Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Outubro • Ballet Contemporâneo do Norte

76611232-d60a-453d-bc62-54363e9eb681.jpg

 

 

© Jani Nummela


CAFÉ CENTRAL #4. Ativismo Curatorial
com Andreia Coutinho, Laura Falésia & Maribel M. Sobreira (ColectivoFACA)

 

12 de Outubro  
15:00-17:00
Cineteatro António Lamoso
Santa Maria da Feira
Entrada Livre


A quarta de 5 conversas do ciclo CAFÉ CENTRAL trará ao Cineteatro António Lamoso as investigadoras Andreia Coutinho, Laura Sequeira Falé e Maribel Mendes Sobreira, do Coletivo FACA. Partindo de "Curatorial Activism", de Maura Riley, e do ciclo de conversas realizado no Museu Coleção Berardo em Maio e Junho deste ano, o Colectivo irá problematizar feminismos, colonialismos e questões queer dentro das instituições museológicas. O que fazer quanto à higienização discursiva dos museus de arte moderna e contemporânea portugueses que expõem obras e artistas que trabalham sobre estes temas? Como pensar nos museus de arte antiga ou etnologia que têm uma ferida social maior, especialmente em países colonizadores? Que informação se pode acrescentar ao discurso museológico de forma a que estas instituições se tornem centros de reflexão comunitária? A conversa pretende-se dinâmica e com formato de think tank participativo.

CAFÉ CENTRAL é o título do segmento conferencial do programa €UROTRA$H, organizado pelo Ballet Contemporâneo do Norte e com curadoria de Rogério Nuno Costa. Como afirma George Steiner em 'The Idea of Europe' (2004): "Europe is the place where Goethe’s garden almost borders on Buchenwald, where the house of Corneille abuts on the market-place in which Joan of Arc was hideously done to death.” O programa constrói-se em torno da urgência de uma reflexão sobre estas contradições e tensões culturais, sociais, políticas, económicas e religiosas que afetam a Europa de hoje, impulsionada pela designada “crise dos refugiados” e o crescimento exponencial de movimentos nacionalistas. Investigadores das áreas dos estudos feministas, pós-colonialistas, anti-racistas e queer encontrar-se-ão com o público num ambiente informal, propondo conversas abertas e imprevisíveis para uma história não-normativa da Europa. O CAFÉ CENTRAL enquanto espaço de debate intelectual e conspiração política, habitado por flâneurs, poetas, metafísicos e escritores, micro-unidade de sentido que atravessa todas as latitudes europeias.

Venha tomar café connosco!

Sobre o Colectivo FACA:
Formado em Março de 2019, o Colectivo FACA é um projecto de cidadania activa constituído por Andreia Coutinho, Laura Sequeira Falé e Maribel Mendes Sobreira. O projeto parte da ideia de corte: depois da incisão, há elementos que se dão a ver, formando-se novos centros e novas margens. O Colectivo FACA pensa as temáticas do feminismo, colonialismo, racismo, LGBTQI+ e não-normatividade em geral. Todas estas questões têm a mesma raiz, um preconceito em relação àquilo que não é igual a nós, fazendo-nos sentir ameaçados, ramificando-se em temas considerados marginais. É urgente recontar a História porque a narrativa predominante não coincide com as narrativas individuais e colectivas, que sempre foram desconsideradas. O Colectivo FACA é um projecto de curadoria que questiona as narrativas da cultura visual, um trabalho de proximidade com vários públicos que amplia a perspectiva acerca do outro e a História, propondo discussões, tertúlias, think tanks, exposições e visitas guiadas a espaços expositivos, aproveitando a sua constituição enquanto espaço comunitário. Tendo em conta que estas ideias estão a ser desenvolvidas internacionalmente, trazemos as discussões para o debate cultural português contando com público especializado e não especializado. Não apagando a História, cruzamos as diversas narrativas, puxando as margens para o centro do debate. Acreditamos que é preciso reajustar as margens e relocalizar os centros.

PRÓXIMA CONVERSA:
INMUNE - Instituto da Mulher Negra em Portugal
com Joacine Katar Moreira
19 de Outubro 15h00 - 17h00

 

ac53809d-48b1-4da4-ab17-041141d63d43.jpg

 

Uma Dança por Mês…EUROPA Endlos
Moçambique - Marrabenta com Catarina Panguana



19 de Outubro | 10h00-12h30
Sala de ensaio do Cineteatro António Lamoso
Sessão gratuita até ao limite de 30 participantes
Não é necessária
experiência em dança
Inscrições obrigatórias em bcnproducao@gmail.com



Depois de ter ocupado o primeiro trimestre do ano com três sessões dedicadas ao Ballet, o programa Uma Dança Por Mês... EUROPA ENDLOS iniciou, em Abril, um novo ciclo de três sessões, desta vez em torno da "ideia" de Contemporâneo. Vamos expandir ainda mais os limites geo-histórico-culturais do mapa "europeu", abordando paradigmas coreográficos oriundos de outros continentes, e cujas manifestações coreográficas e musicais têm inspirado, nas duas últimas décadas, a cultura pop/hip hop e a street dance mundiais. Do funk brasileiro (sessão realizada em Abril) ao Kuduro/Afro-House angolano, passando pela marrabenta de Moçambique, o programa pretende propor uma deslocação do olhar (a Sul), em estreita colaboração com profissionais oriundos de países de língua oficial Portuguesa atualmente a residir e a trabalhar em Portugal.

€UROTRA$H é um programa curatorial organizado pelo Ballet Contemporâneo do Norte com várias ações (espetáculos, conferências, workshops) a ter lugar em vários espaços de Santa Maria da Feira ao longo do ano de 2019. O programa contrói-se em torno da urgência de uma reflexão sobre as contradições e tensões culturais, sociais, políticas, económicas e religiosas que afetam a Europa de hoje, impulsionada pela designada “crise dos refugiados” e o crescimento exponencial de movimentos nacionalistas. Coreógrafos, encenadores e Investigadores convidados explorarão as áreas dos estudos feministas, pós-colonialistas, anti-racistas e queer, propondo leituras transdisciplinares para uma história não-normativa da Europa. No dia 19 de Outubro, teremos uma aula de Marrabenta com a bailarina e formadora Moçambicana Catarina Panguana para o segmento EUROPA ENDLOS...UMA DANÇA POR MÊS, na Sala de Ensaio do Cineteatro António Lamoso, entre as 10h00 e as 12h30.

 

No Centro de Experimentação Artística - Vale da Amoreira: Ensaio Aberto de Dança “Em Branco”

em branco 1 - a noite.jpg

 

O Centro de Experimentação Artística (CEA), no Vale da Amoreira, recebe, no dia 27 de setembro, pelas 10:30h, o Ensaio Aberto de Dança “Em Branco”, de Marina Nabais.

 

Após a residência artística no CEA, este dia será reservado para partilhar com o público o resultado final da criação do espetáculo de dança “Em Branco”. Esta iniciativa dedicada à dança tem entrada livre e é aberta às escolas, mas também às famílias e crianças maiores de cinco anos.

 

Marina Nabais é formada em dança e artes performativas. Intérprete e coreógrafa, desenvolve um trabalho pedagógico abrangendo diferentes faixas etárias.

Passatempo - Bailado "Murmurios de Pedro e Inês | Auditório Museu Oriente

O Blog Cultura de Borla tem bilhetes simples para o bailado MURMURIOS DE PEDRO E INÊS no AUDITÓRIO MUSEU ORIENTE para o dia 15 de Setembro (19h) aos primeiros leitores que de 5 em 5 participações:

 

- enviem um mail para culturadeborla@sapo.pt com a frase "Eu quero ir ao BAILADO MURMURIOS DE PEDRO E INÊS com o Cultura de Borla" com nome, BI e nº de telefone e sessão pretendida.

Só é aceite uma resposta válida por endereço de e-mail e por concorrente pelo que não adianta enviar mais do um e-mail.

Excepto em casos de força maior que deverão ser atempadamente comunicados através do email culturadeborla@sapo.pt, contamos que os participantes aproveitem os bilhetes que ganharam, portanto concorra apenas se tem a certeza que pode estar presente.

 
 
BAILADO

MURMÚRIOS DE PEDRO & INÊS

 Auditório Museu do Oriente | 15 de Setembro, 19h
 

view.php.jpg

Depois dos palcos de Budapeste, Nova Iorque, São Tomé e Príncipe, Angola, Moçambique, Macau e Timor Leste, o bailado Murmúrios de Pedro e Inês, regressa aos palcos de Lisboa. Terá lugar dia 15 de Setembro, 19h00, no Auditório do Museu do Oriente.

O mais recente bailado de Fernando Duarte, coreógrafo e ex-bailarino da Companhia Nacional de Bailado, com direcção artística e interpretação de Solange Melo e do próprio Fernando Duarte, Murmùrios de Pedro e Inês, reúne música de Bernardo Sassetti e Fernando Lopes-Graça, figurinos de José António Tenente e texto de Afonso Cruz.

Neste bailado, a história de Pedro e Inês é dançada, contada, ouvida, vista e sentida através de uma amálgama artística contemporânea, tornando este espectáculo original e apelativo para um público transversal ao público de dança.

O bailado Murmúrios de Pedro e Inês surge da vontade de apresentar uma obra narrativa, dentro da estética da dança neoclássica, que possa ser o reflexo de uma identidade artística contemporânea portuguesa nas várias vertentes que apresenta: Dança, Artes Plásticas, Literatura e Música.

A história (verídica) do amor de D. Pedro por D. Inês de Castro é a pedra basilar de todo o bailado, mas é também o elo de partida para a relação entre a criação balética e artística, e os diversos géneros literários ou revivalismos históricos. Essa ligação, ao nível da dança clássica em Portugal, encontrava-se num vazio de oferta artística, sendo o desejo dos diretores artísticos deste projeto utilizar os seus conhecimentos e experiência únicas, adquiridos ao longo de duas décadas em reputadas companhias de repertório clássico e contemporâneo, para impulsionar este conceito performativo na área da dança.

Com Murmúrios de Pedro e Inês, propõe-se a reinvenção da fórmula de bailado narrativo (o denominado ‘full lenght ballet’) contextualizando-o no panorama performativo do novo século em que vivemos. Propõe-se seguir o espirito renovador da arte mundial e da dança em particular, através da colaboração de artistas das mais diversas disciplinas, uma vez que a sua contribuição permite alargar o efeito ramificador da dança como veículo de expressão humana, filosófica e de emoção.

Murmúrios de Pedro e Inês foi distinguido pelo Prémio de Dança "Anna Mascolo" tribuído pela Mirpuri Foundation em 2018.

Este espectáculo de ballet está inserido na iniciativa RHI organizada pelo Arte Institute.  Esta iniciativa mundial terá lugar em 11 cidades de Norte a Sul de Portugal. De 14 a 21 de Setembro de 2019, Portugal será palco de vários eventos culturais, workshops de arte e espectáculos multidisciplinares.Revolution_Hope_Imagination (RHI)

Arte Institute é uma organização pioneira sediada em Nova Iorque, que dinamiza a produção e difusão de artistas, projectos de arte e cultura contemporânea portuguesa. Organiza eventos em todos os continentes, nas principais capitais do mundo, e em áreas como cinema, artes plásticas, música, literatura, teatro e performance.

Agosto com muito folclore no Concelho de Loulé

Folclore Colômbia.jpg

 

O FolkFaro está de volta ao concelho de Loulé nos dias 18, 19, 20, 22, 23 e 24 de agosto com várias propostas de músicas e danças de várias partes do mundo, sem esquecer os grupos locais.

Integrados na descentralização deste evento que constitui o maior festival de folclore do Sul do país, 300 participantes irão celebrar a união e o encontro dos povos através da expressão das suas culturas identitárias das quais se destaca o folclore. Os grupos internacionais convidados terão como anfitriões os ranchos do concelho mas é de destacar ainda a integração do 10º Festival Internacional de Folclore do Rancho Folclórico e Etnográfico de São Sebastião a este programa.

No arranque, dia 18, a Casa do Povo de Boliqueime recebe o grupo argentino Asociación “Nuestras Raíces” (Rosário – Santa Fé) que terá ao seu lado o Rancho Folclórico da Casa do Povo de Boliqueime, para uma atuação conjunta que acontece no âmbito do BFF – Boliqueime Food Festival.

No dia 19, o Folkfaro junta, no palco natural da Fonte Grande de Alte, o folclore da Eslováquia com o grupo FS Rozmarija (Presov) ao melhor do corridinho representado pelo Grupo Etnográfico da Serra do Caldeirão.

Salir é ponto de passagem deste programa, no dia 20, com a atuação do Ballet Folclórico Nacional Jaime Orozco, de Bogotá, Colômbia, e do Rancho Folclórico “As Mondadeiras das Barrosas”, na escola primária de Salir.

No dia 22, o Rancho Folclórico Infantil de Loulé é o anfitrião de uma noite que terá como convidado o grupo turco Penfolk Sarfolk (Pendik – Istambul), na Praça do Mar, em Quarteira.

Ubuhle Be Afrika (Port Elizabeth), da África do Sul, sobe ao palco instalado no Largo da Igreja de Querença, no dia 23, ao lado do Grupo Etnográfico da Serra do Caldeirão.

Na noite de encerramento, dia 24, o Folkfaro associa-se ao 10º Festival Internacional de Folclore do Rancho Folclórico e Etnográfico de São Sebastião. No recinto da junta de freguesia, para além dos promotores desta iniciativa, vão atuar o Ballet Folclórico Nacional Jaime Orozco (Bogotá, Colômbia), o Grupo de Danzas Adolfo de Castro (Cádiz, Espanha), o Rancho Folclórico de Macau e o Rancho Folclórico da Ria Formosa (Olhão)

Refira-se que o FolkFaro é o único festival do sul de Portugal com a certificação internacional do CIOFF-Conselho Internacional das Organizações de Festivais de Folclore e Artes Tradicionais, uma organização não-governamental (ONG) com relações formais de consulta com a UNESCO, criada em 1970 com o objetivo de salvaguardar a promoção e difusão da cultura tradicional e do folclore.

 

CML/GAP /RP

Liga de Verão no Vale da Amoreira

cartaz liga de verão.jpg

 

Durante o mês de agosto, as crianças e jovens, com idades entre os 6 e os 14 anos, vão poder participar gratuitamente na "Liga de Verão", no Vale da Amoreira. São 19 as atividades desportivas e culturais preparadas para animar as férias de verão dos mais novos.

As atividades, em áreas como o desporto, artes, livros, dança e música, vão decorrer em cinco espaços diferentes: Biblioteca Municipal do Vale da Amoreira, Centro de Experimentação Artística - CEA, Polidesportivo junto às Instalações ACDRVA (EX-CAVA), Campo Municipal do Vale da Amoreira e no Polidesportivo junto à Escola Secundária da Baixa da Banheira. Para participar basta selecionar as atividades preferidas e aparecer na hora e local indicados.

O programa é promovido pela Câmara Municipal da Moita, em parceria com a União de Freguesias da Baixa da Banheira e Vale da Amoreira, o Centro Social O Bom Samaritano, a Associação Cultural Desportiva e Recreativa do Vale da Amoreira – ACDRVA, o Grupo Desportivo e Recreativo Portugal e o Projeto Escolhas VA 2835.

Mais informações sobre as iniciativas podem ser obtidas na Biblioteca Municipal do Vale da Amoreira (T: 212 020 021) e no Centro de Experimentação Artística (T: 211 810 030).

 

Programa

 

Biblioteca Municipal do Vale da Amoreira

 

2 e 23 de agosto | 10:00h às 12:00h

8 de agosto | 14:00h às 16:00h

Oficina de Construção de Fantoches

Dinamização: Centro Social O Bom Samaritano

 

5 de agosto | 15:00h/17:00h

Hora do Conto "A Bruxa Arreganha Dentes"

de Tina Meroto e adaptação de Dora Batalim

Dinamização: Câmara Municipal da Moita

 

7 de agosto | 14:30h

Maré de Histórias com a escritora Manuela Ribeiro

Dinamização: Câmara Municipal da Moita

 

22 de agosto | 15:00h às 17:00h

Oficina de escrita e ilustração "Dos Sons Nasce a História"

Dinamização: Câmara Municipal da Moita

 

28 e 29 de agosto | 15:00h às 17:00h

Oficina de Jogos de Computador

Dinamização: Câmara Municipal da Moita

 

Centro de Experimentação Artística – CEA

 

5, 6, 8, 9, 12 e 13 de agosto | 15:00h às 17:00h

Oficina das Artes, com Pedro Pinhal

Desenho, pintura e pintura de T-shirt

Dinamização: Câmara Municipal da Moita

 

5 e 9 de agosto | 10:00h às 12:00h

16 de agosto | 14:00h às 16:00h

Oficina de Dança

Dinamização: Centro Social O Bom Samaritano

14 de agosto | 10:00h às 12:00h

Oficina de exploração da Arca do Mundo

Dinamização: Câmara Municipal da Moita

 

14 de agosto | 14:00h às 16:00h

Oficina Regresso à Poesia (RAP)

Dinamização: Projeto Escolhas VA 2835

 

26 de agosto | 15:00h às 17:00h

Oficina de bateria e percussão

Dinamização: Câmara Municipal da Moita

 

Polidesportivo junto às instalações ACDRVA (ex-CAVA)

 

1, 2 e 5 de agosto | 9:30h às 12:00h

Oficina de Street Basket

Dinamização: Câmara Municipal da Moita

 

6 de agosto | 9:30h às 11:00h

Jogos Gímnicos

Dinamização: Câmara Municipal da Moita

 

10 de agosto | 17:00h

Jogo do Uril

Dinamização: Associação Cultural Desportiva e Recreativa do Vale da Amoreira - ACDRVA

 

17 e 18 de agosto | 9:00h

Torneio de Futsal

Dinamização: Associação Cultural Desportiva e Recreativa do Vale da Amoreira - ACDRVA

 

19, 20, 21, 22 e 23 de agosto | 9:30h às 12:00h

Semana do Futebol

Dinamização: Câmara Municipal da Moita

 

21 de agosto | 14:30h às 15:15h

Oficina de Dança

Dinamização: Projeto Escolhas VA 2835

 

24 de agosto | 9:00h

Passeio de Bicicleta

Dinamização: Associação Cultural Desportiva e Recreativa do Vale da Amoreira - ACDRVA

 

Campo Municipal do Vale da Amoreira

 

12, 13, 14 e 16 de agosto | 18:00h

Treinos de Captação - dos 7 aos 10 anos

Dinamização: Grupo Desportivo e Recreativo Portugal

 

8 de agosto | 9:30h às 11:00h

Jogos Gímnicos

Dinamização: Câmara Municipal da Moita

 

Polidesportivo junto à Escola Secundária da Baixa da Banheira

27 e 30 de agosto | 9:30h às 11:00h

Kids Athletics – Torneio de Corridas, Saltos e Lançamentos

Dinamização: Câmara Municipal da Moita

Folclore filipino junta-se ao Folkfaro em Loulé

Folclore Filipinas.jpg

 

Por razões alheias à organização, o grupo Ubuhle Be Afrika (Port Elizabeth), da África do Sul, cancelou o espetáculo agendado para o Largo da Igreja de Querença, no dia 23 de agosto, às 21h30, no âmbito do Folkfaro, sendo substituído pelo Fiesta Filipina Dance Troupe of Canada.

Fundado em 1966, é o primeiro grupo de dança tradicional filipina da América do Norte, tornando-se um embaixador tanto do Canadá como das Filipinas devido, sobretudo, às muitas participações em eventos realizados em todo o mundo. Os Fiesta Filipina Dance Troupe of Canada encantam as audiências com um repertório excecional do folclore filipino e já pisaram palcos em Portugal, França, Itália, Grécia, Áustria, Espanha, Polónia, Brasil, México, Estados Unidos e, naturalmente, nas Filipinas.

Em Querença, irão partilhar o palco com o Grupo Etnográfico da Serra do Caldeirão.

A entrada é livre.

 

CML/GAP /RP

 

“Música e Dança com Areia no Pé” na Praia do Rosário

“Música e Dança com Areia no Pé” na Praia do Rosário

Praia do rosário.jpg

 

No âmbito do programa “Cultura em Movimento”, a Praia Fluvial do Rosário recebe, no dia 3 de agosto, a partir das 19:00h, a Mostra de Projetos de Jovens Artistas Locais “Música e Dança com Areia no Pé”.

 

Dirigida ao público em geral, esta iniciativa é organizada pela Câmara Municipal da Moita, com o apoio da União de Freguesias de Gaio-Rosário e de Sarilhos Pequenos.

 

Recorde-se que o projeto Cultura em Movimento surgiu em 2016 e é um programa organizado em parceria pela Câmara Municipal, Juntas de Freguesia e Movimento Associativo, cujo objetivo é dinamizar o espaço público e permitir o acesso de todos os munícipes a um conjunto de iniciativas e espetáculos que decorrem durante os meses de verão. Artes performativas, cinema, música, teatro e muita animação invadem diferentes espaços públicos em todas as freguesias do município. O programa completo pode ser consultado em www.cm-moita.pt.

Dancem Todos em Matosinhos

Dancem_Todos©FranciscoTeixeiraCMM.JPG

 

Sexta-feira, 12 de julho // 21 horas // Escadaria da Casa do Design

Duas centenas e meia de alunos de dez escolas de dança de Matosinhos apresentam-se esta sexta-feira, 12 de julho, para mais uma edição do festival Dancem Todos, que há 13 anos dá a conhecer o trabalho coreográfico realizado pelos jovens bailarinos do concelho. O espectáculo, de entrada livre, voltará este ano a ter como palco o anfiteatro formado pela escadaria da Casa do Design, com a fachada norte do edifício dos paços do concelho a servir de cenário à graciosa movimentação dos corpos.

 

Promovido pela Câmara Municipal de Matosinhos, em parceria com escolas de dança do concelho, o Dancem Todos constitui uma mostra da atividade realizada ao longo do ano letivo, reunindo a comunidade ligada à dança, em franco crescimento ao longo dos últimos anos, mas também todos os interessados no fenómeno cultural e nesta expressão artística em particular, na qual se harmonizam várias artes do espetáculo, da música à encenação.

 

O Dancem todos contará este ano com mais duas escolas participantes, o Double Dance Studio e a academia Attitude, que se somam à Just Dance School, à Ballet Art, à Academia de Dança de Matosinhos, à escola Le Petit Pas, à Eu Danço, à Escola de Ballet de Leça da Palmeira, à Dance 4U e à Academia de Dança do Norte nesta grande celebração.

 

Criado em 2006, o Dancem Todos conta também, desde 2009, com uma edição de inverno, no Teatro Municipal de Matosinhos-Constantino Nery, afirmando a dança como uma das grandes apostas da Câmara Municipal de Matosinhos, reforçada nos últimos anos com a concretização do festival internacional Dias da Dança, em colaboração com as autarquias do Porto e de Gaia.

 

“O Dancem Todos tem vindo a impor-se como um dos mais significativos momentos de celebração da nossa comunidade educativa, nomeadamente daqueles e daquelas que se dedicam ao ensino e à aprendizagem da dança. Celebra-se, neste momento tão especial, o talento e a graciosidade dos corpos em movimento, o ritmo feito carne, mas também a partilha dos resultados de um ano de trabalho intenso e de dedicação a uma arte na qual se condensam a música e a dramaturgia, mas também a coordenação motora, o trabalho conjunto e árduo, a sociabilização e o processo de aprendizagem”, realça a presidente da Câmara Municipal de Matosinhos, Luísa Salgueiro.

Centro de Experimentação Artística: Impro Wise - Oficina de dança, movimento, teatro e técnicas de improvisação

em branco 1 - a noite.jpg

 

O Centro de Experimentação Artística, no Vale da Amoreira, recebe, no dia 6 de julho, das 15:30h às 17:30h, a Oficina de dança, movimento, teatro e técnicas de improvisação “Impro Wise”.

Dirigida a maiores de 16 anos de idade (até 15 participantes), esta oficina é dinamizada por Marina Nabais.

As inscrições podem ser efetuadas até ao dia 4 de julho no CEA, pelo telefone 21 181 0030 ou pelo email cea@mail.cm-moita.pt.

Trata-se de uma sessão de improvisação em dança, onde o movimento é a base da pesquisa e criação. Pretende-se que esta sessão seja um encontro, dando espaço para a partilha e para a relação criativa entre pessoas com diferentes idades, experiências de vida e formas de comunicar com o corpo.

De referir que Marina Nabais irá estar em residência artística no CEA, de 25 de junho a 4 de julho, com o projeto “A Noite”. O espetáculo será apresentado no CEA no último trimestre de 2019, em data a anunciar em breve. O ensaio aberto, intitulado “A Noite”, realiza-se, no CEA, no dia 4 de julho, pelas 15:00h, e tem entrada livre.

Marina Nabais nasceu em Luanda e viveu no Rio de Janeiro e em Amesterdão. Reside atualmente em Lisboa, onde desenvolve o seu trabalho artístico e pedagógico. É Mestre em Artes Performativas – Teatro do Movimento, na Escola Superior de Teatro e Cinema de Lisboa (2011/2013). Desde 2008 começou o seu percurso como coreógrafa com as seguintes peças: Avesso (2008), Por um Rio (2011), Notocorda (2012), O Peso de uma Semente (2013), Sediela, Dançário, Miocárdio (2014), De Seda (2015).

 

Processos contínuos ● Julho na Rua das Gaivotas 6

por-Filipe-Cunha01.jpg

 

SPOKEN WORD
MOTORES GERAIS
Burgueses Famintos
4 julho | quinta | 21h30
5€


Nascidos entre o Porto e Lisboa, os Burgueses Famintos mexem-se por territórios híbridos entre texto, som e imagem. Tendo como base o erro e o caos do improviso, o percurso do projeto dá primazia à construção de um momento irrepetível e, por isso mesmo, raro, em que poema repetido, reformulado ou modulado, se alia a música e sons, criados em tempo real, tal como sucede com o vídeo.
Apresentam MOTORES GERAIS, o 2° registo do colectivo, sucessor de SAMO.
 
 
 
 

embedded-image-1561648948.png

 

CONFERÊNCIA-PERFORMANCE
YOUNG EMERGING PERFORMERS

ÍMPAR
Mafalda Banquart
& Tiago Jácome
18-21 julho | quinta-domingo | 21h30
5€ | 50min | M/12
 
Desenhar uma genealogia autoral de uma relação amorosa através de um caso particular e específico, o nosso. 
Ímpar não é uma ode à nossa relação amorosa, nem um balanço dessa relação, nem uma forma criativa de festejar um aniversário de namoro ou um pedido de casamento extravagante.
 
Este projecto é o resultado de mais uma edição do programa YEP - Young Emerging Performers. Foi desenvolvido durante a residência artística n'O Espaço do Tempo e estreia agora na Rua das Gaivotas 6.
 

embedded-image-1561649029.png

DANÇA
CAPRICHO #12
JOGO DE ESPELHOS
Sílvia Pinto Coelho
& Ricardo A. Freitas

25-28 julho | quinta-domingo | 21h30
5€ | 60 min | M/10
 
Começámos pela rotina em torno de detalhes que caracterizam as improvisações no campo da dança e as improvisações no campo da música – um ensaio por mês, entre Janeiro e Dezembro de 2018, com um intuito meramente exploratório. O estúdio-casa-de-espelhos tornou-se motor de um capricho de descoberta alimentado por “improvisação”. A possibilidade da divisão dramatúrgica em doze meses potenciou a proliferação das imagens e da ficção. “12” passou a ser sinónimo de plural, uma pluralidade virtual, a imagem desdobrada garantindo a multiplicação de hipóteses e jogos jogados a partir de “uma dobra caprichosa”.