Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Tic-tac-tic-tac...faltam apenas 17 dias para as Férias com Ciência no Verão!

newsletter_FeriasVERAO_2019_V2-07-07.png

 

As férias escolares estão mesmo aí à porta e isso significa que um dos programas mais aguardados do Pavilhão do Conhecimento está a chegar: as Férias com Ciência no Verão!
Nesta época do ano a equipa do Pavilhão do Conhecimento não tem mãos a medir e por isso precisamos da ajuda extra de cientistas de palmo e meio, dos 5 aos 12 anos, para vestirem a pele de geólogos, paleontólogos, químicos... não há limites.

O programa de 2019 conta com muitas novidades que vão deixar os mais pequenos a vibrar!
Destacamos as seguintes actividades:

· Vamos provar com muitas experiências que por trás de todos os super-poderes do Homem de Ferro, Capitão América, Thor e Hulk existe muita Física, Química e até Engenharia Genética!

· No Laboratório vamos construir um incrível vulcão e fazer plasticina magnética;

· Na Cozinha é um Laboratório vamos soltar o chef que há em nós e inovar na Gastronomia Molecular para criar refeições saudáveis, diferentes e muito divertidas;

· Alguns dias serão dedicados totalmente à ecologia e à natureza: vamos explorar a área envolvente do Pavilhão equipados como verdadeiros zoólogos, geólogos ou botânicos... Com a ajuda de lupas, microscópios e outros instrumentos vamos descobrir que não é preciso viajar muito para encontrar animais e plantas que nunca vimos;

· Vamos pôr as mãos na massa e construir um carro solar e também o barco mais veloz para competir na grande "Regata Férias com Ciência 2019"


Mas há muito, muito mais no programa completo.

São quase três meses de actividades inesquecíveis que provam, uma vez mais, que a ciência está em tudo o que nos rodeia!

Pavilhão do Conhecimento presta homenagem a Darwin no Dia Internacional da Biodiversidade

Dia_Mundial_Biodiversidade_CircuitosCV.png

 

Existe um antes e um depois de Charles Darwin e da sua viagem, em 1831, a bordo do Beagle. As suas descobertas mudaram a forma como compreendemos o mundo.

No dia 22 de Maio, Dia Internacional da Biodiversidade, o Pavilhão do Conhecimento será o ponto de encontro de naturalistas e artistas que, inspirados pela obra de Darwin, partilham com o público as suas reflexões e também os desafios ambientais que o planeta enfrenta e que põem em causa o património único que é retratado na obra "A Bordo do Beagle". Notícias recentes dão conta que a ilha de Cocos, fundamental para a criação desta obra, está a afogar-se no plástico.

A nossa viagem começa com "As paragens" onde os nossos visitantes são convidados a parar em vários pontos do globo através da participação em diferentes actividades como "Quem se alimenta do quê? ", "A diversidade geológica na viagem do Beagle", entre outras. Seguimos para o espaço envolvente do Pavilhão do Conhecimento onde vamos conhecer em pormenor a biodiversidade existente, temos um "Workshop de Ilustração Científica" e por fim terminamos o dia, às 19.00, com o lançamento da banda desenhada "A Bordo do Beagle", editada pela Gradiva, onde vamos conhecer as histórias que vários naturalistas portugueses como Guilherme Valente, José Melo-Ferreira e Madalena Boto (entre outros) têm para contar.

Programa completo em pavconhecimento.pt

Festival Internacional de Ciência Pint of Science 2019

cartaz_PoS19.jpg

 

a 2ª edição do Festival Internacional de Ciência Pint of Science, que decorrerá nos próximos dias 20, 21 e 22 de maio, em cinco locais em simultâneo: Lisboa, Porto, Aveiro, Braga e Bragança.

 

O evento é organizado pela associação sem fins lucrativos - Pint of Science Portugal – que tem por objetivo tornar acessível a discussão científica a toda a população. Anualmente é realizado um festival internacional de ciência, onde investigadores de diferentes áreas são convidados a apresentar os seus projetos de uma forma simples, num ambiente descontraído de um bar.

 

Em 2018, o festival decorreu pela primeira vez em Portugal, em Lisboa e no Porto, tendo envolvido mais de 500 pessoas entre voluntários, oradores e participantes. A estreia foi notícia em vários canais de comunicação, entre os quais o Público e a TimeOut.  A nível mundial, participaram 274 cidades de 21 países, num total de 2264 eventos e mais de 120 000 participantes. Em 2019, o festival em Portugal quer continuar a pautar-se pela qualidade dos seus eventos, designadamente através da presença de investigadores de reconhecido mérito. 

 

Cientistas e deputados debatem acesso à água para gerir a mudança

cafedeciencia_2019.jpg

 

No dia 3 de Abril, quarta-feira, às 18.00, cientistas, deputados, especialistas de organizações não-governamentais e de instituições públicas debatem o tema da água e quais as mudanças imperativas no seu acesso, na 18.ª edição do Café de Ciência na Assembleia da República.

A água, meio e agente de processos biológicos fundamentais, é essencial para a vida. Mais, a água é essencial para a vida com qualidade: para higiene e saneamento, para desenvolvimento económico, para lazer e cultura. Mas o acesso a água está longe de ser um dado adquirido, devido às alterações climáticas, à degradação do ambiente, a conflitos locais e internacionais, ao sobreconsumo e à má gestão.  

Um debate sobre este tema implica reflectir sobre direitos de acesso e a distribuição equitativa de água limpa entre indivíduos, grupos, regiões ou mesmo países. Enfim, implica reflectir sobre participação, deliberação democrática e transparência governativa.

Criado em 2005, o Café de Ciência na Assembleia da República contribui para o debate sobre temas da actualidade entre investigadores, deputados, empresários e representantes da sociedade civil. É uma organização conjunta da Ciência Viva, da Comissão Parlamentar de Educação e Ciência e da comunidade científica.



A sessão será transmitida em directo via streaming em www.cienciaviva.pt

Museu do Côa reforça Rede Nacional de Centros Ciência Viva

valedocoa-04(1).png

O Museu do Côa irá passar a integrar a Rede Nacional de Centros Ciência Viva, que conta actualmente com 20 espaços de ciência e tecnologia em todo o território nacional.
 
Este momento será marcado pelo descerramento da placa da Rede de Centros Ciência Viva no Museu do Côa, no dia 15 de Março, sexta-feira, às 14.30, na presença do Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, que na ocasião anunciará a criação do Vale do Côa International Research Award.
 
Neste dia e no sábado, 16 de Março, terá lugar na Praça do Município de Vila Nova de Foz Côa o Festival Ciência Viva do Vale do Côa, com oficinas, bancas com experiências e conversas com cientistas dinamizadas por Centros Ciência Viva e instituições científicas. Nesta grande festa de ciência e cultura popular os produtores locais irão participar com bancas de venda de produtos regionais, lado a lado com investigadores.
 
O edifício do Museu do Côa foi projectado por Camilo Rebelo e Tiago Pimentel e inaugurado em Julho de 2010. A concepção do edifício parte da ideia de que "a arte paleolítica no Vale do Côa é talvez a primeira manifestação de 'Land art' ". É um dos maiores museus portugueses e celebra o encontro dos dois patrimónios mundiais da região: a Arte Pré-histórica do Vale do Côa e a Paisagem Vinhateira do Douro.
 
A exploração do Museu do Côa complementa-se com a visita aos sítios de arte rupestre do Parque Arqueológico do Vale do Côa, afinal o "verdadeiro" Museu, também em áreas que vão desde a biologia à geologia ou astronomia. O Museu é também um centro de acolhimento para investigadores que desejam estudar o Côa aproveitando a maior biblioteca nacional dedicada à arte rupestre. Os Serviços Educativos da Fundação Côa Parque desenvolvem as suas actividades de modo a acolherem quer o público escolar, quer o público em geral. 
 
Programa completo aqui.

Dia do Pi: MathGurl Inês Guimarães troca os números por miúdos (e para miúdos) no Pavilhão do Conhecimento

Famelab_Final5a.jpg

 

Ganhou a Medalha de Prata nas Olimpíadas de Matemática, terminou o Secundário com média de 19,7, está a acabar a licenciatura em Matemática na Universidade do Porto, tem um canal sobre Matemática com mais de 70 000 subscritores e no ano passado lançou o livro Desafios Matemáticos que te vão enlouquecer - 51 problemas do dia-a-dia. O Dia do Pi, que se celebra esta quinta-feira, 14 de Março, será o mote das duas palestras para estudantes do Ensino Básico e Secundário que Inês Guimarães irá dar no Pavilhão do Conhecimento, às 11.00.

Não é preciso fazer muitas contas para perceber que esta jovem comunicadora de ciência, conhecida na internet como a Youtuber MathGurl, vai longe. Inês Guimarães nasceu em 1998 na cidade com o mesmo nome. Filha de pai médico e mãe professora do 1.º Ciclo, está ligada a vários projectos de divulgação matemática. Além do canal MathGurl, colabora com o cantor Paulo Sousa levando às escolas o espectáculo "A Raiz do Problema". Escreveu o conto infantil "A Terra da Mentemática", já participou em duas conferências TEDx e foi nomeada para melhor Youtuber de Ciência e Tecnologia no âmbito do YouFest Awards, em 2018.

"Qual a sensação de entender Matemática?", "Números feitos de LEGO" e "Piadas Matemáticas" são os títulos dos últimos vídeos que postou no seu canal de Youtube, que conta com mais de 2, 5 milhões de visualizações. É Inês quem escreve os guiões, filma e edita os vídeos. "A Matemática pode pôr-te maluco, mas vale a pena! De uma forma simples e humorística (espero), eu falo de cenas fixes de Matemática. Mesmo assim, não te fies só na minha palavra, vê com os próprios olhos!", escreve na apresentação da sua plataforma online a jovem Youtuber, que em 2016 chegou à final do FameLab, o concurso de comunicação de ciência promovido em Portugal pela Ciência Viva.

Nas palestras no Pavilhão do Conhecimento, Inês Guimarães irá partilhar com estudantes pouco mais novos do que ela a paixão pelos números, que despontou no 7.º ano depois da experiência com um professor "que a espicaçou".

No Dia do Pi, o Pavilhão do Conhecimento organiza durante todo o dia várias actividades experimentais que convidam os visitantes a explorarem o museu com os olhos postos no π, descobrindo as suas aplicações no dia-a-dia.

Programa completo em www.pavconhecimento.pt

Férias com Ciência - Natal 2018 | Reserve já o lugar das suas crianças!

 

O Natal está quase a chegar ao Pavilhão do Conhecimento. Vamos vestir o avental na Cozinha é um Laboratório e revelar aos pequenos exploradores segredos infalíveis para serem os chefs da quadra e fazerem um brilharete na Ceia de Natal. Haverá também um Circo de Experiências para descobrir na nova exposição TCHARAN!, um Laboratório a
transbordar de desafios que revelarão a cor da química dos alimentos, e uma oficina de seu nome Dòing onde a criançada vai criar o seu próprio robô de companhia.

Então e os presentes? Serão científicos, claro, e feitos com materiais reciclados, a pensar num Natal mais sustentável. Com a ajuda da electrónica, também trataremos das iluminações lá de casa.
E onde andará a Viva? A simpática robô anfitriã do Pavilhão do Conhecimento não vai de férias e promete fazer as honras da casa.
Reserve já o lugar das suas crianças antes que esgote!

Datas: de 17 a 21 de Dezembro e de 26 a 28 de Dezembro
Idades: dos 5 aos 7 anos e dos 8 aos 12 anos
Horário: das 09.00 às 18.00 (as crianças são recebidas a partir das 08.30)
Inscrições: 21 891 71 04 ou reservas@pavconhecimento.pt

Clubes Ciência Viva à vista! Escolas unem-se a centros de investigação científica para melhorar o ensino das ciências

 

Centenas de Clubes Ciência Viva, agora criados nas escolas portuguesas em colaboração com o Ministério da Educação, serão uma via rápida de acesso dos alunos à ciência mais actual que se faz hoje em Portugal, em instituições científicas, universidades e empresas de base tecnológica.

Nesta fase inicial, 237 escolas aderiram à rede de Clubes Ciência Viva na Escola, abrangendo metade dos concelhos do país, com 825 professores envolvidos nas equipas de coordenação. Estão previstos vários encontros entre escolas e Centros Ciência Viva das suas regiões, o primeiro dos quais em Lisboa, onde estarão cerca de duas centenas de directores, professores e cientistas.

O ponto de partida será dado no Pavilhão do Conhecimento, esta sexta-feira, 7 de Dezembro, com as primeiras alianças institucionais entre escolas e organizações de referência do sistema científico e tecnológico nacional. Estarão presentes o Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, e o Director-Geral de Educação, José Vítor Pedroso.

Promovidos pela Direção Geral de Educação e a Ciência Viva, os Clubes Ciência Viva na Escola são novos espaços de ciência, para promover o acesso de todos os alunos a práticas científicas inovadoras.

De assinalar que as escolas portuguesas estão a criar instalações próprias para o funcionamento destes espaços de ciência, com equipas de coordenação constituídas por professores de diferentes disciplinas. Os Clubes Ciência Viva serão espaços privilegiados de encontro com instituições científicas, empresas e organizações da cultura.

Para a organização das suas actividades e das suas colaborações institucionais, este movimento pela ciência nas escolas portuguesas conta com a experiência da rede de Centros Ciência Viva, ela própria criada também por parcerias entre instituições científicas, universidades e autarquias.

Programa completo aqui

Mais informações:
Departamento de Comunicação, Marketing e Design
Catarina Figueira: 96 156 09 26

Prémio Fluviário 2018 - Jovem Cientista do Ano

 

Decorre até dia 31 de Dezembro de 2018 o período de candidaturas ao Prémio Fluviário 2018 – Jovem Cientista do Ano!

Fluviário de Mora lançou no seu 3º Aniversário, a 21 de Março de 2010, em conjunto com o seu Núcleo de Investigação (NIFM), o Prémio Fluviário – Jovem Cientista do Ano. Este prémio pretende distinguir um aluno (PhD, MSc, Lic.) que tenha publicado, como primeiro autor, um artigo (revista SCI), no ano a que se refere o concurso, na temática conservação e biodiversidade de recursos aquáticos continentais (Estuários e Rios). (...)"

 

 

Semana da Ciência e da Tecnologia: descubra a ciência que se faz em Portugal

 

A Semana da Ciência e da Tecnologia 2018 já vai a meio mas ainda há muitas acções de aproximação do público com a ciência que se faz em Portugal e com os nossos cientistas.

Hoje, dia 21, a Escola Superior de Saúde da Universidade de Trás-os-Montes irá ensinar aos estudantes do ensino secundário como pôr em prática o Suporte Básico de Vida, um conjunto de procedimentos técnicos elementares que permitem a qualquer cidadão assegurar a manutenção da vida de uma vítima até que ocorra a intervenção de cuidados de saúde especializados.

Amanhã, quinta-feira, dia 22, o Centro de Engenharia Biológica da Universidade do Minho abre as portas aos alunos do ensino básico e convida-os a observar ao microscópio bactérias, leveduras, fungos e protozoários. No mesmo dia, o Planetário - Casa da Ciência de Braga organiza actividades para escolas com canetas e impressoras 3D.

Sexta-feira, dia 23, o RÓMULO - Centro Ciência Viva da Universidade de Coimbra antecipa, às 16.30, as celebrações do seu 10.º aniversário com a apresentação da Escola Ciência Viva, a funcionar pela primeira vez neste centro de ciência, e da exposição "Feynman: 100 anos". Estarão presentes o Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, e a Presidente da Ciência Viva, Rosalia Vargas.
Às 18.00, o físico Carlos Fiolhais e o escritor Afonso Cruz conversam sobre literatura e ciência.

Sábado, 24, Dia Nacional da Cultura Científica, vai para as bancas uma edição muito especial do jornal Público, que inclui o DVD "As Novas Viagens Philosophicas", editado pelo CIBIO - Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos da Universidade do Porto, com o apoio da Ciência Viva. Durante cinco anos, uma equipa de televisão acompanhou o trabalho de 13 biólogos portugueses espalhados pelo mundo. O resultado são 13 episódios que compõem uma das melhores séries documentais científicas portuguesas de sempre.

Domingo, último dia da Semana da Ciência e da Tecnologia, o Laboratório Nacional de Energia e Geologia (LNEG) organiza um passeio científico desde o Palácio Nacional da Ajuda à Residência Faria Mantero, no Restelo, com o foco na geologia da zona ocidental de Lisboa e a sua relação com o património edificado.

Coloque a ciência e a tecnologia na sua agenda. Consulte o programa completo em www.cienciaviva.pt