Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Seminário debate obra de Jaime Fernandes, António Reis e Margarida Cordeiro

Destak-Seminario-AR-2022-03-03(2).png

A partir de um dos filmes mais importantes do cinema português, “Jaime”, de António Reis, este seminário, intitulado “Há Ouro em Todo o Lado”, revisitará a obra do artista português Jaime Fernandes, e a da dupla António Reis e Margarida Cordeiro. O seminário irá decorrer no próximo dia 5 de abril, a partir das 14h00, na Escola das Artes da Universidade Católica Portuguesa no Porto e a entrada é gratuita. 

O trabalho de desenho de Jaime Fernandes, que esteve internado vários anos no Hospital Miguel Bombarda, em Lisboa, é de uma beleza rara e extraordinária. Integrado no movimento da arte bruta, o trabalho de Jaime Fernandes continua a surpreender, como na retrospetiva integral feita recentemente pelo Centro de Arte da Oliva. Estes desenhos encantaram especialmente duas pessoas: António Reis e Margarida Cordeiro, a médica que o descobriu. 

O seminário pretende fazer emergir o  “ouro em todo o lado”, expressão utilizada por Maria Filomena Molder para caracterizar “Jaime”, a obra de António Reis sobe Jaime Fernandes, e por consequência sobre a própria obra do artista. Para tal, foram convocados vários investigadores para discutirem estas duas obras imensas. O evento tem também como pretexto cruzar o pensamento das duas obras – a de Jaime Fernandes e a de António Reis e Margarida Cordeiro, tendo em conta que o restauro dos desenhos que estão agora em exposição foi feito no Centro de Conservação e Restauro da Escola das Artes. 

O seminário começará e terminará com a projeção de filmes de António Reis e Margarida Cordeiro: primeiro com “Jaime” e depois com “Trás-os-Montes”, em cópias digitais restauradas pelo ANIM (Arquivo Nacional das Imagens em Movimento), da Cinemateca Portuguesa – Museu do Cinema. 

O evento tem entrada gratuita e a inscrição pode ser feita através de formulário online disponível aqui

“Quando mais debates...” a Culpa | segunda-feira no Coliseu

2022_02_cpa_quantomaisdebates_culpa_cartaz_720x108

Esta segunda-feira, às 19h00, o Coliseu Porto Ageas apresenta “Quanto Mais Debates…” um ciclo inusitado de conversas estreado em 2021 pelo autor e ex-jornalista Marcos Cruz, e que regressa para uma segunda temporada, desta vez em torno de temas como o medo, a beleza ou a saúde. Este ensaio de comunidade estreia-se com o tema da culpa. E tanto que há para falar sobre ela.

A culpa parental, a culpa colonial, a culpa por falhar, a culpa religiosa, a culpa é algo que todos nós, independentemente da origem ou do contexto social, já sentimos. Agora, desconstruímos. 

O painel, que se altera a cada sessão, terá na segunda-feira sete convidados, entre os quais Gonçalo Castro Fonseca, padre jesuíta que viveu na Síria em tempo de guerra, Eva Azevedo, bailarina que trabalha sobre a culpa colonial, Paula Pinto, ex-farmacêutica e mãe divorciada que tem estudado a culpa parental, o realizador André Gil Mata, o performer Alexandre Osório, a psiquiatra Isabel Prado e Castro, e Alfredo Castro, velha glória das balizas de Rio Ave, Boavista e seleção nacional, hoje treinador de guarda-redes dos axadrezados.

A presença de novas vozes, com destaque para aquelas que, por norma, estão arredadas do debate público, é o que distingue este ciclo de debates de tantos outros. Sem-abrigo e empreendedores, crianças e reformados, profissionais liberais e profissionais do sexo, músicos, escritores, escriturários, um painel original e diferente de convidados reúne-se na Sala dois do Coliseu para pensar e discutir sobre os temas que nos unem, independentemente das nossas origens e ocupações: o amor, a liberdade, a culpa, a felicidade, a cidadania, o medo.

Temas essenciais para todos nós, que não obedecem à atualidade, mas que, naturalmente, são afetados por ela.

Os debates são quinzenais, até 6 de junho. A entrada é livre, basta levantar os bilhetes na bilheteira do Coliseu, a partir das 13h00 do próprio dia. A sessão também vai ser transmitida em streaming na página de facebook do Coliseu.

 

AGENDA 2022 QUANTO MAIS DEBATES...

A Culpa - 14 de março

O Medo - 28 de março

A Beleza - 11 de abril

A Família - 26 de abril

A Saúde - 9 de maio

A Educação - 23 de maio

A Comunicação - 6 de junho

Debate sobre Tráfico de Seres Humanos já no próximo sábado

Grândola recebe no próximo dia 15 de janeiro, no Cineteatro Grandolense, entre as 13h30 e as 18h30, o Seminário “Tráfico de Seres Humanos – Realidades, Silêncios e Mergulhos no Escuro”, organizado pelo MDM – Movimento Democrático de Mulheres, com o apoio do Município de Grândola e da Junta de Freguesia de Grândola e Santa Margarida da Serra.

 

O Seminário, inteiramente dedicado à temática do tráfico de seres humanos, é uma iniciativa promovida no âmbito do projeto “Para Além do Amor: Agir e Convergir para Mudar”, e pretende trazer a público o debate e o conhecimento sobre a realidade do tráfico de seres humanos, em Portugal e na Europa e também na região do Alentejo.

Cartaz Programação.png

 

O Seminário contará com duas mesas, a primeira sob o tema Tráfico de Seres Humanos: Da exploração no trabalho à exploração sexual, e a segunda Fatores potenciadores de TSH. Saídas, convergências e mudanças necessárias, com a presença de vários oradores de organizações e entidades que cooperam neste projeto, e que darão o seu contributo de forma a potenciar um debate consciente e informado sobre as temáticas apresentadas. A vereadora do Município de Grândola, Carina Batista participará na primeira mesa com uma intervenção sobre Tráfico de Seres Humanos, uma preocupação do Poder Local.

Faça a sua inscrição através do link: https://forms.gle/zqV8hTLQHJQok8kTA

 

European cinema night

264447983_5138363096193392_3762318169539635502_n.j

 

É já amanhã a sessão gratuita da #europeancinemanight no Cinema City Alvalade.
Vamos contar com uma sessão de debate liderada pelo Paulo Santos, Diretor Geral da FEVIP/GEDIPE, Advogado, Ex-Inspetor da Polícia Judiciária, Comentador de atualidade criminal da SIC, TVI, Observador e Público.
Os lugares são limitados, agarra já o teu https://bit.ly/3DBSRwB
 
 

Jornadas Europeias do Património 2021- Salvaguarda e Preservação do Património do Carnaval

transferir (46).jpg

O Centro de Artes e Criatividade de Torres Vedras associa-se à iniciativa e irá promover debates e seminários alusivos ao Carnaval.

Até ao dia 3 de outubro realizam-se as Jornadas Europeias do Património (JEP), iniciativa do Conselho da Europa e da União Europeia, este ano subordinado ao tema “Património Inclusivo e Diversificado”. 

Durante os dias 1 a 3 de outubro o Centro de Artes e Criatividade (CAC) de Torres Vedras associa-se à iniciativa e irá promover debates e seminários alusivos ao Carnaval, visando a participação e envolvimento da comunidade no debate e valorização desse património coletivo e identitário dos Torrienses. Abordará temas como o património cultural imaterial, a preservação do património material e o papel dos museus na promoção de dinâmicas de participação comunitária. Haverá ainda visitas gratuitas às exposições, visitas às futuras reservas visitáveis e ateliers de artes plásticas.

Os três dias destas Jornadas Europeias do Património contam com várias palestras, provas de iguarias carnavalescas de todo o mundo, visitas às futuras reservas visitáveis do CAC e visitas gratuitas às exposições, permanente e temporária.

Além destas iniciativas o serviço educativo do Centro de Artes e Criatividade apresenta paralelamente um atelier para o público em geral intitulado “A Caraça”, onde se “pretende explorar e reinterpretar o símbolo máximo do Carnaval de Torres Vedras, com a ajuda de moldes de gesso, projetados pelo desenho de Amílcar Guerreiro”. 

 A entrada é livre, mas sujeita a inscrição prévia devido à lotação máxima dos espaços para cac.comunicacao@cm-tvedras.pt ou 261 067 601. 

Sobre as Jornadas Europeias do Património

As Jornadas Europeias do Património são uma iniciativa do Conselho da Europa e da União Europeia que envolve mais de 50 países, no âmbito da sensibilização dos povos europeus para a importância da salvaguarda do Património. Neste sentido, cada País elabora anualmente um programa de atividades a nível nacional acessível ao público gratuitamente. 

A ideia base da iniciativa é promover o acesso aos monumentos e sítios, convidando à participação ativa na descoberta de uma herança cultural comum, implicando o envolvimento dos cidadãos europeus com o património cultural. Os objetivos principais são reforçar os sentimentos de identidade cultural, de memória coletiva e de afirmação de um património comum cuja riqueza reside na sua diversidade. As Jornadas Europeias do Património representam, por isso, uma celebração da solidariedade internacional, do diálogo e da diversidade culturais, constituindo momentos de reapropriação dos vestígios culturais do passado. 

 

transferir (47).jpg

 

Saúde Mental - CCI promove Ciclo de Debates

image003 (3).jpg

Saúde Mental - CCI promove Ciclo de Debates

 

O Centro Comunitário de Inserção (CCI), equipamento da Cáritas Diocesana de Coimbra, está a promover um Ciclo de Debates sobre a problemática "Saúde Mental", um tema da atualidade com o qual as técnicas deste Centro trabalham diariamente e para o qual procuram a melhor forma de dar uma resposta adequada. Através desta conferência convidam a sociedade civil, entidades e instituições que queiram saber mais sobre o assunto, para participarem e discutir o tema na sessão, numa perspetiva de partilha de experiências.

 

O 2º Debate deste Ciclo é no dia 17 de setembro, às 14h00, em formato presencial no Anfiteatro  da Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Coimbra.

 

O tema escolhido é uma realidade com a qual o CCI se confronta na sua atuação diária, sendo que atualmente as situações agravaram com a pandemia. É necessário arranjar estratégias que permitam acompanhar as pessoas que recorrem a este e outros Centros e que muitas vezes não sabem que têm problemas de saúde mental. Os problemas de saúde mental mais frequentes estão muitas vezes relacionados com demências, perturbações psicóticas, dependência de álcool e/ou drogas, depressão, ansiedade ou até mesmo o stress. Este é um problema que pode afetar qualquer pessoa e sobre a qual ainda existe algum preconceito incutido na sociedade. As pessoas que sofrem de problemas relacionados com a saúde mental são muitas vezes excluídas ou incompreendidas pela sociedade e com este Ciclo de Debates, o Centro Comunitário de Inserção pretende desmistificar alguns falsos conceitos sobre a doença mental e traçar soluções futuras para o tratamento e acompanhamento das pessoas que sofrem com algum tipo de doença mental.

 

O evento é gratuito e os participantes obterão certificado de participação. As inscrições são obrigatórias e podem ser feitas por email – ccinsercao@caritascoimbra.pt – até ao dia 16 de setembro, com limite de 60 vagas.

 

O programa do evento pode ser consultado em https://caritascoimbra.pt/wp-content/uploads/2021/09/Ciclo-de-Debates-CCI-Saude-Mental-Programa.pdf

 

CCB - Garagem Sul | Debate de encerramento da exposição "O Mar É a Nossa Terra" > sábado, dia 9 janeiro às 11h00

Como é que as circunstâncias ambientais e ecológicas dão forma

e sentido às práticas de construção da paisagem e da arquitetura?

Como é que o bacalhau constrói o espaço em que vivemos?

 

Debate de encerramento da exposição

O Mar É a Nossa Terra

 

CCB ▪  9 janeiro ▪ 11h00 ▪ Garagem Sul+ transmissão online em direto

image003 (1).jpg

Como é que as circunstâncias ambientais e ecológicas dão forma

e sentido às práticas de construção da paisagem e da arquitetura?

Como é que o bacalhau constrói o espaço em que vivemos?

Descarga de bacalhau nos armazéns frigoríficos da Comissão Reguladora do Comércio de Bacalhau, Porto, sem data. Cortesia de Museu Municipal de Etnografia e História da Póvoa de Varzim

 

Para concluir o programa paralelo à exposição O Mar É a Nossa Terra, esta sessão vai combinar duas apresentações numa conversa em torno do bacalhau. Karl Otto Ellefsen, professor na Escola de Arquitetura e Design de Oslo, vai apresentar as várias etapas e processos de urbanização associados à pesca do bacalhau no norte da Noruega. André Tavares, co-curador da exposição e programador da Garagem Sul, trará alguns exemplos de construção equivalentes na Terra Nova e em Portugal. À conversa com Diego Inglez de Souza, regressa-se à questão fundamental da exposição: como é que as circunstâncias ambientais e ecológicas dão forma e sentido às práticas de construção da paisagem e da arquitetura? Como é que o bacalhau constrói o espaço em que vivemos?

Este debate está inserido no programa Arquitetura do Bacalhau, financiado pelos EEA Grants Portugal através do Fundo para Relações Bilaterais.

_

 

Idioma do evento: inglês

Pode assistir ao debate presencialmente na Garagem Sul ou através da transmissão em direto nesta página.

El Corte Inglés e ANP | WWF debatem a Pesca Sustentável

Photocall Diálogos-Pesca Sustentavel curvas.jpg

 

O segundo diálogo “O Mundo Que Queremos” do El Corte Inglés terá lugar amanhã, 20 de Agosto, pelas 13h00 e é dedicado à pesca sustentável. ‘O Mundo que Queremos’, parceria com a ANP|WWF e o El Corte Inglés, tem como objectivo debater e promover a sustentabilidade ambiental, social e económica para juntos construirmos um mundo melhor. Através de entrevistas a especialistas de diversas áreas procuramos soluções para construir um ambiente saudável, responsável e prospero para o planeta.

Rita Sá, coordenadora do Programa Oceano da ANP|WWF, irá explicar porque a sobrepesca constitui uma ameaça à boa saúde dos oceanos e apresentar o Guia de Consumo Responsável de Pescado, um guia que tem como objectivo aumentar a consciência sobre o impacto das nossas escolhas na disponibilidade de peixe e marisco e sobre o impacto económico que a actividade pesqueira tem, sobretudo, em países em desenvolvimento.

A sobrepesca tornou-se a segunda maior ameaça para os nossos oceanos. A União Europeia é o principal importador mundial de pescado, mais de metade com proveniência de países asiáticos e africanos. Globalmente, mais de 800 milhões de pessoas dependem da pesca para sobreviver.

Por todas estas razões, o El Corte Inglés escolheu o tema da pesca sustentável para o segundo diálogo “O Mundo Que Queremos”, uma iniciativa que vai decorrer mensalmente nas redes sociais do Âmbito Cultural do El Corte Inglés. Estes diálogos promovem a inclusão, já que todos os nossos conteúdos vão estar disponíveis com intérprete de Língua Gestual Portuguesa.

Pode acompanhar o segundo “O Mundo Que Queremos” através dos seguintes canais:

 

Facebook – https://facebook.com/AmbitoCulturalElCorteInglesLisboa/

 

Instagram – https://instagram.com/ambitocultural.pt/



O Guia de Consumo Responsável de Pescado está disponível para consulta no link:

http://guiapescado.wwf.pt/

CCB | Próximas atividades

DEBATE DE ENCERRAMENTO DA EXPOSIÇÃO

Abastecimento Alimentar: dos dois lados
Moderação de Mariana Sanchez Salvador

 8 FEV 17H | GARAGEM SUL

Tal como a agricultura, a alimentação está no centro das estruturas políticas e económicas, das interações comunitárias e da gestão do território. A agricultura é, afinal, a razão das cidades surgirem, numa interação milenar que permitiu o desenvolvimento da própria civilização. Vamos, por isso, reunir neste Debate de Encerramento da exposição Agricultura e Arquitetura os professores Carla Amado Gomes, Jorge Gaspar e Samuel Niza, a arquiteta paisagista Rosário Oliveira e a geógrafa Rita Folgosa numa conversa moderada por Mariana Sanchez Salvador.

Cineteatro Louletano estreia ciclo programático “Implikação” com debate sobre a Europa com prestigiados convidados

7 fev - I.jpg

 

 

Na passagem dos seus 90 anos, o Cineteatro Louletano apresenta um novo ciclo a que chamou “Implikação”, numa visão comprometida entre a sua programação artística e a atualidade sociopolítica e cultural. A estreia deste ciclo está marcada para o dia 3 de fevereiro, pelas 18h00, no Auditório do Solar da Música Nova, em Loulé, com um debate sobre a Europa – primeiro tema escolhido – em que participam o encenador Jacinto Lucas Pires, o professor universitário João Guerreiro e a antropóloga Eglantina Monteiro.

Este debate abre uma semana em que haverá igualmente uma performance, intitulada “Isto só neste país”, na área do humor com o conhecido Hugo van der Ding, a acontecer no dia 4 de fevereiro, pelas 21h30, também no Auditório do Solar, e ainda a estreia a sul da peça “Canto da Europa”, de Jacinto Lucas Pires – da qual o Cineteatro Louletano é coprodutor juntamente com a Ninguém, o Teatro Nacional D. Maria II e o Teatro Aveirense –, a realizar a 7 de fevereiro pelas 21h30 no Cineteatro.

Sobre este ciclo, o Cineteatro Louletano acrescenta: “A implicação da arte com a realidade contemporânea, numa visão aberta ao mundo, é-nos fundamental. São muitas as inquietações que atravessam os nossos dias, num tempo de incertezas, velocidade, mudança, individualismo, diluição de utopias e novas e velhas ortodoxias. Por isso, e privilegiando aqui a dimensão do Pensamento, Reflexão Crítica e Debate, um dos motes da nossa programação para esta nova temporada é um ciclo a que chamámos Implikação, que se estenderá até 2021 (quando comemoramos 10 anos sobre a reinauguração do Cineteatro). Desfilarão por Loulé várias peças, sempre em estreia a sul do país, das quais somos coprodutores, assinadas por encenadores reconhecidos mas também por figuras em afirmação crescente no panorama nacional. Se neste semestre os temas abordados são a Europa, as Fake News/Ética, o Turismo (problemática da gentrificação) e a burocracia no universo dos apoios à Cultura, seguir-se-ão posteriormente outros tópicos como as novas tecnologias, o papel do trabalho no quotidiano, o dinheiro, os refugiados, a igualdade de género, só para citar alguns exemplos. A par da apresentação das peças, está prevista, para cada temática, uma programação paralela que inclui debates com convidados especiais, visionamento de filmes, conversas com as equipas artísticas após os espetáculos, performances e oficinas para a comunidade escolar.”

Jacinto Lucas Pires escreve romances, contos, peças de teatro, filmes, música. O seu último romance é A gargalhada de Augusto Reis (Porto Editora, 2018). Em 2018, foi também publicado Igual ao mundo — cinco peças de teatro (Húmus, 2018). No teatro Lucas Pires trabalha com diferentes grupos e encenadores. Realizou o filme Triplo A. Faz parte da banda Os Quais (que lançou o disco Geral em 2019) e da companhia Ninguém. Recebeu o Prémio Europa – David Mourão-Ferreira (Univ. Bari/IC, 2008) e o Grande Prémio de Literatura DST 2013 (com o romance O verdadeiro ator). Na Rádio Renascença, comenta temas da atualidade. Tem um espaço de crónica n’O Jogo chamado Descalço na Catedral. Escreve também no Ponto SJ e no seu blogue, O que eu gosto de bombas de gasolina.

João Guerreiro é mestre em Ordenamento Rural e Ambiente e doutorado em Ciências Económicas. Além de antigo reitor da Universidade do Algarve e professor catedrático da mesma instituição de ensino superior, João Guerreiro foi presidente da Comissão de Coordenação da Região do Algarve e presidente do Programa Operacional do Algarve – PROA. Também presidiu à Comissão Técnica Independente sobre os incêndios de 2017, nomeado pela Assembleia da República, e foi presidente da Comissão Nacional de Acesso ao Ensino Superior (CNAES). Em 2018 foi distinguido com a “Medalha de Mérito Científico, Ciência 2018”, entregue pelo primeiro-ministro António Costa.

Eglantina Monteiro, antropóloga, entre 1984 e 2000 foi professora de Antropologia da Arte na Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto. Viveu em França, Inglaterra, Senegal e Brasil, e atualmente vive em Castro Marim e dirige a Companhia das Culturas.

O debate tem a duração aproximada de 120 minutos, com entrada livre limitada à lotação da sala e dirige-se ao público em geral.  

Para mais informações, os interessados podem contactar o Cineteatro Louletano pelo telefone 289 414 604 (terça a sexta-feira, das 13h00 às 18h00) ou pelo email cinereservas@cm-loule.pt. Além disso, podem consultar a sua página de facebook – www.facebook.com/cineteatrolouletano ou o seu renovado website http://cineteatro.cm-loule.pt, ambos em permanente atualização, bem como a sua conta no instagram (cineteatrolouletano).

O Cineteatro Louletano é uma estrutura cultural no domínio das artes performativas do Município de Loulé e está integrado na Rede Azul – Rede de Teatros do Algarve e na Rede 5 Sentidos.