Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

1º Festival de Cinema Documental de Braga | Iniciativa envolve mais de 3500 alunos em idade escolar para promover a alfabetização através da Sétima Arte

José Teixeira (dstgroup)- Dobra.jpg

 

DOBRA decorre no Espaço Vita, conta com o dstgroup como mecenas e apoio do Porto/Post/Doc

FESTIVAL DE CINEMA DOCUMENTAL DE BRAGA

Realiza-se nos dias 25 e 26 de novembro

*Cariz essencialmente pedagógico para combater o analfabetismo das imagens

 *Iniciativa envolve mais de 3500 alunos da cidade

 

DOBRA é o nome do Festival de Cinema Documental de Braga, que decorre pela primeira vez, em Braga, entre os dias 25 e 26 de novembro, numa iniciativa promovida pela equipa do Plano Nacional de Cinema do Agrupamento de Escolas Carlos Amarante (PNC-AECA), em colaboração com o Espaço Vita e com mecenato do dstgroup.

Com programação maioritariamente dedicada ao público escolar, desde o Jardim de Infância ao Ensino Secundário, o DOBRA destaca-se por ser um festival de cinema diferenciador com uma missão essencialmente pedagógica, que se propõe trabalhar a alfabetização através do cinema, combatendo assim o analfabetismo das imagens. Para além disso, oferece uma programação diversificada e segmentada para diversas tipologias de público, visando assim aproximar pedagogicamente todos os públicos da sétima arte.

A programação desta primeira edição conta com a assinatura do Porto/Post/Doc, cuja experiência na organização de eventos de promoção de cinema documental é já sobejamente reconhecida.

O evento decorre durante dois dias no Espaço Vita e prevê a exibição gratuita de nove sessões de cinema, oito para o público escolar e uma para o público, em geral. Para além dos alunos do AECA, a iniciativa estende-se também aos estudantes dos agrupamentos de Escolas Francisco Sanches e Sá de Miranda, assim como aos alunos da Escola Artística Conservatório de Música Calouste Gulbenkian de Braga. No total, um universo de 3600 alunos da cidade de Braga terão a possibilidade de participar nesta iniciativa, que se destina a aproximar este público do cinema, através da divulgação de obras cinematográficas nacionais previstas no programa do Plano Nacional de Cinema.

DOBRA com programação variada para crianças em diferentes idades escolares

No dia 25, a partir das 9h30, os alunos do 2º ciclo terão a oportunidade de assistir a uma programação variada, que inclui a exibição de filmes como DvaTramvaya", de Svetlana Andrianova, "Le Renard Minuscule", de Aline Quertain, SylwiaSzkiladz, "Le Lion Et Le Singe", de Benoit Feroumont, "Snowflake", de Natalie Chernysheva, "Paniek!", de Joost Lieuwma e Dann Velsink, "The Bird & The Whale", de Carol Freeman, "Hors Piste", de Léo Brunel, Loris Cavalier, Camille Jalabert e OscarMalet, e "VivatMusketeers!", de Anton Dyakov.

Às 11h30, cabe ao público do pré-escolar e do 1º Ciclo assistir, no Espaço Vita, aos filmes "Coucouleurs", de Oana Lacroix, "SamsDream", de Nolween Roberts, "Le Tigre SansRayures", de Raul Robin Morales Reyes, "Sloth", de Julia Ocker, e "La Petite Pousse", de Chaitane Conversat.No dia 26, de manhã, o DOBRA é dedicado aos alunos do 3º Ciclo com uma programação que contempla obras como "Viagem a Cabo Verde", de José Miguel Ribeiro, "Kali, O Pequeno Vampiro", de Regina Pessoa, "Água Mole", de Alexandra Ramires (Xá) e Laura Gonçalves, "Gambozinos", de João Nicolau, "Russa", de João Salaviza e Ricardo Alves Jr.

"Transnistra", de AnnaEborn, em Competição na edição de 2019 do Porto/Post/Doc 2019, é o filme escolhido pela organização para os alunos do ensino secundário, com exibição dupla prevista para as tardes de segunda e terça-feira, às 14 e às 16 horas.

No último dia do DOBRA, a organização promove uma sessão gratuita aberta ao público convidando a assistir ao filme "Hamada", de Eloy Domínguez Serén, vencedor do Prémio Companhia das Culturas/Fundação Pereira Monteiro para o melhor realizador da Competição Internacional entre autores emergentes do Porto/Post/Doc 2018.

 As sessões decorrem no auditório do Espaço Vita, no coração da cidade, um espaço cultural da Arquidiocese de Braga, que, ao longo dos últimos anos, tem acolhido e promovido diversos eventos culturais, entre os quais se destacam alguns ciclos de cinema, no sentido de educar para os valores e abrir, desde tenra idade, os horizontes do pensamento, razão pela qual a co-organização do DOBRA é mais um contributo que o Espaço Vita presta à comunidade escolar na área do cinema documental.

Para o Presidente do Conselho de Administração do dstgroup “há muito tempo que aguardamos a oportunidade de apoiar um projeto de cinema, de documentário ou de curtas. O desafio já havia sido feito pelo Espaço Vita. Precisávamos de um encontro celeste. O Agrupamento de Escolas Carlos Amarante fez-nos o desafio e a conexão franca do Espaço Vita e do Reverendíssimo D. Jorge Ortiga fez o resto. É uma arte complementar às artes que apoiamos. O público alvo, jovens estudantes interessa-nos. Estão criadas as condições para mais um grande evento cultural em Braga apoiado pelo dstgroup”.

Com esta iniciativa a organização e os parceiros do evento contribuem assim para a promoção e disseminação do programa de literacia para o cinema previsto pelo Programa Nacional de Cinema, que pretende estimular a divulgação de obras cinematográficas nacionais junto do público escolar e garantir instrumentos essenciais, leitura e interpretação de obras cinematográficas junto dos alunos das escolas abrangidas pelo programa.

Bailado 'O Primo Basílio' | Baseado na obra de Eça de Queiros

O PRIMO BASÍLIO
 
Bailado baseado na obra homónima de Eça de Queiros
 
Theatro Circo, Braga | 11 Janeiro 2020

view.png

 

 

‘O Primo Basílio’, uma das mais notáveis obras literárias de Eça de Queirós é, a partir de agora, um bailado em II atos, graças à iniciativa do coreógrafo Fernando Duarte e da bailarina e docente Solange Melo. As fascinantes personagens criadas pelo escritor, aliadas ao seu estilo único e inconfundível, constituíram o ponto de partida para um espetáculo de dança que se pretende intenso, dramático e transversalmente cativante.

Incorporando uma linguagem que alia a estética neo-clássica à dança contemporânea, ‘O Primo Basílio’ alude assim à reinvenção da fórmula de bailado narrativo, aliando à criação coreográfica um desenho cénico de cariz minimalista.

Deste modo, o romance transcende a fronteira literária, fazendo despertar o interesse em descobrir a obra de Eça de Queiroz e valorizando também o património musical português, através de um suporte musical com base nas obras de Luis de Freitas Branco e de Fernando Lopes Graça.

Assentando na relação entre a narrativa literária e a dança, o projeto de bailado para ‘O Primo Basílio’ foi também idealizado tendo em vista o desenvolvimento de uma residência em contexto escolar, onde o romance surgisse como elemento catalisador da aproximação artística à dança enquanto prática e expressão artística preenchendo, deste modo, uma lacuna visivelmente existente entre o texto escrito e a dança.

Através da residência artística em contexto escolar visa promover-se o encontro entre alunos e professores, por intermédio de um programa de ação prática em que bailarinos e coreógrafo desenvolvem, em conjunto com os docentes do ensino regular, um trabalho de exploração espontânea do movimento coreografado.

Pretende-se, desta forma, ampliar o papel da formação artística como elemento fundamental para uma educação que abranja o desenvolvimento do aluno na sua plenitude.

 
 

zet gallery | "Palimpsestos" reúne seis artistas à volta dos temas maternidade, trabalho, sexualidade e pós-colonialismo

Exposição aborda temas como maternidade, trabalho, sexualidade e pós-colonialismo

 “PALIMPSESTOS” ATÉ 16 DE NOVEMBRO

NA ZET GALLERY EM BRAGA

RicardodeCampos.jpg

 

A zet gallery, em Braga, tem patente até ao dia 16 de novembro, a exposição coletiva “PALIMPSESTOS”.  Sara Maia, Jorge Abade, Hélio Luís, Patrícia Oliveira, Ricardo de Campos e Monica Mindelis são os artistas convidados desta exposição que aborda, através da  pintura, desenho, escultura, instalação, vídeo e performance os artistas, temas como “a maternidade, o trabalho, a sexualidade, o pós-colonialismo e a visão do outro”, como refere Helena Mendes Pereira, curadora da galeria.

PALIMPSESTOS - que significa, no grego antigo original, “reescrever, raspar e escrever por cima” - é um discurso expográfico que permite e promove contágios entre protagonistas e propõe reflexões cruzadas sobre questões filosóficas e existenciais macro, mas que, “na tendência de vermos o mundo a partir do nosso próprio umbigo, nos parecem de micro escala, apenas nossas, esquecendo-nos que somos a ínfima parte de um todo plural e brutal”. É uma exposição que parte de uma seleção de artistas percorrem caminhos da figuração, partem de referenciais filosóficos próximos e, em simultâneo, opostos. “Deve ser lida com um todo de várias partes e, sobretudo, como um grito pela emancipação da verdade invertida que, desatentos, todos ajudamos a proliferar”, conclui a curadora da zet gallery.

A exposição pode ser visitada de segunda a sábado, entre as 14 e as 19 horas. A entrada é livre. Todas as obras de arte estão também disponíveis em www.zet.gallery

zet gallery

A zet gallery é um espaço físico de características excecionais, situado no centro de Braga, com uma área de exposição de 800 m2, distribuída por diferentes salas, apoiadas por um pequeno auditório, sala para a realização de oficinas de artes plásticas e outros espaços de apoio, onde se incluem áreas de reservas, devidamente equipadas para acondicionar obras de arte.

Horário da galeria: 14h00 às 19h00, de segunda-feira a sábado. Outros horários disponíveis por agendamento

Morada: zet gallery, Rua do Raio 175,  4710-923 Braga | www.zet.gallery

 

zet gallery inaugura "Palimpsestos" com ritual performativo | sábado, às 16 horas | Seis artistas à volta de temas como maternidade, trabalho, sexualidade e pós-colonialismo

Exposição aborda temas como maternidade, trabalho, sexualidade e pós-colonialismo

ZET GALLERY INAUGURA “PALIMPSESTOS”

COM RITUAL PERFORMATIVO

Convite.jpg

 

A zet gallery, em Braga, inaugura no próximo sábado, dia 28 de setembro, às 16 horas,  a exposição coletiva “PALIMPSESTOS”, processo estético de experiências e (in)verdades da pós-modernidade. Através da  pintura, desenho, escultura, instalação, vídeo e performance os artistas Sara Maia, Jorge Abade, Hélio Luís, Patrícia Oliveira, Ricardo de Campos e Monica Mindelis abordam temas como “a maternidade, o trabalho, a sexualidade, o pós-colonialismo e a visão do outro”, como adianta Helena Mendes Pereira, curadora da galeria.

A inauguração inicia-se com a estreia de uma performance concebida propositadamente para este momento e que tem como objetivo propor aos presentes uma espécie de purga ou purificação. Em “Aloe Vera Medicinal Performance”, a artista Patrícia Oliveira recupera práticas relacionada com a troca e mudas de plantas, uma prática em desuso que permitiu que muitas plantas vingassem até aos dias de hoje. O aloe vera, planta medicinal a que estão associadas propriedades medicinais, antioxidantes e desintoxicantes, será assim o protagonista desta performance, que convidará o público presente a um rito de purificação, mesmo antes de partirem para a descoberta e desconstrução de PALIMPSESTOS ou, como destaca a curadora, limpos e livres de pré-conceitos estamos preparados para entrar no cubo branco.”

Patente até ao dia 16 de novembro, PALIMPSESTOS - que significa, no grego antigo original, “reescrever, raspar e escrever por cima” - é um discurso expográfico que permite e promove contágios entre protagonistas e propõe reflexões cruzadas sobre questões filosóficas e existenciais macro, mas que, “na tendência de vermos o mundo a partir do nosso próprio umbigo, nos parecem de micro escala, apenas nossas, esquecendo-nos que somos a ínfima parte de um todo plural e brutal”. É uma exposição que parte de uma seleção de artistas percorrem caminhos da figuração, partem de referenciais filosóficos próximos e, em simultâneo, opostos. “Deve ser lida com um todo de várias partes e, sobretudo, como um grito pela emancipação da verdade invertida que, desatentos, todos ajudamos a proliferar”, conclui a curadora da zet gallery.

A exposição pode ser visitada de segunda a sábado, entre as 14 e as 19 horas. A entrada é livre. Todas as obras de arte estão também disponíveis em www.zet.gallery

zet gallery

A zet gallery é um espaço físico de características excecionais, situado no centro de Braga, com uma área de exposição de 800 m2, distribuída por diferentes salas, apoiadas por um pequeno auditório, sala para a realização de oficinas de artes plásticas e outros espaços de apoio, onde se incluem áreas de reservas, devidamente equipadas para acondicionar obras de arte.

Horário da galeria: 14h00 às 19h00, de segunda-feira a sábado. Outros horários disponíveis por agendamento

Morada: zet gallery, Rua do Raio 175,  4710-923 Braga | www.zet.gallery

 

Nova Arcada Braga Blues volta a encher a cidade de música

3c2c5614713d2fa20069a2647c14db89.png

 

 

O Nova Arcada Braga Blues volta a dar música e vida à cidade de Braga! Com o apoio do Nova Arcada, o festival regressa à cidade que o acolhe desde 2017, de 29 de setembro a 11 de outubro. Esta iniciativa é resultado da ligação de Budda Guedes e Micha Rudowski a este conhecido estilo musical, estando a programação e produção do festival internacional de Blues a cargo da Editora Mobydick Records.

Entre concertos, workshops, entrevistas, momentos de dança e Jam Sessions, este festival pretende celebrar o Blues nas várias facetas que apresenta, não fosse este um estilo universal e reconhecido internacionalmente. Fruto da fusão de culturas europeias e africanas e muito bem acolhido em todo o mundo, o género musical merecia há muito um festival que o celebre! Feito em Braga e para Braga, o Nova Arcada Blues é um dos mais extensos festivais de Blues do país.
Durante 13 dias, são 20 os eventos que ocorrem em diferentes espaços distribuídos pela cidade. Concertos nacionais e internacionais, uma entrevista e 6 Workshops desdobram-se entre múltiplos locais emblemáticos de Braga.

Vaudeville Rendez-Vous “enche” cidades minhotas com circo contemporâneo

Evento: Vaudeville Rendez-Vous

Local: V.N. Famalicão, Braga, Barcelos, Guimarães

Dias: Até 27 de julho

Vaudeville_Sigma©RodPenn.jpg

 

Após o espetáculo de abertura de ontem – a estreia de “A Simple Space” do grupo Gravity & Other Myths –, o Vaudeville Rendez-Vous regressa hoje às cidades de Braga, Guimarães, Barcelos e Famalicão. O mais influente festival de circo contemporâneo do norte do país apresenta uma programação diversificada, com 40 atividades públicas – 28 apresentações de 13 espetáculos programados, dos quais três coproduções, em estreia absoluta e seis estreias nacionais –, a decorrer até sábado, dia 27. Todas os espetáculos e atividades são gratuitas.

Hoje, às 22h00, em Barcelos, Elvis Mendes – vencedor da primeira Bolsa de Criação do Festival, atribuída no ano passado – apresenta “A Fábrica da Mentira”, uma estreia absoluta. À mesma hora, mas em Braga, o grupo inglês Gandini Juggling estreia o espetáculo “Sigma”, um diálogo entre os mundos do malabarismo, da música e da dança clássica indiana. Durante os restantes dias do Festival há mais espetáculos a não perder, como “Augustus”, de Jonathan Frau e Jorge Lix, amanhã, às 19h00, em Famalicão; ou “Um belo dia”, de Dulce Duca, dia 27, às 11h00, em Barcelos. É, ainda, possível, participar nas oficinas de circo e assistir às restantes propostas da edição deste ano do Vaudeville Rendez-Vous.

 

Vaudeville Rendez-Vous "abre" sexta edição com estreia nacional

Amanhã, quarta-feira, em Barcelos, às 22h00

Vaudeville_Zoog©Santiago Barreiro.jpg

 

 

Entre 24 e 27 de julho, o mais influente festival de circo contemporâneo do norte do país apresenta mais de 40 atividades gratuitas no Minho

 

É já amanhã, quarta-feira, que arranca a sexta edição do mais influente festival de circo contemporâneo do norte do país, com a estreia de “A Simple Space”, do grupo australiano Gravity Others Myths. O momento está agendado para as 22h00, no Largo da Porta Nova (Chafariz), em Barcelos. Este é apenas o primeiro espetáculo dos quatro dias do evento que decorre em simultâneo nas cidades de Vila Nova de Famalicão, Braga, Guimarães e Barcelos, entre 24 e 27 de julho.

 

Criado e organizado pelo Teatro da Didascália, o Festival Vaudeville Rendez-Vous apresenta o melhor do que se tem produzido a nível nacional e internacional do circo contemporâneo, através de uma vasta programação. No total, vão ser mais de 40 atividades públicas – nomeadamente, 28 apresentações de 13 espetáculos, dos quais três coproduções, em estreia absoluta, e seis estreias nacionais – a marcar a programação. Em paralelo, decorrem atividades complementares, como três oficinas, um showcase, um laboratório de criação para o circo contemporâneo e um debate sobre as redes de cooperação artística.

 

Estreias nacionais marcam a programação de Vaudeville

Além da estreia nacional do espetáculo inaugural desta sexta edição, o Vaudeville recebe “Sigma”, do grupo inglês Gandini Juggling, com a “deslumbrante” bailarina e coreógrafa especializada na dança clássica indiana Betaatanatyam, Seeta Patel. A celebrar o diálogo entre os mundos do malabarismo, da música e da dança clássica indiana e a confirmar “a ideia de que o Brexit não é senão um grande equívoco”, “Sigma” – composto apenas por mulheres – pode ser visto no dia 25 de julho, às 22h00, em Braga; e no dia 27 de julho, às 22h00, em Guimarães.

 

O par de acrobatas Amir and Hemda estreia “Zoog”, um jogo de amor e ódio que representa a história íntima do casal, com os seus altos e baixos, intimidade, e a alegria inerente à construção de todas as relações. O espetáculo vai ser apresentado em Guimarães, no dia 25 de julho, às 19h00, mas pode ainda ser visto em Barcelos, no dia 26, às 19h00; em Braga, dia 27, às 11h00; e em Famalicão, dia 27, às 19h00.

 

A completar as estreias nacionais do Festival Vaudeville Rendez-Vous está o espetáculo “Pelat”, de Joan Català – performance original que combina dança, teatro e circo – e “Furieuse Tendresse”, de Cirque Exalté, um espetáculo que expressa a intensidade da vida e do instante. O primeiro vai ser apresentado em Famalicão, no dia 25; em Guimarães, no dia 26; e em Barcelos, no dia 27, todos às 19h00. O segundo, do grupo francês, pode ser visto no dia 25, em Famalicão, às 22h00; no dia 26, às 22h00, em Barcelos; e em Braga, no dia 26, às 19h00.

 

Vaudeville apresenta Bolsa de Criação e outras coproduções

Após a atribuição, no ano passado, da primeira Bolsa de Criação a Elvis Mendes, aluno finalista do INAC, o Festival Vaudeville recebe este ano em estreia absoluta o resultado da parceria. “Fábrica da Mentira” estreia-se em Barcelos, no dia 25 de julho, às 22h00, e pode ser visto, ainda, em Famalicão, no dia 26, às 22h00. O Festival é, ainda, coprodutor da peça “Angustus”, do francês Jonathan Frau e do português Jorge Lix. A estreia está marcada para dia 26 de julho, em Vila Nova de Famalicão, às 19h00, e será apresentada ainda no dia 27, em Guimarães, às 11h00.

 

A completar o eixo da Inovação Artística, o festival é também palco da apresentação da criação coletiva do Instituto Nacional de Artes do Circo (INAC). Com direção de Roberto Magro, os alunos da primeira instituição de formação circense do norte do país apresentam a sua criação “Before The Rain”, no dia 25 de julho, às 22h00, em Guimarães. Dia 27 de julho, às 22h00, poderá ser visto em Braga.

 

O Vaudeville Rendez-Vous – reconhecido pelo júri internacional do Europe For Festivals/Festivals For Europe, com o selo EFFE Label 2019-2020 – tem como missão a sensibilização da comunidade para as artes circenses e a formação de novos públicos. O Festival integra, ainda, as redes europeias CircusNext e Circostrada que impulsionam a internacionalização da cultura e dos artistas portugueses. A última edição daquele que é considerado o mais influente festival de circo contemporâneo do país reuniu mais de 15 mil pessoas em Braga, Guimarães e Vila Nova de Famalicão e contou com mais de 60 artistas portugueses e internacionais.

 

Programação Festival Internacional Vaudeville Rendez-Vous 2019: http://bit.ly/2Sl4xxU

O Festival Internacional Vaudeville Rendez-Vous – criado pelo Teatro da Didascália, companhia de Vila Nova de Famalicão –  assinala em 2019 a sua sexta edição e decorre nos espaços públicos de Vila Nova de Famalicão, Braga, Guimarães e Barcelos, com o apoio dos respetivos municípios. O Festival tem como objetivo promover a valorização da criação nacional nas áreas do circo contemporâneo, teatro físico e formas transdisciplinares. O projeto é cofinanciado pelo Programa Operacional Regional do Norte, Norte 2020, através do Portugal 2020 e do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER).

HUGO SOUSA TEM NOVA TOUR

d77b0876-eb2a-42ee-965f-8ea1030bd981.png

 

Hugo Sousa está de volta aos palcos para mais uma tour pelo país! O comediante do norte apresenta o seu novo solo de stand-up comedy, "Fora Do Contexto".

Depois do sucesso da última tour, Maturado, Hugo Sousa regressa aos palcos com o seu humor de observação e muito storytelling. Segundo Hugo, toda a gente se depara com situações caricatas, mal-entendidos e embaraços, porque alguém está Fora do Contexto… Assim é esta tour, uma viagem por esses momentos. 

A tour tem início em Viseu a 3 de Outubro e arranca depois para Almada, dia 10, Porto a 16 de Outubro seguido de Coimbra, Braga e Lisboa a 29 de Outubro no Teatro Villaret. Em Novembro, “Fora Do Contexto”, vai passar pelo Estoril, Leiria, Guimarães, Aveiro e termina em Londres dia 17. 

O espectáculo está marcado para as 22h. Os bilhetes já estão à venda na Ticketline e custam entre 12 a 16 euros.

zet gallery: Escultura Volker Schnüttgen e pintura de Domingos Loureiro | Exposição de entrada livre | até 29 de junho

Escultura de Volker Schnüttgen e pintura de Domingos Loureiro

 

DIÁLOGO(S) COM UM UNIVERSONAUTA

EM EXPOSIÇÃO NA ZET GALLERY

zetgallery.jpg

 

A zet gallery, em Braga, apresenta até dia 29 de junho "DIÁLOGO(S) COM UM UNIVERSONAUTA", um exercício curatorial que reúne obras de Volker Schnüttgen e Domingos Loureiro.

 

Mais do que uma exposição, “DIÁLOGO(S) COM UM UNIVERSONAUTA” é, de acordo com Helena Mendes Pereira, curadora da galeria, “um encontro e um exercício curatorial de contágio conceptual entre as produções artísticas de Volker Schnüttgen e Domingos Loureiro, entre as suas esculturas e pinturas (respetivamente)”. As ligações que estas trazem da natureza e as que estabelecem com um processo de pensamento sobre o Homem  despertam, de acordo com a curadora, “o apelo da fuga para a frente, para o cosmos dos nossos delírios, voltando ao sonho de criança de sermos astronautas e podermos flutuar no universo enquanto observamos a vida na Terra com a distância dos sábios.”

 

O nome da exposição parte de uma obra de arte de Costa Pinheiro (1932-2015), percursor da integração de práticas conceptuais que marcaram a conjuntura de rutura artística de 1960/70. Segundo a curadora da zet gallery, “as suas palavras e a irreverência proporcionaram o mote para o casamento entre os dois artistas, que resulta na emergência da madeira-suporte da obra de arte e que combina as dimensões do vídeo e da performance, com a das possibilidade de pintura”.

 

Em DIÁLOGO(S) COM UM UNIVERSONAUTA, Habitat,de Volker Schnüttgen, artista que integra a coleção de obras de Arte do dst group, proporciona um cenário feito de objetos escultóricos de madeira de carvalho que vertem a identidade plástica de um artista que, desde 1993, escolheu Sintra como local de residência fixa. Cada escultura de Habitat tem um universo interior para ser descoberto pelo espetador, “como se a respiração e a alma das árvores contivessem a senda dos nossos quereres e não quereres. Poderiam ser esculturas falantes ou a natureza a indagar, mas é antes a multidisciplinaridade da proposta artística que faz o objeto integrar um monitor e uma coluna que servem de palco virtual à dança”.

 

Por sua vez, Domingos Loureiros apresenta quatro séries de trabalhos - Blind Lanscape, Landscape_Body_Landscape,  Manmade Landscape e Building Utopia - e, ainda, a obra Visible, non visible landscape, que não sendo pertença de nenhuma das séries, cruza as fases Blind e Manmade Landscapes. As obras em exposição correspondem a uma visão antológica do seu percurso e representativas das diversas fases da sua carreira, ainda que a maior parte das produções artísticas sejam resultado de criação recente ou recuperações de processos inacabados.

 

A exposição é de entrada livre. Todas as obras de arte estão também disponíveis em www.zet.gallery

 

SERRALVES // DE 05 JUN A 19 JUN 2019 // INOVDESIGN EM ROADSHOW A PROMOVER O DESIGN NACIONAL

INOVDESIGN 2019 - ROADSHOWS

de 05 JUN a 19 JUN 2019

 

LOCAIS E DATAS: Viana do Castelo (5 jun), São João da Madeira (6 jun), Braga (12 jun), Guimarães (13 jun), Vila Nova de Famalicão (18 jun) e Paredes (19 jun).

 

Através de várias iniciativas entre as quais workshops, seminários, prémios e publicações, o projeto INOVDESIGN pretende realçar a importância do design na economia e o valor acrescentado da sua inserção nas cadeias de produção das empresas, assente em fatores de diferenciação como o marketing, as marcas e os modelos de negócios inovadores.

 

Deste modo, a Fundação de Serralves desenvolveu um conjunto de iniciativas agrupadas em três áreas de ação: CRIAR, CAPACITAR E INFORMAR.

 

A ação INFORMAR compreende o estudo, divulgação e partilha dos resultados das ações anteriores, nomeadamente dos workshops, seminários, concursos e prémio.

 

Para além destas ações, realizam-se agora seis ROADSHOWS com vista à sensibilização e dinamização dos setores industriais abordados, tendo em conta a sua atividade e metodologias.

 

Os ROADSHOWS terão lugar em seis cidades da Região Norte do país e pretendem informar e sensibilizar o respetivo tecido empresarial através da partilha e disseminação de boas práticas e metodologias, na adoção de modelos de negócio inovadores, e em que o design assuma um papel preponderante e diferenciador para o seu sucesso.

 

ROADSHOWS:

Programa geral: https://tinyurl.com/y26qaaro

 

Viana do Castelo | 5 Junho | 14h30

Biblioteca Municipal de Viana do Castelo 

Participantes: Lislei | Viarco | Vicara | Larus

 

  1. João da Madeira | 6 Junho | 14h30

Oliva Creative Factory  

Participantes: Wewood | Digitalab | Iduna | Ayres Gonçalo

 

Braga | 12 Junho | 14h30

GNRATION 

Participantes: Lislei | Patachou | Bullseye | Ikea Industry

 

Guimarães | 13 Junho| 14h30

ACIG - Salão Nobre 

Participantes: Wewood | The Board | Madre Loves Objects | Ikea Industry

 

Vila Nova de Famalicão | 18 Junho | 14h30

Fundação Cupertino de Miranda - CPS

Participantes: Lislei | Lobo Marinho | OPO Lab | Ikea Industry

 

Paredes | 19 Junho | 14h30

Casa de Cultura de Paredes

Participantes: Wewood | Mishmash | Rui Tomás | Ikea Industry

 

O projeto INOVDESIGN, promovido pela Fundação de Serralves, conta com a colaboração da ACIF - Associação Comercial e Industrial de Vila Nova Famalicão; da AEP - Associação Empresarial de Portugal, Câmara de Comércio e Indústria; da Associação Empresarial da Póvoa de Varzim; da AIMMAP - Associação dos Industriais Metalúrgicos Metalomecânicos e Afins de Portugal; da ANJE - Associação Nacional de Jovens Empresários; da APICCAPS - Associação Portuguesa dos Industriais de Calçado, Componentes, Artigos de Pele e seus Sucedâneos; da APIMA- Associação Portuguesa das Indústrias de Mobiliário e Afins; da ATP - Associação Têxtil e Vestuário de Portugal; da ESAD - Escola Superior de Artes e Design e da Fundação da Juventude

 

A participação nos ROADSHOWS é gratuita.

A inscrição deverá ser feita através do e-mail info@inovdesign.pt

Mais informações em www.inovdesign.pt