Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Teatro Extremo || Sementes_ Mostra_Internacional_Artes_para_Pequeno_Público_destaques_1º_fim_de_semana

descarregar (1).jpg

27ª edição do Festival Sementesestá a chegar.20 de maio a 5 junhoem Almada, Barreiro, Loures, Montemor-o-Novo, Palmela, Seixal, Sesimbra e Setúbal. 
 
Teatro, música, dança, circo, palhaços, ópera, marionetas, artes de rua, oficinas de expressões artísticas e exposição de artes plásticas. 


Neste primeiro fim-de-semana, 20 a 22 maio, fazem parte da programação dois espetáculos premiados “Mininu” de Fernando Mota (Lisboa, Loulé) com o prémio nacional da crítica 2004 e prémio de melhor espetáculo no Festival Avignon 2005 (ADAMI - prémio do público), no dia 21 de maio às 11h e 16h no Teatro-Estúdio António Assunção, Almada; “Nube, Nube”da companhia Periferia Teatro (Espanha)  Prémio Drac D’Or para melhor espetáculo infantil/familiar, da Feira de Titeres de Lérida 2021, Prémio de melhor espetáculo pelo júri infantil do 33º Festitíteres Alicante 2020 e Prémio de melhor espetáculo de títeres e objetos FETEN 2020 no dia 22 de maio às 11h e 16h no Teatro-Estúdio António Assunção, Almada

Toda a programação em https://www.teatroextremo.com/sementes-programacao/

Exposição do Arquivo EPHEMERA relativo ao 25 de Abril

Exposição “LIBERDADE (a SÉRIO). A Paz, O Pão, Habitação, Saúde, Educação pelo ARQUIVO EPHEMERA

Na Biblioteca Municipal do Barreiro | 22 abril às 11h00

 

 

A exposição que se realiza no âmbito das comemorações dos 48 anos do 25 de Abril e do Dia Mundial do Livro, tem como base cartazes artesanais de protesto da época.

A exposição abre as portas ao público em geral, oficialmente, apenas na manhã de 23 de abril e estará patente até 28 de maio, entre as 10h00 e as 20h00.

 

 

 

A exposição foi desenvolvida em parceria com o Arquivo EPHEMERA e com os Serviços de Biblioteca e Informação Documental da Universidade de Évora, podendo agora ser visitada na Biblioteca Municipal do Barreiro em toda a sua dimensão, imaginação e irreverência.

(…) “O protesto na rua, é um direito conseguido e consagrado na nossa Constituição, que nos leva ao exercício de liberdade e de imaginação. É uma forma de reivindicar os nossos direitos, de inscrever no espaço público intensidade e urgência, um desejo de transformar a sociedade. Como todos sabemos, nem sempre essa liberdade foi possível em Portugal, onde nos encontramos. Em muitos lugares, este direito ainda hoje é negado e punido com repressão e violência. Felizmente hoje, a liberdade conseguida no 25 de Abril, permite-nos ter voz e manifestarmo-nos com «liberdade a sério».

É nestes atos democráticos que são criados objetos simples e frágeis utilizados como armas, construídos muitas vezes no próprio momento, de papelão cortado ou rasgado e outros materiais dispensáveis (madeiras, tubos, estores), e onde se escreve a palavra de ordem, o slogan ofensivo, o poema irónico. Estes cartazes únicos são representativos das lutas por direitos e liberdades fundamentais e que nos identificam hoje tudo aquilo que nos move e une simultaneamente (…)”.

As ações de protesto são uma multiplicidade de vozes em diálogo, que nos confrontam com o nosso núcleo de princípios e valores. O improviso momentâneo, o ímpeto DIY, dá origem a peças de uma criatividade ímpar que aqui vão poder ser observadas.

10 de março | A biografia de Leal da Silva, entre química e minas, a paixão pelas fábricas

José Miguel Leal da Silva.jpg

Depois das biografias Luís Barbosa: Um Gestor com Alma de Artista e Vístulo de Abreu: O Primeiro Gestor Moderno de Portugal, a Fundação Amélia de Mello e a Nova School of Business & Economics (Nova SBE) apresentam agora, com a chancela da Guerra e Paz editores, José Miguel Leal da Silva: Entre Química e Minas.

O lançamento oficial da obra decorre no dia 10 de março, às 17h00, no Auditório Municipal Manuel Cabanas, no Barreiro. O evento, organizado pela Fundação Amélia de Mello, contará com a presença do presidente da Câmara Municipal do Barreiro, Frederico Rosa, de José Miguel Leal da Silva, da autora, de João de Mello, de Miguel Pina e Cunha e dos responsáveis da Fundação, da Nova SBE e da editora.

Neste terceiro livro da coleção «Histórias de Liderança», que nos dá a conhecer o percurso de grandes gestores portugueses, a jornalista Maria João Alexandre revela-nos a vida e obra de José Miguel Leal da Silva. Engenheiro químico, professor e gestor, revolucionou as técnicas de produção da Companhia União Fabril (CUF) do Barreiro, da qual foi diretor, deixando o seu legado nas indústrias química, mineira e metalúrgica. É também licenciado em Direito e tem um Mestrado em Antropologia. 

Com prefácio de João de Mello, presidente da Bondalti, e posfácio do professor e gestor Miguel Pina e Cunha, esta edição Guerra e Paz estará disponível na rede livreira nacional e nas plataformas de comercialização de ebooks, a partir do próximo dia 22 de fevereiro. 

 

Sobre a obra:

José Miguel Leal da Silva: Entre Química e Minas é uma biografia assinada pela jornalista Maria João Alexandre, que resulta de várias entrevistas e de uma vasta pesquisa. A obra apresenta-nos a história de José Miguel Leal da Silva, um engenheiro formado em Química Industrial na Universidade do Porto, que dedicou a sua vida à indústria. Já na infância e na adolescência, revelava a sua paixão por fábricas e amostras minerais. Primeiro brincando «às fábricas», depois explorando as minas dos conselhos da Feira, de Valongo e de Gondomar. 

Com prefácio de João de Mello, presidente da Bondalti, e posfácio do professor e gestor Miguel Pina e Cunha, esta obra mostra-nos como o biografado deixou a sua marca nas indústrias química, mineira e metalúrgica. Primeiro, contribuindo para a evolução tecnológica da produção de adubos nas fábricas da Companhia União Fabril (CUF) no Barreiro, para onde entrou em 1961 e da qual viria a ser diretor. Depois, na área de produção de ácido sulfúrico a partir de pirites e de enxofre, teve várias funções de liderança, deixando o seu legado na transição das unidades de câmaras de chumbo para as fábricas de contacto.

Tanto no grupo fundado pelo industrial português Alfredo da Silva como na QUIMIGAL e na Empresa Mineira e Metalúrgica do Alentejo, acompanhou o aproveitamento dos minérios do Alentejo, defendendo sempre projetos de coordenação entre a mina e a metalurgia.

José Miguel Leal da Silva: Entre Química e Minas é a terceira obra da coleção «Histórias de Liderança», que nos dá a conhecer a vida daqueles que contribuíram para definir a natureza da gestão em Portugal, para memória futura, e cujos livros são fruto de pesquisa e de múltiplas entrevistas com os biografados e outras figuras que com eles conviveram, juntando também relevante acervo fotográfico.

 

Sobre a FAM:

A Fundação Amélia de Mello, instituição de direito privado com estatuto de utilidade pública, surgiu em 1964, por iniciativa de D. Manuel de Mello, genro de Alfredo da Silva, em homenagem à sua mulher, para dar continuidade e reforçar a inovadora acção social do Grupo CUF – Companhia União Fabril, a qual se vinha desenvolvendo desde o início do século passado. O essencial da visão que a Fundação hoje assume aponta no sentido da valorização prioritária da educação e das instituições ligadas a esse sector e com as quais tem tido fortes aproximação e afinidades, sempre dentro do mais estrito rigor e no respeito da vontade do instituidor da Fundação, D. Manuel de Mello. Essa tradição do futuro, que norteia todas as actividades da Fundação, admite que é possível recolher as lições da história e projectar os exemplos de excelência do seu extraordinário passado.

GIRLS LIKE THAT e AS GUARDIÃS DA CARTA

a próxima sexta-feira, dia 11 de Fevereiro, às 21h30, as portas da sala de espectáculos do Teatro Municipal do Barreiro estão abertas para vos receber e vos apresentar 

GIRLS LIKE THAT.

De Evan Placey e encenação de Carina Silva. 

Seis jovens irão invadir o palco e captar a vossa atenção para vos contar a história de Scarlett. Estão preparados?

 

 

GIRLS LIKE THAT

de Evan Placey 

 

11 FEVEREIRO 2022

21h30 

No Teatro Municipal do Barreiro

 

Sessões às sextas e sábados, às 21h30

Reservas: 910 093 886 e/ou arteviva.reservas@gmail.com

Bilhetes à venda em Bol.pt

GIRLS LIKE THAT.jpg

Quando uma fotografia de uma rapariga nua, se torna viral através dos smartphones, os rumores espalham-se como um incêndio. A sua reputação é posta em causa, torna-se tóxica e ameaça quebrar a frágil união das raparigas com quem ela cresceu e que agora se confrontam com as suas próprias vulnerabilidades. Tudo fica exposto!

Scarlett torna-se o centro das atenções pelos motivos errados. Mas enquanto os boatos circulam e todos formam uma opinião, Scarlett fica, apenas, em silêncio...

Mas por quanto tempo pode Scarlett permanecer em silêncio?

E por que não é o mesmo para os rapazes?

Girls Like That é uma peça urgente e explosiva que explora a igualdade de género e as pressões sobre os jovens de hoje na passadeira do avanço da tecnologia.

GIRLS LIKE THAT.jpg

 

Autor Evan Placey | Tradução Ana Sofia Samora | Encenação Carina Silva

Interpretação Adriana Lopes, Carolina Lobato, Catarina Santana, Mariana Sardinha, Sara de Campos Estêvão e Sara Santinho 

Assistência Encenação Joana Pimpista | Cenografia João Pimenta | Figurinos Ana Pimpista | Música Fast Eddie Nelson | Luminotecnia João Júnior Oliveira | Operação Técnica Maria Inês Santos | Design Gráfico João Pimenta | Fotografia Vera Marmelo | Produção Executiva Catarina Santana | Apoio Cenográfico António Santinho | Apoio Geral João Henrique Oliveira        M/14

 

E AINDA:

No sábado, dia 12 Fevereiro, às 16h, AS GUARDIÃS DA CARTA começam a sua aventura.

Autoria e Encenação de Paula Gomes Magalhães.

Direção de Atores de Carina Silva.

AS GUARDIÃS DA CARTA

de Paula Gomes Magalhães

 

12 FEVEREIRO 2022

16h00

No Teatro Municipal do Barreiro

 

Sessões aos sábados, às 16h, e domingos, às 11h

Reservas: 910 093 886 e/ou arteviva.reservas@gmail.com

Bilhetes à venda em Bol.pt

AS GUARDIÃS DA CARTA.jpg

 

- Eu sou força, como os pescadores que dominavam ventos e correntes para trazer do rio o seu sustento!

- Eu sou velocidade, como o vento e as marés que faziam girar os moinhos!

- Eu sou astúcia, como os navegadores que desvendaram os segredos da terra e dos mares!

- Nós somos, as Guardiãs da Carta! Com velocidade, força e astúcia, protegemos a carta, para que o significado de outrora seja preservado através dos tempos!

- Pela carta, através dos tempos!

 

Carta, mas qual carta?

Há 500 anos o rei veio ao Barreiro para lhe conceder uma carta. Uma carta que o tornava vila, que o tornava independente.

Estava preso, o Barreiro?

Não estava preso, preso, mas a independência é uma coisa muito importante!

Com velocidade, força e astúcia, as guardiãs protegem a carta... para que o significado de outrora seja preservado através dos tempos. 

Pela carta, através dos tempos!

 

Autoria e Encenação Paula Gomes Magalhães| Direção Atores Carina Silva

Interpretação Carla Carreiro Mendes, Carolina Lobato e Catarina Santana

Cenografia João Pimenta | Figurinos Ana Pimpista | Música Fast Eddie Nelson | Canções Ana Lúcia Santos | Movimento e Coreografias Andreia Martins | Gravação e Mistura Sonora Miguel Lima | Luminotecnia João Júnior Oliveira | Operação Técnica Maria Inês Santos | Design Gráfico João Pimenta |  Vídeo e Fotografias de Promoção do Espetáculo Cláudio Ferreira | Produção Executiva Catarina Santana | Apoio Cenográfico António Santinho | Apoio Geral João Henrique Oliveira        M/6

 

SOIRÉE

SOIRÉE

Uma comédia de Jorge Cardoso e Ricardo Guerreiro

 

ARTEVIVA - SOIRÉE 21h30.jpg

 

Estreia: 17 SETEMBRO 2021

21h30 

No Teatro Municipal do Barreiro

 

Sessões às sextas e sábados, às 21h30

Reservas: 910 093 886 e/ou arteviva.reservas@gmail.com

Bilhetes à venda em BOL.PT

 

Este espetáculo surge na sequência de um convite da Câmara Municipal do Barreiro, a propósito da celebração dos 500 anos da atribuição da Carta de Vila ao Barreiro, por D. Manuel I, em 1521.

Mas é uma Carta de Vila ou um Foral?

São uns Jogos Florais?

É História ou divertimento?

É tramóia ou rambóia?

Crime político? Crime passional?

Onde nos levam os nossos sonhos?

Tudo se esclarecerá na soirée de uma coletividade barreirense, abrilhantada pelo conjunto musical “Os Lambujinhas”.

SOIRÉE: um sonho numa cidade dormitório.

 

88ª produção da ArteViva - Companhia de Teatro do Barreiro

 

Interpretação Alexandre Antunes, Ângela Farinha, António Pinto, Carla Carreiro Mendes, Gabriel Feijão, Gonçalo Cardoso, Manuela Ramos Félix, Miguel Amaral, Patrocínia Cristóvão, Ricardo Guerreiro, Rita Reis, Rodrigo Reis Pinto, Rui Félix, Rui Martins, Rui Quintas 

 

 

Autores Jorge Cardoso e Ricardo Guerreiro

Encenação Jorge Cardoso

Cenografia João Pimenta

Figurinos Ana Pimpista

Música de Cena e Canções Konacri (António Pinto, Gabriel Feijão, Gonçalo Cardoso, Miguel Amaral e Ricardo Guerreiro)

 

Assistente Encenação Catarina Santana | Movimento Andreia Martins | Construção Cenário António Santinho | Apoio Figurinos O Dedal| Apoio Adereços Alexandre Antunes, Manuela Ramos Félix, Ricardo Guerreiro e Rui Martins | Caracterização Manuela Ramos Félix | Luminotecnia João Oliveira Jr. | Operação Técnica Maria Inês Santos | Design Gráfico João Pimenta | Vídeo e Fotografias de Promoção do Espetáculo Cláudio Ferreira | Produção Executiva Catarina Santana | Apoio Geral João Henrique Oliveira | Agradecimentos a Catarina Fernandes (O Dedal) e Ricardo Carrajola (Gasoline)

9 de junho | APLSS inaugura exposição "Construção Naval - Arte como ofício de vida" | Dia Internacional dos Arquivos

Dia Internacional dos Arquivos – 9 junho

APLSS inaugura exposição “Construção Naval – Arte como ofício de vida”

Fotografias de José Manuel Arsénio

Divulgação.jpg

 

Os Portos de Lisboa, de Setúbal e de Sesimbra celebram o Dia Internacional dos Arquivos, que se assinala no próximo dia 9 de junho, com um conjunto de iniciativas e uma exposição subordinada ao tema “Construção Naval – Arte como ofício de vida”, a realizar-se no Arquivo dos Portos de Lisboa, Sesimbra e Setúbal (APLSS), no Barreiro.

 

A exposição contará com fotografias e um filme sobre a arte da construção naval em Sesimbra, do fotógrafo José Manuel Arsénio, antigo colaborador da APSS – Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra, e será inaugurada no APLSS no dia 9 de junho às 10h00, ficando patente ao público até final do mês de junho de 2021.

 

A partir do dia seguinte à inauguração e até 29 de junho, as visitas vão poder efetuar-se às terças e sextas, das 9h30 às 12h30 e das 14h00 às 17h00.

 

Juntamente com a exposição “Construção Naval – Arte como ofício de vida”, será proporcionada uma mostra de documentação e cartografia histórica, dedicada ao tema, com materiais que integram o acervo do Arquivo, com elementos relativos aos portos de Setúbal e de Lisboa.

 

A Câmara Municipal do Barreiro e o APLSS promovem um Ciclo de Dança, com início às 21h00 do dia 9 de Junho, nas instalações do Arquivo. Uma iniciativa, na área das artes e cultura, que conta com a participação de 4 grupos de dança, com coreografias de grupo e a solo.

 

 

Visite-nos em:

Arquivo dos Portos de Lisboa, Setúbal e Sesimbra: Rua 48, nº 1 Edifício Guadiana, Parque Empresarial do Barreiro: https://goo.gl/maps/4Rj27ggzdPQGPwEG7

https://www.arquivoportoslisboasetubalsesimbra.pt/biblioteca/,

https://www.portodelisboa.pt/

https://www.portodesetubal.pt/

 

ARTE URBANA LIVE NO BPLANET

 

STREET ART NO BPLANET “FAZ (P)ARTE”

kikko.jpg

 

Este Sábado é o dia em que a Arte invade o BPlanet e está disponível para todos os seus visitantes. Se em tempos víamos este tipo de arte urbana como parte de uma comunidade diferente e underground, hoje somos completamente invadidos pela sua beleza, mensagem e simbolismo. É como se já fizesse parte da nossa forma de olhar para a arte.  O centro comercial BPlanet, gerido pela AM alpha e a Multi Portugal, não quis ficar indiferente e lançou o repto a 5 artistas da região, altamente reconhecidos, para que durante 8 dias estejam LIVE, junto da comunidade, a fazer o que de melhor fazem: ARTE.

 

KIKKO, GROW, KETAM, SML CONCEPT e SARA ANDRADE são os nomes que vão realizar 5 murais artísticos nas paredes exteriores do Bplanet, de 25 de julho a 1 de agostonum evento apadrinhado pelo ator e apresentado Rui Unas. Este espaço vai ganhar outra vida e qualquer um de nós pode deslocar-se ao centro comercial para testemunhar de perto este trabalho.

O GATO DAS BOTAS

ArteViva - Companhia de Teatro do Barreiro tem o prazer de anunciar mais uma grande estreia!

Cartaz_Gato_botas.png

 

SÁBADO, dia 07 de Março, às 16h00 vamos conhecer a história do Gato mais famoso de todos os tempos! 

O GATO DAS BOTAS,  adaptação e encenação de Luís Pacheco.

As aventuras e desventuras de um pobre moleiro e do seu fiel amigo que, por sinal, é um gato inteligentíssimo! Uma viagem musical cheia de humor para toda a família! A não perder! 

 

 

Autor Charles Perrault | Adaptação e Encenação Luís Pacheco

Interpretação Catarina Santana, Joana Pimpista, João David e Vítor Nuno

Cenografia Alexandre Antunes | Figurinos Ana Pimpista |  Luminotecnia João Oliveira e Maria Inês Santos| Operação Técnica Maria Inês Santos | Design Gráfico Alexandre Antunes | Apoio Cenográfico António Santinho | Apoio Geral João Henrique Oliveira | Produção Executiva Catarina Santana   M/3

 

 

82ª produção da ArteViva – Companhia de Teatro do Barreiro

 

Carnaval das Escolas 2020 | Seis mil foliões desfilam no Barreiro sob o tema da “Sustentabilidade Ambiental”

cartaz_carnaval das escolas 2020.jpg

 

Tradição anual, os Desfiles de Carnaval das Escolas do Barreiro, agendados para os dias 20 e 21 de fevereiro, em vários locais sempre entre as 10h00 e as 12h00, envolvem, em 2020, seis milhares de crianças e jovens, pessoal docente, não docente, pais e encarregados de educaçãodas redes pública, privada e solidária, desde o jardim-de-infância à Universidade da Terceira Idadee restante comunidade. Este ano não será exceção. Assim, toda a Comunidade Educativa desfilará pelas ruas do Concelho mostrando uma miríade de máscaras e cores alusivas à “Sustentabilidade Ambiental”, tema inclusivo, proposto para o presente ano letivo, que dará oportunidade à livre escolha dos disfarces carnavalescos.

 

A 20 de fevereiro, terão lugar os desfiles nas freguesias do Barreiro, Santo André e Palhais. Em Santo António da Charneca, Alto do Seixalinho e Lavradio acontecerão no dia 21. Durante os desfiles, poderá haver condicionamentos de transito.

 

Os desfiles realizar-se-ão nos seguintes percursos:

20 de fevereiro

Santo André | Horário de partida: 10h00

Percurso: Inicia dentro da Escola Secundária de Santo André, percorre a Rua Afonso de Albuquerque e termina junto à EB Telha Nova 1.

 

Palhais | Partida: 10h00

Percurso: Inicia na Rua dos Monges, segue pela Rua dos Franciscanos, vira à direita para a Rua dos Espatários, onde termina.

 

Barreiro | Partida: 10h00

Percurso: Inicia na interceção entre a Rua Heliodoro Salgado e a Av. Alfredo da Silva, percorre esta última para, depois, virar à direita para a Rua Miguel Bombarda. Termina frente aos Paços do Concelho.

 

21 de fevereiro

Santo António da Charneca | Partida: 10h00

Percurso: Inicia na Rua 4 (frente à EB da Cidade Sol), segue para a Rua 6, vira à esquerda para a Rua 2, vira à esquerda para a Rua 3 e, seguidamente, à direita para a Rua 5. Termina junto à EB da Cidade Sol.

 

Lavradio | Partida: 10h00

Percurso: Inicia frente à Igreja do Lavradio, segue pela Av. Joaquim José Fernandes e vira para Rua D. Luís Furtado de Albuquerque. Termina no Largo do Mercado.

 

Alto Seixalinho | Partida: 10h00

Percurso: Inicia na interceção entre a Rua Dr. Manuel Pacheco Nobre e a Rua Bartolomeu Dias. Segue, depois, pela Rua Dr. Manuel Pacheco Nobre e vira para a Rua José Augusto Pimenta. Termina da Praça Paulo VI.

 

B