadora. Doutorada e Agregada em História Contemporânea. Professora catedrática da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Coordenadora do Doutoramento em História e da Pós-Graduação em Políticas e Gestão de Ciência e Tecnologia. Investigadora e coordenadora de História, Territórios e Comunidades - CFE NOVA FCSH. Membro do Research Council do Instituto Europeu de Florença.

 

MIGUEL CLUSENER-GODT, de nacionalidade alemã e possui um Ph.D. em Biologia / Ecologia pela Universidade de Osnabrück na Alemanha. Em 2009, foi lhe atribuído o Doutoramento Honoris Causa pela Universidade do Pará, Belém, Brasil. Atualmente exerce funções como Diretor da Divisão de Ciências Ecológicas e da Terra da UNESCO em Paris e como Secretário do Programa o Homem e a Biosfera (MAB), que gere a Rede Mundial de Reservas da Biosfera (714 Reservas da Biosfera em 129 países, 21 delas transfronteiriças). Supervisiona o Programa de Geoparques Globais da UNESCO (161 geoparques em 44 países) e a Unidade de Redução de Risco de Desastres. Iniciou funções como Especialista Associado (P2) na UNESCO, em 1990 e durante as mesmas, publicou um grande número de publicações, como o Atlas Mundial de Manguezais, em cooperação com FAO, ISME, ITTO, UNESP / WCMC, UNU / INWEH e TNC em 2010. Coautor do Policy Brief sobre “Protegendo o Futuro dos Manguezais” e da Springer Book Series on Sabkha Ecosystems. Em março de 2016, organizou em Lima, em cooperação com o Governo do Peru, o 4º Congresso Mundial de Reservas da Biosfera, do qual surgiu a Declaração de Lima do Programa MAB e o Plano de Ação de Lima para o Programa MAB e a Rede Mundial de Reservas da Biosfera 2016 -2025.

Em dezembro de 2017, recebeu a Cruz de Oficial da Ordem do Mérito Civil do Reino de Espanha.

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.