Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Troia com sessões de cinema ao ar livre pata toda a família

Noites cinéfilas estão de volta às sextas e sábados até 14 de setembro

Cine_NOS Troia.jpg

 

Numa parceria com a NOS, o Troia regressa neste verão com as sessões gratuitas de cinema ao ar livre nas noites de sexta-feira e sábado. A programação traz filmes para toda a família que serão exibidos até 14 de setembro.

 

Os mais icónicos filmes de animação, ação, drama e comédia, estão em cartaz no Cine NOS Troia, situado no anfiteatro do Jardim do Norte, da Alameda Pinheiro Manso.

 

Neste cinema ao ar livre, os turistas e residentes da Península de Troia-Comporta podem assistir a sessões gratuitas que decorrem todas as sextas e sábado, a partir das 21h30. Antes porém, pelas 20h00, o espaço conta já com animação para entreter as famílias que por esta altura não prescindem da tranquilidade e exclusividade deste destino único de férias.

 

Conheça a programação completa do Cine NOS Troia:

12/07 – Gru – O Maldisposto 3

13/07 – Velocidade Furiosa 8

19/07 – Coco

20/07 – Monstros Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald

26/07 – Príncipe Bué Encantado

27/07 – Mundo Jurássico: Reino Caído

02/08 – Teen Titans Go! O Filme

03/08 – Tom Raider

09/08 – Incredibles 2: Os Super-Heróis

10/08 – Mamma Mia! Here We Go Again

16/08 – Bailarina

17/08 – A Bela e o Monstro

23/08 – Mr. Link

24/08 – Bumblebee

30/08 – Ralph vs Internet

31/08 – Johnny English Volta a Atacar

06/09 – A Ovelha Choné – O Filme

07/09 – O Mistério da Casa do Relógio

13/09 – Como Treinares o teu Dragão: Mundo Secreto

14/09 – Shazam!

 

Toda a agenda de eventos do Troia disponível aqui.

O REI LEÃO (THE LION KING) | NOS CINEMAS A 18 DE JULHO

caffb804-ee39-4200-b039-a5a93cd5b382.jpg

 

FALTA UMA SEMANA!

O REI LEÃO (THE LION KING) conquista os cinemas a 18 de julho,
na versão dobrada e legendada

29ddebc9-1ce6-442e-a48e-9f1d60ce986d.jpg

A uma semana da estreia de O REI LEÃO (THE LION KING), da Disney, partilhamos todos os materiais disponíveis do filme.

O REI LEÃO (THE LION KING), da Disney, realizado por Jon Favreau, viaja para a savana africana, onde nasce um futuro rei. Simba idolatra o pai, o rei Mufasa, e leva a sério o seu próprio destino real. Mas, nem todos no reino celebram a chegada da nova cria. Scar, irmão de Mufasa, e ex-herdeiro do trono, tem os seus próprios planos. A batalha pela Pedra do Reino é marcada pela traição, tragédia e drama, resultando no exílio de Simba. Com a ajuda de um curioso conjunto de novos amigos, Simba terá que descobrir como crescer e recuperar o que é seu por direito. O elenco na versão original inclui estrelas como Donald Glover no papel de Simba, Beyoncé Knowles-Carter no de Nala, James Earl Jones interpreta Mufasa, Chiwetel Ejiofor é Scar, Seth Rogen assume o papel de Pumba e Billy Eichner é Timon. Utilizando técnicas de criação de filmes pioneiras para dar vida às personagens, O REI LEÃO (THE LION KING), da Disney, conquista os cinemas a 18 de julho de 2019.

 

 

 

Santa Casa da Misericórdia patrocina Prémios Nico pela primeira vez

Santa Casa da Misericórdia patrocina Prémios Nico pela primeira vez

Jovens talentos prometem marcar o cinema português

 

 

A Academia Portuguesa de Cinema distinguiu, pelo terceiro ano consecutivo, três jovens talentos com os Prémios Nico. São eles António Pinhão Botelho, realizador da longa-metragem “Ruth”, Alba Baptista, atriz coprotagonista do filme “Leviano” e Francisco Froes, ator e um dos rostos de “Parque Mayer”, o 3º filme português mais visto em 2018.

Segundo o Presidente da Academia, Paulo Trancoso, “os vencedores dos Prémios Nico deste ano são jovens que têm merecido a atenção da crítica e prometem marcar o cinema português”.

A Santa Casa da Misericórdia de Lisboa associa-se pela primeira vez como principal Patrocinador dos Prémio Nico, contribuindo não só com o Troféu como também com um prémio de €1000 para cada um dos vencedores.

Os Prémios Nico, assim designados em homenagem ao ator e realizador Nicolau Breyner, têm como objetivo premiar novos talentos que de alguma forma evidenciam as qualidades e os sonhos daquele que foi um dos expoentes máximos do cinema português.

Em 2018 foram distinguidos com os Prémios Nico o realizador Pedro Pinho, o ator José Pimentão e a atriz Oksana Tkach.

 

Sobre os premiados:

António Pinhão Botelho - Realizador

image016.jpg

Em 2008, após concluída a licenciatura como argumentista pela Escola Superior de Cinema de Lisboa, ganhou a Bolsa Brett Rattner que lhe permitiu matricular-se na New York Film Academy. Em 2009, recebeu uma Bolsa da Fundação Calouste Gulbenkian/Fundação Luso-Americana para a continuação dos seus estudos nos EUA. Durante esse período, escreveu, produziu e realizou dezenas de curtas-metragens, tendo obtido diversos prémios em Portugal e nos EUA. Integrou os quadros do Canal Q (2010/17), onde realizou programas diários, semanais, mini-séries, talk-shows e programas de humor e de desporto, como "Filho da Mãe", "É a Vida, Alvim" e  "Inferno", entre outros. Realizou também alguns filmes publicitários e telediscos. Na sua filmografia estão incluídas obras como “Madeleine” (2009), “A Carteira Roubada” (2009), “Vil” (2012) e “Rio” (2014). "Ruth" (2018) é a sua primeira longa-metragem, que mereceu de imediato a aclamação da crítica.

 

Francisco Froes - ator

image017.jpg

Nasceu em Lisboa e viveu a maior parte da sua infância na Califórnia, onde permaneceu até aos 10 anos. Iniciou-se como ator na série televisiva “Morangos com Açúcar” mas diz frequentemente que foi na escola Neighborhood Playhouse em Nova Iorque, onde estudou durante dois anos, que aprendeu tudo o que sabe sobre representação. Em 2012 fundou uma produtora com alguns amigos, a “Pocket Man Entertainment”, para a qual escreve, produz e realiza pequenos filmes. Nos últimos anos tem integrado o elenco de várias produções nacionais, como “Noite de Paz” (2011) ou “Deste Lado da Ressurreição” (2012) e em 2018 foi um dos protagonistas da longa-metragem “Parque Mayer”, para a qual teve uma nomeação para os Prémios Sophia.

 

Alba Baptista - atriz

image018.jpg

 

Concluiu em 2012 o curso de interpretação da ACT — Escola de Atores, tendo posteriormente trabalhado em cinema e em televisão. Em 2014, com apenas 16 anos, estreou-se na curta-metragem “Miami” e, nesse mesmo ano, integrou o elenco da novela “Jardins Proibidos”, que a projetou definitivamente para uma carreira de atriz. Desde então é presença assídua em projetos televisivos e longas-metragens como “Miami”, de Simão Cayatte, “Leviano”, de Justin Amorim, “Caminhos Magnétykos”, de Edgar Pêra, e “Tudo o que imagino”, de Leonor Noivo. Foi distinguida, em novembro de 2018, no Festival de Cinema Europeu Subtitle, na Irlanda, com o prémio Revelação (feminina). Será a protagonista da série “Warrior Nun”, da Netflix, que se encontra ainda em gravações.

 

 

 

 

 

O REI LEÃO (THE LION KING) | NOS CINEMAS A 18 DE JULHO

caffb804-ee39-4200-b039-a5a93cd5b382.jpg

 

O REI LEÃO (THE LION KING) conquista os cinemas, na versão dobrada e legendada, a 18 de julho

 

Conheça já o casting original de vozes de O REI LEÃO (THE LION KING), da Disney, juntos pela primeira vez numa fotografia do elenco. Na imagem estão Billy Eichner (Timon), Shahadi Wright Joseph (Jovem Nala), JD McCrary (Jovem Simba), Seth Rogen (Pumba), Florence Kasumba (Shenzi), Donald Glover (Simba), Beyoncé Knowles-Carter (Nala), Alfre Woodard (Sarabi), Chiwetel Ejiofor (Cicatriz), John Oliver (Zazu), Keegan-Michael Key (Kamari) e Eric André (Azizi).

2bb04794-6fbd-4b9b-900e-2ff5e344eb71.jpg

SINOPSE
O REI LEÃO (THE LION KING), da Disney, realizado por Jon Favreau, viaja para a savana africana, onde nasce um futuro rei. Simba idolatra o pai, o rei Mufasa, e leva a sério o seu próprio destino real. Mas, nem todos no reino celebram a chegada da nova cria. Scar, irmão de Mufasa, e ex-herdeiro do trono, tem os seus próprios planos. A batalha pela Pedra do Reino é marcada pela traição, tragédia e drama, resultando no exílio de Simba. Com a ajuda de um curioso conjunto de novos amigos, Simba terá que descobrir como crescer e recuperar o que é seu por direito.

 

 

Cinco dias de sessões de cinema e conversas abertas com cineastas

Promovidos pela Escola das Artes, até 6 de julho

Cinco dias de sessões de cinema

e conversas abertas com cineastas

 

Summer School on Art & Cinema apresenta programa aberto à comunidade, com atividades que chegam a diferentes locais do Porto

 

Atom Egoyan_Créditos_Don Hall_courtesy of the Mac

 

“Cinema” vai ser a palavra de ordem até 6 de julho, na cidade do Porto. Depois do sucesso da primeira edição, a Escola das Artes da Universidade Católica Portuguesa volta a promover a Porto Summer School on Art & Cinema, uma iniciativa dedicada ao cinema que junta alguns dos mais reconhecidos nomes da sétima arte. Para além de atividades orientadas para artistas, estudantes e realizadores, o evento apresenta também um programa gratuito e aberto à comunidade, com exposições, exibições de filmes e conversas com realizadores que vão chegar a vários espaços culturais da Invicta. 

 

O programa aberto da Porto Summer School on Art & Cinema arranca hoje com a inauguração da exposição Julião Sarmento. Film Works, às 19h30, na Escola das Artes, seguindo-se uma conversa entre o artista e o curador da mesma, Nuno Crespo, sobre o trabalho que Julião Sarmento tem desenvolvido com a imagem em movimento. Amanhã, o Teatro Municipal do Rivoli recebe Atom Egoyan, reconhecido cineasta egípcio que vai estar pela primeira vez no Porto, para a exibição do filme Futuro Radioso e para um debate no qual, juntamente com Julião Sarmento e Guilherme Blanc, irá discutir a natureza transdisciplinar do cinema contemporâneo a partir da sua experiência artística.

 

Na Casa das Artes, Admirável Mundo Novo reúne uma seleção de filmes da artista brasileira Ana Vaz, no dia 4 de julho, numa coorganização com o Cineclube do Porto. A sessão será seguida por uma conversa com a cineasta e Carles Guerra. Já o dia 5 fica marcado pela presença de Todd Solondz – cineasta premiado em festivais de cinema como Sundance, Berlim, Fantasporto e Festival Internacional de Veneza – que irá apresentar o seu filme A Vida em Tempo de Guerra, no Cinema Passos Manuel, numa parceria com o Festival Curtas de Vila de Conde.

 

Os cinco dias dedicados ao cinema encerram, na Fundação de Serralves, com a exibição dos filmes de João Maria Gusmão e Pedro Paiva. Durante a sessão serão projetados filmes recentes da dupla em 16mm. A conversa aberta contará com a presença de Sabeth Buchmann (historiadora, crítica de arte e professora na Academia de Belas Artes de Viena), Rainer Bellembaum (cineasta e professor na University for Applied Arts de Viena) e Nuno Crespo (diretor da Escola das Artes). Todas as sessões têm início às 21h30. Mais informações em http://artes.porto.ucp.pt/summerschool?

Academia Portuguesa de Cinema mostra ao público português as 35 melhores curtas-metragens do mundo

3, 4 e 5 de julho, em Lisboa

A Academia Portuguesa de Cinema, em parceria com a Académie des César e o apoio da Cinemateca Portuguesa, organiza a 6ª edição do evento Les Nuits en Or, que regressa a Lisboa nos dias 3, 4 e 5 de julho, na Cinemateca – Museu do Cinema, para exibir 35 curtas-metragens premiadas pelas academias de cinema de todo o mundo.

Para Paulo Trancoso, presidente da Academia Portuguesa de Cinema, “Les Nuits en Or proporciona uma viagem cultural pelos 33 países participantes e uma oportunidade única para as academias de cinema darem a conhecer, a nível mundial, as CM e potenciar o intercâmbio cultural”.

Este ano, Portugal será representado por “Coelho Mau”, de Carlos Conceição, vencedor do Sophia de Melhor Curta-Metragem de Ficção 2018.

Em edições anteriores, Les Nuits en Or deu a conhecer ao mundo as curtas-metragens portuguesas “Kali – O Pequeno Vampiro”, de Regina Pessoa (2014), “Luminita”, de André Marques (2015), “Encontradouro”, de Afonso Pimental (2016), “Amélia & Duarte”, de Alice Guimarães e Mónica Santos (2017) e “Menina”, de Simão Cayatte (2018), vencedor do Prémio Sophia para Melhor Curta-Metragem de Ficção de 2017.

O evento tem entrada gratuita e irá contar com duas sessões diárias (18 e às 20 horas).

Les Nuits En Or é uma iniciativa da Académie des César, com o apoio da Renault. Em Portugal, o evento é organizado pela Academia Portuguesa de Cinema, com apoio da Cinemateca e da Pleno.

Cinema Paraíso completa 20 anos de projeções ao ar livre

Cinema Paraiso na Devesa.jpg

 

São 20 anos de cinema ao ar livre em Vila Nova de Famalicão e são muitos os milhares de pessoas que não perdem a oportunidade de assistir a uma excelente escolha de filmes em vários espaços públicos do concelho. Cinema Paraíso - Projeto Itinerante de Cinema Ao Ar Livre, coprodução da Casa das Artes de Famalicão e do Cineclube de Joane, inicia em julho e prolonga-se pelo mês de agosto.

É verão, tempo de virar o projetor para o exterior, de direcionar as luzes do Cinema para a cidade, para as praças, para dentro das urbanizações. Nas 19 edições anteriores, procurou-se a consolidação de uma das principais ideias do projeto: a sua itinerância. Isto foi conseguido e permitiu ao Cinema Paraíso estacionar em cerca de 30 locais, no percurso que já chegou a metade das freguesias do concelho de Vila Nova de Famalicão.

Na 20.ª edição, será dada continuidade no levar o cinema às populações, fazê-lo com escolhas criteriosas, com propostas que cheguem ao grande público, que ambicionam surpreender o espetador, cinema popular de várias proveniências, do presente e do passado.

Este verão, o Cinema Paraíso terá seis projeções no Anfiteatro do Parque da Devesa, o seu local de eleição desde 2013, e deambulará por três freguesias: Cabeçudos, Lemenhe e S. Simão de Novais.

No dia e na hora de cada sessão é recomendável ponderar a companhia de um agasalho, uma manta, uma almofada ou uma cadeira de praia: o Cinema Paraíso projeta luz e histórias a partir das 22h00. A entrada é livre.

No Parque da Devesa a programação do Cinema Paraíso tem agendados os seguintes filmes: 10 de julho – Bohemian Rhapsody de Bryan Singer; 17 de julho – Missão: Impossível - Fallout de Christopher McQuarrie; 24 de julho – Homem-Aranha: No Universo Aranha (versão portuguesa) de Peter Ramsey, Rodney Rothman, Bob Persichetti; 7 de agosto – Uma Aventura do Outro Mundo (versão portuguesa) de Christoph Lauenstein, Wolfgang Lauenstein, Sean McCormack; 14 de agosto – O Carteiro de Pablo Neruda de Michael Radford; 21 de agosto – Ou Nadas ou Afundas de Gilles Lellouche.

Na itinerância pelas freguesias, Cinema Paraíso aponta a seguintes películas: 11 de julho (quinta-feira) -  S. Simão de Novais, na Praça Jerónimo de Castro, Dumbo de Tim Burton; 14 de julho (domingo) –  Cabeçudos, no adro da Capela de Santa Catarina, Cinema Paraíso de Giuseppe Tornatore; 26 de julho (sexta-feira) -  Lemenhe, no adro da Capela de Nossa Senhora do Carmo, O Rio do Ouro de Paulo Rocha.

 

Teatro que sai do “Baú dos Segredos”

 

Julho é sinónimo de um exercício cénico de introdução ao Teatro que assume por nome “Baú dos Segredos” e que mobiliza um exército de pequenos atores e atrizes dos 8 aos 18 anos de idade.

“Baú dos Segredos” é um ateliê de teatro anual, da responsabilidade da Casa das Artes de Famalicão e do encenador João Regueiras que se realiza, nas instalações da Casa das artes de Famalicão, de outubro a julho do ano seguinte.

É de um texto de Alice Vieira, que mergulha numa história da tradição popular, que é retirado a primeira das encenações teatrais que a Casa das Artes de Famalicão programa e coproduz para o mês de julho. “Leandro, o Rei de Helíria” sobe a cena nos dias 24 e 25 de julho, às 21h3, no Grande Auditório. Segundo a história, um pai decide repartir o reino pelas filhas e põe-nas à prova, acabando, contudo, por deserdar a mais nova. Esta vem a revelar-se, afinal, a única que era merecedora da sua generosidade. Vítima do próprio orgulho e castigado pela sua cegueira, o rei expia as culpas mergulhando na miséria, até ser finalmente salvo e perdoado pela filha mais nova entretanto reencontrada.

Uma história onde se fala de amor, de ingratidão, e do que acontece a um rei quando a coroa lhe cai da cabeça, num enredo em muitos aspetos semelhante ao de "Rei Lear", de Shakespeare.

A entrada custa quatro euros, ou dois para os portadores do Cartão Quadrilátero Cultural.

“Leandro, o Rei de Helíria” é encenado por João Regueiras, numa adaptação de Ana J. Regueiras e a interpretação está a cargo dos alunos da Classe A (10 aos 14 anos), do “Baú dos Segredos”.

De 26 e 27 de julho, às 21h30, o Grande Auditório da Casa das Artes assiste à peça “Mulheres Invisíveis”, numa interpretação da Classe B (15 aos 18 anos), do Baú dos Segredos e encenada por Ana J. Regueiras. Uma viagem ao trágico 25 de março de 1911 que, na cidade de Nova Iorque, viu perecer mais de uma centena de mulheres no incêndio na fábrica da Triangle Shirtwaist. O título “Mulheres Invisíveis” ilustra o facto de muitas das vítimas, por serem mulheres, operárias e imigrantes, não terem sido alertadas para o incêndio que consumiu o prédio onde laboravam. Trabalhavam, à mingua de uns 6 a 10 dólares por semana, 14 horas por dia, em semanas de trabalho de 60 a 72 horas. Na hora da calamidade, a sua maior desgraça foi terem sido ignoradas. Mulheres invisíveis pela cegueira do lucro a qualquer custo, pela falta de condições de segurança no trabalho e pela completa ausência de sentido humano. “Quando tudo terminou, juntei-me ao meu povo. As outras mulheres cujas vidas, as mortes, não foram vistas. Nós, as Mulheres Invisíveis. Eu vejo-as. E elas a mim.”

A entrada custa quatro euros, ou dois para os portadores do Cartão Quadrilátero Cultural.

 

Junho com várias propostas de cinema nos equipamentos culturais

Biblioteca Municipal de Palmela.jpg

 

No mês de junho, há filmes de vários géneros para ver na Biblioteca Municipal de Palmela, Cineteatro S. João e Auditório Municipal de Pinhal Novo, com destaque para o cinema infantil.

Na Biblioteca Municipal de Palmela, as tardes de sábado continuam a proporcionar sessões de cinema para o público infantil/juvenil, organizadas pela Câmara Municipal de Palmela. Em junho, vão ser exibidos os filmes para maiores de 6 anos “Zootrópolis”, no dia 8, e “Hop”, no dia 22, sempre às 16h00, com entrada livre.

            O cinema infantil vai também marcar presença no Cineteatro S. João, em Palmela, que exibe “A Idade da Pedra”, de Nick Park, no dia 9, às 16h00. O filme de animação/comédia, para maiores de 6 anos, é de 2018 e tem 89 minutos de duração. “Astérix – O segredo da Poção Mágica”, de Alexandre Astier e Louis Clichy, é a sugestão para dia 23, às 16h00, no Auditório Municipal de Pinhal Novo. Trata-se de um filme de animação/comédia para maiores de 6 anos, de 2018, com 105 minutos de duração. As duas sessões são organizadas pela Câmara Municipal e os bilhetes têm o valor de 2,16 euros.

            O Auditório Municipal de Pinhal Novo recebe também as já habituais sessões do Cineclube Odisseia, em junho com três propostas: “O Fantástico Senhor Raposo”, de Wes Anderson, no dia 12 (animação, aventura e comédia, de 2009, para maiores de 6 anos e com 1h27min. de duração); “Cold War”, de Pawel Pawlikowski, no dia 19 (drama, música e romance, de 2018, para maiores de 14 anos e com 1h29min. de duração); e “Get Out”, de Jordan Peele, no dia 26 (horror, mistério e thriller, de 2017, para maiores de 16 anos, com 1h44min. de duração). Todas as sessões têm início às 21h30 e são organizadas pela Associação Juvenil Odisseia, com o apoio da Câmara Municipal. Informações: cineclubeodisseia2017@gmail.com.

Cinema ao Ar Livre e Concerto com os Sem Trambelho no Centro Cultural de Poceirão

Dia 22 de junho

Cinema ao Ar Livre e Concerto com os Sem Trambelho

no Centro Cultural de Poceirão

 

 

O Centro Cultural de Poceirão apresenta, no dia 22 de junho, às 21h30, cinema ao ar livre(no pátio), com a projeção do filme português de comédia “7 pecados rurais”, realizado por Nicolau Breyner.

CCP.jpg

 

A noite encerra com a atuação do grupo musical “Sem “Trambelho”, de Pinhal Novo, cujo repertório é baseado na banda sonora do filme.

 

A iniciativa, promovida pela Câmara Municipal de Palmela, tem entrada gratuita. Mais informações através do telef. 212336655.