Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Caldas da Rainha é o município convidado da FIA - Feira Internacional do Artesanato 2019 | FIL | 29 de Junho a 7 de Julho

0001 (12).jpg

 

 

Município famoso pela unicidade da sua cerâmica em destaque na maior feira de artesanato da Península Ibérica

 

Caldas da Rainha, cidade do distrito de Leiria, é o município convidado da FIA - Feira Internacional do Artesanato 2019, que se realiza de 29 de Junho a 7 de Julho na FIL – Feira Internacional de Lisboa. Durante nove dias, a FIL transforma-se numa montra de multiculturalidade, a nível cultural e gastronómico, a maior da Península Ibérica e a segunda maior da Europa.

 

Caldas da Rainha, cidade com história e famosa pelo seu artesanato único no país, foi uma escolha óbvia da organização da FIA: “Enquanto centro de produção artesanal, o Concelho das Caldas da Rainha apresenta o melhor do artesanato popular, possuindo no seu património diferentes tipos de peças que são reconhecidamente do agrado dos portugueses, seja pela sua conotação humorística ou pela simbologia de reacção ao sistema. Estamos convictos de que esta mostra, pela sua genuinidade, se irá inserir perfeitamente no espírito da FIA 2019, trazendo aos nossos pavilhões um aspecto mais “colorido” e que faz parte do património cultural dos portugueses em geral e das Caldas da Rainha em particular”.

 

Com um grande histórico de peças de cerâmica utilitárias de gosto popular, a conhecida Louças das Caldas, materializa-se em louças de cozinha – as famosas travessas, bules, canecas, etc., em formato de couves, alfaces, abóboras, entre outras – mas o que mais distingue a cerâmica caldense é a sua vertente humorística e caricaturista, que a celebrizou um pouco por todo o país. A louça caricatural originalmente apresentava profissões (padres, pescadores, agricultores) estereotipadas, embora a mais popular seja, sem dúvida, a do "Zé Povinho", personagem imortalizada pelo artista português Rafael Bordalo Pinheiro e adoptada como símbolo de Portugal e do povo português.

 

Um exemplo de cerâmica particularmente peculiar é o falo das Caldas, em exposição na FIA, que surgiu no final do século XIX, numa altura de crise no artesanato da cidade. A curiosidade gerada à volta destas peças de cariz erótico projectou as Caldas da Rainha em Portugal e em vários pontos do Mundo. As peças mais conhecidas são as típicas garrafas e canecas das Caldas, em várias versões e tamanhos, assim como os célebres bonecos. A Câmara Municipal de Caldas da Rainha encara esta participação como uma plataforma para dar a conhecer todo o património inerente à cidade: “Desde as termas às artes, da cultura à natureza, do património à gastronomia… Convidamos todos a conhecer Caldas da Rainha!

 

Os Bordados das Caldas também marcam presença com o Município, através da presença da Associação de Bordados das Caldas da Rainha.

 

Portugal representado de norte a sul na FIA 2019… ilhas incluídas

A FIA 2019 irá ocupar três pavilhões da FIL, com Portugal representado em pleno no pavilhão 1, do artesanato nacional. Para além da presença dos Açores, que se representa assiduamente na FIA, a Madeira regressa à Feira Internacional do Artesanato alguns anos depois, possibilitando a mostra alargada do artesanato português de norte a sul e ilhas.

 

Também o IEFP já confirmou a sua presença, trazendo à FIA cerca de 160 artesãos portugueses.

 

O pavilhão 2 é dedicado exclusivamente ao artesanato internacional, com mais de 40 países representados. A área gastronómica da FIA poderá ser encontrada no pavilhão 3, com uma rota de restaurantes, tasquinhas tradicionais e um mercado gourmet.

 

A FIA está aberta todos os dias e 29 de Junho a 7 de Julho das 15h00 às 24h00 – o pavilhão 3, da gastronomia, está aberto a partir das 12h30. Os bilhetes podem ser adquiridos online, a 7€, com desconto em relação aos bilhetes adquiridos nas bilheteiras da FIL. Existe também desconto para jovens e seniores (apenas se comprados nas bilheteiras físicas) e packs familiares de 3 e 4 pessoas (se comprados online).

 

 

Livros e Artesanato na Feira de Verão de Quarteira

Feira de Verão Quarteira - livros e artesanato (3

 

Até ao próximo dia 15 de agosto, a Feira de Verão de Quarteira, que decorre no Jardim Filipe Jonas durante toda a época estival, irá receber uma mostra com livros e artesanato.

São 6 expositores livreiros com 13 stands e ainda 17 expositores de artesanato e produtos agroalimentares que aqui vão estar por estes dias. Os visitantes terão a oportunidade de adquirir livros e produtos únicos de artesanato a preços convidativos, bem como degustar iguarias como doces conventuais ou o típico folhado de Loulé.

Esta é mais uma componente deste certame que está animar a cidade desde o início de junho, criando uma nova centralidade neste que é um dos principais polos turísticos da região.

Para além de um programa diário de animação musical, a Feira de Verão de Quarteira conta ainda com outras iniciativas como é o caso de uma Exposição de Lego, constituída por 5 milhões de peças, com a construção da maior cidade candidata ao recorde do mundo, Teatro, Dança ou Folclore.

O certame funciona todos os dias, das 19h30 à 01h00. A entrada é livre.

 

CML/GAP /RP 

ÍNDIA PROMOVE FESTIVAL EM LISBOA com MÚSICA, DANÇA e GASTRONOMIA | 15 de Agosto Jardim Vasco da Gama

 

A Embaixada da Índia em Portugal promove, dia 15 de Agosto, em Lisboa, um festival de cultura indiana, com gastronomia, música, dança, ioga, joalharia, roupa e artesanato.

O evento, que celebra o 71ª aniversário da independência da Índia, assinalada em 15 de Agosto de 1947, vai decorrer entre as 11h00 e as 20h no Jardim Vasco da Gama em Belém.

Será uma oportunidade para desfrutar e experienciar a cultura indiana, fazer aulas de ioga e de dança, comprar artesanato, roupa, joalharia tradicional e degustar as iguarias da gastronomia indiana.

 

 

ae0a8d58-c779-4c62-964d-540946b0ae6f.png

 

 

Entre as diversas actividades, destaque para as danças clássicas indianas, música ao vivo, Bhangra; workshops de dança de Bollywood, caligrafia Indiana, arte Rangoli, ‘como vestir um saree’, massagem ayurvédica, pinturas de henna e aulas de Yoga. 

O “Festival of India” conta com o apoio da Câmara Municipal de Lisboa 

A entrada é livre. 

FIAR | Artes de Rua para apreciar em Palmela de 3 a 5 de agosto

FIAR.jpg

 

 

 

O Festival FIAR volta à Vila de Palmela de 3 a 5 de agosto, numa coorganização do FIAR - Centro de Artes de Rua de Palmela e da Câmara Municipal de Palmela. Em 2018, o FIAR celebra 20 anos, com uma programação rica e plural, distribuída por diferentes espaços, com produções convidadas e próprias, envolvendo artistas e criadores locais. A programação foi desenhada com base no teatro nómada, na política afetiva e na micropolítica. Dentro destes temas, serão ainda abordadas questões fundamentais da atualidade, como as alterações climáticas e as consequentes visões de sustentabilidade ecológica ou a consciência das realidades sociais precárias.

Por Palmela, passarão, nestes três dias, o Teatro Praga, o Teatro da Didascália ou a Companhia Erva Daninha, mas também os Bardoada, o Grupo Coral 1.º de Maio do Bairro Alentejano e a estreia de “(In)certaidade”, do Teatro “As Avozinhas”, que comemora este ano o seu vigésimo aniversário.

 

Programa

 

 

3 de agosto

 

ABERTURA OFICIAL

20h00, Casa Mãe da Rota dos Vinhos

 

ANTES

De Pedro Penim

Teatro Praga

22h00, Cineteatro S. João

 

 

4 de agosto

 

LARGADA DE POMBOS

Pela Associação Columbófila de Palmela

11h30, Rua Mouzinho de Albuquerque

 

ITINERÁRIO O QUE É PEQUENO É BELO

 

TAMBORES SINALEIROS

Bardoada Grupo do Sarrafo

Luci&Lola

 

LANÇAMENTO DA FLANZINE N.º 17, CINZAS

Com a presença do editor e convidados

17h00, Casa Mãe da Rota dos Vinhos

 

A MÚSICA ANDA NA RUA

Rini Luyks

Beco da Estrela, Columbófila de Palmela

 

ENSAIO SOBRE O BELO 

Interpretação e criação de Denise Lomelí (Monociclo)

Terraço do Mercado Municipal, Rua Mouzinho de Albuquerque

 

O FIO DA MEDUSA

De Leonor Keil

Estreia

Castelo de Palmela, Ruínas da Igreja de Santa Maria

 

O SEQUESTRO

Texto e dramaturgia de Bruno Humberto e Rui de Almeida Paiva

Estreia

Paragem de autocarro no Largo de S. João (sessões: sábado, às 19h30 e 00h00, domingo, às 19h30)

 

(IN)CERTAIDADE

FIAR, Centro de Artes de Rua - Teatro “As Avozinhas”

Estreia

21h00, Rua Serpa Pinto, n.º 31 (entrada pelo quintal)

 

POR OUTROS CAMINHOS

 

MAI MAIORES QU’ESSEI SERRAS

Teatro Feiticeiro do Norte, Madeira

21h00, Auditório da Biblioteca de Palmela, Largo de S. João

 

O VIGILANTE NOTURNO

Teatro da Didascália

22h00, Cineteatro S. João

 

 

5 de agosto

 

ITINERÁRIO O QUE É PEQUENO É BELO

 

TAMBORES SINALEIROS

Com Bardoada Grupo do Sarrafo

Luci&Lola

 

COUVE ROSA MORANGO AMARELO

De Graça Ochoa

Estreia

Adega da Casa de Atalaia, Rua Heliodoro Salgado

 

QUARTO ESCURO

Um espetáculo de Inês Vaz, Mónica Calle e Mónica Garnel, a partir de um conceito de Mónica Calle

Antigo Quartel da GNR, Rua Heliodoro Salgado (entrada pelas traseiras)

 

ENTRE PEDRAS E FLORES

Música: Roni Szabo

Dança: Catarina Keil 

Largo da Boavista

 

A TUA VOZ CHEGA AOS MEUS OUVIDOS COMO O CANTAR DOS PÁSSAROS

Grupo Coral 1.º de Maio do Bairro Alentejano

Luci&Lola

Pátio do Espaço Cidadão, Junta de Freguesia de Palmela, Rua Hermenegildo Capelo, n.º 58

 

I CAN’T SEE THE SEA

De Maurícia Neves

Estreia

Casa do Povo, Rua de Olivença


NÓS AQUI NESTE PASSINHO, VAMOS ATÉ O SOL RAIAR

De Michelle Moura e Sara Anjo, com oito performers

Brasil/ Portugal

Largo de S. João

 

ADRIANO JÁ NÃO MORA AQUI

De Rui Catalão, com Adriano Diouf

20h30, Adega da Casa de Atalaia, Rua Heliodoro Salgado

 

DAS CINZAS

FIAR, Centro de Artes de Rua de Palmela

Estreia

21h00, Parque Venâncio Ribeiro da Costa (entrada pela Rua Heliodoro Salgado, junto ao MOJU)

 

1.5o PONTO DE EQUILÍBRIO

Erva Daninha

22h00, Cineteatro S. João

 

ENCERRAMENTO

CONCERTO COM O GAJO

23h00, Anfiteatro do Parque Venâncio Ribeiro da Costa (entrada junto ao Culto Café)

 

Forum Montijo convida a uma viagem pelo mundo | Feira Internacional de Artesanato está de regresso

Forum Montijo convida a uma viagem pelo mundo

 

04 a 29 julho | FORUM MONTIJO

 

O Forum Montijo, centro gerido pela Multi Portugal, prepara-se para oferecer a todos os que o visitem até 29 de julho uma incrível viagem pelo mundo. A Feira Internacional de Artesanato está de regresso à Praça Redonda, e recebe o melhor de 7 países: Senegal, Quénia, Madagáscar, Bolívia, Equador, Perú e Marrocos.

 

Esta mostra cultural pretende trazer até ao Montijo o melhor que cada país tem para oferecer, onde será possível encontrar peças únicas e exclusivas, seja de artesanato, decoração, incensos moda ou acessórios. O convite é para que todos os que visitem a Praça Redonda se deixem encantar pela riqueza cultural dos diferentes países, costumes, crenças e tradições. 

 

Quem passar por Madagáscar encontrará obras de arte em palha e madeira. No Senegal dominam as esculturas de diferentes madeiras e objetos de cestaria. Já para os fãs da cultura marroquina, que tal uma pintura de ENA para mais tarde recordar? De olhos atentos na América Latina, encontra roupas e tecidos coloridos. Difícil vai ser escolher.

 

Passaporte preparado? O Forum Montijo espera pela visita de todos, no seu horário habitual de funcionamento, com diferentes culturas e origens étnicas e um desafio para que conheçam melhor tudo o que cada um destes países têm para oferecer.

 

TPNP na Feira Internacional de Artesanato

enoturismo.jpg

 

A Turismo do Porto e Norte de Portugal (TPNP) vai estar presente até 1 de julho na Feira Internacional de Artesanato (FIA), considerada líder na Península Ibérica e que decorre na FIL, em Lisboa. Com um stand promocional num local privilegiado, o pavilhão 2 da FIL, a TPNP reforça a estratégia de promoção numa mostra que em 2017 contou com 110.000 visitantes e mais de 600 expositores, dos quais 220 eram oriundos de mais de 40 países e 5 continentes, tornando-a na 2ª feira líder a nível europeu.

 

A Rota das Camélias e o conceito Viajar Em Família são as principais apostas da TPNP, criando um espaço que vá para além do artesanato e reflita a identidade cultural, social e económica da região com especial relevância nas tradições associadas a estes dois temas. Considerada a feira líder na Península Ibérica e a 2ª na Europa, a FIA recebeu 110.000 visitantes, incluindo turistas estrangeiros que escolhem Lisboa como o seu destino de férias, que tiveram a oportunidade de visitar mais de 600 stands provenientes dos 5 continentes.

 

Entre 23 de junho e 1 de julho, no espaço da Porto e Norte, teremos provas de degustação de produtos e de vinhos do território, assim como as ações ao vivo com artesãos. 

 

FIA 2018 tem Arraial de Santos Populares com as Marchas de Lisboa

As Marchas Populares de Lisboa 2018 – Castelo, Mercados, Carnide, Bairro Alto, Bairro da Boavista – confirmam presença no ARRAIAL FIA LISBOA 2018

 

image007.jpg

 

 

Está montado na FIA – Feira Internacional do Artesanato, a decorrer na FIL, mais um palco para um Arraial de Santos Populares. Entre 23 de junho e 1 de julho, no decorrer da feira, a Paróquia dos Navegantes do Parque das Nações organiza um Arraial que vai contar com as Marchas do Castelo, Mercados, Carnide, Bairro Alto e Bairro da Boavista.

Se a música popular, a sardinha assada e a cerveja bem fresca não chegarem para convencer os visitantes, a presença de cinco Marchas participantes na 86ª edição das Marchas Populares de Lisboa é um argumento irrefutável. Para quem, na noite de Santo António, não conseguiu chegar a tempo à Avenida da Liberdade, pode agora ver as coreografias na FIA 2018. O Arraial decorre durante os 9 dias de feira, entre os pavilhões de exposição. As Marchas desfilam em dias diferentes:

Domingo, 24 de junho

16h00 | Marcha dos Mercados | Ass. dos Comerciantes nos M. de Lisboa

21h00 | Marcha do Castelo | Grupo Desportivo do Castelo

Quarta-feira, 27 de junho

21h00 | Marcha de Carnide | TC – Teatro de Carnide

Quinta-feira, 27 de junho

 21h00 | Marcha do Bairro Alto | Lisboa Clube Rio de Janeiro

Sábado, 30 de junho

21h00 | Marcha do Bairro da Boavista | Ass. Recreativa de Moradores e Amigos do Bairro da Boavista

 

"Portugal Sou Eu" reforça presença na FIA

 

 

23 de junho a 1 de julho

"Portugal Sou Eu" reforça presença na FIA

Este ano o “Portugal Sou Eu” reforça a sua presença na 31ª FIA – Feira Internacional de Artesanato, apresentando-se com um espaço de 288 metros quadrados, pelo qual circularão produtos de 20 unidades produtivas artesanais aderentes ao programa.

A Feira decorre como habitualmente na FIL, entre 23 de junho e 1 de julho, das 15h às 24h e o stand “Portugal Sou Eu” localiza-se no pavilhão 2, dedicado ao Artesanato Nacional, e terá o número 2A09.

Ao longo dos 9 dias da Feira poderá conhecer no espaço “ Portugal Sou Eu” o trabalho de 20 artesãos portugueses, oriundos de várias regiões dos pais, das áreas da decoração, cosmética, moda e acessórios, sendo que seis deles estarão a concorrer aos prémios de Melhor Peça de Artesanato Contemporâneo e Melhor Peça de Artesanato Tradicional. Os visitantes terão oportunidade de assistir ao vivo e a cores à produção de peças de artesanato tradicional e contemporâneo, já que vários artesãos estarão a trabalhar na própria feira.

Os artesãos aderentes ao “Portugal Sou Eu” utilizam materiais tradicionais que invocam as tradições típicas das várias regiões do nosso país e recorrem cada vez mais a técnicas inovadoras, conferindo uma interpretação moderna às nossas tradições culturais.

A FIA é uma das Feiras mais visitadas em Portugal, tendo conquistado ao longo do tempo um reconhecimento ímpar na promoção do artesanato nacional e internacional. Em 2017 foi visitada por mais de 115 mil pessoas, número este que deverá ser ultrapassado este ano.

 

Artesãos e empresas aderentes presentes na FIA 2018

Unidade Produtiva Artesanal

Setor

Artesão

aldimdesign

Moda e acessórios em alcatifa com aplicação de tecido

Isabel Aldim

Amor Luso

Cosmética

Vitor Rodrigues

Ana Franco

Artigos em cerâmica figurativa

Ana Franco

André Semblano

Artigos de decoração em cerâmica

André Semblano

Artesave Recycled Yarns

Roupa e calçado feito a partir de fios reciclados da indústria têxtil

Armindo Santos

Bordados e Namorados

Roupa e acessórios com inscrições inspiradas nos Lenços dos Namorados típicos da região minhota

Dores Gomes

Casa da Matilde

Moda de bebé e criança

Matilde Duarte

Cerâmica Ana Sobral

Peças em Cerâmica

Ana Sobral

Conceição Pereira

Roupa e acessórios em croché, bordados e outros materiais

Conceição Pereira

GProjects – laboratório de modelagem

Laboratório de modelagem de vestuário

Graça Paquete

Isa Vidal

Peças decorativas em cerâmica, madeira e acessórios de moda em cartonagem

Maria Isabel Vidal

Maria Lima

Roupa e acessórios para bebé e criança em tricô

Maria José Lima

Nuno Justino

Artigos em cerâmica figurativa

Nuno Justino

Pedras de Leitor

Cerâmica

Madalena Bensusan

PM Jeans

Moda em ganga

Paula Neves

Rocha-Penafiel

Fabrico de miniaturas

Aloísio Rocha

S.tile

Cerâmica

Alexandra Guerreiro, Carina Trigueiros Ana Sobral, António Celorico

Teresa Ferreira

Bijuteria

Teresa Ferreira

XPTO Artesanato

Artigos de decoração para a casa

Venceslau Martins

Woodmood

Peças decorativas para casa e jardim em madeira

Miguel Castro

 

 

Sobre o “Portugal Sou Eu”

 

O programa “Portugal Sou Eu” foi lançado em dezembro de 2012 pelo Governo de Portugal  para dinamizar a competitividade das empresas portuguesas, promover o equilíbrio da balança comercial, combater o desemprego e contribuir para o crescimento sustentado da economia.

O Selo “Portugal Sou Eu” é atribuído aos produtos e serviços com base em critérios de incorporação nacional, marcas e patentes, emprego nacional e valor acrescentado nacional da empresa.

Até ao momento, estão inscritas no programa “ Portugal Sou Eu “ cerca de duas mil empresas e mil estabelecimentos aderentes, que se traduzem em 52 mil postos de trabalho. Estão qualificados com o selo “Portugal Sou Eu” mais de nove mil produtos e serviços que, no seu conjunto, representam um volume de negócios agregado superior a 11,7 mil milhões de euros. A grande maioria dos produtos tem patentes e/ou marcas registadas, sendo que 52 por cento são do setor da alimentação e bebidas e 23,4 por cento correspondem às atividades de artesanato.

O “Portugal Sou Eu” tem financiamento do programa Compete 2020, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional, e é gerido por um Órgão Operacional formado pela Associação Empresarial de Portugal (AEP), Associação Industrial Portuguesa-Câmara de Comércio e Indústria (AIP-CCI), Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP), Confederação do Comércio e Serviços de Portugal (CCP), Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição (APED), Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) e pelo IAPMEI – Agência para a Competitividade e Inovação, IP