Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Casino Estoril recebe Rui Faria & Sandra Gonçalves a 21 de Janeiro

Rui Faria & Sandra Gonçalves 2.jpg

Rui Faria e Sandra Gonçalves regressam, no próximo dia 21 de Janeiro, às 22h30, ao Lounge D do Casino Estoril. Em dueto, Rui Faria e Sandra Gonçalves protagonizam "Let's Welcome the New Year: Bring in the Rock!". Trata-se de um espectáculo, a não perder, com numerosos clássicos que marcaram diferentes épocas do panorama artístico internacional. A entrada é gratuita.

 

Com o pop e o rock como sua eleição, especializam-se nos grandes hits das décadas de 70, 80 e 90 (mas não só...). Não esquecem o Blues, Jazz e o Soul em cada pedacinho que partilham com o público... a sua energia!

 

Recorde-se que, Rui Faria e Sandra Gonçalves participaram, em dueto, em 2016, no concurso televisivo "The Voice", tendo atingido as Galas ao vivo do programa, da RTP, integrando a equipa de Mickael Carreira.

 

Com uma vasta experiência, Rui Faria e Sandra Gonçalves participaram e partilharam já vários espectáculos por todo o país, tendo trabalhado com inúmeros artistas relevantes da música portuguesa como, por exemplo, Delfins, Anjos, Rui Veloso, Paulo Gonzo e Mickael Carreira.

 

A dupla percorreu, ainda, várias salas de espectáculo e locais de diversão como músicos convidados e residentes.

 

 

O Casino Estoril foi distinguido com o certificado “Clean & Safe” do Turismo de Portugal e aderiu ao serviço COVID OUT, Selo de Confiança, Clean Surfaces Safe Places, emitido pelo ISQ.

 

O Casino Estoril abre às 15h00 e encerra às 03h00. O acesso é livre, sendo que a partir das 22 horas, é para maiores de 14 anos, e maiores de 10 anos acompanhados pelos pais. Nas áreas de Jogo é para maiores de 18 anos.

António Garcez | Depois do álbum o concerto - "Vinde Ver Isto" | 26 de Março às 22h00 Hard Club no Porto

descarregar (9).jpg

Depois do Surpreendente Álbum de António Garcez - a  Lenda Viva do Rock, está quase a chegar o concerto!

 
"Vinde ver isto", será apresentado pelo veterano António Garcez (músico conhecido dos Arte & Ofício, Roxigénio, Pentágono, Psico ou Stick) no Hard Club do Porto a 26 de Março. Com ele em palco estarão Ricardo Gordo e Samuel Lupi nas guitarras, Fernando Gordo no baixo, Tom Neiva a cargo da bateria e Fábio Serrano no Sax.

Além do tema "Vinde Ver Isto" que dá nome ao álbum, prepare-se também para inéditos como "Ele toca Sax", "Get Out" ou a homenagem a Portugal, "Musa do meu Rimar" (próximo single com vídeo filmado em Portugal - em breve).

O rock mantém-se vivo e recomenda-se! Se duvidas... então "Vinde ver isto!"

Fiquem atentos ao facebook do Rocker - vamos ter álbuns e Ep's para oferecer a quem adquirir os  primeiros 60 bilhetes e participem no passatempo na página do artista. 

Já sabem: 26 de Março - Hard Club - 22h00

Silêncio, que se vai ao Real Fado!

RESERVATÓRIO1 (1).jpeg

O Real Fado está de volta, com concertos intimistas noReservatório da Patriarcal e na EmbaiXada do Príncipe Real, a acontecer todas as sextas e domingos até ao final do mês de janeiro, às 19h.

 

A expriência promete ser imersiva, já que falamos de atuações em locais surpreendentes como um palacete do Séc. XIX e uma cisterna subterrânea de pedra, bem no coração do jardim do Príncipe Real. Anote na sua agenda e faça este programa de concerto pré-jantar aproveitando, de seguida, um dos maravilhosos restaurantes que o Bairro oferece. Estas localizações inusitadas contrastam com a autenticidade dos concertos com actuações de artistas num registo informal e muito próximo do público.

 

Aconselha-se a compra prévia dos bilhetes para estes os concertos do Real Fado através da Ticketline. Além dos habituais bilhetes, estão ainda disponíveis 10 Real Tickets – bilhetes reservados aos melhores lugares da sala, com uma receção personalizada. 

Palimpsesto - Ciclo de Música Ibérica e Mediterrânica - 14, 15 e 16 de janeiro no CAC

Primeiro momento concentra-se na tradição da música e instrumentos portugueses. 

 

Nos dias 14, 15 e 16 de janeiro o Centro de Artes e Criatividade de Torres Vedras recebe a primeira edição do Palimpsesto, o Ciclo de Música Ibérica e Mediterrânica que pretende unir músicos de Portugal, Espanha, Grécia e Turquia, numa celebração da música e culturas da Ibéria e do Mediterrâneo. 

Este primeiro momento de Palimpsesto irá concentrar-se na tradição da música e dos instrumentos portugueses, com concertos, palestras e oficinas levadas a cabo por músicos, construtores e académicos, nomeadamente Alma Menor, Tiago Morais, José Alberto Sardinha e Mário Estanislau.

Simultaneamente aos eventos dos dias 14, 15 e 16 de Janeiro, o Ciclo irá contar com a presença de vários construtores de instrumentos tradicionais e associações de investigação e divulgação da música tradicional lusa. Entre eles constam a Associação Gaita-de-Foles (Lisboa); Inocêncio Casquinha (Alverca do Ribatejo); Luís Eusébio (Óbidos); Orlando Trindade (Caldas da Rainha); e Mário Estanislau e Victor Félix, representantes da Sons da Música - Construtores de Instrumentos Musicais (Torres Vedras). Estarão, também, expostos e disponíveis para venda alguns dos exemplares de instrumentos portugueses e ibéricos.

Esta é a primeira edição do Palimpsesto - Ciclo de Música Ibérica e Mediterrânica em Torres Vedras, que é uma iniciativa da Associação Musicálareira, com o apoio da Câmara Municipal de Torres Vedras, da Kontraproduções, numa coprodução com o Centro de Artes e Criatividade de Torres Vedras e produzido pela West Wave Productions. 

Programação para o mês de janeiro:

descarregar (26).jpg

Alma Menor | É a partir do encontro entre a sonoridade forte e vibrante da gaita de fole com a riqueza de timbres do acordeão, na procura da complementaridade entre estes através de acentuações, quebras rítmicas, alternância entre tensão e sossego, melodia e harmonia, que nasce Alma Menor. Alma Menor é ainda um nome baseado no conceito da sua própria música, o resultado da combinação de dois instrumentos que marcaram a etnografia musical portuguesa, e ao mesmo tempo arriscando outras sonoridades improváveis. Dois músicos que procuram a sua inspiração na mais variada música do mundo, desafiando os limites da imaginação, não raras vezes, numa contradição surpreendente e emocionante.

Elogio Vádio arranca em pleno em 2022 no Crú - Espaço Cultural - V.N. Famalicão

descarregar (24).jpg

descarregar (4).png

Desert'Smoke
· Café Concerto ·
14.JAN | SEX | 23:00 | 16+
@crucavecultural | VN Famalicão

descarregar (5).png

João Mortágua , Saxofonista, compositor e improvisador residente em Coimbra.
Música da terra e do ar, da serra ao mar.
Vem apresentar o sue album DOOR, como Math Trio.

https://open.spotify.com/album/0wGi7Nj0Covk3YDxkFaV07

JOÃO MORTÁGUA
“MATH TRIO”

apresenta o album DOOR
· Café Concerto ·
15.JAN | SAB | 23:00 | 16+
@crucavecultural | VN Famalicão

CCB + TNSC | A propósito de Orfeu - Orquestra Sinfónica Portuguesa | 16 JAN. ÀS 17H NO GRANDE AUDITÓRIO

A Propósito de Orfeu

Orquestra Sinfónica Portuguesa

Coprodução Centro Cultural de Belém, OPART/Teatro Nacional de São Carlos

 

CCB . 16 de janeiro . domingo . 17h00 . Grande Auditório

image003 (3).jpg

Programa

Jacques OffenbachOrphée aux Enfers: Abertura

Franz LizstOrpheus, poema sinfónico n. 4 S.98

Philip GlassDuplo Concerto para violino e violoncelo

 

Ficha Técnica

Violino Ana Pereira

Violoncelo Marco Pereira

Direção Musical Antonio Pirolli

Orquestra Sinfónica Portuguesa

 

Orfeu, o deus grego que amansava as feras com o seu canto, tem tido variadas e gloriosas aparições na História da Música.

 

Teremos, em primeiro lugar, o registo cómico do mito com a abertura de Orfeu nos Infernos, ópera bufa de Jacques Offenbach.

De seguida um poema-sinfónico de Franz Liszt escrito em 1854 como homenagem à ópera Orfeu e Eurídice, de Gluck. Aqui dilui-se a comicidade, pois Liszt via em Orfeu o símbolo da força criadora da arte, em particular da Música.

A terminar, uma obra de Philip Glass escrita em 2010 que remete de imediato para o conhecido Concerto Duplo de Brahms. Glass experimentou várias vezes o concerto para vários solistas e orquestra, mas esta obra, fruto de encomenda do Netherlands Dance Theater, foi originalmente composta como música para um bailado intitulado Canção do Cisne. O compositor conferiu ao violino e ao violoncelo importância dramática análoga à dos bailarinos.

Terá como solistas a violinista Ana Pereira e o violoncelista Marco Pereira e direção musical de Antonio Pirolli.

 

A propósito do mito de Orfeu, também neste mês de janeiro, nos dias 27 e 29, vamos apresentar no Grande Auditório a ópera Orphée, de Philip Glass, baseada no filme de Jean Cocteau, com encenação do brasileiro Felipe Hirsch, o maestro Pedro Neves e a Orquestra Metropolitana de Lisboa. Uma coprodução com o Theatro Municipal do Rio de Janeiro. 

Concerto com o Tenor João Mendonza adiado para 12 de fevereiro

JOAO MENDONZA 1 HD.jpg

 

Devido ao agravamento do número de casos de COVID-19 no concelho da Moita, que se situa atualmente no nível de risco “Extremamente Elevado”, o Concerto de Ano Novo, com o Tenor João Mendonza, anunciado para o dia 14 de janeiro, no Fórum Cultural José Manuel Figueiredo, na Baixa da Banheira, foi adiado para dia 12 de fevereiro, pelas 21:30h.

Acompanhado ao piano, à guitarra e um por um duo de cordas (violino e violoncelo), João Mendonza apresenta melodias clássicas alusivas à quadra, bem conhecidas do público, atravessando várias épocas e compositores. Do reportório constam temas como “Ave Maria”, “Hallellujah”, “Con te Partirò”, “Nessun Dorma” ou “Oh Holy Night”, entre muitos outros. João Mendonza combina o melhor de diferentes géneros musicais. Dono de um registo vocal único e uma interpretação irrepreensível, o tenor cruza, por um lado, música sacra, ópera e música clássica e, por outro, a pop. Vai ainda ao fado, passando pelos boleros, legitimando um estilo internacionalmente designado por Lyric Pop ou Pop-Ópera, dentro do género de crossover clássico.

A qualidade do cantor e dos músicos que o acompanham proporcionará uma experiência inolvidável ao público presente. Um espetáculo imperdível!

Voz: João Mendonza | Piano e Guitarra: Pedro Zagalo | Violoncelo: Raquel Pernas | Violino: Rita Nunes

Destinatários: Geral | M/6 anos

Duração: 60 min.

Bilhete: 8,85 euros

Fever apresenta clássicos de Ano Novo em concerto intimista à luz das velas

Concertos Candlelight para celebrar 2022:

 

Fever Candlelight.jpg

 

 

 

A Fever prepara um concerto de música clássica, em Lisboa, que reúne algumas das principais músicas dedicadas à época mais mágica do ano.

O programa, interpretado por um Quarteto de Cordas, inclui clássicos como ‘Berliner Luft’ de P. Lincke ou ‘Danúbio Azul’ de J. Strauss II.

Candlelight, conceito original da Fever que já conquistou milhares de portugueses, anuncia o primeiro concerto Candlelight de 2022 em Lisboa: no dia 15 de janeiro, o Altis Grand Hotel será palco do já conhecido concerto intimista à luz das velas, com um programa inteiramente dedicado aos clássicos de Ano Novo.

Com duas sessões de uma hora, marcadas para as 19h30 e 21h30, os concertos serão interpretados por um Quarteto de Cordas e contarão com um programa de oito clássicos, que incluem obras como Berliner Luft’ de P. Lincke ou ‘Danúbio Azul’ de J. Strauss II.

A proposta cultural da Fever para o arranque de 2022 visa, desta forma, proporcionar um ambiente intimista num local emblemático da cidade iluminado pela luz das velas, com um concerto de música clássica inovador e dirigido a todas as idades.

 

Os bilhetes podem ser adquiridos na app ou site da Fever, com o custo variável de 15 a 35 euros, consoante a aproximação e visibilidade para o palco. 

 

Os concertos instrumentais de música clássica Candlelight apresentam peças icónicas a um preço acessível, ao mesmo tempo que abrem à comunidade espaços únicos do património cultural de cada cidade, pois não são realizados em salas de espetáculos comuns. Este conceito original da Fever, que já vendeu mais de 2 milhões de bilhetes só em 2021, conseguiu levar a música clássica a um público totalmente novo, com 70% dos participantes com menos de 40 anos em mais de 90 cidades em todo o mundo.

 

Lisboa

Candlelight: Clássicos de Ano Novo à luz das velas

Local: Altis Grand Hotel

Data: 15 de janeiro

Horário: 19h30 e 21h30

Preço: 1 bilhete – a partir de 15,00€

Idade: A partir dos 8 anos (menores de 16 anos deverão ser acompanhados por um adulto)

Artistas: Quarteto de Cordas: Diogo Costa - Violino; Inês Belchior – Violino; Mariana Moreira – Viola; Ana Hespanha – Violoncelo.

Concerto de Ano Novo com Tenor João Mendonza

JOAO MENDONZA 1 HD.jpg

 

O Fórum Cultural José Manuel Figueiredo, na Baixa da Banheira, recebe, no dia 14 de janeiro, pelas 21:30h, o Concerto de Ano Novo com Tenor João Mendonza.

Acompanhado ao piano, à guitarra e um por um duo de cordas (violino e violoncelo), João Mendonza apresenta melodias clássicas alusivas à quadra, bem conhecidas do público, atravessando várias épocas e compositores. Do reportório constam temas como “Ave Maria”, “Hallellujah”, “Con te Partirò”, “Nessun Dorma” ou “Oh Holy Night”, entre muitos outros.  João Mendonza combina o melhor de diferentes géneros musicais. Dono de um registo vocal único e uma interpretação irrepreensível, o tenor cruza, por um lado, música sacra, ópera e música clássica e, por outro, a pop. Vai ainda ao fado, passando pelos boleros, legitimando um estilo internacionalmente designado por Lyric Pop ou Pop-Ópera, dentro do género de crossover clássico.

A qualidade do cantor e dos músicos que o acompanham proporcionará uma experiência inolvidável ao público presente. Um espetáculo imperdível!

 

Voz: João Mendonza | Piano e Guitarra: Pedro Zagalo | Violoncelo: Raquel Pernas | Violino: Rita Nunes          

 

Destinatários: Geral | M/6 anos

Duração: 60 min.

Bilhete: 8,85 euros

 

Fórum Cultural José Manuel Figueiredo.
Rua José Vicente, 2835-134 Baixa da Banheira

Horário da Bilheteira
De terça-feira a sábado, das 14:30h às 19:30h
Dias de espetáculo: Uma hora antes do início do espetáculo ou sessão; encerra aquando do início do espetáculo ou sessão.
Os bilhetes podem ainda ser reservados, através do telefone 210 888 900, no horário de funcionamento da bilheteira. As reservas têm que ser levantadas, no máximo, à véspera do espetáculo/sessão, com um limite de cinco bilhetes por reserva.

 

Compra de bilhetes online:

https://ticketline.sapo.pt/

http://pt-pt.facebook.com/cmmoita

E nos postos de venda aderentes: http://ticketline.sapo.pt/pagina/postosdevenda

 

A iniciativa realiza-se de acordo com as regras da Direção Geral de Saúde no que respeita à prevenção da doença COVID-19.