Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

TEATRO-CINE DE TORRES VEDRAS ACOLHE O CICLO DE PERFORMANCES "ECLÉTRICA"

transferir (4).jpg

O Teatro-Cine de Torres Vedras acolhe no próximo dia 23 de junho, pelas 21h30, um ciclo de performances que serão apresentadas pela Performact.

Ecléctrica é o nome desse ciclo, o qual, mais que uma simples mostra, procura ser uma partilha, uma forma de energizar uma noite que traz ao palco do Teatro-Cine de Torres Vedras um pouco das várias realidades geradas por professores convidados e alunos no contexto do curso intensivo de intérprete de dança contemporânea da Performact.

De referir que esta entidade foi fundada em 2016, fruto de uma colaboração entre a Ilú - Associação Dança/Teatro de Intervenção Urbana e a sua associação parceira Untamed Productions, sendo que procura formar bailarinos a um nível profissional com um rigoroso plano de ensino orientado para a área da performance no campo da dança contemporânea. A Performact faculta aos estudantes não só a oportunidade de trabalhar as suas próprias capacidades físicas e intelectuais com vários profissionais de renome nacional e internacional, mas também fornece conhecimentos complementares de produção, o que é essencial na formação de um intérprete e na sua perceção daquilo que é um espaço cénico e performativo.

As entradas para se assistir ao ciclo de performances Eclétrica no Teatro-Cine de Torres Vedras são gratuitas.

Sonata for vacuum and H strings, de Juliana Fernandes

Esbatendo a parede entre nós e eles, resta-nos observar como o som da chuva nos persegue sem nos consumir. As expectativas, essas, assombram todos os momentos, em formato 3D na procura dos nossos devaneios mais loucos, íntimos e transparentes. Continuamos a olhar para trás, na procura de sentido, lógica e fio condutor. Contamos os batimentos, nossos e deles. A que velocidade anda o coração?

Conceito e direção: Juliana Fernandes

Intérpretes e cocriadores: Adi Rozen, Celia Morris, Emilio Bagnasco, Gustavo Magalhães, Inbar Aviram, Julie Stamm, Maja Kubalanca, Robin Zimmerman

Assistência coreográfica: Mariana Oliveira

Música: Ulfur, Chick MacGregor, Jerry Herman, Yasunoshin MORITA

 

Empty Chairs, de Jos Baker

Há algo que está em falta, falta alguém. Como lidamos com a ausência... E se não tivéssemos cheiro, nem gosto, nem toque... Empty Chairs é uma colaboração entre Jos Baker e os bailarinos/estudantes da Performact em forma de uma exploração do que acontece quando algo importante nos é retirado.

Conceito e direção: Jos Baker/Trodden dreams

Criação e performance: Celia Morris, Clemence Peytoureau, Diane Gossiome, Emilio Bagnasco, Francisca Rodrigues, Irene Valesano, Jean Loup, Mara Morgado, Mariana Oliveira, Marina Melero, Marzia Magnanini, Maxime Renaud, Suevia Rojo

Assistência coreográfica: Inês Carijó

Aluno assistente: Sebastien Bruneau

Música: JeanLoup, Hildur Gudnadottir, Ben Lucas Boysen, ABBA.

 

Fúrias, de Ricardo Ambrózio

"Escorraçadas do pecado e do sagrado
Habitam agora a mais íntima humildade
Do quotidiano.
São Torneira que se estraga atraso de autocarro
Sopa que transborda na panela
Caneta que se perde aspirador que não aspira
Táxi que não há recibo estraviado
Empurrão cotovelada espera
Burocrático desvario
Sem clamor sem olhar
Sem cabelos eriçados de serpentes
Com as meticulosas mãos do dia-a-dia
Elas nos desfiam Elas são a peculiar maravilha do mundo moderno
Sem rosto e sem máscara
Sem nome e sem sopro
São as hidras de mil cabeças da eficácia que se avaria
Já não perseguem sacrílegos e parricidas
Preferem vítimas inocentes
Que de forma nenhuma as provocaram
Por elas o dia perde seus longos planos lisos
Seu sumo de fruta
Sua fragrância de flor
Seu marinho alvoroço
E o tempo é transformado
Em tarefa e pressa
A contratempo."
Sophia de Mello Breyner Andresen | Ilhas, Págs. 64 e 65 | Texto Editora, 1989

Música: NOTO, ALVA / SAKAMOTO, RYUICHI - Summvs; Kumushki-Andrei Tarkovsky; Alim Qasimov, Hüsnü Şenlendirici, Rauf Islamov, Michel Godard - A Trace of Grace.

Coreógrafo: Ricardo Ambrózio

Intérpretes: Celia Morris, Francisca Rodrigues, Massimiliano Arnone, Suevia Rojo

 

BODY CARRIERS, de Eduardo Toroja

Esta criação com os bailarinos do Performact é uma comunhão energética e física de vocabulários oriundos das primeiras duas peças da companhia Última Vez (de Wim Vandekeybus): What the Body Does Not Remember (1987), descrita como uma “paisagem de combate perigosa”, que recebeu o prestigioso Bessi Award pela sua “confrontação brutal de dança e música” composta por Thierry de Mey e Peter Vermeerch; e Les Porteuses de Mauvaises Nouvelles (1989), “um jogo ritualístico de tentação e desafio”, “de cada vez que a boca se enchia de reações instintivas do perigo dos atores, eles fugiam”.

Coreógrafo: Eduardo Toroja

Intérpretes: Adrien Fried, Alicja Minc, Emma Halom, Irene Valesano, Jean Loup, Marria Nikolaeva, Marina Melero, Massimiliano Arnone, Nicolas Sanchez, Sebastien Bruneau, Suevia Rojo, Surendra Tekale

 

Crédito Fotográfico: Ricardo Ambrózio

 

Programa

Município de Palmela | Passos e Compassos estreia “Destempo Vertical” no Cine-Teatro S. João

Destempo Vertical.jpg

 

A Passos e Compassos estreia o espetáculo “Destempo Vertical” , nos dias 9 e 11 de junho, às 21h00, no Cine-Teatro S. João, em Palmela.

Trata-se do 5.º espetáculo/bouquet do ciclo Syrah que lança o aroma e desvendará a Casa Ermelinda Freitas.

Com ideia e direção de António Machado e Sofia Belchior, “Destempo Vertical”  conta com a interpretação da Dançarte:Ivanoel Tavares, José Lobo, Pedro Sampaio, Ricardo Mondim e Sofia Luz.

Entretanto, estão abertas inscrições para a Oficina de Aéreos, promovida pela mesma companhia no dia 19 de junho, no Centro Cultural de Poceirão (inscrições: 935321218).

Saiba mais em https://passosecompassos.pt.

 

Ciclo Sete Anos Sete Peças

 

transferir (10).png

 

A última semana de maio traz o final do Ciclo Sete Anos Sete Peças de Cláudia Dias no São Luiz Teatro Municipal, com a apresentação de Terça-feira: Tudo o que é sólido dissolve-se no ar Quarta-Feira: O tempo das cerejas.

As apresentações das peças são acompanhadas pelas conversas Dias Úteis, moderadas por Catarina Pires, e juntam artistas e pessoas convidadas para discutir os temas levantados em cada peça.

transferir (12).jpg

 

QUARTA-FEIRA: O TEMPO DAS CEREJAS

São Luiz Teatro Municipal | Sala Luís Miguel Cintra       
26.05 QUA 19H00
 
Quarta-Feira (2018) põe passado e futuro em confronto. Debaixo da terra/palco, Cláudia Dias e Igor Gandra são artistas, mineiros, operários, escavadores, arqueólogos que escavam o passado e projetam o que poderia ser um futuro que muitos têm dificuldade de imaginar.

Conversas Dias Úteis – A arte do fim 

Entre o fim do mundo e o fim do capitalismo, há dúvidas sobre a escolha a fazer? Parecendo que não, há. Porquê? É isso que vamos tentar perceber, ao mesmo tempo que questionamos o papel da arte e dos artistas no imaginar – e desenhar – desse futuro, com o artista Igor Gandra, Ricardo Paes Mamede e Gaia Giuliani.

 

transferir (13).jpg

 

TERÇA-FEIRA: TUDO O QUE É SÓLIDO DISSOLVE-SE NO AR 

São Luiz Teatro Municipal | Sala Luís Miguel Cintra         
29.05 SÁB 19H00

Em Terça-Feira (2017), Cláudia Dias e Luca Bellezze inspiram-se no universo dos desenhos animados de Osvaldo Cavandoli. Em palco constroem uma narrativa visual usando uma linha para contar a história de Omar, um menino de dez anos que viaja da Síria até Itália e cujos avôs foram expulsos primeiro da Palestina e depois do Líbano. 

Conversas Dias Úteis – A arte da inocência 

A narrativa de Omar põe-nos dentro da história ao mesmo tempo que nos coloca no nosso lugar, o de espetadores, mais ou menos passivos, mais ou menos cúmplices, mais ou menos solidários, mas sempre espetadores do que há décadas se passa no Médio Oriente. É a partir daqui que se desenvolve a conversa com o artista Karas, Shahd Wadi e Carlos Marques.

 

 

Programação 2021 | 3ª EDIÇÃO, CUMPLICIDADES 2020

CUMPLICIDADES - Festival Internacional de Dança Contemporânea de Lisboa, terminará a 3ª edição em Março de 2021 com a estreia do espectáculo MINA, de Carlota Lagido e com o espectáculo I COULD WRITE A SONG, de Nuno Lucas.

 

MINA | CARLOTA LAGIDO (PT)
SÃO LUIZ TEATRO MUNICIPAL – Nova criação | Estreia absoluta
4 a 6 Mar > 20h | 7 Mar> 17h30  | M/16 | 90 minutos


I COULD WRITE A SONG | NUNO LUCAS (PT)
BIBLIOTECA DE MARVILA
5 e 6 Mar  19h | M/6 | 60 minutos

 

 

CNB apresenta "Primeira vez" no TMJB

Primeira vez, pela Companhia Nacional de Bailado, com coreografias de Marco da Silva Ferreira e Filipe Portugal

 

31072020_HD_DSC_3764.jpg

TMJB image001 (1).JPG

 

A Companhia Nacional de Bailado vai estar no TMJB, nos dias 29 e 30 de Dezembro, terça e quarta-feira, às 21h, para apresentar dois trabalhos de dois coreógrafos portugueses que pela primeira vez coreografam para a CNB: Marco da Silva Ferreira apresenta Corpos de baile; e Filipe Portugal apresenta Teu corpo meu eco.

 

Duas novas criações. Dois coreógrafos portugueses
Marco da Silva Ferreira e Filipe Portugal coreografam pela Primeira Vez para a CNB num programa onde o colectivo é impulso para explorar a resiliência e a memória dos corpos que dançam.

Marco da Silva Ferreira propõe-nos uma abordagem contemporânea de um corpo (colectivo) em (re)construção. Filipe Portugal, antigo primeiro bailarino da CNB, explora as memórias do seu percurso nos corpos dos bailarinos que agora as transformam.

 

CORPOS DE BAILE
Uma faísca percorre um rastilho até desaparecer ao fundo
um percussionista segura as baquetas como se de um maestro se tratasse
um bailarino fricciona a borracha dos ténis no linóleo.
O chiar agudo acompanha o cheiro a queimado, o aquecimento do bailarino e o controlo do músico.
Ready, Set, Go!

Uma massa dançante evoca a imagem de Corpos de Baile que não sendo aleatória procura levantar o caos para se poder redefinir. Destroem-se e reconstroem-se momentos efémeros de encontro através da dança que são catalisadores de fenómenos. Aqui esses fenómenos são omitidos, e destaca-se a mestria do corpo, do seu potencial de plasticidade e de formação de um coletivo de resiliência associado a juventude, minoria, rebeldia e utopia.
A composição coreográfica é acompanhada pela maestria rítmica de Valentina Magaletti, que ora soa a techno minimal ora soa a mantra.
Marco da Silva Ferreira

 

TEU CORPO MEU ECO
Quando voltamos a um lugar que nos é familiar, e que faz parte da nossa trajectória, somos sempre levados a olhar para trás.
A invasão de memórias de um percurso que nos permitiu construir o presente revelam-se transformadas em novos significados, com maior ou menor intensidade, com novas percepções, concepções e perspectivas.
Teu Corpo Meu Eco parte da reflexão sobre ideias, músicas e movimentos inscritos num percurso que, a partir de um processo de transformação, propõe outras leituras através da coreografia, da música e dos figurinos, sobre essas mesmas ideias base sem que com isso se crie uma narrativa.

Nesta oportunidade de regressar ao meu “local de partida” para criar um novo trabalho coreográfico viajo sobre as diferentes memórias que são parte do meu percurso profissional para, através dos intérpretes, explorar diferentes formas de transformação nas diferentes disciplinas inscritas na peça.
Filipe Portugal

 

Primeira vez (Sala Principal, dias 29 e 30 de Dezembro de 2020, terça e quarta, às 21h) 1h20 M/12

 

Corpos de baile

Direcção artística e coreografia Marco da Silva Ferreira
Assistente da direcção artística Catarina Miranda
Música original Valentina Magaletti
Figurinos Aleksandar Protic
Desenho de luz Wilma Moutinho
Cenografia Emanuel Santos
Interpretação Bailarinos CNB
Produção Companhia Nacional de Bailado
Co-produção Teatro Municipal do Porto
Intérpretes em residência de pesquisa Carlos CaldeiraDuarte ValadaresEríca SantosJoana LopesLeonor Ramos e Maria Antunes
Apoio à residência artística ICI — Centre Chorégraphique National Montpellier – Occitanie e Centre Chorégraphique National de Caen en Normandie

 

Teu corpo meu eco

Coreografia Filipe Portugal
Composição Musical Original Miguel Lucas Mendes
Figurinos Nuno Baltazar
Desenho de Luz Cárin Geada
Interpretação Bailarinos CNB
Produção Companhia Nacional de Bailado
Apoio Riopele

 

Todas as informações em ctalmada.pt

Está quase a chegar o Lisboa na Rua

011d725e-16df-4712-993a-02c8b7f3665b (1).jpg

 

Lisboa na Rua está de regresso, animando a cidade com cinema, música, teatro e dança, mas este ano com um programa um pouco diferente e com algumas regras.
 
Escolhemos espaços e locais da cidade que permitam manter a devida distância e com acesso limitado para podermos, assim, regressar devagar à cidade, e celebrar a cultura ao ar livre e em segurança, através de uma programação multidisciplinar entre 13 de agosto e 27 de setembro. A entrada é gratuita em todos os eventos, mas sujeita, obrigatoriamente, a inscrição ou levantamento prévio de bilhete.
 
Abrimos o programa com o Festival Política (que normalmente acontece em abril) no Cinema São Jorge que apresenta propostas variadas durante 4 dias (entre 13 e 16 de agosto), num convite à reflexão sobre a temática do Ambiente e do desenvolvimento sustentável, no ano em que Lisboa é a Capital Verde Europeia.
 
Celebramos também a Capital Verde com a estreia de “Outro Olhar”, uma instalação artística da dupla de artistas Luke Egan e Pete Hamilton (do Reino Unido), que se destacou pela sua inovação no panorama internacional de arte urbana e que durante um mês dará vida às árvores um pouco por toda a cidade
 
Em setembro assinalamos um aniversário muito especial, os 70 anos de Jorge Palma, com um concerto exclusivo que será transmitido online no Facebook da Câmara Municipal de Lisboa e EGEAC – Cultura na Rua, no dia 12, pelas 21h30. Neste espetáculo, intitulado “70 Voltas ao Sol”, o cantor, compositor e músico estará ao piano, acompanhado por uma pequena orquestra e com Cristina Branco e Dead Combo, como convidados.
 
Ainda antes, nos primeiros dias de setembro, continuamos a celebrar Amália, dando voz à diva maior do Fado, desta vez no grande ecrã com “Amália no Cinema”, um ciclo de cinema no jardim do Museu de Lisboa - Palácio Pimenta. Quatro filmes protagonizados por Amália e comentados, ao vivo, por vários convidados.
 
O jardim do Museu de Lisboa, será igualmente palco para o Dançar a Cidade. Um desafio para experimentar vários estilos de dança, ao ar livre e a solo, que se estende ao Palácio Baldaya (em Benfica), todos os domingos de setembro.
 
Na Estufa Fria apresentamos, especialmente para os mais novos, mais uma das Antiprincesas, dando a conhecer, desta vez, a médica feminista Beatriz Ângelo em histórias dramatizadas com sessões de manhã e à tarde, durante todos os fins de semana também do mês de setembro.
 
Ainda no âmbito da Capital Verde Europeia, o festival Lisboa Soa (24 a 27 de setembro) ocupará vários locais da cidade com esculturas sonoras, e a comunidade de leitura em espaços verdes Ecotemporâneos instala-se na Quinta da Alfarrobeira (em São Domingos de Benfica), para mais duas sessões à volta dos livros, desta vez protagonizadas por Jorge Silva Melo (29 de agosto) e Gisela João (27 de setembro).
 
Nesta edição do Lisboa na Rua reservamos música clássica para todos, com a Orquestra Gulbenkian e os seus Solistas a interpretarem obras intemporais em três concertos de entrada gratuita. Continuamos também a aliar a cultura à descoberta de novos lugares e é a isso mesmo que convida a Open House, este ano num novo formato, com um programa de passeios sonoros realizado apenas no exterior.
 
Entre agosto e setembro o Lisboa na Rua convida ainda a ver Cinema no Estendal, a desfrutar dos festivais Bairro em FestaFUSOLisboa Mágica e Chapéus na Rua ou a ouvir música experimental nas Noites de Verão da Galeria Quadrum (em Alvalade) e também no espaço O’Culto da Ajuda com Formações Extraordinárias.
 
Este ano a ilustração do programa tem a assinatura de AKA Corleone (alter ego de Pedro Campiche), numa combinação original de cores, personagens e formas que caracterizam este artista visual natural de Lisboa.
 
Toda a programação em www.culturanarua.pt 

Recomeçamos hoje a 3ª EDIÇÃO do CUMPLICIDADES 2020

Recomeçamos hoje a 3ª edição do CUMPLICIDADES com Ana Rita Teodoro, amanhã com Mário Afonso e Ana Renata Polónia e a partir de quinta-feira com Catarina Miranda.

 

Programação Set 2020:

 

_YOUR TEACHER PLEASE | ANA RITA TEODORO (PT)

Quartel da GNR - Largo Cabeço de Bola  

22, 23, 24 Set > 19h30 | M/6 | 80 minutos

 

_ESTÚDIOS ABERTOS | CAL - Primeiros Sintomas:

 

FRAMEWORK | MÁRIO AFONSO (PT)

23 Set > 20h30 | 40 minutos | M/18

 

KAMA | ANA RENATA POLÓNIA (PT)

23 Set > 21h30 | 30 minutos | M/18

 

_DREAM IS THE DREAMER | CATARINA MIRANDA (PT)

CAL - Primeiros Sintomas - Estreia em Lisboa

25 e 26 Set > 21h30 | 27 Set > 19h30 | M/6 | 45 minutos

 

Novas datas | 3ª EDIÇÃO, CUMPLICIDADES 2020 - Festival Internacional de Dança

A 3ª edição do CUMPLICIDADES - Festival Internacional de Dança Contemporânea de Lisboa, regressará em Setembro após suspensão devido à situação pandémica do COVID-19.

ISABEL COSTA ©leonorfonseca.jpg

 

É com entusiasmo que anunciamos que a programação do Cumplicidades será retomada ainda este ano, acontecendo em tempos diferentes, em articulação com as entidades parceiras. Haverá um primeiro momento entreSetembro e Outubro deste ano, e a conclusão será entre Fevereiro e Março de 2021

 

Programação Set/Out 2020:

 

_YOUR TEACHER PLEASE | ANA RITA TEODORO (PT)
Largo de Residências - Palácio Visconde da Graça
23, 24, 25 Set > 19h30 | M/6 | 80 minutos

_ESTÚDIOS ABERTOS | CAL - Primeiros Sintomas:

FRAMEWORK | MÁRIO AFONSO (PT)
23 Set > 20h30 | 40 minutos | M/18

KAMA | ANA RENATA POLÓNIA (PT)
23 > 21h30 | 30 minutos | M/18

_DREAM IS THE DREAMER | CATARINA MIRANDA (PT)
CAL - Primeiros Sintomas - Estreia em Lisboa
25 e 26 Set > 21h30 | 27 Set > 19h30 | M/6 | 45 minutos

_UMA TARDE NO MUNDO. MUSEU DE LISBOA , 03 Out > A partir de 15h

SEM TÍTULO (####) | VÂNIA ROVISCO (PT)
SALÃO PARA O SÉCULO XXI | ISABEL COSTA (PT)
SEM TÍTULO (REENCONTROS NO PALÁCIO DE VERÃO) | RITA VILHENA (PT)
INSÓLIDO | SÉRGIO MATIAS (PT)
A BESTA, AS LUAS (trabalho em processo) | ELIZABETE FRANCISCA (PT)
ATO INVISÍVEL | SEZEN TONGUZ (PT)

_TALK on-line sobre o seu trabalho | SINA SABERI (IR)
04 Out > 16h | 30 minutos | Plataforma www.festivalcumplicidades.pt 

_HIP. A PUSSY POINT OF VIEW | PINY (PT)
CENTRO CULTURAL DE BELÉM/ BLACK BOX
30 e 31 Out > 19h | M/16 | 60 minutos
31 Out > Período da manhã | Workshop

 

 

 

 

+ infos em www.festivalcumplicidades.pt   

Cultura em Movimento 2020 no concelho da Moita: Dança e muita música no próximo fim-de-semana

Cultura em Movimento 2020 no concelho da Moita

Dança e muita música no próximo fim-de-semana

 

Até ao final de agosto, os espaços públicos do concelho da Moita estão a receber artes performativas, cinema, música, teatro, entre outras iniciativas, no âmbito do programa Cultura em Movimento 2020, promovido pela Câmara Municipal da Moita, Juntas de Freguesia e Movimento Associativo.

No próximo fim-de-semana, decorrem as seguintes iniciativas:

 

Dia 21 de agosto | sexta-feira | 19:00h

Parque José Afonso (junto às piscinas municipais) | Baixa da Banheira

MÚSICA “VALU”

VALU2.jpg

 

Destinatários: Público em geral | M/6 anos

Duração: ± 50 min.

“Valu nasceu em 77, o ano do punk, e cresceu para se transformar no improvável resultado de uma infância a ouvir o "Sobreviventes" e o "Cantigas do Maio" no gira disco da casa em modo repeat, sendo que na altura o modo repeat exigia todo um ritual de solenidade e relativa desarrumação que deixou marcas que resistiram ao tempo e sobreviveram na memória. Se as referências da infância evocam nomes tão solenes como Godinho ou Zeca, foi na adolescência, igualmente punk, que as guitarras entraram em cena no filme desta pessoa de 77, com espírito de 74 e os olhos postos na contemporaneidade. As canções evocam o choro e o dedilhar dos cantores de intervenção, a poesia é clara, acutilante, cara a cara, fala da vida e da prisão, felizmente sem necessidade de metáforas evasivas ou eufemismos, e a apresentação faz-se num emaranhado de cabos, cravos, cabelos vermelhos e uma guitarra abençoada por Jello Biafra, figura maior desse mesmo punk que nasceu em 77, que tem espírito de 74 e os olhos sempre postos na contemporaneidade. Valu está atualmente a produzir o seu disco de estreia. https://www.facebook.com/Valu-824683340932475/

Entrada gratuita com reserva obrigatória pelo telefone 933 003 654

 

Dia 22 de agosto | sábado | 19:00h

Praia do Rosário | Gaio Rosário

MÚSICA “TRÊS RIOS”

três rios.png

 

Destinatários: Público em geral | M/6 anos

Duração: ± 60 min.

“Catarina dos Santos, Luati González e Julian Tarragô juntam-se para nos apresentar Três Rios - percussão, voz e acordeão; Espanha, Portugal e Brasil - com sonoridades originais e inspiradoras, que resultam da absoluta necessidade de acrescentar arte e música aos nossos dias, numa luta encantada contra a corrente. Temas originais e composições de grandes compositores da música Ibérica e da América Latina”.

https://soundcloud.com/catarina-dos-santos

https://madnomadflowetry.bandcamp.com/

www.marcreation.net

Entrada gratuita com reserva obrigatória pelo telefone 933 003 654

 

Dia 23 de agosto | domingo | 19:00h

Praceta Almada Negreiros, Bairro Gouveia | Alhos Vedros

MULTIDISCIPLINAR “FAST FORWARD”, de Marina Popova

POPOVA 1.JPG

 

Destinatários: Público em geral | M/6 anos

Duração: ± 55 min.

“Contrariando a ideia de que algumas músicas não são adequadas para dançar, Fast Forward surge da vontade da coreógrafa Marina Popova em ilustrar, através da dança, as músicas mais icónicas da sua juventude. Neste espetáculo multidisciplinar, que assume a forma de um concerto, os instrumentos são tocados ao vivo pelos próprios bailarinos, mas é o movimento e a coreografia que assumem o papel principal do cruzamento artístico.

Coreografia: Marina Popova * excepto quadros coreográficos 2, 7, 8, 9, 11, 12, 15 e 16

Coautoria de Marina Popova e Marco Rodrigues | Interpretação, Bailarinos: Carolina Russo, Catarina Frade, João Évora, Patrícia Frade, Marco Rodrigues e Marina Popova | Músicos - Guitarras: Marco Rodrigues | Saxofone: Patrícia Frade | 2ªs Guitarras: Carolina Russo | Backing Vocals: Marina Popova, Patrícia Frade, Catarina Frade e Carolina Russo | Figurinos, Apoio de Palco e Registo Imagem: Carla Frade | Produção: Companhia de Dança Marina Popova 2020.

Entrada gratuita com reserva obrigatória pelo telefone 933 003 654

 

Visando a segurança de todos, as iniciativas seguem medidas rigorosas, garantindo todas as condições para uma experiência segura. O Cultura em Movimento cumpre todas as normas da Direção-Geral de Saúde para o setor da cultura.

A participação nas atividades do Cultura em Movimento requer inscrição prévia através do número 933 003 654, no horário de segunda a sexta-feira, das 9:00h às 12:30h e das 14:00h às 17:30h (máximo de cinco reservas por pessoa).
O programa está sujeito a alterações, sendo periodicamente avaliado de acordo com as indicações da DGS, e pode ser consultado em
 www.cm-moita.pt.

Cultura em Movimento 2020 no concelho da Moita: Dança, música e literatura no próximo fim-de-semana

 

 

Até ao final de agosto, os espaços públicos do concelho da Moita são o palco para artes performativas, cinema, música, teatro, entre outras iniciativas, no âmbito do programa Cultura em Movimento 2020, promovido pela Câmara Municipal da Moita, Juntas de Freguesia e Movimento Associativo.

No próximo fim-de-semana, decorrem as seguintes iniciativas:

 

7 de agosto | sexta-feira | 19:00h às 21:00h

Animação de rua em veículo móvel | Percurso pelo concelho

DANÇA COM A ACADEMIA DE DANÇA ALMA LATINA DA SOCIEDADE FILARMÓNICA ESTRELA MOITENSE

dança.jpg

 

Destinatários: Público em geral | M/6 anos

Duração: 2 horas.

Direção: Luís Pascoeiro | Interpretação: Sorin Pojar e Lara Neto | Eduardo Proença e Laura Cardoso | Eduardo Velez e Bruna Velez | Diogo Fernandes e Constança Fernandes | Yasmin Pires e Leonor Gaspar

Mais informações pelo telefone 933 003 654

Organização: Câmara Municipal da Moita

 

8 de agosto | sábado | 10:00h

Parque Municipal da Moita

SÁBADOS A LER EM FAMÍLIA

Um Tubarão na Banheira de David Machado, com Maria João Silva

Destinatários: Crianças e famílias | M/7 anos

Duração: ± 45 min.

Lotação máxima: 20 participantes

14191654«O-Tubarão-na-Banheira»-709x1024.jpg

 

“Imagine-se, um dos protagonistas é um tubarão que entra dentro de casa e dorme numa banheira. Mas este tubarão mais ou menos bem comportado também anda de carro e vai à escola. Parece mentira? Só para quem não acredita no poder dos pensamentos. O Tubarão na Banheira é um livro de grande encanto, ao qual não faltou inspiração literária e criativa.”

Entrada gratuita, com reserva obrigatória pelo telefone 933 003 654

Organização: Câmara Municipal da Moita

 

8 de agosto | sábado | 19:00h às 21:00h

Animação de rua em veículo móvel | Percurso pelo concelho

MÚSICA

MUGSY LTMS AND MEDI SOUND STATION + INDIAN MAN

INDIAN MAN 1.jpg

 

Destinatários: Público em geral | M/6 anos

Duração: 2 horas.

Mais informações pelo telefone 933 003 654

Organização: Câmara Municipal da Moita

 

MUGSY LTMS AND MEDI SOUND STATION

Mugsy é um músico do concelho da Moita que iniciou a sua carreira em 2000. Através de ritmos envolventes e pacificadores, o seu New Roots Reggae faz-nos viajar até uma Jamaica dos dias de hoje, sem perder as raízes de uma tradição musical riquíssima.

Mugsy conta já com vários álbuns de originais e neste momento prepara Wailing e Monkeys que serão lançados antes do final de 2020.

https://m.facebook.com/likethemansaid?tsid=0.29447563336772475&source=resut

 

INDIAN MAN

HIP HOP & BOAS VIBES

Indian Man é um músico do concelho da Moita no ativo desde 2012. As suas músicas têm como base o hip-hop com um espectro musical amplo, passando também pelo R&B contemporâneo.

Para além de mixtapes, conta ainda com um álbum de originais e recentemente lançou o EP "E Eu?”.

Tem atuado em diversos locais, destacando-se as atuações nas Semanas Académicas de Setúbal, Copenhagen Bar em Lisboa, Maus Hábitos no Porto e nas Festas do Vale da Amoreira e Baixa da Banheira.

https://www.instagram.com/therealmadcurry/

www.youtube.com/indianmandc

 

9 de agosto | domingo | 10:30h

Parque Municipal da Moita

OFICINA DE CORPO E MOVIMENTO - Com Yana Suslovets

foto_Yana Suslovets.jpg

 

Destinatários: Público em geral | M/12 anos

Duração: ± 60 min.

Lotação máxima: 12 participantes

Esta oficina tem como objetivo estimular e ativar o movimento do corpo através de exercícios de aquecimento, alongamento e condição física. Serão desenvolvidas atividades de pesquisa do domínio do corpo, que estimulam as funções motoras, percetivas e afetivas. Através de uma abordagem recreativa e descomprometida, pretende-se conduzir a criação de um diálogo entre a mente e o corpo e contribuir para assimilar a importância do corpo em movimento, que assume um papel fundamental no nosso quotidiano, explorando a expressão corporal como

forma de conhecimento, indispensável para vivermos presentes, críticos e participantes ativos em sociedade.

Entrada gratuita, com reserva obrigatória pelo telefone 933 003 654

Organização: Câmara Municipal da Moita

 

Visando a segurança de todos, as iniciativas seguem medidas rigorosas, garantindo todas as condições para uma experiência segura. O Cultura em Movimento cumpre todas as normas da Direção-Geral de Saúde para o setor da cultura.

A participação nas atividades do Cultura em Movimento requer inscrição prévia através do número 933 003 654, no horário de segunda a sexta-feira, das 9:00h às 12:30h e das 14:00h às 17:30h (máximo de cinco reservas por pessoa).
O programa está sujeito a alterações, sendo periodicamente avaliado de acordo com as indicações da DGS, e pode ser consultado em
 www.cm-moita.pt.