Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Alenquer inaugura Clube UNESCO Memoriamedia

CMAlenquer (1).jpg


Clube UNESCO Memoriamedia vai nascer em Alenquer com o arranque de 2024. A sessão de abertura do mesmo está agendada para a próxima sexta-feira, 12 de janeiro às 14h30, na Aldeia Galega da Merceana, mais concretamente na Rua do Picão, nº 3, 1º andar. Esta é mais uma iniciativa que conta com o apoio do Município de Alenquer.

 

Em causa está um grupo de pessoas afeto a escolas, universidades, associações sem fins lucrativos, círculos sociais ou a fundações, entre outros, que tem como objetivo "promover a UNESCO e os seus programas, propagar os seus ideais através de atividades inspiradas nas atividades da Organização, contribuir para a formação cívica e democrática dos seus membros, apoiar os Direitos Humanos, favorecer a compreensão internacional e o diálogo entre os povos, difundir informação relativa à UNESCO junto do público, a nível local", como refere a Comissão Nacional da UNESCO, representante em Portugal da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO). No nosso país existem mais de 60 clubes criados desde que o primeiro foi lançado em 1984: o Centro UNESCO do Porto.

 

A Memória Imaterial Cooperativa Cultural, organização não governamental acreditada pela UNESCO como consultora do Comité Intergovernamental para a salvaguarda do Património Cultural Imaterial PCI e fundadora do projeto Memoriamedia, é a entidade coordenadora e gestora do novo clube desta rede, no concelho de Alenquer. A programação consistirá em atividades de informação, formação e ação. Em particular: investigação e inventariação; conferências, debates e colóquios; exposições e eventos culturais; cursos e workshops; encontros e intercâmbios. 

 

Recorde-se que a Direção-Geral do Património Cultural (DGPC) entregou à Câmara Municipal de Alenquer, em outubro último, a distinção referente a manifestações constantes no Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial após declarar o Pintar e Cantar dos Reis património nacional em Diário da República, a 16 de julho de 2021. Esta celebração histórica secular será agora candidata a Património Cultural Imaterial da Humanidade, da UNESCO.

 

Confirme aqui a sua presença no evento de abertura mediante inscrição.

 

PROGRAMA

14H30 | Sessão de abertura

Intervenções dos representantes da Comissão Nacional da UNESCO, Câmara Municipal de Alenquer e Memória Imaterial 

15H15 | Mesa redonda 'A tradição somos nós - a salvaguarda do Património Cultural Imaterial'

Participação de praticantes do Pintar e Cantar dos Reis, de tocador da Gaita de Foles e de produtor de Uva

Moderação: Memória Imaterial

16H30 | Encerramento

 

Património Nacional 'Pintar e Cantar dos Reis' celebra-se à luz da tradição num roteiro dedicado

CMAlenquer.jpg

A tradição secular Pintar e Cantar dos Reis volta a celebrar-se no arranque de 2024, na noite de 5 para 6 de janeiro, como manda a tradição. Com origens medievais, esta manifestação cultural e social que já é Património Cultural Imaterial contará neste novo ano com um roteiro noturno dedicado, pensado pelo Município de Alenquer. O ponto de encontro acontece no dia 5, às 22 horas, na Praça Luís de Camões, em Alenquer.

Depois, através de uma viagem gratuita de autocarro, serão percorridos vários pontos deste concelho cantando, pintando e convivendo ao mesmo tempo. Este programa itinerante está disponível mediante inscrição online.

O Pintar e Cantar dos Reis é a expressão da identidade da comunidade que se propaga em território nacional, pelo menos, desde o século XIII e que perdurou até aos nossos dias. Os reiseiros, aqueles que cumprem a devoção de evocar o ritual, cantam em adoração dos Reis Magos e pintam várias representações em terras como Cabanas do Chão, Cabanas de Torres, Paúla, Abrigada, Bairro, Mata, Penafirme da Mata, Olhavo, Pocariça, Ota, Catém, Casal Monteiro, Espiçandeira ou Labrugeira. Conforme a localidade, desenham-se diferentes símbolos: os corações e vasos floridos que representam a composição dos agregados familiares; a estrela do Oriente; as inscrições e siglas "B.R" (Bons Reis), "BRM" (Bons Reis Magnos/Magos), "V.R." (Viva os Reis/Viva a República), "B.F." (Boas Festas) e o ano da celebração; os desenhos que representam profissões e outras atividades e, nalguns casos, o Vaso do Grupo, onde se inscrevem as iniciais dos nomes de quem participou no ritual. As cores predominantes são o vermelho e o azul e a boa disposição é um ingrediente essencial na celebração.

Inaugurado em 2021, o Museu do Presépio tem patente um espaço dedicado ao tema e aguarda a sua visita, assim como o Centro Interpretativo do Pintar e Cantar dos Reis, a funcionar desde 2018 no Parque Vaz Monteiro, em partilha de funções com o Posto de Turismo municipal. Uma outra alternativa, agora a nível bibliográfico, passa por consultar a obra "Pintar e Cantar dos Reis no Concelho de Alenquer", da autoria de Filomena Sousa e José Barbieri, um projeto editado em livro em 2016 com produção a cargo da Câmara Municipal de Alenquer.

A 7 de janeiro, pelas 15h30, o Museu João Mário acolhe um Encontro de Reis e Reiseiros e prolonga a celebração de uma tradição tão alenquerense, encerrando a extensa programação do 'Alenquer, Presépio de Portugal' da melhor maneira.

Em outubro último, a Direção-Geral do Património Cultural (DGPC) entregou à Câmara Municipal de Alenquer a distinção referente a manifestações constantes no Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial. Refira-se que o Pintar e Cantar dos Reis está inscrito como património nacional em Diário da República desde 16 de julho de 2021.

Neste momento, a autarquia trabalha para que, neste ano de 2024, seja submetida a candidatura da tradição tão alenquerense a Património Cultural Imaterial da Humanidade, uma chancela atribuída pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO). 

 

A primeira edição do Festival Vinhos N'Aldeia acontece já a partir de sexta-feira

 
Um festival novo, promissor e que valoriza a tradição vinícola:
 
A primeira edição do Festival Vinhos N`Aldeia vai acontecer já neste fim de semana no Coração das vinhas de Alenquer. 


Um festival que promove a ruralidade associada à inovação e à modernidade, através de uma fusão de experiências e encontros, num cenário tradicional de características únicas.

 

O evento, que pretende dar a conhecer a região e a gastronomia local, envolve cerca de vinte produtores de vinho, chefs reconhecidos, visitas às adegas e provas de vinhos, música, animação e muito mais.

 
O Festival Vinhos N`Aldeia” decorre já nos dias 23, 24 e 25 de junho.
 
Toda a informação na Press Release e Cartaz em anexo e no site do evento: www.vinhosnaldeia.pt
 
A entrada no Festival é gratuita. 


“Mais do que um festival, uma forma de viver e degustar a Aldeia.
Venha experienciar o espírito d’aldeia a meia hora de Lisboa.”

VÍTIMAS DA INQUISIÇÃO EVOCADAS NO MUSEU DAMIÃO DE GÓIS

ATRAÇÃO TURÍSTICA E HISTÓRICA EM ALENQUER

 

DIA 20 DE MAIO – 15H45 – Calçada Damião de Góis, Alenquer

 

 

Com visitas estimadas de mais de 10 mil turistas no primeiro ano, é inaugurado no próximo sábado, 20 de maio, em Alenquer, o Museu Damião de Góis e das Vítimas de Inquisição. A autarquia espera que o museu venha a ser local de destino de turistas oriundos, em particular, da Bélgica, Holanda, França e Alemanha, países pelos quais Damião de Góis passou e onde contactou com humanistas seus contemporâneos.

A cerimónia será presidida pelo presidente da Câmara Municipal de Alenquer, Pedro Folgado, e contará com a presença do secretário de Estado das Autarquias Locais, Carlos Miguel, e da Diretora-Geral da Cultura, Paula Silva. O investimento realizado foi de 520 mil euros e será implantado na Calçada Damião de Góis, pelas 15h45.

Localizado na Igreja de Nossa Senhora da Várzea, o museu vai dar a conhecer como era Alenquer no século XVI, a vida e obra de Damião de Góis, a sua relação com a Inquisição, a comunidade judaica e as manifestações da Inquisição na vila.

A criação deste museu enquadra-se nas ações previstas no projeto Rotas de Sefarad: valorização da identidade judaica portuguesa no diálogo interculturas. É promovido pela Rede de Judiarias de Portugal, com o apoio do Estado Português, através da Direção Regional de Cultura do Centro e do Governo da Noruega, via mecanismo financeiro do Espaço Económico Europeu (EEA Grants).

Damião de Góis é considerado um dos mais importantes historiadores e humanistas do Renascimento português e um dos mais críticos da sua época. Efetuou várias missões diplomáticas e comerciais por toda a Europa, tendo nessas ocasiões estabelecido contacto com humanistas seus contemporâneos, como Martinho Lutero ou Erasmo de Roterdão.

A Câmara Municipal de Alenquer pretende dar continuidade à proposta de valorização e regeneração de todo o bairro onde se insere o projeto, tendo já reconstruído o antigo Celeiro Real (Museu do Vinho). Está também a desenvolver uma proposta de intervenção que irá abranger a antiga localização da Real Fábrica do Papel e que pretende melhorar e alargar as faixas ciclo-pedonal, dinamizando a circulação de pessoas naquela zona.

 

 

Venha descobrir Alenquer com as crianças

Vila PresépioPresépio_Nocturno.jpg

 

A meia hora de Lisboa,

Venha descobrir Alenquer com as crianças

 

 

 Na vila de Alenquer, até dia 6 de Janeiro, o Natal volta a trazer magia, cor e alegria às ruas, contando com várias atividades, uma pista de gelo natural, a Fábrica do Presépio, o comboio turístico, o Mercado de rua, a casa do Pai Natal e espaço infantil.

 

Nesta época natalícia, Alenquer oferece espectáculos, teatro, música, workshops e exposições diversas a todos aqueles que a visitarem. A principal atracão é contudo, a maior exposição de presépios do mundo, com mais de 1500 presépios, e o vídeo mapping, no Parque Romeira, que conta precisamente a história do presépio em Alenquer, que faz este ano 800 anos. Mas as histórias não acabam aqui: as crianças poderão também assistir no Auditório Damião de Goes às peças: “Fábrica dos Sarapicos de Natal”, “Alenquer, Presépio dos Pequeninos” e “Uma Aventura no Presépio”.

 

Uma viagem pela vila, de comboio ou a pé, com diversas visitas guiadas disponíveis, ver a maior concentração de reis magos solidários do mundo, uns minutos no colo do velhinho de barbas brancas mais querido do mundo, muitos pulos e cambalhotas no espaço infantil, com insufláveis e trampolins.

Em Alenquer a diversão de Natal é para toda a família!