Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

ENCONTROS MÁGICOS 2019 | 17 a 22 de Setembro de 2019

f7e12340-4d61-44a4-887f-9ee3b0862f76.png

 

 

Foi em 1992 que a Câmara Municipal de Coimbra organizou o 1º Festival Internacional de Magia de Coimbra. Depois de um interregno de cinco anos, em 1998, o festival renasce integrado no certame, mais abrangente e de maior dimensão, que hoje conhecemos como ENCONTROS MÁGICOS, deixando de consistir numa única Gala Internacional de Magia para passar a estender-se por seis dias de intensa programação.

Como vem sendo hábito, é na terceira semana de Setembro que Coimbra se assume como absoluta capital mundial da magia. Este ano, a 23ª Edição do Festival Internacional de Magia de Coimbra, decorrerá de 17 a 22 de Setembro.   Vinte artistas, oriundos de países como Brasil, Estados Unidos, Chile, Alemanha, Austrália, México, Espanha, Reino Unido, França e Portugal, num total de dez, realizarão cento e seis espetáculos que não acontecerão apenas no centro da cidade mas também em cinco Juntas e Uniões de Freguesias, no sentido da crescente descentralização já iniciada em 2015. 

Este ano, as Grandes Galas Internacionais de Magia terão lugar no Convento São Francisco, nos dias 21 e 22 de Setembro, Sexta-feira e Sábado, respetivamente.

A componente solidária é uma das mais indeléveis marcas dos Encontros Mágicos. A Magia Solidária contará com espectáculos a decorrerem no Estabelecimento Prisional de Coimbra, no Hospital Pediátrico, e no Instituto de Oncologia. 

Os ENCONTROS MÁGICOS arrancam a 17 de Setembro, mas já nos dias 14 e 15 de Setembro, e tal como no ano anterior, terão um pré-programa a decorrer na Figueira da Foz.

Em edições anteriores, os “Encontros Fotográficos de Coimbra” uniram-se aos ENCONTROS MÁGICOS fazendo deslocar a Coimbra centenas de fotógrafos atraídos pelo evento. Este ano, essa iniciativa espontânea e independente estará ainda mais entrosada no Festival.

Na sequência do êxito da iniciativa “Primeira Aula de Magia”, iniciada em 2015, esta repetir-se-á possibilitando a dezenas de jovens um curso de iniciação à Arte Mágica e, ainda, dando continuidade ao trabalho desenvolvido nos anos anteriores, teremos uma vez mais a “Segunda Aula de Magia” destinada aos que frequentaram as aulas em edições passadas. Este ano, tal como no ano passado teremos uma Aula de Magia, Quarta feira 18 de Setembro para crianças com necessidades especiais.

Nesta edição e depois do mega êxito dos anos anteriores voltaremos a receber o espectáculo: ”MAGIA NA ESCURIDÃO com Juan Esteban Varela”!

O reconhecido mago chileno protagoniza uma experiência verdadeiramente inclusiva, sem precedentes, convidando a comunidade invisual a “ver” um espectáculo de magia em que o sentido da visão não intervém. Aos não invisuais serão colocadas vendas para que assistam e vivam esta experiência única em circunstâncias tendencialmente idênticas. Este espectáculo decorrerá de terça a sábado no Convento de S. Francisco.

Ao longo da história dos ENCONTROS MÁGICOS, muitas foram as ocasiões em que o programa foi sendo ampliado no sentido de continuadamente dar resposta à singular e notável criação de públicos que, em cada ano, incrementa os destinatários do Festival Internacional de Magia. Esse crescimento, tanto em público regular como em conteúdos, foi sempre orgânico e resultante da introdução de elementos justificados e que traduziram um extraordinário valor acrescentado quer em dimensão, quer em originalidade.

Na edição de 2019 verifica-se que uma das companhias convidadas (Vik & Fabrini, do Brasil) integra um artista plástico com uma carreira completamente distinta e reconhecida para além do universo da arte mágica. Fabrini Crisci, nascido em São Paulo, no Brasil, em Dezembro de 1964, é um notável artista plástico, pintor ilustrador, com um enorme currículo de exposições em todo o mundo que se iniciou em 2006, ao expor as suas obras em Monte Carlo. Essa exposição resultou num selo postal comemorativo no Mónaco, pessoalmente escolhido pelo Príncipe Alberto II.

Fabrini Crisci mostra o universo em que vive através de sua pintura. Imagens e personagens dos palcos, cabarés e vestiários de todo o mundo são sua inspiração. Cada um de seus personagens tem sua própria história. Os seus sonhos, pesadelos e outras fascinações tomam forma. A sua imaginação torce e remodela imagens de cabarés e fantasias.

Luis de Matos, conhecedor da obra do artista plástico Brasileiro, escolheu 15 lâminas para a exposição “Universos Mágicos” que traz a Coimbra o génio de Fabrini Crisci no âmbito da 23ª Edição do Festival Internacional de Magia de Coimbra e que estará patente no foyer do Convento São Francisco durante toda a duração do certame (17 a 21 de Setembro).

As 15 obras da exposição reproduzem-se aqui podendo melhor conhecer-se o artista no seguinte sítio da internet: https://www.fabriniart.com

 

8062b600-490e-43e6-8859-c2dd4a2c278c.png

A Câmara Municipal de Coimbra e, em especial, o seu pelouro da Cultura, voltaram a confiar à Luis de Matos Produções, Lda. a organização do maior e mais prestigiado evento que, nesta área artístico-cultural, se realiza no continente Europeu.

Na sua 23ª Edição, a programação do Festival continua a ir em busca de todos os tipos de público. Dos acamados aos estudantes, dos transeuntes aos espectadores assíduos, todos irão, uma vez mais, e em mais larga escala, tomar contacto com esta intensa semana mágica que em breve volta a acontecer na cidade de Coimbra. Os ENCONTROS MÁGICOS estão de regresso e vão surpreender uma vez mais!

 

Les Siestes Électroniques anuncia o cartaz para o regresso a Portugal

image001.jpg

 

 

Depois de anunciado o regresso do festival a Portugal para o final de Agosto são agora conhecidos os artistas que passarão pelo palco no jardim da Casa das Artes em Coimbra. O elenco é marcadamente internacional, prometendo repetir a aventura da primeira edição com a aposta em músicos que transcendem géneros e convenções mais imediatas.

AZF, Damien Dubrovnik, D.K., Front de Cadeaux, Gonzo, Joshua Abrams & Natural Information Society, Live Low, Vessel

 

O Les Siestes Électroniques decorre entre 30 de agosto e 1 de Setembro na Casa das Artes Bissaya Barreto com Entrada Livre.

 

 

Sobre os Artistas

 

Damien Dubrovnik

O duo dinamarquês de Christian Stadsgaard e Loke Rahbek está na origem da editora Posh Isolation, sediada em Copenhaga e focada na edição de artistas escandinavos. Os concertos da dupla são únicos e irrepetíveis e não deixam saudades de um concerto clássico. A música deles pode sentir-se como se explodisse alguma coisa a menos de 30 metros.

 

 

D.K.

Produtor residente em Paris, D.K. edita pelas prestigiadas Melody As Truth, Music From Memory’s Second Circle e Antinote, onde editou este ano o EP Riding For A Fall.

As modas retro já não impressionam ninguém e D.K. traz-nos de volta o verdadeiro espírito do house, uma multidão futurista, hedonista, sorridente e sobretudo gente que dança. Música para dar de beber à alma daqueles que querem ser felizes.

 

 

 

Gonzo

O português a viver entre Tenerife e Londres onde fundou a peculiar Discrepant Records.

As suas colagens são uma paisagem com recolhas de sons gravados pelo mundo, música tradicional e de produção própria. De alguma forma tudo isto soa mais natural do que a música deveria ser, como se o som fosse alguém com quem nos cruzamos na rua e olhamos de alto abaixo para depois notar que faz o mesmo.

 

 

Live Low

O quarteto de Ece Canli, Gonçalo Duarte (Equations), Miguel Ramos (Torto, Naco) e Pedro Augusto (Ghuna X) está sediado no Porto onde edita com a conterrânea  Lovers & Lollypops.

Live Low está a criar música popular contemporânea como a música popular devia ter sido sempre. Música com coração e cheia de ideias, onde ouvimos a herança eletro-acústica, muito avant-rock e as recolhas arquivadas por Giacometti e Lopes Graça, como ingredientes para música que perdurará.

 

 

AZF

A histórica DJ francesa é também curadora do festival Qui Embrouille Qui.

Se a sua música fosse um momento era um sábado à noite. Quando as pernas já não obedecem e dançam, dançam tanto que só caindo podemos parar. Catarse e exaustão porque às vezes é disso mesmo que precisamos.

 

 

Joshua Abrams & Natural Information Society

Vindo da cena jazz de Chicago, Joshua Abrams apresenta-se desde 2010 acompanhado por um imprevisível conjunto de músicos, os Natural Information Society.

A América, de onde vem a música de Joshua e dos seus pares vai ser sempre o cenário das nossas aventuras. Pode não ser a terra prometida mas a poesia e os poetas terão sempre ali o seu legado de protesto e amor e é disso que parece ser feita a música deles.

 

Vessel

Conhecemos Seb Gainsborough em 2012 com o EP Order Of Noise já editado pela nova-iorquina Tri Angle de onde mais recentemente publicou o disco Queen Of Golden Dogs.

O tipo é um génio. Álbum após álbum, ele rebenta as expectativas enquanto abraça novas formas de criação para fazer coisas únicas.  A sua música é tão líquida quando sólida, e pode tomar mais formas que o T-1000 enquanto inventa novos significados para a palavra coerência.

 

 

Front de Cadeaux

Ugo e Maurizio estão há 10 anos a aperfeiçoar a forma mais lenta de agitar uma pista de dança tocando discos de 45RPM a 33RPM.

Imaginem que dançam ininterruptamente num grande relvado durante três longas tardes de verão. Front de Cadeaux seriam um beijo suado com que se despedem no fim. Tão lânguido e intenso como um amor de verão. Alguém devia ler um cartaz onde se lesse: vamos amar uma última vez antes que o planeta colapse.

HUGO SOUSA TEM NOVA TOUR

d77b0876-eb2a-42ee-965f-8ea1030bd981.png

 

Hugo Sousa está de volta aos palcos para mais uma tour pelo país! O comediante do norte apresenta o seu novo solo de stand-up comedy, "Fora Do Contexto".

Depois do sucesso da última tour, Maturado, Hugo Sousa regressa aos palcos com o seu humor de observação e muito storytelling. Segundo Hugo, toda a gente se depara com situações caricatas, mal-entendidos e embaraços, porque alguém está Fora do Contexto… Assim é esta tour, uma viagem por esses momentos. 

A tour tem início em Viseu a 3 de Outubro e arranca depois para Almada, dia 10, Porto a 16 de Outubro seguido de Coimbra, Braga e Lisboa a 29 de Outubro no Teatro Villaret. Em Novembro, “Fora Do Contexto”, vai passar pelo Estoril, Leiria, Guimarães, Aveiro e termina em Londres dia 17. 

O espectáculo está marcado para as 22h. Os bilhetes já estão à venda na Ticketline e custam entre 12 a 16 euros.

Heineken Festival M > 5 a 7 julho na praia fluvial de Coimbra

640px_e5d1012cb57fd2042115.jpg

 

 

Heineken Festival M
5 a 7 de Julho na Praia Fluvial Palheiros e Zorro
Torres do Mondego, Coimbra

 
Depois da estreia, em 2018, o Festival M está de regresso à praia fluvial de Torres do Mondego, Coimbra. O evento é co-organizado pela Junta de Freguesia de Torres de Mondego e Fluvial Bar e conta com o apoio da Heineken.
Vão ser três dias de muita animação, com um cartaz diversificado que passa pelo rock’n’roll, folk, blues, pop e eletrónica.
Os concertos começam sempre às 20h30 e a entrada é livre.
 
 
Sexta, 5 Julho                         Sábado, 6 Julho                   Domingo, 7 Julho
The Twist Connection              Quinta-Feira 12                      Lone Lisbonaires
The Town Bar                           Bom Marido                           The Loafing Heroes
Claraboia                                  Spicy Noodles

 

 

Teatro musical Montanha-Russa: um mergulho vertiginoso na adolescência em Coimbra

Montanha-Russa©TUNA_TNSJ.jpg

No sábado, dia 8 de Junho às 21h30, o auditório do Convento de São Francisco transporta-nos numa viagem vertiginosa pela voz de quatro personagens de épocas diferentes que, através das suas histórias pessoais, nos conduzem a uma (re)descoberta à(s) adolescência(s).

 

Concebido por Miguel Fragata e Inês Barahona (Formiga Atómica) a que se juntam Hélder Gonçalves e Manuela Azevedo – o compositor e a vocalista dos Clã -, “Montanha-Russa” faz disputar em palco o teatro e a música, desafiando as convenções do “teatro musical”, como quem desafia as leis da gravidade num loop.

 

“Montanha-Russa” mergulha na adolescência. Retira-a do lugar dos lugares-comuns e procura aproximá-la da dimensão da intimidade. Uma dimensão secreta, privada, interior, mas que vive no desejo de ganhar um palco onde se possa exibir. É o diário deixado em cima da mesa, o diário destilado nas redes sociais, ou o diário perigosamente transportado para o liceu: uma intimidade a gritar “leiam-me!”, uma geração a querer fazer-se ouvir ao som da música.

 

O extenso trabalho de pesquisa que deu origem ao espectáculo fez-se junto de várias centenas de adolescentes, no território nacional e também na região da Normandia, em França. Diários escritos por adolescentes entre as décadas de 1970 e 2000, letras de canções, filmagens, entrevistas e audição de jovens sobre questões que os preocupam,  foram o ponto de partida para a peça, que se apresenta este sábado para uma sessão única em Coimbra.

 

Os bilhetes têm o custo de 6€ a 8€ (descontos disponíveis para famílias, menores de 12 anos, estudantes, maiores de 65, grupos de +10 pessoas) e estão à venda na ticketline.

 

INFORMAÇÕES

 

Montanha-Russa

um espectáculo de Miguel Fragata e Inês Barahona / Formiga Atómica

com música de Hélder Gonçalves

duração 1h50
M/12

 

Sábado, 8 de Junho às 21h30

Convento de São Francisco | Avenida da Guarda Inglesa, n.º1ª, Coimbra

Facebook: https://www.facebook.com/events/2237328723187766/

FICHA TÉCNICA

encenação: Miguel Fragata
texto e letras: Miguel Fragata e Inês Barahona
música original: Hélder Gonçalves
com: Anabela Almeida, Bernardo Lobo Faria, Carla Galvão, Miguel Fragata e (música ao vivo) Hélder Gonçalves, Manuela Azevedo, Miguel Ferreira, Nuno Rafael
movimento: Marta Silva

desenho de luz: José Álvaro Correia
direção técnica (luz): Nuno Figueira

desenho de som e direção ténica (som): Nelson Carvalho

roadie: Norberto Duque
cenografia: F. Ribeiro
figurinos: José António Tenente
vídeo: Henrique Frazão
produção executiva: Clara Antunes e Luna Rebelo / Formiga Atómica
coprodução: TNDM II, TNSJ, Teatro Virgínia, Formiga Atómica
coprodução fase de pesquisa: Festival Terres de Paroles
Projeto financiado por República Portuguesa - Cultura I DGArtes – Direção-Geral das Artes

 

 

 

 

Grande Estreia "A Menina do Mar"- companhia de teatro ADN de Palco

54256648_2077249848976844_8788447181557202944_o.jp

 
Este projeto, surge como comemoração do centenário do nascimento de Sophia de Mello Breyner Andresen. A obra “A Menina do Mar” é o primeiro e mais conhecido conto da autora sendo uma das mais célebres obras da literatura infantil portuguesa e fazendo parte do Plano Nacional de Leitura portuguesa. Esta obra é extremamente relevante no mundo da literatura infantojuvenil, a narrativa é simples e a história surge como quem faz uma tentativa de conservar a beleza profunda das coisas. Em muitas das suas obras, Sophia convida os mais pequenos a alimentarem o sonho e o mundo do imaginário, recorrendo aos ingredientes típicos da sua obra poética: o mar, a terra e a relação do homem com a natureza. Esses foram, também, os ingredientes para a concretização deste espetáculo sendo este uma reposição do conto em forma teatral, com adaptação do texto original, realizado de forma a privilegiar a prosa da autora. A obra foi adaptada ao teatro musical numa versão didática e mágica dedicada à infância que nos leva até ao misterioso universo do Mar no imaginário de Sophia de Mello Breyner Andresen.  É um espetáculo que faz reflexões sobre temas importantes: a saudade, a amizade, o sonho, o medo, a alegria, o imaginário, a Terra, o Mar, as estações do ano, a poluição, a reciclagem, entre outros.  Uma história para crianças mas com uma mensagem para as pessoas mais crescidas capazes de entender que não devemos desistir dos nossos sonhos à primeira dificuldade.  É um espetáculo divertido, sensível, repleto de aventuras, divertidas personagens com figurinos coloridos e um duplo cenário mágico. Tudo isto converte o palco num mundo de fantasia, música, luz, cor, fumo e até bolhas de sabão!  Um espetáculo que ficará para sempre na memória de todos os espetadores! 
 

Rão Kyao na Igreja dos Grilos Porto com o Recital "Sopro de Vida Maria" 2 Março às 21:00

O ‘sopro de vida’ da flauta de Rão Kyao

Recital “Sopro de Vida Maria” na Igreja dos Grilos do Porto

 

– O recital «Sopro de Vida Maria» de Rão Kyao vai ser apresentado, dia 2 de Março, às 21h00, na Igreja de São Lourenço, popularmente conhecida pela Igreja dos Grilos, na cidade do Porto.

 

Este é o segundo CD do projecto «Sopro de Vida», agora com o subtítulo «Maria», que continua o seu percurso direccionado para “divulgar a música litúrgica de autores portugueses”,

Para Rão Kyao, a música “ajuda a aproximar de Deus”, constituindo “talvez o melhor veículo para revelar o que é misterioso”.

O artista, conhecido pelas interpretações em flauta de bambu é considerado um ‘embaixador’ da música portuguesa.

 

O concerto é gratuito e integra o ciclo Sopro de Vida, um projecto que deu origem a dois álbuns, actuando por todo o país em diversas igrejas e monumentos. Todos os temas seleccionados contêm obras de “grandes autores consagrados” de Portugal e “vários temas de origem popular” que tocam as pessoas “pela sua simplicidade, profundidade devocional e riqueza melódica”.

 

A flauta de bambu, acompanhada ao órgão por Renato Silva Júnior, interpreta 21 temas Marianos.

Os autores das músicas são o padre António Cartageno, Carlos Silva, Manuel Faria, Manuel Luís, José Pedro Martins, para além de um tema de Rão Kyao e ainda outros de origem popular.

unnamed - Cópia.jpg

RAOKYAOPOSTFB2.png

 

Ciclo de Concertos de Coimbra apresentado na Quinta das Lágrimas

c35c08d8-5965-443a-8c27-5fb436b37277.jpg

 

O Ciclo de Concertos de Coimbra (CCC) está de regresso à Cidade Mágica para a sua quarta edição. Através da música, este evento pretende reabilitar uma certa atmosfera mítica que sobreleva a carismática cidade universitária do conhecimento, do Mondego, a cidade dos estudantes e dos amores de Pedro e Inês. Entre 15 a 17 de março alguns dos espaços históricos e contemporâneos mais emblemáticos de Coimbra recebem os oito espectáculos que integram esta edição.

O Ciclo de Concertos de Coimbra foi fundado pelo pianista Tiago Nunes em 2016 com o objetivo de ajudar associações locais com dificuldades financeiras. A bilheteira das duas primeiras edições reverteu integralmente para a Associação de Defesa e Apoio da Vida (ADAV) e LAHUC - Liga dos Amigos dos Hospitais da Universidade de Coimbra, respetivamente.
O evento tem-se vindo a consolidar na oferta cultural da cidade de Coimbra e da região Centro.

ZÉ MANEL TAXISTA, UMA COMÉDIA COM BRILHANTINA - Digressão 2019

ZÉ MANEL TAXISTA, UMA COMÉDIA COM BRILHANTINA

Digressão 2019

ZMT_digressão.jpg

 

ZÉ MANEL TAXISTA, UMA COMÉDIA COM BRILHANTINA celebra os 20 anos de existência de uma das personagens mais emblemáticas e acarinhadas de Maria Rueff. Na Lisboa de hoje, como noutras cidades de Portugal, Zé Manel, taxista, pai de família e adepto ferrenho do Benfica, já não reconhece os cantos-à-casa da "sua" cidade e anda arreliado. Entre turistas, tuk-tuks e alojamentos locais, Zé Manel despista-se... naturalmente!

 

Convento São Francisco (Coimbra) – 19 Janeiro

Teatro das Figuras (Faro) – 26 Janeiro

Centro Cultural de Tábua – 31 Jan a 2 Fevereiro

Coliseu Porto Ageas – 8 e 9 Fevereiro

Teatro Municipal Joaquim Benite (Almada) – 15 a 17 Fevereiro

CAE Figueira da Foz – 23 Fevereiro

Fórum Braga – 9 Março

 

Vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=gERxH78uWI0

 

Com Maria Rueff, FF, Rafael Barreto, Ruben Madureira, Sissi Martins e Filipe Rico, Marta Mota, Sara Martins, Tiago Coelho Participação Especial João Maria Pinto Agradecimentos Io Apoloni, Ludmila Gubernaciuc Banda André Galvão (baixo/guitarra), Artur Guimarães (teclado), Tom Neiva (bateria/percussão) Texto Maria João Cruz, Filipe Homem Fonseca, Mário Botequilha, Rui Cardoso Martins Encenação António Pires Direcção Musical e Sonoplastia Artur Guimarães Cenografia Luísa Pacheco

 

Figurinos Dino Alves Coreografia Paula Careto Desenho de Luz Paulo Sabino Programação de Luz Vasco Silva Make-Up Paula Carmo Cabelos Nuno Souto

 

Ilustração Ricardo Galvão Fotografia e Conteúdos WEB Renato Arroyo Direcção de Cena e Assist. Figurinos Margarida Sales Assist. Cenografia Luísa Gago Prof. Patinagem Diogo

 

Augusto Assist. Encenação João Maria Música Artur Guimarães, Fernando Tordo, Herman José, João Gil, Jorge Palma, Manuel Paulo, Paulo de Carvalho, Sérgio Godinho, Xutos & Pontapés 

 

Produção UAU 

M/12

 

Diz a Imprensa:

 

“Entre ‘alfinetadas’ assertivas e muito amor ao seu Benfica, Zé Manel Taxista tornou-se uma das personagens mais marcantes de Maria Rueff. Logo ela, igualmente criada num bairro típico de Lisboa e também observadora atenta e crítica da realidade que a  rodeia. Talvez por isso, os taxistas da cidade a tratem por colega quando a atriz lhes bebe a inspiração no banco de trás.”, Vanessa Fidalgo, Correio da Manhã, Nov 2018

 

“Zé Manel Taxista é Maria Rueff, tem agora vinte anos, mas é o mesmo desde o início, só que a Lisboa de hoje é agora outra e no palco vai lá estar tudo deste boneco, que por vezes até se confunde com a própria Maria Rueff.”, José Carlos Barreto, TSF, Out 2018

 

“O boneco mais famoso da atriz nasceu no bairro da Graça, quando ela era criança e observava os tipos lisboetas mais genuínos. Há duas décadas, de repente, o boneco despontou num programa de Herman José e agora está de volta aos palcos através do musical “Zé Manel Taxista, Uma Comédia com Brilhantina”.,Bruno Horta, Observador, Out 2018

 

“O protagonista é um dos personagens mais populares de Maria Rueff, o taxista de bigode, fungadelas e brilhantina que adora falar do seu Benfica e não perde uma oportunidade de discorrer sobre o que o impacienta, dos turistas invasores aos enxames de tuk-tuks.”, Jornal Público, Set 2018

 

“Com patinagem, música ao vivo e textos humorísticos de Maria João Cruz, Filipe Homem Fonseca, Mário Botequilha e Rui Cardoso Martins, Zé Manel Taxista - Uma Comédia com Brilhantina marca o regresso de Maria Rueff ao seu boneco benfiquista, 20 anos depois de o ter criado.”, Rita Bertrand, Sábado, Set 2018

 

“Maria Rueff e a sua interpretação do carismático Zé Manel Taxista estreia-se esta quinta, 27, no Casino Lisboa para celebrar, pela primeira vez em palco, os 20 anos da existência desta personagem criada originalmente para televisão e rádio.”André Moreira, Visão, Set 2018

 

 “Brilhantina no cabelo, óculos escuros, um bigode farfalhudo e comentários engraçados sobre futebol. Zé Manel Taxista é uma das personagens mais icónicas (e antigas) de Maria Rueff — foi criada há 20 anos — e chega ao teatro.”, Ricardo Farinha, NIT, Set 2018

 

“Apareceu pela primeira vez no Herman SIC e nunca mais os taxistas e os benfiquistas nos pareceram os mesmos. É provavelmente a personagem mais icónica de Maria Rueff, que leva agora a palco o seu Zé Manel, taxista, pai de família e adepto ferrenho do Benfica.”, Miguel Branco, Time Out, Set 2018

AMANHÃ | Colégio Rainha Santa Isabel actua no Forum Coimbra

NO ÂMBITO DAS COMEMORAÇÕES NATALÍCIAS

 

30 NOVEMBRO | SEXTA-FEIRA | 18H00 | PRAÇA FOGO | PISO 0 FORUM COIMBRA

 

CRSI. Natal.JPG

 

É já amanhã, dia 30 de Novembro, às 18h00, que o Forum Coimbra, centro gerido pela Multi Portugal, se prepara para uma celebração de natal que é já um clássico.  O Colégio Rainha Santa Isabel, com turmas desde o pré escolar ao secundário, actuará numa das praças principais do Forum, com um espectáculo que reúne música, dança e ginástica artística num só.

 

Uma exibição gratuita, aberta a todo o público, que acontece na Praça Fogo e que respeitará o seguinte alinhamento:

 

18h00 Ginástica Artística | 16 alunas em formações sequenciais

18h05 Dança | 11 solos

18h45 Música | 3 grupos de alunos de diversas idades

 

 

São mais do que razões para passar o Natal connosco!
Natal no Forum Coimbra. Tem outro encanto!