Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

🔺 ZARATAN 🔺 MARCH ▶ 16 🔺

3909993d-b523-473b-8e3a-4033c1ecb772.jpg

 


Artist Talk | Ozge Sahin

16 de Março às 18h00 |
Entrada livre |

“Artist Talks” é um ciclo de conversas organizado pela Zaratan que oferece a oportunidade de encontrar os artistas residentes e de conhecer o seu processo criativo. No dia 16 de Março, a partir das 18 horas, Ozge Sahin (TR)introduz a sua prática artística e apresenta a sua pesquisa.


BIO:
Ozge Sahin é uma artista e fotógrafa turca sediada em Roma. Estudou Relações Internacionais na Istanbul Bilgi University e Desenho Gráfico e Fotografia na Accademia di Belle Arti di Roma (2012-2015). A maioria dos trabalhos artísticos de Ozge celebra as pessoas e explora a identidade feminina, a vida humana e as experiências diárias. Trabalha com média diferentes, como fotografia, costura e instalação. Desde 2012, Ozge expõe em galerias e museus na Itália e nos Estados Unidos, incluindo o Black Mountain College Museum & Arts Center, em Asheville (Carolina do Norte), e o Chicago Photography Center, em Chicago (Illinois). Em 2018, Ozge participou da V Bienal Arte Viterbo e recebeu o prêmio de “Arte e Vida” da Bienal de Arte CONTEMPORÂNEA città di LATINA (Solidarte). /// 

Conversa com António Fonseca e oficina de cine-memória com Nuno Preto ocupam a Casa este fim de semana (16 e 17 março, CDMG)

f5c8a431148a435441229.jpg

 

Este fim de semana, a Casa da Memória de Guimarães (CDMG) acolhe a conversa ‘O Teatro da Memória do Teatro’ com o ator António Fonseca, a 16 de março, às 17h00, e a oficina Domingos em Casa ‘Memória Futura’ com o também ator Nuno Preto, no dia 17, às 11h00. A Casa volta assim a ser um espaço de eleição para receber as famílias e todo o público que aqui escreve a sua existência nesta cidade, em permanência ou de passagem, um lugar onde nos lembramos de e a partir de Guimarães, cumprindo a sua missão enquanto centro de interpretação e conhecimento que expõe, interpreta e comunica testemunhos materiais e imateriais que contribuem para um melhor conhecimento da cultura, território e história de Guimarães, das pessoas de diferentes origens e mentalidades que a fizeram e fazem, trabalhando com e para a comunidade, especialistas e agentes locais e de todas as proveniências, com vista ao desenvolvimento de uma cidadania ativa e participativa.
 
Este sábado, 16 de março, às 17h00, o espaço do Repositório da CDMG recebe o ator António Fonseca para protagonizar a conversa ‘O Teatro da Memória do Teatro’, aberta a todo o público. António Fonseca memorizou os dez cantos d’Os Lusíadas, numa epopeia pessoal em que embarcou há perto de uma década. Como é que um ator decora um texto com esta extensão? É a pergunta de partida para a proposta do ciclo de conversas Memórias da Memória, uma reflexão sobre a memória – biológica ou arquivística – para lá da coletiva que preenche a Casa da Memória. A entrada é gratuita, com limite de participação condicionada ao espaço existente.
 
Na manhã de domingo, 17 de março, às 11h00, os Domingos em Casa voltam pela mão de Nuno Preto para uma oficina de cine-memória para toda a família e todos os apreciadores e amantes da sétima arte. Num domingo por mês, a Casa da Memória é a sala de estar. A partir da programação do espaço, a cada nova sessão há uma proposta de oficina dirigida para famílias onde se podem experimentar ou partilhar histórias ou tradições, lugares ou objetos. O convite, desta feita, é para fazer um filme a preto e branco. Criar uma memória deste domingo e entender como esta se fixa num objeto como este. A participação nesta oficina de cine-memória, criada e orientada pelo ator Nuno Preto, tem o custo de 2 euros e a inscrição pode ser realizada através de telefone 253424700 ou e-mail mediacaocultural@aoficina.pt. Intitulada ‘Memória Futura’, é uma oficina dirigida a famílias com crianças a partir dos 3 anos de idade.
 
Lugar de encontro da comunidade com o exterior e da comunidade consigo própria, que propõe uma visão múltipla, diversa e não linear do passado, presente e futuro de Guimarães, aqui e no mundo. Assim é a Casa da Memória, orientando-se pelos valores da aprendizagem, conhecimento, pertença, tolerância e diversidade. Recorda-se que a Casa da Memória nos convida a explorar, de forma permanente, a exposição 'Território e Comunidade', onde podemos encontrar histórias, documentos, factos e objetos que permitem conhecer diferentes aspetos da comunidade vimaranense. Na CDMG, é também possível realizar Visitas Orientadas e Oficinas Criativas ao longo de todo o ano, sujeitas a marcação com através de telefone 253424700 ou e-mail mediacaocultural@aoficina.pt.
 
A CDMG encontra-se aberta de terça a domingo, das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 19h00. Aos domingos de manhã, a entrada é gratuita. A programação pode ser consultada em www.casadamemoria.pt.

Tratado do tempo – ciclo de conversas temáticas a partir de "Purple", de John Akomfrah | 24 de fev., 03 e 10 de março no Museu Berardo | Participação gratuita

900px_e5c6438b14af6b689305.jpg

 

24 de fevereiro, 3 e 10 de março
Domingos, 16h00

Tratado do tempo
Ciclo de conversas temáticas
a partir da exposição Purple, de John Akomfrah

Vivemos no mundo e inevitavelmente somos tocados por ele a partir da dúvida, da curiosidade, da admiração. Mas o mundo escapa a todo o instante, há sempre mais mundo, mais espanto, mais apreensão. Purple, de John Akomfrah, não é um olhar íntimo do mundo, e muito menos um manifesto sociopolítico sobre as desordens do mundo. Purple é uma alegoria sobre aquele toque, que é tão mundo quanto vida, e do qual urgem perguntas, cada vez mais perguntas, à medida que a vida corre e nela o mundo anoitece.

Concebido e orientado por Joana Batel, o ciclo de conversas Tratado do tempo decorrerá na exposição de John Akomfrah e centrar-se-á em três temas: Alegoria, Vanitas e Água.

Alegoria
24 de fevereiro, 16h00;

Vanitas
3 de março, 16h00;

Água
10 de março, 16h00.

Conceção e orientação: Joana Batel.
Local: exposição Purple de John Akomfrah.

Mais informações aqui.
A participação é gratuita, mediante aquisição de bilhete de entrada no Museu.

 

 

"Conversas à Quinta” com Maria Cabral no Cine-Teatro Louletano

 

Maria Cabral.jpg

 

Em mais uma edição da rubrica “Conversas à Quinta”, dedicada à reflexão e debate sobre temas da atualidade e personalidades que a marcam, o Cine-Teatro Louletano recebe já no próximo dia 21 de fevereiro, pelas 21h00, a professora universitária e gestora cultural Maria Cabral.

Maria Cabral tem ascendência açoriana e reside no Algarve desde 1997. Doutorada em Ciências da Educação, é professora catedrática na Faculdade de Ciências Humanas e Sociais da Universidade do Algarve desde 2005.

Com mais de 30 anos de atividade docente, na Universidade dos Açores e na Universidade do Algarve, o seu currículo inclui a lecionação de disciplinas nas áreas das Línguas e da Cultura, da Formação de Professores, da Metodologia de Investigação, da Gestão Cultural e da Comunicação, em cursos de licenciatura e de mestrado. Orientou mais de duas dezenas de teses de Mestrado e de Doutoramento em Ensino de Línguas e Culturas, assim como projetos de pós-graduação em Ciências da Linguagem. Enquanto investigadora, é autora de sete livros e tem diversos artigos publicados em revistas nacionais e internacionais.

De entre os vários cargos desempenhados na Universidade, além da participação na direção de cursos de mestrado e de doutoramento, foi diretora do Departamento de Educação na Universidade dos Açores, bem como presidente do Conselho Científico da FCHS e pró-reitora para a Cultura na equipa reitoral de João Guerreiro, na Universidade do Algarve.

Em 2009, assumiu a presidência da direção da Associação Musical do Algarve/Orquestra Clássica do Sul, cargo que mantém até ao presente.

A professora universitária e gestora cultural Maria Cabral é a primeira convidada desta rubrica nesta temporada, vindo falar do papel das orquestras regionais e do seu novo enquadramento legislativo, para além de outras reflexões sobre o panorama cultural nacional e o caso da região algarvia.

A conversa, aconselhada para maiores de 12 anos de idade, tem a duração prevista de 90 minutos e entrada gratuita.

Para mais informações os interessados podem contactar o Cine-Teatro Louletano pelo telefone 289 414 604 (terça a sexta-feira, das 13h00 às 18h00) ou pelo email cinereservas@cm-loule.pt. Além disso, podem consultar a sua página de facebook – www.facebook.com/cineteatrolouletano ou o seu renovado website http://cineteatro.cm-loule.pt, ambos em permanente atualização, bem como na sua conta do instagram (cineteatrolouletano).

O Cine-Teatro Louletano é uma estrutura cultural no domínio das artes performativas da Câmara Municipal de Loulé e está integrado na Rede Azul – Rede de Teatros do Algarve e na Rede 5 Sentidos.

 

CML/GAP /RP

“Cultura no Hospital” do CUF Descobertas | 13h-14h de 20 de Janeiro | Música clássica do Conservatório Nacional

 

O Hospital CUF Descobertas está a promover até julho o ciclo de conferências “Cultura no Hospital”. Destinado ao público em geral, “Cultura no Hospital” é um ciclo de eventos que pretende trazer mensalmente ao Auditório do Centro do Conhecimento do Hospital variados momentos culturais, assim como de debate e reflexão sobre temas tão diversos como a ciência, a cultura, a tecnologia, a saúde e a música, entre outros.

 

Na próxima quarta-feira, dia 20 de fevereiro, entre as 13h00 e as 14h00, o Auditório do Centro do Conhecimento do Hospital CUF Descobertas tem a honra de poder receber a Escola Artística de Música do Conservatório Nacional de Lisboa, que irá apresentar música clássica.

 

As conferências, abertas à comunidade em geral, têm entrada livre, sujeita à capacidade da sala, realizando-se no Auditório do Conhecimento do Hospital CUF Descobertas, localizado no Edifício 2 desta unidade.

 

Conheça também o programa dos próximos eventos do ciclo de conferências em 2019:

____________________________________________________________________________

20 de março – Conservatório Nacional de Lisboa apresenta música clássica

_____________________________________________________________________________

3 de abril – Dr. Nuno Rogeiro – Brexit: sociedades, políticas, fronteiras, segurança, economia e migrações

_____________________________________________________________________________

22 de maio – Professor Arlindo Oliveira – Inteligência Artificial

_____________________________________________________________________________

19 de junho – Conservatório Nacional de Lisboa apresenta música clássica

_____________________________________________________________________________

24 de julho – Dra. Cristina Semião Alves Watson (IBM) – A decisão terapêutica

 

Conversa "Património Arquitetónico e Documental” / 19 janeiro, 17h00, Casa da Arquitectura

conversa_janeiro_INFINITO_08_01_DIGITAL_DIGITAL_ev

 

Paula Silva (Diretora-Geral do Património Cultural), Gonçalo Byrne e Washington Fajardo debatem no próximo dia 19, às 17h00, na Casa da Arquitectura (CA) – Centro Português de Arquitectura os desafios que se levantam na classificação e manutenção do património edificado e a importância da divulgação do património documental.  A moderação da Conversa "Património Arquitetónico e Documental" estará a cargo de José Fernando Gonçalves.

 

Entrada livre, sujeita à lotação da sala. Ingressos podem ser levantados na bilheteira da CA a partir de dia 12.

 

 

Este encontro entre arquitetos e responsáveis por instituições dedicadas ao arquivo de acervos e espólios de arquitetura portugueses e brasileiros acontece no âmbito do programa paralelo da exposição Infinito Vão – 90 anos de arquitetura brasileira, patente na CA até 28 de abril.

 

Caminhos de inovação no artesanato é tema de conversa no Loulé Design Lab

Caminhos inovação artesanato.jpg

 

No próximo dia 22 de janeiro, terça-feira, pelas 14h30, no Auditório do Convento do Espírito Santo, em Loulé, decorre uma sessão de divulgação das novas tendências no artesanato.

O Centro de Formação Profissional para o Artesanato e Património (CEARTE), em parceria com a Câmara Municipal de Loulé, através do seu projeto Loulé Criativo, vem apresentar e aprofundar questões centrais relacionadas com o artesanato. João Amaral, designer da CEARTE, abordará as atuais tendências de moda, design e mercado para o artesanato em 2018 e 2019, enquanto que Ana Cristina Mendes e Luís Rocha, que integram também este Centro, vão falar sobre a formação em artesanato como instrumento para a modernização.

Por último, a dupla de criativos da Oficina Poeta Azul e residentes no Loulé Design Lab – Sofia Correia e Chris Whitelaw - encerra a sessão, apresentando a forma como nos seus projetos relacionam a tecnologia com o artesanato.

Inserido no ciclo de conversas do Loulé Design Lab, este evento tem entrada livre. Mais informações em https://www.facebook.com/louledesignlab/

 

 

 

CML/GAP /RP

 

Mindfulness é tema de conversa na Biblioteca Municipal de Loulé

Mindfullness.jpg

No próximo dia 30 de novembro, pelas 18h30, terá lugar na Biblioteca Municipal de Loulé, mais uma sessão de um Ciclo de Conversas mensal "Semear Hoje...Colher o Amanhã...", que pretende desafiar o público em geral a partilhar e a refletir sobre os caminhos a percorrer na busca de resultados únicos e incríveis na vida das famílias. 

A sexta sessão, intitulada “Mindfulness – Um caminho para o bem-estar e qualidade de vida”, contará com a presença do orador João Bonança, licenciado em Psicologia, mestre em Hipnoterapia, pós-graduado em Mindfulness e doutorando em Psicoterapia.   

João Bonança considera o Mindfulness como uma técnica de eleição para o alívio do stress do dia-a-dia, que consiste em focar a mente no momento presente, eliminando assim a depressão causada pelas dores do passado e a ansiedade provocada pelo medo do futuro.

À semelhança do que tem vindo a realizar-se  nos ciclos anteriores, durante a iniciativa, o público poderá proporcionar aos seus filhos, com idade igual ou superior a 3 anos de idade, a participação numa atividade dedicada à promoção do livro e da leitura dinamizada pelos profissionais da biblioteca, mediante inscrição prévia.

 

CML/GAP /RP

 

200 anos depois, Pavilhão do Conhecimento ressuscita Frankenstein

 

 


1818: Frankenstein nascia pela pena de Mary Shelley. 200 anos depois da sua publicação, o Pavilhão do Conhecimento convida o público a explorar a história, conhecer a ciência e dissecar aquela que é considerada a primeira obra de ficção científica da história.

O primeiro dos três eventos Frankenstein Dissecado - 200 anos terá lugar este sábado, 10 de Novembro, às 19.30, no formato de um café de ciência sobre "Ética e Ciência" com comentários ao livro.

Estará a nossa sociedade preparada para os desafios que Frankenstein revelou? Devem existir limites para o avanço da ciência e da tecnologia? Poderemos questionar a obra de um criador? Estas e outras questões guiarão o debate entre o público e os investigadores Maria do Céu Patrão Neves (Universidade dos Açores), Elsa Conde (Plano Nacional de Leitura), Rui Gomes (Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa) e Lucília Nunes (Conselho Nacional de Ética para as Ciências).

A 24 de Novembro, Dia Nacional da Cultura Científica, às 16.00, a figura de Frankenstein regressará ao Pavilhão do Conhecimento, desta vez como protagonista de uma oficina de escrita criativa dirigida pelo guionista Frederico Pombares. Haverá prémios para os melhores exercícios de ficção científica.

O ciclo Frankenstein Dissecado - 200 anos termina no dia 11 de Dezembro, às 19.30, com a exibição no Auditório José Mariano Gago do filme Frankenstein, de James Whale (1931), a película que imortalizou a "criatura". Segue-se o debate com Carlos Fiolhais (Universidade de Coimbra) e David Felismino (Museu da Saúde) sobre o que terá inspirado a jovem Mary Shelley, então com 19 anos, a forma como a sua obra influenciou a investigação médica e os desenvolvimentos científicos e tecnológicos a que hoje em dia poderíamos recorrer para a criação de um "ser perfeito".

Programa completo e inscrições em www.pavconhecimento.pt

Conversas exp. 'Futuros de Lisboa' com Manuel Sobrinho Simões, Afonso Cruz, Jorge Ramos do Ó, entre outros

Manuel Sobrinho Simões, Jorge Ramos do Ó e Afonso Cruz são alguns dos convidados das conversas no âmbito da exposição Futuros de Lisboa, do Museu de Lisboa, no Torreão Poente. 

 

ea635b3a-650b-4605-9713-6163469727bb.jpg

 

©Fotografia: Luísa Ferreira/ Colagem e manipulação digital: Inês Lino e José Piteira
Na exposição Futuros de Lisboa do Museu de Lisboa, patente no Torreão Poente até 18 de novembro, às diferentes perspetivas dos comissários João Seixas, Manuel Graça Dias e Sofia Guedes Vaz; e do público que participou de diversas formas; juntam-se as reflexões de ensaístas convidados que participarão em várias conversas: 

10 de outubro, 18h Tecnologia e Humanidade
Com António Câmara,  Manuel Sobrinho Simões e Rita Marta
Moderada por Sofia Guedes Vaz, comissária da exposição


18 de outubro, 18h Ética, Educação e Cultura
Com Jorge Ramos do Ó e Afonso Cruz
Moderada por Sofia Guedes Vaz, comissária da exposição


Dia 28 de outubro, às 11 horas, haverá uma visita orientada pela comissária da exposição Sofia Guedes Vaz. 

As conversas do mês de novembro serão anunciadas em breve.

Entrada livre, sujeita à lotação