Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

ÉVORA TEATRO FEST

 

transferir.jpg

 

 

 

A 'a bruxa TEATRO' promove uma mostra de teatro no seu espaço, com uma programação focada na criação teatral contemporânea desenvolvida em território português. Através desta iniciativa e com companhias oriundas da Covilhã, Faro, Lisboa, Montemor-o-Novo, Setúbal e Sintra, pretende dar-se visibilidade a companhias nacionais de vários pontos do país e, ainda, apresentar ao público diferentes linguagens artísticas do teatro contemporâneo.

 

transferir (1).png

 

2 a 23 de Outubro no espaço da 'a bruxa TEATRO'
Espaço ex-Celeiros | Rua do Eborim, 16 Évora

 

BILHETES

Bilhetes: 6,00 € (3,00 € p/ jovens, estudantes e reformados)

Aconselhamos, para evitar filas, nos dias de espectáculo, a levantar previamente os bilhetes:
- de segunda a sexta, das 10h às 12.30h | das 14.30h às 17.30h
- em dias de espectáculo, a partir das 20.30h até às 21.15h

*não dispomos de serviço multibanco ou mbway, o pagamento deverá ser realizado presencialmente e em dinheiro no espaço da “a bruxa TEATRO” nos horários indicados

 

Setembro

transferir (40).jpg

A Bruxa TEATRO apresenta o ÉVORA TEATRO FEST !

A Bruxa Teatro apresenta o ÉVORA TEATRO FEST !
Uma mostra de Teatro em Évora, no espaço d’A Bruxa Teatro, entre 2 e 23 de Outubro de 2021.

A Bruxa TEATRO promove esta mostra com uma programação focada na criação teatral contemporânea desenvolvida em vários pontos do país, com companhias oriundas da Covilhã, Faro, Lisboa, Montemor-o-Novo, Setúbal e Sintra.

Junto enviamos mais informações sobre o Programa do Évora TEATRO Fest.
Estamos disponíveis para qualquer esclarecimento e para o agendamento de conversas com o Director d'A Bruxa TEATRO e do Festival.

Com os melhores cumprimentos,
Joana Alves
(917682292)

Rua do Eborim | Espaço Celeiros | Évora
Reservas: 266 747 047 | abruxateatro@gmail.com

___________________________________________________________

A Bruxa Teatro apresenta o ÉVORA TEATRO FEST !
Uma mostra de Teatro em Évora, no espaço d’A Bruxa Teatro, entre 2 e 23 de Outubro de 2021.

Programa:

2 de Outubro
“Solitária” (Alma d’Arame, Montemor-o-Novo)

5 de Outubro
“Paradjanov - A Celebração da Vida” de Pati Domenech (Asta, Covilhã)

7 de Outubro
“A Paz Perpétua” de Juan Mayorga (Teatro-Estúdio Fontenova, Setúbal)

9 de Outubro
“Romeu e Romeu” de João de Brito e Nuno Preto (LAMA, Faro)

12 de Outubro
“A Voz Humana” de Jean Cocteau (Teatro do Eléctrico, Lisboa)

14 de Outubro
“Confiando (Confinado)” de Rui Sousa (Fio d’Azeite – Marionetas do Chão de Oliva, Sintra)

16 de Outubro
“Damas da Noite, uma farsa de Elmano Sancho” (Loup Solitaire, Lisboa)

19 de Outubro
“I’m So Excited” de Mário Coelho

21 de Outubro
“O Triciclo” de Fernando Arrabal (DOIS, Lisboa)

23 de Outubro
“A Coragem da Minha Mãe” de George Tabori (Artistas Unidos, Lisboa)

 

A Bruxa TEATRO - em Setembro e Outubro

Em Setembro, a Bruxa TEATRO acolhe A Fábula dos Três Porquinhos, espectáculo de Teatro do Absurdo da Companhia de Teatro Evoé a 11 de Setembro, Sábado às 21h30. 

Fábula dos Três Porquinhos_2.JPG

 

18 de Setembro às 21h30, recebe PELE, um espectáculo do Teatro As Avozinhas e Ricardo Guerreiro Campos. 

PELE_promo.jpg

 

Nos dias 23 e 24 de Setembro, 6ª e Sábado às 21h30, apresenta no seu espaço o espectáculo Nu Geral de Maria Vilalobos. 

NU GERAL.jpg

 

 
De 2 a 23 de Outubro, A Bruxa TEATRO promove o Évora TEATRO Fest, uma mostra de teatro no espaço d'a Bruxa com uma programação focada na criação teatral contemporânea desenvolvida em território português, com companhias oriundas da Covilhã, Faro, Lisboa, Montemor-o-Novo, Setúbal e Sintra.
 
Rua do Eborim | Espaço Celeiros | Évora
Reservas: 266 747 047 | abruxateatro@gmail.com 
A Fábula dos Três Porquinhos
11 de Setembro, 2021 | 21.30h

Ficha Artística: 
Dramaturgia: Paulo Fórlan
Encenação: Pablo Fernando
Criação e Interpretação: Felipe Toledo, Martim Sena, Pablo Fernando
Direção: Felipe Toledo
Assistentes: Giulia Dal Piaz e Inês Rodrigues
Realização: Companhia Evoé Teatro
M/12
 
Sinopse:
O velho ditado sempre disse que não devemos julgar um livro pela sua capa e a verdade é que as aparências iludem e nem tudo o que parece é.
No entanto, seremos nós capazes de pôr de lado o nosso orgulho e ver a realidade que nos rodeia?
Inserida na "Bigodeia Lusitana - Trilogia Farfalhuda Acompanhada de um Pentelho a tragicomédia", A Fábula dos Três Porquinhos explora as disfuncionalidades dentro do núcleo familiar, onde a violência e a crueldade, caracterizadoras de um passado traumatizante, levarão os três irmãos a embarcarem numa viagem pelo seu inconsciente à procura de imagens recalcadas, onde o terror de antigas memórias ganhará vida através de um jogo fictício criado pelas personagens deste drama.
A encenação de Pablo Fernando procura evidenciar as atrocidades que acontecem mesmo por baixo do nosso bigode, afinal de contas, nem todas as fábulas têm um final feliz.
 
_______________________________________________
 
PELE
18 de Setembro, 2021 | 21.30h

Ficha Artística:
Direcção Artística e Dramaturgia: Ricardo Guerreiro Campos
A partir de textos de Luiz Pacheco, Manuel António Pina e Ricardo Guerreiro Campos
Interpretação: Amélia Certal, Amélia Gaião, Cristina Chapa, Deolinda, Maria Alexandrina e Ricardo Guerreiro Campos
Vídeo: Samir Noorali
Composição Musical : Josef Kagan e Maria Noorali Kagan
Um espectáculo de: Teatro As Avozinhas e Ricardo Guerreiro Campos
M/12
 
Sinopse:
PELE é um projeto visual e performativo que procura mapear o corpo através das suas relações físicas e dos seus vestígios, intententado numa dramaturgia do branco e da pele. Em PELE o corpo é paisagem e memória e afeto e suor; é o espaço vazio que fica entre os corpos - entre corpo e lugar, entre palavras e gestos, entre ação e inércia. Será o corpo um espaço comum? A ágora é o corpo vivo, respirado - a cama aberta ao mundo. PELE pesquisa, assim, a transversalidade da pele através da anulação identitária. O que é a pele velha? A pele nova? - a PELE é a almofada de todos os corpos.
PELE são as escolhas de proximidade na história de cada indivíduo.
__________________________________
 
Nu Geral
23 e 24 de Setembro, 2021 | 21.30h

Ficha Artística:
Encenação: Maria Caetano Vilalobos
Desenho de Luz, cenografia e figurinos: Maria Caetano Vilalobos
Interpretação : Artur Dinis, Dalila Ferreira, Maria Caetano Vilalobos, Tomás Gomes
Texto - Cocriação: Artur Dinis, Dalila Ferreira, Jéssica Brandão, Maria Caetano Vilalobos, Tomás Gomes
Agradecimentos: Hugo Guerreiro e Miguel Luna
M/16

Sinopse:
Nu Geral é um espetáculo que aborda temas como as aplicações de encontros atuais, a realidade de um primeiro encontro e os medos adjacentes, a pornografia e a sua influência na nossa autoestima e comunicação, a masturbação e os seus mitos, o amor próprio e o amor com os outros, a realidade política em torno da comunidade LGBTQ+, a necessidade do suporte familiar, a igualdade de direitos, o assédio e violência sexual, os fetiches e os brinquedos sexuais como tabus, o feminismo como uma urgência longe de estar datada. É um espetáculo sobre relações humanas e a política que as abraça.
Sobre Sexualidade, Sobre Intimidade, Sobre Igualdade, Sobre Liberdade, Sobre Amor, Sobre Fé.
 
______________________________
 
A Bruxa Teatro apresenta o ÉVORA TEATRO FEST !
Uma mostra de Teatro em Évora, no espaço d’A Bruxa Teatro, entre 2 e 23 de Outubro de 2021
 
Programa:
 
2 de Outubro
Solitária” (Alma d’Arame, Montemor-o-Novo)

5 de Outubro
Paradjanov” de Pati Domenech (Asta, Covilhã)

7 de Outubro
A Paz Perpétua” de Juan Mayorga (Teatro-Estúdio Fontenova, Setúbal)

9 de Outubro
Romeu e Romeu” de João de Brito e Nuno Preto (LAMA, Faro)

12 de Outubro
A Voz Humana” de Jean Cocteau (Teatro do Eléctrico, Lisboa)

14 de Outubro
Confiando (Confinado)” de Rui Sousa (Fio d’Azeite – Marionetas do Chão de Oliva, Sintra)

16 de Outubro
As Damas da Noite” de Elmano Sancho (Loup Solitaire, Lisboa)

19 de Outubro
I’m So Excited” de Mário Coelho

21 de Outubro
O Triciclo” de Fernando Arrabal (DOIS, Lisboa)

23 de Outubro
A Coragem da Minha Mãe” de George Tabori (Artistas Unidos, Lisboa) 
 
 

Évora 2027 lança imagem, filme promocional e identidade musical

 
 
Sublinhar a pausa, o espaço e a humanidade. É esta a mensagem da campanha que foi desenhada para representar as várias dimensões de Évora que cabem na candidatura da cidade a Capital Europeia da Cultura em 2027.
 

 

 
Évora 2027 – cidade Candidata a Capital Europeia da Cultura lança nova imagem, filme promocional e identidade musical da candidatura. Três objetos que estão ancorados nos principais eixos (imaterialismo, herança cultural e biodiversidade) sobre os quais se organiza a proposta de Évora 2027, que será submetida, a 23 de novembro, para avaliação de um júri internacional.
 
Quanto à identidade gráfica, “a suprema elegância de ser simples” (Eugénio de Andrade) e a "intangibilidade que o alentejano conserva” (Miguel Torga) são duas breves descrições sobre o Alentejo que inspiraram o processo de criação do estúdio de design de comunicação R2​. Um trabalho que traduz uma ideia de simplicidade e de sobriedade das formas, das linhas e das cores, associando a estas perceções, mais uma vez, o espírito da candidatura. Uma identidade que propõe uma narrativa visual, constituída por um logótipo que possibilita múltiplas apropriações e animações, mas também resgata a combinação de cores vivas com texturas e elementos gráficos, figurativos e abstratos, extraídos de materiais tradicionais.
 
Mensagens como “cheguem mais longe, vejam mais perto” e “levem o nosso vagar a toda a gente, porque toda a gente precisa dele sem saber” são proferidas pela voz que narra o filme promocional produzido pela Playground e realizado por Rui Vieira. O vídeo mostra que a partir deste “território-palco” é possível sonhar com a construção de um futuro feito de coexistência e de partilha e consequentemente com uma Europa mais inspirada por Évora e pelo Alentejo.
 
Outra das novidades é a peça criada por quatro músicos de Évora, intitulada O Céu do Pastor, para dar corpo à identidade musical de Évora 2027. Segundo os autores, foi “um processo bonito, de escuta, de olhar para dentro, de olhos fechados e pés levantados do chão. Um caminho de reencontro com o [nosso] Alentejo e de descoberta enquanto coletivo.” O Céu do Pastor é da autoria de António Bexiga (aka Tó-Zé Bexiga), António Pinto de Sousa, Mestre André e Dj Sims, com a participação de “Vozes do Imaginário”, com direção de Luís Pereira. Mistura e masterização por Luís Lucena. Disponível para ouvir no início de setembro e a caminho de 2027, nos canais digitais de Évora 2027.  



ESTREIA! ABruxaTEATRO estreia UMA PORTA TEM QUE ESTAR ABERTA OU FECHADA de Alfred de Musset

A Bruxa TEATRO estreia esta 5ª feira, dia 15 de Julho, UMA PORTA TEM QUE ESTAR ABERTA OU FECHADA de Alfred de Musset no Espaço Celeiros (Évora) às 21h30.

O espectáculo tem interpretação de Duarte Banza e Elsa Pinho e encenação de Figueira Cid.

UMA PORTA TEM QUE ESTAR ABERTA OU FECHADA de Alfre

 

Junto envio o Dossier de comunicação do espectáculo, duas fotografias de Álvaro Côrte-Real e o Spot áudio do espectáculo.

Estamos disponíveis para o agendamento de conversas com o encenador presencial ou remotamente e para vos receber na estreia. 

 

Com os melhores cumprimentos, 

Joana Alves

(917682292)

 

 

Uma porta tem que estar aberta ou fechada

de Alfred de Musset

 

 

Tradução JOANA CASPURRO

Encenação FIGUEIRA CID

Com DUARTE BANZA e ELSA PINHO | à viola ANTÓNIO PINTO DE SOUSA

Cenografia JOÃO PITEIRA

Figurinos CATARINA CID 


Imagem original do espectáculo YUCO DI LELLO

Design gráfico LUIS LUZ

Fotografia ÁLVARO CÔRTE-REAL

Mestras de guarda-roupa CHISSANGUE AFONSO e LUISA SOUSA

Construção (oficinas da Câmara Municipal de Évora) CARLOS MESTRE, EDUARDO BALIXA e JUVENAL ADELINO

Operação de Luz e de Som HENRIQUE MARTINS

M/12

 

 

Estreia Nacional a 15 de Julho | 21h30

Rua do Eborim | Espaço Celeiros | Évora

Em cena até 31 de Julho | Quarta a Sábado | 21h

 

Bilhetes: 8,00 € (4,00 € p/ jovens, estudantes e reformados)

Reservas: 266 747 047 | abruxateatro@gmail.com

  

 

Estrutura apoiada pelo Ministério da Cultura/Direcção Geral das Artes

Co-produção com a Câmara Municipal de Évora |

Apoios da PédeXumbo e DianaFM

CENDREV comemora 45 anos com espectáculos de entrada gratuita!

“Desdobra-te”, o novo Festival da PédeXumbo em Évora, apresenta programação!

32194987998_fe0c5d01fd_k.jpg

 

 

 “Desdobra-te” – Festival de Dança e Outras Artes decorrerá de 22 a 24 de novembro, em diversos pontos da cidade de Évora, e promete quebrar estereótipos e atravessar fronteiras no contexto da dança tradicional (e não só!).

Contando com o envolvimento de vários agentes culturais locais e com o essencial apoio da Câmara Municipal de Évora, o Desdobra-te passará a ser o evento PédeXumbo de maior dimensão na cidade que nos acolhe há 24 anos. Surgindo após o sucesso em 2018 do “Festival 20 Anos PX – 20 Espaços, 20 Atividades, Mais que 20 Pessoas”, o Desdobra-te é também o evento que celebra o mês de aniversário da PédeXumbo e que convida todos os que se identificam com a associação a percorrerem a cidade, que é a sua casa.

Com a programação organizada em dois grupos distintos de acordo com o seu âmbito e público-alvo, serão satisfeitos tanto os impulsos dos habitués de festivais folk como os devaneios dos curiosos, que pelo seu contexto familiar ou gosto pessoal preferem uma experiência mais relaxada e abrangente. Dois públicos com características bastante diferentes encontrarão no Desdobra-te o “seu festival”, mas a ideia é exatamente que se cruzem e encontrem em dobragens e desdobragens consecutivas.

 

Serão pois, cerca de 40 atividades em mais de 10 espaços, que de sexta-feira a domingo se desdobrarão entre oficinas de dança para iniciados e para avançados, bailes, passeios temáticos, concertos, oficinas de artes manuais, gastronomia, espetáculos para a infância, cinema e muitas outras surpresas.

 

Assim, do programa do evento destacam-se entre muitas outras actividades, o concerto de Sebastião Antunes, os bailes com os franceses Laüsa e Duo Absynthe,  as inúmeras atividades específicas para famílias e ainda as iniciativas relacionadas com o tema do festival; partindo do conceito "desdobrar", fazem ainda parte da programação uma série de oficinas relacionadas com o papel, onde se poderá aprender a fazer origami, encadernação ou flores de papel à moda do Festival de Mastros de São Teotónio.  A organização propõe também que os participantes descubram a cidade através do passeio “Desdobrar Évora”, onde, em vários espaços-surpresa, esta se revelará através da "dobragem e desdobragem" de variados materiais junto das gentes locais.

Como tal e com o objetivo de envolver o mais possível a comunidade local neste evento, entre este mês de Outubro e o de Novembro, será dinamizado um grupo constituído por quem a ele se quiser juntar!... Uma vez por semana, no Espaço Celeiros, em Évora, produzir-se-ão peças em origami que serão utilizadas na decoração do “Desdobra-te”.

Assim, a partir de 7 de Outubro e durante todas as segundas-feiras seguintes, das 15h00 às 19h00, estão todos convidados a colaborar na construção deste festival!

 

Fica a pergunta: Que lado teu vais querer desenvolver em novembro?

 

 

Mais informações em www.pedexumbo.com

Évora lança «candidatura ganhadora» para se tornar Capital Europeia da Cultura em 2027

 

O Workshop Internacional “Culture Capital Cities”, que se realiza até amanhã, lança o processo de candidatura da cidade alentejana a Capital Europeia da Cultura, em 2027. Após a primeira fase de estudo do processo, com início há dois anos, a cidade começa agora a fase de elaboração da candidatura oficial, que deverá ser apresentada à União Europeia no próximo ano.

 

Carlos Pinto Sá, Presidente da Câmara Municipal de Évora e António Ceia da Silva, Presidente da Entidade Regional de Turismo, reforçaram o objetivo de que Évora seja a cidade portuguesa escolhida para Capital Europeia da Cultura na sessão de abertura do evento, que contou também com a presença de Ana Paula Amendoeira, Diretora Regional da Cultura do Alentejo. A importância regional da candidatura e a abertura do processo à sociedade civil foram os aspetos destacados.

 

«O objetivo é apresentar uma candidatura ganhadora e afirmar Évora como Capital Europeia da Cultura», referiu Carlos Pinto Sá, acrescentando, no entanto, que é importante que «seja também um processo que deixe marca na cidade e na região e que possa contribuir para o desenvolvimento local, independentemente do resultado para 2027». «Existe uma estratégia cultural que inclui a candidatura. O objetivo é transformar a cidade de Évora e dar-lhe peso nacional e internacional».

 

Apresentando os vários elementos ao nível do património, ambiente e cultura que distinguem Évora como candidata a Capital Europeia da Cultura, o Presidente da Câmara sublinha como «num mundo globalizado é essencial a capacidade de reforçar a diferença e a identidade», sendo importante «manter as raízes com o passado» mas também «olhar o futuro e ter capacidade de evoluir como sociedade, algo para o qual a cultura é essencial».

 

António Ceia da Silva, Presidente da Entidade Regional de Turismo, afirma que este é um momento histórico, equiparável à classificação do centro histórico de Évora como Património da Humanidade pela UNESCO, sublinhando o potencial de «uma revolução ao nível cultural, da requalificação urbana, dos eventos e da vivência cultural, decisiva para Évora e para o Alentejo». Salientando como o turismo pode também contribuir para a candidatura, reforça ainda a importância do Património Imaterial, como o cante alentejano, que representa a identidade da região.

 

«Esta não é uma candidatura só de Évora. É uma candidatura que está associada a todo o Alentejo e isso tem um peso completamente distinto. Não se está a trabalhar numa cidade em si mesma, mas numa forma em que a elevação dessa cidade a Capital Europeia da Cultura seja importante para toda a região», refere António Ceia da Silva, acrescentando que o processo de candidatura, para a qual todas as entidades regionais são essenciais, pretende ser inclusivo e aberto a toda a sociedade civil.

 

Referindo-se à candidatura de Évora como uma «utopia realizável», a Diretora Regional da Cultura, Ana Paula Amendoeira, afirma que «a região é fundamental para este projeto» e que existe nesta cidade uma «indispensável centralidade crítica nos tempos globais, em que a cultura é cada vez mais uma periferia».

 

Ana Paula Amendoeira finaliza a sessão de abertura com uma reflexão sobre os desafios da cultura europeia e o papel das Capitais Europeias da Cultura, que devem ter a «sabedoria de convocar todas as artes e conhecimento para se construir» e destacar as diferenças, mas também criar um sentimento de pertença europeu, que coloque a cultura como base do desenvolvimento

Évora organiza evento internacional sobre Capitais Europeias da Cultura | Lançamento de Candidatura

 

Cidade candidata-se a anfitriã do evento europeu em 2027

 

  • Workshop Internacional “Culture Capital Cities” decorre em Évora de 14 a 16 de Fevereiro. Consultar programa completo aqui.

 

  • Evento marca início do processo de candidatura de Évora a Capital Europeia da Cultura e tem lugar no auditório da Fundação Eugénio de Almeida.

 

  • Desafios e objetivos das Capitais Europeias da Cultura vão ser abordados em múltiplas sessões por dezenas de especialistas, investigadores e decisores políticos nacionais e europeus.

 

 

05 Fevereiro de 2019 - O Workshop Internacional “Culture Capital Cities”, que decorre em Évora de 14 a 16 de Fevereiro, marca o início do processo de candidatura da cidade a Capital Europeia da Cultura, em 2027. Esta primeira iniciativa, no âmbito da candidatura, pretende criar um fórum aberto de reflexão sobre o papel cultural e criativo dos agentes locais e regionais, o potencial das suas infraestruturas culturais e a relação com outras Capitais Europeias da Cultura.

 

Carlos Pinto de Sá, Presidente da Câmara Municipal de Évora, Ana Paula Amendoeira, Diretora Regional da Cultura e António Ceia da Silva, Presidente da Entidade Regional de Turismo do Alentejo, vão realizar conjuntamente a sessão de abertura do Workshop “Culture Capital Cities”, no dia 14 de fevereiro.

 

O evento conta com a participação de oradores das principais entidades europeias na área da cultura. Katherine Heid, membro do gabinete para a Cultura e Juventude no Comité Económico e Social Europeu e Tera Badia, secretária-geral da Culture Action Europe, são alguns dos nomes confirmados. Aos especialistas internacionais juntam-se oradores nacionais, incluindo Cristina Farinha, consultora e investigadora especializada em Industrias Criativas, Miguel Abreu, produtor cultural e António Cerveira Pinto, artista, escritor e analista de políticas culturais.

 

«A organização deste evento promove a partilha de conhecimentos sobre o tema das Capitais Europeias da Culturas e representa uma oportunidade para ponderarmos regionalmente quais as melhores propostas que podemos oferecer, de forma a evidenciar o património material e imaterial da cidade de Évora e de todo o Alentejo, mas também de forma a potenciar novas formas de expressão cultural e criativa na região», sublinha Carlos Pinto de Sá.

 

O papel da cultura nas sociedades contemporâneas, a relação entre cultura e economia ou a cultura enquanto forma de participação cívica são alguns dos principais temas do evento, que pretende sobretudo demonstrar os atuais desafios da cultura, a importância das entidades regionais e o papel das cidades anfitriãs desta iniciativa europeia.