Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

ANSIEDADE E STRESS SÃO TEMA DO “CICLO DE CONVERSAS” EM LOULÉ

Ciclo Conversas Ansiedade .jpg

No próximo dia 19 de abril, pelas 18h30, na sessão do Ciclo de Conversas "Semear Hoje...Colher o Amanhã...", que terá lugar na Biblioteca Municipal de Loulé, Helena Pinto apresenta o tema “Stress vs Ansiedade: Como lidar?”. 

A ansiedade e o stress são duas condições emocionais que surgem habitualmente em resposta a situações desafiadoras da vida. Embora frequentemente sejam confundidas, há diferenças entre elas. A ansiedade é caracterizada por uma sensação de preocupação excessiva e apreensão em relação ao futuro, muitas vezes acompanhada por sintomas físicos. Por outro lado, o stress é uma resposta física e emocional resultante de fatores externos.

Lidar com a ansiedade e o stress envolve uma abordagem multifacetada que inclui técnicas de relaxamento, estilo de vida saudável e apoio social e profissional. Ao adotar essas estratégias, é possível reduzir os efeitos negativos dessas condições e promover o bem-estar emocional e mental.

Helena Pinto é licenciada em Psicologia Clínica e da Saúde, com especialidade avançada em Psicoterapia e Terapeuta EMDR.

"Semear Hoje...Colher o Amanhã...” pretende desafiar o público em geral a partilhar e a refletir sobre diversos temas, com o principal objetivo de promover a capacitação e o bem-estar geral de cada um, bem como das respetivas famílias.

À semelhança do que tem vindo a realizar-se nas sessões anteriores, durante a iniciativa os participantes poderão proporcionar aos seus filhos, com idade igual ou superior a 3 anos de idade, a participação numa atividade dedicada à promoção do livro e da leitura dinamizada pelos profissionais da Biblioteca, mediante inscrição prévia.

A participação é gratuita, mas sujeita a inscrição através do seguinte link: https://forms.gle/YWv4VNmoaUiq6uB9A

“Conversas Sem Margens” 2024: conheça as próximas sessões aqui

 

CSM.jpg

Depois da sessão de 9 de março (documentário “Às escondidas elas também fizeram a revolução”), estão previstas mais quatro “Conversas Sem Margens”, em 2024.

O visionamento do filme “Conceição Matos: Coragem Hoje, Abraços Amanhã” e apresentação do livro “Elas estiveram nas prisões do fascismo” da URAP (6 abril); a apresentação do livro “Liberdade no feminino: 50 anos de abril, 50 mulheres, 50 testemunhos”, de Alexandrina Pereira (13 junho); a apresentação do livro “Exílios no feminino” da Associação de Exilados Políticos 61/74 (29 julho) e  a apresentação do livro “Exílios no feminino”, da Associação de Exilados Políticos 61/74 (14 setembro) são as temáticas a abordar.

“Conversas Sem Margens” é uma iniciativa do Município de Palmela, enquadrada pelas comemorações dos 50 anos do 25 de Abril de 1974 que contribui para a concretização dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável 10 (Reduzir as Desigualdades) e 17 (Parcerias para a Implementação dos Objetivos).

Mais informações: 212336632 e biblioteca@cm-palmela.pt .

Consulte o programa anual emwww.cm-palmela.pt .

 

Dia 14 de abril na Fundação de Serralves | “Alimentar uma causa” - “Arte e Responsabilidade Social”

Dia 14 de abril, às 11h, na Biblioteca, da Fundação de Serralves

image001 (1).jpg

Como fomentar práticas em comunidades de não artistas para potenciar a transformação social?

 

“Alimentar uma causa” uma parceria entre a Fundação Serralves e a Universidade Católica

 

“Arte e Responsabilidade Social” é o título de mais uma sessão integrada no Ciclo de Conversas “Alimentar uma Causa”, uma iniciativa promovida pela Fundação de Serralves, em parceria científica com a Universidade Católica Portuguesa no Porto. Um evento que terá como oradora Cristina Sá, professora da Escola das Artes e investigadora do Centro de Investigação em Ciência e Tecnologia das Artes (CITAR), que se realiza a 14 de abril, pelas 11h00, na Biblioteca da Fundação de Serralves.

“Dentro da vasta área da Arte e da Responsabilidade Social, esta sessão abordará práticas artísticas criativas cuja finalidade não é a criação de obra artística,” refere Cristina Sá, professora da Escola das Artes e investigadora do Centro de Investigação em Ciência e Tecnologia das Artes (CITAR). Serão analisadas preocupações para fomentar estas práticas em comunidades de não artistas com vista à potenciação da transformação social. “Trata-se de aplicar as metodologias de investigação transformativa às práticas artísticas em comunidade e também de explorar formas de medir os seus impactos, para influenciar políticas e o reconhecimento desta área, conforme as melhores práticas desta filosofia de investigação,” explica. Serão apresentados exemplos de intervenções recentes com equipas multidisciplinares (Psicologia, Biotecnologia e Arte) em temáticas relacionadas com as Alterações Climáticas e a Regulação de Emoções na Covid19, entre outras. Explorar-se-ão também propostas - em fase de investigação - de medição de potencial transformativo, considerando o facto destas intervenções terem sido muito curtas e pontuais.

sessão “Arte e Responsabilidade Social”, que integra o Ciclo de Conversas “Alimentar uma Causa”, uma iniciativa promovida pela Fundação de Serralves, em parceria científica com a Universidade Católica Portuguesa no Porto, irá decorrer no próximo dia 14 de abril, às 11h, na Biblioteca da Fundação de Serralves. A entrada é gratuita mediante inscrição prévia.

 

“Conversas Sem Margens”: próxima sessão dedicada a Conceição Matos

Conversas Sem Margens.jpg

As “Conversas Sem Margens” 2024 prosseguem, desta vez, com a exibição do documentário “Conceição Matos: Coragem Hoje, Abraços Amanhã”, no dia 6 de abril, às 15h00, na Biblioteca Municipal de Palmela.

O filme narra como foram os tempos de prisão e tortura infligidas pela PIDE, na primeira pessoa.

Conceição Matos nasceu em 1936, em São Pedro do Sul e com apenas 3 anos de idade, mudou-se para o Barreiro, para uma "barraca de madeira" que partilhava com os pais e irmãos no Bairro das Palmeiras. Ainda adolescente adere ao Movimento de Unidade Democrática (MUD - Juvenil) e enceta aí uma atividade política que a levará a passar à clandestinidade em 1962, já integrada no Partido Comunista Português.

Foi presa pela polícia política, pela primeira vez em 1965, tendo sido impiedosamente torturada sem nunca ter falado ou denunciado os seus camaradas.

O visionamento do documentário, com entrada livre, contará com a presença desta militante antifascista e dos realizadores Edgar Feldman e Paulo Guerra. Nesta sessão será, ainda, abordado o livro “Elas estiveram nas prisões do fascismo”, da URAP.

“Conversas Sem Margens” é uma iniciativa do Município de Palmela, enquadrada pelas comemorações dos 50 anos do 25 de Abril de 1974 que contribui para a concretização dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável 10 (Reduzir as Desigualdades) e 17 (Parcerias para a Implementação dos Objetivos).

Mais informações: 212336632 e biblioteca@cm-palmela.pt .

 

“Conversas Sem Margens”: sessão de 6 abril adiada

 

Conversas Sem Margens.jpg

A sessão das “Conversas Sem Margens” prevista para 6 de abril, às 15h00, na Biblioteca Municipal de Palmela, foi adiada, para nova data a anunciar brevemente.

O programa da sessão, com entrada gratuita, integra a exibição do documentário “Conceição Matos: Coragem Hoje, Abraços Amanhã”, com a presença desta militante antifascista e dos realizadores Edgar Feldman e Paulo Guerra, e também uma abordagem ao livro “Elas estiveram nas prisões do fascismo”, da URAP.

“Conversas Sem Margens” é uma iniciativa do Município de Palmela, enquadrada pelas comemorações dos 50 Anos do 25 de Abril de 1974, que contribui para a concretização dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) 10 - Reduzir as Desigualdades e 17 - Parcerias para a Implementação dos Objetivos.

Mais informações: 212 336 632 ou bibliotecas@cm-palmela.pt.

 

Príncipe Discos - Conversa e Masterclass no Hangar

 

A Príncipe convidou um painel de gente capaz e generosa para navegarmos os assuntos da autoria e comércio da música na actualidade.

 

No próximo Sábado, 16 de Março, pelas 17h, no Hangar, em Lisboa: publishing, licenciamentos musicais e sincronizações, direitos conexos e distribuição digital, serão os campos abordados para uma conversa com a participação de Carlos Gonçalves (Warp Publishing), Eduardo Simões (GDA), Núria Pinto (Altafonte), Lilocox (Artista e editor) e moderação da Isilda Sanches (Antena 3).  

 

Na Quinta-feira seguinte, 21 de Março, também no Hangar mas pelas 17h, promovemos uma masterclass pelo DJ Marfox.  

Com o tema "A Arte e o Ofício DJ", o Mestre irá discorrer sobre isso mesmo, segundo a sua perspectiva e experiência, sustentado pela sua carreira internacional de referência há mais de década e meia. A moderação ficará a cargo da XEXA.  

 

A entrada é livre para ambos os eventos, mediante a lotação do espaço.  

Teremos discos *incluindo o novo LP "Chá Preto" de DJ Nigga Fox*, merch a estrear, e refrescos espirituosos disponíveis.   

LOULÉ DEBATE DEASAFIOS DA PARENTALIDADE

Parentalidade.jpg

No próximo dia 15 de março, pelas 18h30, na Biblioteca Municipal de Loulé, a parentalidade é o tema da próxima sessão do Ciclo de Conversas "Semear Hoje...Colher o Amanhã...”, dinamizada por Rita Guapo.

A parentalidade é um caminho repleto de desafios e descobertas, uma jornada onde pais e mães enfrentam uma variedade de situações e dilemas. Desde o momento em que recebem a notícia da chegada de um filho, começam a surgir questões e incertezas sobre como serão capazes de educar, proteger e nutrir esse ser que dependerá deles para tudo. São estas as questões abordadas em “Parentalidade – Desafios e Respostas”.

Rita Guapo é licenciada em Psicologia Clínica, com mestrado em Psicologia da Educação e pós-graduação em Parentalidade Positiva. Tem desenvolvido grande parte da sua atividade profissional, quer ao nível da formação e do desenvolvimento e coordenação de projetos de educação para a saúde e de prevenção de comportamentos de risco na adolescência, quer ao nível do desempenho de funções como psicóloga escolar.

À semelhança das sessões anteriores, durante a iniciativa o participante poderá proporcionar aos seus filhos, com idade igual ou superior a 3 anos de idade, uma atividade dedicada à promoção do livro e da leitura dinamizada pelos profissionais da biblioteca, mediante inscrição prévia.

A participação é gratuita, mas sujeita a inscrição através do seguinte link https://forms.gle/6ScbiMCd79A9ZHW47

"Semear Hoje...Colher o Amanhã...” pretende desafiar o público em geral a partilhar e a refletir sobre diversos temas, com o objetivo de promover a capacitação e o bem-estar geral de cada um, bem como das respetivas famílias.

“Conversas Sem Margens” – 9 mar./Palmela - Documentário recupera vida de mulheres na clandestinidade

Conversas Sem Margens.jpg

 

No dia9 de março, às 16h00, as “Conversas Sem Margens” apresentam o documentário “Às escondidas elas também fizeram a revolução”, na Biblioteca Municipal de Palmela.

Trata-se de um trabalho jornalístico realizado pela revista digital Divergente, que recupera o quotidiano de duas mulheres durante a clandestinidade, durante a ditadura – Luísa Tito de Morais e Maria Machado Pulquério – e apresenta uma compilação de nomes e moradas de casas onde várias mulheres viveram clandestinas antes do 25 de Abril. Esta sessão, com entrada gratuita, contará com a presença das protagonistas.

“Às escondidas elas também fizeram a revolução” tem a assinatura da jornalista Rafaela Cortez e edição e coordenação de Diogo Cardoso, Luciana Maruta e Sofia da Palma Rodrigues.

Saiba mais aqui/ em https://www.elas-fizeram-revolucao.divergente.pt/.

Assista ao teaser em https://youtu.be/Fyd0KCiASu4

 

“Há mais quatro “Conversas Sem Margens” em 2024

 

Estão previstas mais 4 sessões das “Conversas Sem Margens”: Visionamento do filme “Conceição Matos: Coragem Hoje, Abraços Amanhã” e apresentação do livro “Elas estiveram nas prisões do fascismo” da URAP (6 abril); apresentação do livro “Liberdade no feminino: 50 anos de abril, 50 mulheres, 50 testemunhos”, de Alexandrina Pereira (13 junho); apresentação do livro “Exílios no feminino” da Associação de Exilados Políticos 61/74 (29 julho) e apresentação do livro “Exílios no feminino”, da Associação de Exilados Políticos 61/74 (14 setembro).

“Conversas Sem Margens” é uma iniciativa do Município de Palmela, enquadrada pelas comemorações dos 50 anos do 25 de Abril de 1974 que contribui para a concretização dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável 10 (Reduzir as Desigualdades) e 17 (Parcerias para a Implementação dos Objetivos).

Mais informações: 212336632 e biblioteca@cm-palmela.pt .

As “Conversas Sem Margens” contribuem para a concretização dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) 5  - Igualdade de Género 10  - Reduzir as Desigualdades e 17  - Parcerias para a Implementação dos Objetivos.

.

“Conversas Sem Margens” – 9 mar./Palmela - Documentário recupera vida de mulheres na clandestinidade

Conversas Sem Margens.jpg

No dia9 de março, às 16h00, as “Conversas Sem Margens” apresentam o documentário “Às escondidas elas também fizeram a revolução”, na Biblioteca Municipal de Palmela.

Trata-se de um trabalho jornalístico realizado pela revista digital Divergente, que recupera o quotidiano de duas mulheres durante a clandestinidade, durante a ditadura – Luísa Tito de Morais e Maria Machado Pulquério – e apresenta uma compilação de nomes e moradas de casas onde várias mulheres viveram clandestinas antes do 25 de Abril. Esta sessão, com entrada gratuita, contará com a presença das protagonistas.

“Às escondidas elas também fizeram a revolução” tem a assinatura da jornalista Rafaela Cortez e edição e coordenação de Diogo Cardoso, Luciana Maruta e Sofia da Palma Rodrigues.

Saiba mais em https://www.elas-fizeram-revolucao.divergente.pt/.

 

 

“Há mais quatro “Conversas Sem Margens” em 2024

 

Estão previstas mais 4 sessões das “Conversas Sem Margens”: Visionamento do filme “Conceição Matos: Coragem Hoje, Abraços Amanhã” e apresentação do livro “Elas estiveram nas prisões do fascismo” da URAP (6 abril); apresentação do livro “Liberdade no feminino: 50 anos de abril, 50 mulheres, 50 testemunhos”, de Alexandrina Pereira (13 junho); apresentação do livro “Exílios no feminino” da Associação de Exilados Políticos 61/74 (29 julho) e apresentação do livro “Exílios no feminino”, da Associação de Exilados Políticos 61/74 (14 setembro).

“Conversas Sem Margens” é uma iniciativa do Município de Palmela, enquadrada pelas comemorações dos 50 anos do 25 de Abril de 1974 que contribui para a concretização dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável 10 (Reduzir as Desigualdades) e 17 (Parcerias para a Implementação dos Objetivos).

Mais informações: 212336632 e biblioteca@cm-palmela.pt .

As “Conversas Sem Margens” contribuem para a concretização dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) 5  - Igualdade de Género 10  - Reduzir as Desigualdades e 17  - Parcerias para a Implementação dos Objetivos.

.

 

Podemos confiar na Intuição? Hélia Correia, Miguel Moura e José Neto conversam sobre Intuição no Coliseu Porto Ageas

Mantra_Intuicao.png

Há quem tenha na intuição a sua força invisível do processo de decisão, e até de criação artística. Mas como é que a intuição opera? E até que ponto podemos confiar nela? No dia 22 de fevereiro, Dia Mundial do Pensamento, o Coliseu Porto Ageas organiza a conversa “O Sexto Sentido - Podemos Confiar na Intuição?”. O painel será constituído pela escritora Hélia Correia, pelo neuropsicólogo Miguel Moura e por José Neto, professor e investigador em Desporto de Alta Competição.

 

Desde o início dos tempos que a intuição desperta mitos e curiosidades. Há quem a descreva como “o sexto sentido”, e é possível defini-la como a sensação de sermos capazes de saber, sem razão aparente, o que fazer ou como decidir em determinado momento: na concretização de um negócio importante, na mudança de emprego, na confiança numa certa pessoa ou até na escolha do melhor lado da baliza para marcar um penálti. Mas estará a intuição mais próxima da noção de pressentimento ou de conhecimento efetivo?

 

Nesta conversa de entrada livre, a escritora Hélia Correia, galardoada com o Prémio Camões em 2015 e um dos maiores nomes da literatura em Portugal, vai partilhar com o público o porquê de descrever a sua escrita como intuitiva. “Escrevo de uma forma completamente cega. Por instinto. Fico à espera de que a frase venha, às vezes durante bastante tempo – porque sei, por exemplo, que “ali” deve ficar um trissílabo –, tenho a música na cabeça e ainda não sei qual é a palavra. Não há, de forma alguma, uma premeditação. Quando me perguntam qual foi a minha intenção ao escrever isto ou aquilo, só sei dizer que me apareceu”, disse recentemente, em entrevista ao jornal Público.

 

O neuropsicólogo Miguel Moura irá explicar quais as conexões que ocorrem no cérebro quando recorremos à intuição e como é que ela opera, recolhendo informação sensorial e também conhecimento depositado nas memórias de experiências passadas.

 

O painel fica completo com a presença de José Neto, histórico do futebol que colaborou com várias equipas técnicas a nível nacional e internacional nas áreas das ciências da educação e comportamento humano. Membro da equipa técnica de José Maria Pedroto no Futebol Clube do Porto, José Neto é Mestre em Psicologia do Desporto e Doutorado em Ciências do Desporto e vai explicar como a intuição é parte das competências e estratégias operacionais para uma melhor performance em contexto de alta competição.

 

Com moderação da jornalista Helena Teixeira da Silva, a conversa “O Sexto Sentido - Podemos confiar na Intuição?” acontece na próxima quinta-feira, às 18h00, e insere-se no projeto “Mantras Coliseu”, que em cada mês aborda uma temática diferente. O mês de fevereiro tem como tema o binómio Intuição > Decidir, inspirado pelo momento eleitoral do próximo dia 10 de março, em que todos somos chamados a decidir com especial responsabilidade, neste ano em que se assinalam os 50 anos do 25 de Abril.

 

A entrada é livre, mediante levantamento prévio de bilhete, a partir de dia 21 de fevereiro, às 13h00, na bilheteira do Coliseu, até à hora do debate. Lotação sujeita à limitação do espaço.