Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

The Oitavos recebe exposição inspirada no mar da artista Michele Silva

Pintura a óleo_Michele Silva.JPG

O hotel de cinco estrelas The Oitavos recebe, a partir de 23 de junho, a
exposição "Seascapes" da artista luso-americana Michele Silva. Patente no
lobby do hotel até ao dia 17 de julho, a exposição reúne vários quadros
pintados a óleo inspirados na relação da artista com o mar.

 

"Há alguns anos, tive uma aventura. Era um dia de Inverno chuvoso e fresco,
e ainda ninguém estava na água. A minha amiga, uma instrutora de surf,
tinha-me convidado para me juntar a ela, e chegou à praia com um fato de
mergulho e uma prancha de reserva para mim. O primeiro desafio era meter o
meu corpo dentro daquele fato de mergulho. O segundo era a própria prancha,
que também era pesada para mim. Fomos para a água e sentadas em cima da
prancha de surf, as ondas passaram por cima de mim. Chegou o momento em que
as minhas pernas balançaram e eu fiquei de pé. Sucesso! Segundos depois, o
oceano engoliu-me. Com essa experiência, o mar ganhou uma outra perspectiva,
o ponto de vista do surfista. "Seascapes" é uma exposição de algumas das
pinturas a óleo que tenho feito desde esse dia, inspirada pelo meu novo
respeito, admiração e um pouco de medo do oceano, que sempre me inspirou a
pintar", explica Michele Silva.

 

Localizado a poucos quilómetros da praia do Guincho, o hotel The Oitavos tem
uma forte ligação com o mar e o surf, desde a sua origem. O hotel reúne as
condições perfeitas para a prática desta modalidade, com amplos espaços
interiores convenientes para o material usado pelos surfistas e com uma
forte omnipresença do mar que se avista de quase todos os lados do hotel.

 

De design contemporâneo, o The Oitavos foi desenhado e concebido pelo
artista e arquiteto português José Amaral Anahory. A relação com a arte é
notória a quem visita o hotel: a decoração simples e elegante é
complementada por diversas obras de arte, que conferem vida e personalidade
aos ambientes. Em todos os quartos existem também pinturas contemporâneas de
artistas portugueses.

 

Artistas plásticos unidos contra a fome em exposição solidária no Casino Estoril

REFOOD-Cascais-ExpoSolidaria-LUX_stories_1080x1920

Com o apoio da Galeria de Arte, o Casino Estoril acolhe, de 19 a 22 de Maio, uma exposição solidária intitulada “Dar a Mão com Arte”. Esta mostra colectiva reúne um conjunto de obras de 22 artistas plásticos, nas modalidades de pintura e escultura, que poderão ser adquiridas por preços muito apelativos. A receita das vendas das obras revertem parcialmente para o núcleo de Cascais da Refood. Com entrada gratuita, a não perder, das 17h00 às 23h00.

 

“Dar a Mão com Arte” distingue-se pelos contributos dos artistas Add Fuel (Diogo Machado), Aida Sousa Dias, Alfredo Luz, Antonieta Roque Gameiro, Branislav Mihajlovic, Carlos Ramos, Cristina Rocha Leiria, David Levy Lima, Diogo Navarro, Filipa Oliveira Antunes, Filipe Curado, Gustavo Fernandes, João Feijó, João Puig, Mariola Landowska, Nuno Sousa Mendes, Paul Mathieu, Paulo Ossião, Pedro Castanheira, Rogério Timóteo, Rui Carruço e Silvia Correia.

 

A receita das obras vendidas será dividida entre os artistas plásticos e o núcleo de Cascais da Refood, que apoia, actualmente, 86 famílias a quem garante uma refeição diária, num total de 216 beneficiados.

 

Refood é uma organização fundada em Portugal em 2011 por Hunter Halder com o objetivo de combater o desperdício alimentar. O lema desta organização, com núcleos espalhados pelo país, é "aproveitar para alimentar", criando uma ponte humana que liga quem tem uma sobra diária a quem tem uma necessidade diária. Mais informações em https://www.re-food.org/pt.

 

Distinguido com o certificado “Clean & Safe” do Turismo de Portugal, o Casino Estoril abre às 15h00 e encerra às 03h00. O acesso é livre, sendo que a partir das 22 horas, é para maiores de 14 anos, e maiores de 10 anos acompanhados pelos pais. Nas áreas de Jogo é para maiores de 18 anos.

Conferência -Deuses egípcios 5: Hórus e Hathor

descarregar (5).jpg

Recordatório
CONFERÊNCIA

| DEUSES EGÍPCIOS
HÓRUS E HATHOR|

por JOSÉ CARLOS FERNÁNDEZ


CONFERÊNCIA - 17 março de 2022 às 19.30H



Ciclo de Conferências: «DEUSES EGÍPCIOS»

«Hórus é, juntamente com Ísis e Osíris, o deus mais importante do Egipto, até ao ponto dos Faraós governarem em seu nome. E quando um Faraó morria e começava a reinar o seguinte, fazia-se a cerimónia de passagem do Ka de Hórus, para que pudesse exercer o seu governo com lagalidade e justiça, sendo o representante de Deus na terra de Kem. É também símbolo da luz solar, do III Logos - no contexto da cosmovisão neoplatónica - do Herói Interior ou Eu superior (Manas), filho do Eu Divino (Osíris). Hathor, para além de, no Egipto, ser uma das formas predilectas da Grande Mãe e o Grande Amparo, era , por outro lado, a Deusa da Beleza e do Amor, semelhante deste modo à Afrodite grega. Também o Grande Espaço que nutre a vida das estrelas e das almas de tudo o que vive, com o seu "leite celeste" como Grande Vaca Cósmica. Como matéria primordial era também a rebelde ao Número e à Ordem, pois era a infinitude que deveria ser presa na Rede de Thot para que os Números estabeleçam as primeiras formas da Existência, tal como descreve o filósofo Plotino no seu Tratado sobre os Números (na Sexta Enéada, Sexto Tratado), e um logo etcétra que trataremos, resumidamente nesta conferência.» (José Carlos Fernández)

CICLO DE CONFERÊNCIAS SOBRE OS DEUSES EGÍPCIOS

«A religião egípcia é de grande beleza e profundos significados. Frutos das Escolas de Mistérios, os seus símbolos velam ensinamentos sobre a Natureza, a Alma e a Vida, que mantêm toda a actualidade nos nossos dias. Certamente que o conhecemos não será praticamente nada em comparação com o que aprendia o mais humilde dos discípulos ou fiel destes cultos. No entanto, podemos conhecer algumas coisas por analogia com outros simbolismos, pelos próprios textos egípcios e sobretudo pelo esforço dos filósofos gregos e das escolas neoplatónicas, e inclusivamente por certas tradições herméticas conservadas até aos nossos dias. Por exemplo: "Ísis sem Véu" de H. P. Blavatsky (1831-1891), pelos livros e conferências do Professor Jorge Ángel Livraga (1930-1991) e outros autores como Schwaller Lubicz (1887-1961).
Isto permite-nos não só penetrarmos na beleza dos seus mitos e símbolos, mas também extrair ensinamentos através da sua Filosofia e cosmovisão. Analisaremos também em cada um destes Deuses, os seus nomes, hieroglifos e epítetos, uma vez que em diferentes chaves cada um tem significados muito diferentes e complementares.» (José Carlos Fernández)
Sessões às 19h30:

1 - Ísis (24/9/2019)
2 - Osíris (12/11/2019)
3 - Sekhmet (21/01/2019)
4 - Ptah (03/03/2020)
5 - Hórus e Hathor
6 - Amon e Mut
7 - Kepher e Jepet
8 - Thot e Seshat
9 - Hapi e Maat
10 - Seth e Selkit
11 - Bes e Neith
12 - Anúbis e Neftis
13 - Montu e Mau (Bastek)
14 - Shu e Nuth

 



INSCRIÇÕES ABERTAS 
Entrada Livre
com Inscrição no formulário:

https://bit.ly/Deuses_egipcios_H%C3%B3rus_Hathor


Local:
Evento Presencial
Sede da Nova Acrópole

Casa da Malta, rua dos Lagares da Quinta, Oeiras

(entrada em frente ao número 15)


Orador do evento:
Conferência por José Carlos Fernández
Escritor, investigador e Director Nacional da Nova Acrópole

 

 

Exposição TERRA DE SONHOS de CRISTINA GARCÍA RODERO | Amadora

Amadora

image002 (1).jpg

De 11 de março a 5 de abril de 2022

Com a colaboração da Câmara Municipal da Amadora

 

TERRA DE SONHOS

CRISTINA GARCÍA RODERO

 

Amadora recebe a exposição de fotografia "Terra de Sonhos" que mostra a singularidade e a assimetria do mundo rural da Índia. Através das fotografias realizadas pela fotógrafa Cristina García Rodero, a exposição pretende dar voz às mulheres das comunidades rurais de Anantapur (Andhra Pradesh) e destacar o seu poder na transformação das suas comunidades. Cristina García Rodero soube entrar neste mundo, fundir-se na alegria e no sofrimento daqueles que encobrem, com cor e graciosidade, o claro-escuro (chiaroscuro) da sua própria existência.

 

A exposição "Terra de Sonhos", organizada pela Fundação ”la Caixa”, em colaboração com o BPI e a Câmara Municipal da Amadora, é composta por 40 fotografias e faz parte do programa "Arte na rua", através do qual a Fundação ”la Caixa” pretende aproximar a arte às pessoas fora do contexto habitual dos museus e das salas de exposições.

 

image004.png

 

Terra de Sonhos. Cristina García Rodero.

Lugar: Praça Dr. José Vieira de Carvalho

Datas:De 11 de fevereiro a 4 de março de 2022.

Organização e produção: exposição organizada pela Fundação ”la Caixa”, em colaboração com o BPI e a Câmara Municipal da Maia.

Fotografias e curadoria: Cristina García Rodero.

Assessor: Josep Giralt.

 


@FundlaCaixaPT

#Artenarua

#TerradeSonhosFundlaCaixaBPI

 

A presidente da Câmara Municipal da Amadora, Carla Maria Tavares; o curador da Fundação ”la Caixa” e presidente honorário do BPI, Artur Santos Silva, e o assessor da exposição, Josep Giralt, apresentam hoje a exposição "Terra de Sonhos. Cristina García Rodero", uma exibição fotográfica que reflete a vida quotidiana dos habitantes de Anantapur, no Estado de Andhra Pradesh, uma das zonas mais pobres da Índia, onde vivem as comunidades mais desfavorecidas e vulneráveis do país.

 

Sendo a cultura e a arte ferramentas essenciais para promover o desenvolvimento dos cidadãos, a Fundação ”la Caixa” procura contribuir para a sensibilização do público através do acesso a conteúdos artísticos, designadamente nas exposições itinerantes que organiza.  

Em particular, com o seu programa "Arte na rua", a Fundação ”la Caixa” procura transformar o espaço público num museu ao ar livre e levar ao público o trabalho de artistas de renome internacional, desta forma, contribuindo para democratizar o acesso à arte.

 

Cristina García Rodero foi convidada a documentar as condições de vida das comunidades de Anantapur, na Índia.  Durante um mês e meio, García Rodero visitou hospitais, centros de acolhimento de mulheres vítimas de violência, oficinas, escolas e casas, realizando fotografias que dão voz a pessoas que são, muitas vezes, esquecidas: crianças, pessoas com deficiência e, especialmente, mulheres. Mães, camponesas, costureiras, noivas de diferentes religiões, professoras, enfermeiras e estudantes têm um papel de destaque neste projeto, pois representam um dos principais motores na transformação das comunidades de Anantapur.

 

A exposição entra no mais sensível e mágico do mundo feminino e na força e capacidade de superação das mulheres em Anantapur. Persistente e excessiva, Cristina García Rodero soube entrar neste mundo e fundir-se na alegria e no sofrimento daqueles que encobrem, com cor e graciosidade, o claro-escuro (chiaroscuro) da sua existência.

 

O resultado deste projeto são 40 fotografias: uma seleção de imagens representativas das comunidades rurais da Índia, que cativam pela sua qualidade de composição e de vivência.

 

Através do seu trabalho, García Rodero propõe-nos uma forma particular de ver a Índia, um mundo complexo e fragmentado. Cada fotografia constrói um código visual coerente e, sobretudo, transcendente. A imagem que se transforma em arte.

 

 

Programa “Arte na Rua”

O programa "Arte na rua" iniciou-se em Espanha em 2006 e, desde então, tem dado a conhecer ao público artistas de referência da modernidade, como Auguste Rodin ou Henry Moore, assim como artistas contemporâneos, como Manolo Valdés, Igor Mitoraj ou, mais recentemente, o fotógrafo brasileiro Sebastião Salgado.

 

É neste quadro que a Fundação ”la Caixa”, em conjunto com o BPI e com a Câmara Municipal da Maia, apresenta a exposição "Terra de Sonhos" que, depois de Beja, Cascais, , Santarém e Braga, chega agora à Maia.

 

Cristina García Rodero, uma revolução no paradigma do olhar

Cristina García Rodero é uma figura da fotografia mundial, tanto pela sua personalidade, como pelo impacto nacional e internacional do seu trabalho. Nascida em Puertollano (Ciudad Real) em 1949, licenciou-se em Belas Artes pela Universidad Complutense de Madrid. Foi a primeira espanhola a ser admitida na prestigiada agência de fotojornalismo Magnum. De entre a sua vasta obra, destaca-se a "España oculta", que faz parte da Coleção ”la Caixa” de Arte Contemporânea.

 

Recebeu inúmeros prémios, incluindo o "World Press Photo" em 1993, o "National Photography Award" em 1996, o "FotoPres la Caixa" em 1997, o "PhotoEspaña" em 2000, o Prémio Godó de Fotojornalismo em 2000, as medalhas de ouro do Mérito em Belas Artes, em 2005 e em Castilla-La Mancha em 2016 e, recentemente, o prémio "PhotoEspaña", em 2017. É a primeira fotógrafa espanhola a ter um museu próprio, na sua cidade natal.

 

 

Documentário "Frida - Viva la Vida" nos cinemas a 21 de Março

Ciclo "A Grande Arte no Cinema"  


Frida - Viva la Vida

com Asia Argento


Nos Cinemas | 21 a 26 de Março 

descarregar (3).jpg

 

Um documentário que destaca as duas almas de Frida Kahlo: a mulher, ferozmente independente e atormentada pelo amor, e a artista, livre das amarras das suas limitações físicas.

Um documentário que destaca as duas almas de Frida Kahlo: a mulher, ferozmente independente e atormentada pelo amor, e a artista, livre das amarras das suas limitações físicas. A aclamada atriz e realizadora Asia Argento junta-se a nós nesta descoberta das duas faces da icónica artista através das próprias palavras de Frida: cartas, diários e confissões privadas.Uma jornada profunda ao interior do México para explorar o coração e a alma de Frida Kahlo, incluindo acesso às suas obras-primas nalguns dos mais extraordinários museus do México. Um grande mergulho pela arte de oposições e dualismos de Frida - dor e prazer, escuridão e luz, lua e sol, a vida na morte e a morte na vida.

descarregar (5).jpg


Nos Cinemas 

Sessões: UCI Cinemas El Corte Inglés (Lisboa) | UCI Cinemas Arrabida 20 (Porto)
21 Março: 21h30
22 Março: 19h00
23 Março: 14h00

Sessões O Cinema da Villa - Cascais
24 Março: 16h30
25 Março: 16h30
26 Março: 16h30

SE ISTO É UM HOMEM, de Primo Levi, estreia no Teatro Municipal Mirita Casimiro a 8 de Outubro

SE ISTO É UM HOMEM, de Primo Levi, estreia no Teatro Municipal Mirita Casimiro a 8 de Outubro 

Esta produção, da responsabilidade da Companhia de Teatro de Almada, é acolhida em Cascais e conta com o apoio do Instituto Italiano de Cultura de Lisboa 

image (1).png

É um dos clássicos da literatura italiana, e uma das obras que mais contribuiu para celebrizar Primo Levi, amplamente lembrado pelo seu trabalho sobre o Holocausto - e, agora, é também o texto desta produção da Companhia de Teatro de Almada. O acolhimento desta peça, pelo Teatro Experimental de Cascais, terá lugar nos dias 8, 9 e 10 de Outubro, e conta com o apoio do Instituto Italiano de Cultura de Lisboa. 

Com encenação de Rogério de Carvalho e interpretação de Cláudio da Silva, SE ISTO É UM HOMEM debruça-se, num guião traduzido por Simonetta Neto, sobre um perturbante testemunho acerca do Holocausto, numa “análise fundamental sobre o mecanismo do campo de concentração, [e] sobre a humilhação do homem pelo homem, visando o extermínio”, conforme dita a sinopse.  

Rogério de Carvalho (n. 1936) foi distinguido em 1980 com o Prémio da Crítica para a melhor encenação com Tio Vânia, de Tchekov, e em 2001 com o Prémio Almada de Teatro, pelo Ministério da Cultura. Este antigo professor de liceu e pedagogo do teatro dirigiu espectáculos nos principais palcos portugueses e trabalhou com incontáveis companhias, sem nunca pertencer a nenhuma.  

As sessões deste espectáculo acontecem Sexta-feira e Sábado às 21h30, e Domingo às 16h00, no palco do Teatro Municipal Mirita Casimiro, que regressa agora à sua lotação completa. É aconselhada a compra antecipada de bilhetes, através de reserva pelo e-mail acontecenotec@gmail.com ou em Ticketline.pt.  

 

Teatro Experimental de Cascais recebe 8 espectáculos em mostra de teatro e talento jovem

mostra_T 6ª edição | 2021 

10 SET | 2 OUT
TEATRO MUNICIPAL MIRITA CASIMIRO
 

Teatro Experimental de Cascais recebe 8 espectáculos em mostra de teatro e talento jovem  

 

Encenações, leituras interpretadas e ainda dança em destaque na programação mais diversificada de sempre da mostra_T 

 

Arrancou dia 10 de setembro, a 6.ª edição da mostra_T, uma iniciativa do Teatro Experimental de Cascais que existe desde 2016, tendo surgido em resposta aos inúmeros pedidos de acolhimento que chegavam à companhia, ao longo do ano. Pela primeira vez, esta mostra de talento jovem recebe um espectáculo de dança, e uma produção além-fronteiras, internacionalizando o evento. No total, o Teatro Municipal Mirita Casimiro cede o palco, entre os dias 10 de Setembro e 2 de Outubro, a 8 espectáculos de 7 grupos diferentes, entusiasmados por poderem partilhar o seu trabalho. 

 

“Um Setembro com uma programação cultural muito completa, para todos os gostos e idades” é a proposta do Teatro Experimental de Cascais para este regresso pós-férias, conforme explica Fernando Alvarez, responsável de Programação, Cenografia e Figurinos do Teatro Experimental de Cascais. “Esta iniciativa, que já é praticamente uma tradição nossa, e que começou por proporcionar esta oportunidade a grupos oriundos da Escola Profissional de Teatro de Cascais, tem este ano como uma das suas novidades a abertura de portas a grupos oriundos de outras Escolas. É muito gratificante podermos acompanhar os seus primeiros passos profissionais, em muitos dos casos, bem como o crescimento de algumas destes grupos que recebemos num espírito do TEC de apoio a quem começa e precisa de um palco para se mostrar!”, completa. 

 

Leandro Paulin, Companhia Cepa Torta, Play Company, Elephant in the room, SE Theatre Company, João Lara e Ileimn Ceciliano, e Embuscada Associação Cultural são os nomes dos responsáveis e/ou participantes seleccionados, depois de uma fase de candidaturas rigorosa efectuada no primeiro trimestre do ano, coma apresentação dos seus projectos à 6.ª edição da mostra_T. Os bilhetes e reservas para quem quiser assistir são geridos pelos mesmos.  

 

mostra_T6ª edição|2021 

Terrorismo, dos Irmãos Presnyakov 

M16| 90m  

direcção Leandro Paulin 

teatro                                                                                                           10 e 11 SET |21h 

 

Esta noite grita-se 

Cinderela, de Lígia Soares (dia 14) 

M12 | 40m 

Boa noite, mãe, de Marsha Norman (dia 15) 

M18 | 120m  

direcção Filipe Abreu e Miguel Maia | Companhia Cepa Torta  

leituras interpretadas                                                             14 e 15 SET|21h 

 

Narke, de João Pires 

M14 | 90m  

direcção João Pires e Vera Gromicho |Play Company 

teatro                                                                                         17 e 18 SET|21h 

 

O que resta é o Amor, criação colectiva 

M12 | 105m  

direcção criação colectiva |Elephant in the room 

teatro                                                                                         21 e 22 SET|21h 

 

I, Banquo, de Tim Crouch  

M16 | 45m  

direcção Elliott Wallis | SE Theatre Company 

teatro                                                                                         24 e 25 SET|21h 

 

Vívido, de João Lara e Ileimn Ceciliano 

M6 | 60m  

coreografia João Lara e Ileimn Ceciliano 

dança                                                                                          28 e 29 SET|21h 

 

Um protesto ou o Amor que nos faltou, criação colectiva 

M16 | 75m  

direcção Sílvia Moura | Embuscada Associação Cultural  

teatro                                                                1 e 2 OUT|21h                 

 

O Acqua Content - Festival de Cinema de Cascais, arranca no dia 23 de setembro no Anfiteatro da Casa da Guia

image002 (1).png

 

Decorre de 23 a 26 de setembro no Anfiteatro da Casa da Guia, em Cascais. Entrada livre.

Premiadas produções cinematográficas do Brasil e de Portugal serão exibidas. Haverá painéis interativos conversas e reflexões
sobre vários aspectos do cinema destes países, questões culturais, socias e ambientais.

 

O Acqua Content - Festival de Cinema de Cascais, que arranca no dia 23 e segue até o dia 26 de setembro, no Anfiteatro da Casa da Guia, em Cascais, irá exibir importantes produções cinematográficas do Brasil e de Portugal. A entrada é livre mediante inscrições feitas através do site www.acquacontentpt.com, onde também se encontra a programação completa.


Além de difundir o diálogo entre as obras destes países, a primeira edição do festival nasce com o objetivo de fomentar o desenvolvimento sustentável e vai abordar questões importantes relativas ao tema através dos seus filmes e painéis interativos, que contará com presenças representativas, tais como a do cientista ambiental Lucas Almeida Braga.

 

A abrir o Festival, no dia 23, o documentário brasileiro Tamboro, do realizador Sergio Bernardes, que aborda as principais questões sociais e ambientais do Brasil, como o desmatamento da Floresta Amazônica. Outro destaque do tema é o filme Amazônia – O Despertar da Florestânia, a ser exibido no dia 24, às 15h, e pós-filme, haverá uma conversa com a atriz e realizadora Cristiane Torloni.

Na programação que conta com mais de 10 filmes, ganham destaque ainda as produções luso brasileiras: O Grande Circo Místico de Cacá Diegues, coprodução da portuguesa Fado Filmes e a Luz Mágica e Alguém Como Eu, do realizador Leonel Vieira, que assina o roteiro com Adriana Falcão.

 

A produção e curadoria do Acqua Content - Festival de Cinema de Cascais é da Pacheco Monteiro e Kinobras: “É um prazer poder proporcionar essa troca de experiências através da arte, num local aprazível e encantador, rodeado de natureza e história como A Casa da Guia, em Cascais”, afirma Luciana Pacheco, uma das idealizadoras.

 

No dia 23, a partir das 19 horas, haverá um cocktail de abertura para convidados e imprensa, com direito ao concerto do Trio Imperial, formado pela cantora Ursula Baldanza e os músicos André Papadopoulos e Felipe Caneca. O público poderá participar, basta se inscrever através do site do Festival: www.acquacontentpt.com

 

 

PROGRAMAÇÃO:

 

Mostra Panorama Brasil – Portugal – no Anfiteatro da Casa da Guia


Dia 24, às 21h30: ‘Simonal’, do diretor Leonardo Domingues e produção de Nathalie Fellipe. No elenco, Fabrício Boliveira, Ísis Valverde e Leandro Hassum entre outros.
Dono de voz marcante, carisma encantador e charme irresistível, Wilson Simonal (Boliveira) nasceu para ser uma das maiores vozes de todos os tempos da música brasileira. No entanto, após anos de sucesso conquistado com muito trabalho, suas finanças descontroladas o levam a, num rompante de ignorância, tomar decisões que marcarão para sempre sua carreira.

 

Dia 25, às 19h: ‘Pequeno Segredo’. A trama leva às salas uma história real, vivida pela própria família do realizador do filme, David Schürmann, que adotou uma menina soropositiva durante suas viagens de barco ao redor do mundo. O longa-metragem, estrelado por Marcelo Antony, Julia Lemmertz, Maria Flor e Mariana Goulart.

 

Dia 25, às 21h30: ‘O Grande Circo Místico’, do realizador Cacá Diegues ,que também assina o roteiro com George Moura, é estrelado por Jesuíta Barbosa, Bruna Linzmeyer, Mariana Ximenes, o francês Vincent Casel e Antônio Fagundes, que dividem a cena com os atores portugueses Albano Jerônimo, Nuno Lopes, Luíza Cruz e David Almeida. O longa-metragem, da produtora portuguesa Fado Filmes e Luz Mágica, teve filmagens em Portugal.

Em meio ao universo de uma tradicional família austríaca, que é dona do Grande Circo Knieps, nasceu um improvável romance entre um aristocrata e uma acrobata. Este é o retrato dos 100 anos de existência do Grande Circo e das cinco gerações do clã à frente do espetáculo e suas histórias fantásticas.

 

Dia 26, às 19h: ‘Alguém Como Eu’, do realizador Leonel Vieira, que assina o roteiro com Adriana Falcão, do filme luso-brasileiro, rodado em Portugal. Dividem a cena com Paolla Oliveira e Ricardo Pereira, Júlia Rabello, Luis Miranda e Irene Ravache.

Helena (Paolla) e Alex (Ricardo Pereira) formam um casal que, como todos os outros, vivem diferentes fases em seu relacionamento. Depois de alguns meses de dúvidas sobre seu namoro, Helena passa a imaginar como seria se Alex fosse uma mulher, mas sua obsessão pelo assunto vai transformar seus devaneios em algo que a atrapalha.

 

Dia 26, às 21h30: ‘Loop’, do realizador Bruno Bini, que também assina o roteiro, traz no elenco, Bruno Gagliasso, Bia Arantes, Branca Messina, Roberto Birindelli e Zé Carlos Machado, entre outros. O longa-metragem ganhou quatro prêmios, entre eles o de Melhor Filme do Festival e o de Melhor Longa-Metragem, no Manchester International Film Festival, em Manchester, na Inglaterra. As outras estatuetas foram Melhor Montagem (Bini) e Melhor Atriz (Branca Messina).

Quando a namorada morre assassinada, Daniel (Gagliasso) fica obcecado em encontrar um jeito de voltar no tempo. Depois de passar anos isolado, buscando uma solução, encontra uma maneira de regressar ao passado, deixando para trás seu futuro. Na expectativa de mudar os fatos, ele acaba preso em um looping de acontecimentos.

 

Mostra Sustentabilidade – no Anfiteatro da Casa da Guia

 

Dia 24, às 19h: ‘Amazônia, o Despertar da Florestania’, documentário realizado pela atriz Christiane Torloni e Miguel Przewodowski,. Fala sobre as questões do meio ambiente, de como são tratadas no Brasil, além dos desgastes da natureza e dos recursos naturais desde o século XX e em que estado se encontra a Floresta Amazônica. A partir de entrevistas com especialistas das mais diversas áreas e com o resgate de figuras históricas, discute-se a noção de florestania, ou seja, a cidadania da floresta, termo necessário para refletir sobre a identidade brasileira.

 

Clássicos Online


Um pouco da história do cinema brasileiro, com retrospectiva de Paulo Cesar Saraceni, um dos principais autores brasileiros do Cinema Novo, em duas coproduções:
‘Bahia de Todos os Santos’, dos realizadores Saraceni e Leon Hirszman. O documentário musical apresenta um encontro de grandes músicos baianos em Roma, entre os dias 23 e 31 de agosto de 1983. Caetano Veloso, Dorival Caymmi, João Gilberto, Gilberto Gil, Gal Costa e Tom Zé, são alguns deles. ‘Natal da Portela’, coprodução com a França, traz no elenco, Milton Gonçalves, Almir Guineto e Grande Otelo. É a biografia de Natalino José do Nascimento, conhecido como Natal da Portela, e um dos maiores banqueiros do ilegal jogo do bicho no Rio de Janeiro.

 

Painéis Interativos – no Anfiteatro da Casa da Guia

 

Dia 24, às 15h30: ‘Viramundo – Sustentabilidade e Ação Social’.
Palestrante: Lucas Almeida Braga (Cientista Ambiental),.

 

Dia 24, às 17h: ‘Portugal Film Commission’. Palestrante: Sandra Neves (Diretora Executiva).

 

Dia 25, às 15h30: ‘Regulamentação do Streaming’. Palestrante: Vera Zaverucha (Consultora, especialista em regulamentação audiovisual).

 

Dia 25, às 17h: ‘A Retomada das Políticas Culturais no Pós Pandemia’. Palestrante: Vitor Correa, subsecretário de Planejamento e Gestão da Secretaria de Cultura do Estado do Rio de Janeiro. Sergio Sá Leitão, secretário de Cultura do Estado de São Paulo; Danielle Barros, Secretária de Cultura do Estado do Rio de Janeiro; Professor Doutor Mario Vieira de Carvalho, da Universidade Nova Lisboa e Ex-Secretário da Cultura (online e presencial).


Dia 26, às 17h: ‘Educação e Civilização – Transformações no Pós Pandemia’. Palestrante: Professor Cristovam Buarque – ex-ministro da Educação do Brasil, Senador, Governador do DF e Reitor da Universidade de Brasília. Mediador, o cineasta e escritor, diplomata André Costa, ex-Consul do Brasil em Barcelona, Copenhague e Estocolmo e o Professor Doutor Mario Avelar, da Universidade de Lisboa.

 

 

Filmes Online:

 

Dia 23, às 17h ‘Tamboro’: do realizador Sergio Bernardes, que traz depoimentos de Leonardo Boff, Ailton Krenak e Rose Marie Muraro, e aborda as principais questões sociais e ambientais do Brasil, como o desmatamento da Floresta Amazônica.

 

‘Liga da Mata’, curta do realizador Sergio Kalili e com produção 100% brasileira, foi destaque em inúmeras premiações internacionais, recebendo títulos como Melhor Websérie e Melhor Animação. É um projeto que busca trabalhar com educação ambiental e social, envolvendo causas sociais indígenas, rurais e urbanas como um todo balanceando a humanidade com a natureza. Disponível o dia todo e os demais dias do Festival.

Dia 24, às 18h15: Curta: Universidade Lusófona

 

Dia 25, às 19h: O documentário ‘O Anjo Surfista’, que conta a história de Guido Schaffer, médico surfista e que as vésperas de se tornar seminarista, aos 34 anos, morreu no mar, lugar onde realizava seus melhores encontros com Deus.

 

Dia 25, às 21h30: ‘O Grande Circo Místico’

 

Dia 26, às 18h30: Curta: Universidade Lusófona

 

Dia 26, às 19h: ‘Doidos de Pedra – O Paraíso Ameaçado’, do realizador e roteirista Luiz Eduardo Ozório. Conta a história de Pedra de Guaratiba, que fica na Zona Oeste do Rio de Janeiro. Além de narrae a trajetória de pessoas que ajudaram a fundar o bairro. O filme também fala sobre a ameaça ao meio ambiente local, sobretudo à Baía de Sepetiba. Traz depoimentos do paisagista Roberto Burle Marx, do músico Roberto de Regina, do ambientalista Mário Moscatelli e do historiador Milton Teixeira.


Serviço: Acqua Content – Festival de Cinema de Cascais
Datas: 23, 24, 25 e 26 de Setembro (de quinta a domingo)
Local: Anfiteatro da Casa da Guia
Morada: Avenida Nossa Senhora do Cabo, 101.2750-374 – Cascais
Programação, inscrições através do site: www.acquacontentpt.com
Entrada Livre.

Teatro Experimental de Cascais revela 1.ª produção de 2021: HAMLET, de William Shakespeare

Estreia a 27 de Março no Teatro Municipal Mirita Casimiro 

Bilhetes já disponíveis em https://ticketline.sapo.pt/evento/hamlet-53309 

image.png

 

Foto: Ricardo Rodrigues 

 

 No arranque para o novo ano, o Teatro Experimental de Cascais revela a peça que subirá a palco em primeiro lugar em 2021. HAMLET, de William Shakesperare, com tradução de Sophia de Mello Breyner Andresen, dramaturgia de Fernando Moser e colaboração dramatúrgica de Miguel Graça, conta novamente com a magia característica de Carlos Avilez na encenação. Como já vem sendo habitual, a produção estreia a 27 de Março, no Dia Mundial do Teatro, inaugurando assim a época no Teatro Municipal Mirita Casimiro, em Cascais. 

Depois do sucesso das produções de 2020, que encerraram com sessões repetidamente esgotadas para YERMA, os bilhetes para HAMLET já se encontram disponíveis, de forma a que os interessados possam assegurar o seu lugar antecipadamente e sem sequer terem de sair de casa. Disponíveis online e nos locais habituais, os lugares a garantir são para o período de 1 a 30 de Abril, de Quinta-feira a Sábado às 21h00, e para Domingo às 16h00.  

Considerada uma das mais célebres peças de William Shakespeare, “e uma das mais icónicas personagens da literatura”, pode ler-se na sinopse desta produção, HAMLET foi escrita de 1599 e 1601, contando a história da descoberta, pelo Príncipe da Dinamarca, do assassinato do seu pai pelo seu tio, Cláudio. “Há algo de muito mais profundo neste texto que fala sobre a natureza humana e, sobretudo, sobre a vida e a morte, em duelos verbais que Hamlet mantém com as outras personagens ou em auto-reflexões sobre ele próprio – ou melhor – sobre nós, porque mesmo a mais de 400 anos de distância a alma humana, tal como a grandeza da peça, não se alterou.”, continua o mesmo texto. 

 

No elenco estão já confirmados alguns rostos familiares do pequeno ecrán, como Bárbara Branco, Diogo Martins, José Condessa (em Hamlet) e Maria João Pinheiro, que se juntam a Elmano Sancho, Flávio Gil, João Gaspar, João Pecegueiro, Luiz Rizo, Miguel Amorim, Miguel Loureiro, Renato Pinto, Rodrigo Cachucho, Sérgio Silva e Teresa Côrte-Real. 

SUNSET NO PARQUE COM MARIA ANA BOBONE - 12 de Setembro no Parque de Palmela, Cascais

dadbf17f-f045-4622-99f3-306b16b58d8b.jpg

 

SUNSET NO PARQUE


CELEBRE O ENCERRAMENTO DO VERÃO COM MARIA ANA BOBONE NO PARQUE DE PALMELA EM CASCAIS

12 de Setembro | 20:30h
Auditório Fernando Lopes Graça

No dia 12 de Setembro, o cenário idílico do Parque de Palmela em Cascais celebra o encerramento do verão com um espetáculo único da autoria de Maria Ana Bobone.

No palco mais encantador do concelho, o do Auditório Fernando Lopes Graça, Maria Ana Bobone apresenta-se com o pôr-do-sol como pano de fundo num espetáculo que promete surpreender. Com o piano em grande destaque e uma voz inconfundível entre o fado e jazz, Maria Ana Bobone leva a Cascais um espetáculo completamente novo guiado pelas suas influências e bom gosto ao qual já nos habituou. 

Para este espetáculo a fadista convida o cantor e compositor Manuel Rebelo, membor do Coro Gulbenkian e responsável por várias produções no Teatro Nacional de São Carlos.

As boas-vindas ao Sunset no Parque são dadas pelo vinho português Bastardô! que oferece a Welcome Drink.

Os bilhetes já estão à venda na BOL e nos locais habituais por 15 euros. 
 

Informações Gerais - Sunset no Parque:

Local: Auditório Fernando Lopes Graça, Cascais (inserido no Parque de Palmela)
Data: 12 de Setembro
Preço: 15€ (c/oferta de Welcome Drink)
Abertura das portas: 20:00h
Início do espetáculo: 20:30h

Nota: Espetáculo conforme as regras designadas pela DGS para a realização de espetáculos ao vivo. Espetáculo em auditório ao ar livre.