Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Grândola recebe Encontro da Canção de Protesto de 17 a 20 de Setembro

Encontro deste ano é dedicado a José Mário Branco e à temática do exílio

 

 

No âmbito da atividade do OCP - Observatório da Canção de Protesto irá realizar-se em Grândola, entre os dias 17 e 20 de Setembro de 2020, uma nova edição do Encontro da Canção de Protesto, com espectáculos musicais, exposições e documentários dedicados à temática do exílio, e colóquios, sessões testemunhais e de canto livre em que estarão presentes figuras relacionadas com os universos de José Mário Branco e com a canção de protesto.

 

O Encontro iniciará em 17 de Setembro às 21h no Cine Granadeiro com a inauguração da exposição organizada pelo OCP e idealizada para itinerância “Emigração, exílio e canção de protesto”, seguindo-se, às 21h30m, no mesmo local, o espectáculo de leituras encenadas da Associação Artística Andante (Prémio LER+ em 2019) À MARGEM (de uma certa maneira) — O canto do exílio.

 

Na sexta-feira, dia 18 de Setembro às 21h30m Sérgio Godinho e os Assessores irão promover em Grândola, no parque de feiras e exposições, uma viagem musical pela profusa carreira do cantor, compositor, escritor, actor de teatro e cinema, com a recriação de algumas canções que marcaram os discos Os sobreviventes e Pré-Histórias — gravados em 1972 e 1973, respectivamente, quando este se encontrava no exílio em França – e a interpretação de outras, mais ou menos recentes, poeticamente associadas ao conceito de exílio.

 

Sábado, dia 19 de Setembro, o Cine Granadeiro acolherá, entre as 10h e as 13h30m, e as 15h e as 18h, um conjunto de sessões testemunhais dedicadas aos universos de José Mário Branco — protagonizadas por Agnès Pellerin, Alexandre Alves Costa, António Branco, Ana Matos Fernandes (Capicua), Carlos Fragateiro, Domingos Morais, Flávio Almada (LBC Soldjah), Francisco Fanhais, Hélder Costa, João Madeira, Luís Cília, Manuel Deniz Silva, Manuel Pedro Ferreira, Mário Vieira de Carvalho, Nuno Santos (Prétu Chullage), Rita Azevedo Gomes, Rui Cidra, Sérgio Godinho e Tino Flores.

 

Durante a noite, no mesmo espaço, às 21h30m, decorrerá a apresentação de um espectáculo inédito intitulado “Uma mão cheia de vozes na luta”, com a actuação de membros do Grupo de Acção Cultural – Afonso Dias, António Duarte, Carlos Guerreiro, Tino Flores e João Lóio.

 

O Encontro da Canção de Protesto de 2020 encerrar-se-á no domingo, dia 20 de Setembro, no Cine Granadeiro, com o encontro-colóquio “Contra as ditaduras erguer a voz e cantar”, com a participação de alguns membros do Conselho Consultivo do Observatório da Canção de Protesto — Adelino Gomes*, Ana Matos Fernandes (Capicua), Nuno Santos (Prétu Chullage)*, João Carlos Callixto*, José Fortes, Joaquim Vieira, Manuel Freire, Salwa Castelo-Branco*, Viriato Teles*, Soraia Simões de Andrade e Rui Vieira Nery* — e o convidado Alberto Carrillo Linares, a exibição do documentário Les Printemps de L’ Exil — legendado para o propósito —  e a actuação do Coro da Casa da Achada – Centro Mário Dionísio.

 

O Observatório da Canção de Protesto (OCP) é um organismo resultante da parceria entre o Município de Grândola, entidade promotora, a Associação José Afonso, a Sociedade Musical Fraternidade Operária Grandolense, e os institutos da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa Centro de Estudos de Sociologia e Estética Musical (CESEM), Instituto de Etnomusicologia – Centro de Estudos em Música e Dança (INET-md), e Instituto de História Contemporânea (IHC).

Os seus objectivos são o estudo, a salvaguarda e a divulgação do património musical tangível e intangível da canção de protesto produzido durante os séculos XX e XXI, através da realização de iniciativas culturais diversas.

 

A entrada em todas as iniciativas é gratuita mediante reserva antecipada de lugar através do número 269 448 030 e sujeita à lotação da sala.

“Rio 2096 - Uma história de Amor e Fúria” no “Cinema e Reflexão”

Um homem com mais de cinco séculos de existência acompanha a história do Brasil, de 1566 a 2096. Neste percurso, procura Janaína, a única mulher que amou, que vai reencontrando através dos tempos. Por amor, enfrenta as lutas entre as tribos de índios tupinambás e tupiniquins, assiste aos horrores da escravatura imposta pela chegada dos portugueses, vê-se envolvido na Balaiada (revolta popular ocorrida no Maranhão 1838 e 1841) e, durante a década de 1960, mistura-se no movimento de resistência contra a ditadura militar. Até que, em 2096, sempre com Janaína ao seu lado, se vê obrigado a enfrentar um dos piores conflitos mundiais de sempre: a guerra pela água.

 

2020-cec-01-animacao-sessao2-amor-e-furia-still.jp

Um filme de animação sobre a força do amor em tempos de guerra, realizado pelo documentarista brasileiro Luiz Bolognesi (“Cine Mambembe — O Cinema Descobre o Brasil”, “A Guerra dos Paulistas”, “Lutas.doc” e “Educação.doc”). As vozes das personagens pertencem aos actores Selton Mello, Camila Pitanga e Rodrigo Santoro.

 

Rio 2096: Uma História de Amor e Fúria de Luiz Bolognesi venceu o seu principal prémio do Annecy International Animated Film Festival, em França, tornando-se a primeira animação brasileira a ser selecionada para essa competição

Rio 2096: Uma História de Amor e Fúria | Brasil
98 minutos | 2013 | Idioma: Português com legendas em Inglês
Realizado por Luiz Bolognesi, com Selton Mello, Camila Pitanga e Rodrigo Santoro.

As entradas são gratuitas para sócios do CEC e estudantes.

Saiba mais em https://www.cecine.com/

 

 

 

Apresentação do documentário Mouraria Composta

144f13d2-2da4-4c07-b765-53629bd62b64.png

 

O ano de 2020 terá de ser marcado por uma viragem comportamental dos nossos hábitos de consumo e estilo de vida. O impacto da crise ambiental na qualidade de vida e na saúde do nosso planeta já não é uma miragem, convivemos diariamente com ela e já sentimos na pele as consequências do que andamos a fazer de forma inadequada.

O documentário Mouraria Composta, produzido pelos BagaBaga Studios, retrata a implementação de uma rede de compostagem comunitária no Bairro da Mouraria, em Lisboa, no âmbito de um projecto desenvolvido pela Associação Renovar a Mouraria que tem como objectivo a promoção da coesão social e territorial através da implementação de boas práticas ambientais. 

No documentário, podemos assistir ao acompanhamento da fase de implementação deste projecto piloto, às dificuldades e soluções encontradas. Para além do seu objectivo de construir uma ferramenta disseminadora da prática da compostagem em meio urbano, este documentário pretende também passar uma mensagem de optimismo, mostrando que a cooperação, a resiliência e uma grande vontade transformadora são, mais do que nunca, o que devemos ter presente nas nossas vidas.

 

Dia 23 de Janeiro de 2020 > 19 horas
Auditório do CIM – Centro de Inovação da Mouraria,
Rua dos Lagares, 23, 1100-022 Lisboa

Documentário “Sou Quarteira” a apresentar na Praça do Mar

Story-Doc-Sou-Quarteira.jpeg

 

Vai ser projetado em plena Praça do Mar, no próximo dia 14 de agosto, pelas 22h00, o documentário “Sou Quarteira”.

Da autoria da Beyond Assiociação, este documentário revela ao mundo a cidade para além de destino balnear. Um documentário que, através de testemunhos locais, nos dá a conhecer Quarteira em toda a sua globalidade: desde do contraste verão/inverno, à multiculturalidade, urbanidade, diversidade de talento, às histórias de sucesso, ao impacto do isolamento geográfico e à importância da educação e cultura para as futuras gerações.

Miguel Jacinto, Inês Oliveira e Naomi Guerreiro juntam-se ao cantor Dino d’Santiago como argumentistas deste trabalho. A realização e fotografia é de Miguel Jacinto e Selma Lopes.

Refira-se que esta é mais uma das iniciativas integradas no movimento social e cultural Sou Quarteira, que tem na sua génese a afirmação da identidade de Quarteira na sua globalidade - geográfica, cultural, social e económica -, e que terá o ponto alto na realização do Festival com o mesmo nome, nos dias 16 e 17 próximos, no Passeio daas Dunas.

 

HBO PORTUGAL | "ICE ON FIRE"

 

O BCSD Portugal, em parceria com a HBO Portugal, promove uma sessão pública de visionamento do documentário ICE ON FIRE, produzido e narrado por Leonardo DiCaprio, seguida de debate.

d04ea0b5-fe29-41aa-8b4e-53cfc3247394.jpeg

 

ICE ON FIRE é um documentário que chama a atenção para muitas soluções inéditas, destinadas a desacelerar a crescente crise ambiental. Indo além da atual narrativa sobre mudanças climáticas, oferece uma perspetiva do que podemos fazer para travar o aquecimento global e os seus efeitos.

O debate conta com a presença de três oradores distintos, empenhados na temática das alterações climáticas: um gestor, um cientista e uma jovem ativista.
 

António Mexia, CEO da EDP
Gonçalo Vieira, Professor no IGOT - Universidade de Lisboa e Coordenador do Programa Polar Português
Francisca Salema, Estudante do ensino secundário, Organizadora da Greve Climática Estudantil
Com moderação de João Wengorovius Meneses, Secretário Geral do BCSD Portugal
 

Ainda sobre o documentário:
Produzido pelo vencedor do ÓSCAR®, Leonardo DiCaprio, George DiCaprio e Mathew Schmid, e realizado por Leila Conners, estreou mundialmente no Festival de Cannes de 2019, enquanto Seleção Oficial do Festival, no dia 22 de maio, Em Portugal estreou a 12 de junho, em exclusivo, na HBO Portugal.
 
“Eu e os meus colegas fizemos o ICE ON FIRE para dar voz aos cientistas e investigadores que trabalham todos os dias incansavelmente, nas linhas da frente das alterações climáticas”, diz o produtor e narrador Leonardo DiCaprio. “Queríamos fazer um documentário que retratasse a beleza do nosso planeta, enquanto damos voz a soluções muito necessárias em energias renováveis e isolamento de carbono. Este documentário mostra o que está em jogo, se continuarmos passivos e como, com a ajuda de cientistas dedicados, todos podemos atuar. Espero que o público se sinta inspirado a tomar medidas para proteger o nosso lindo planeta”.

ICE ON FIRE foi filmado um pouco por todo o mundo, desde a Noruega ao Alasca, da Islândia ao Colorado, da Suíça à Costa Rica e a Connecticut. O documentário destaca os relatos em primeira mão de pessoas na vanguarda da crise climática, com o cunho de cientistas, agricultores, inovadores e outros.

Enfatiza a importância de uma abordagem dupla e imediata para reverter esta crise: por um lado, reduzir as emissões de carbono através de fontes tradicionais de energia renovável e novas, como a energia das marés; por outro, implementar medidas de redução, concentradas em métodos de extração e isolamento de carbono, incluindo a captura direta de ar, aquacultura, quintas urbanas, biocarvão, neve marinha, folhas biónicas entre outros.

ICE ON FIRE comprova que, embora os riscos e a urgência de hoje possam ser maiores do que nunca, também há maiores oportunidades para soluções inovadoras, oferecendo uma perspetiva realista, mas esperançosa, sobre uma questão global chave que exige a nossa atenção.

Grândola estreia Documentário "Se Fores Preso, Camarada." - 6 de Abril - 16h - Cine Granadeiro - entrada gratuita

Abril em Grândola, Vila Morena

Dá mais força à Liberdade

 

Grândola estreia Documentário “Se Fores Preso, Camarada…”

Se Fores Preso, Camarada....jpg

 

Inserido no programa das Comemorações dos 45 anos do 25 de Abril, é exibido publicamente no próximo dia 6 de Abril, às 16h, no Cine Granadeiro Auditório Municipal, o Documentário intitulado “Se Fores Preso, Camarada…” realizado por Tiago Pereira e produzido pela associação A Música Portuguesa A Gostar Dela Própria.

 

No âmbito do Ano Europeu do Património Cultural 2018 e com o objetivo de valorizar a liberdade e os direitos humanos, para que a memória não se perca e os tempos de ditadura e repressão nunca mais se repitam, o Município de Grândola realizou a recolha de depoimentos grandolenses perseguidos e presos durante o Estado Novo.

O documentário “Se Fores Preso, Camarada…,  é um dos resultados desse registo.

 

Partindo da Lista dos presos políticos grandolenses (1937 - 1974), facultada por munícipes ligados à luta antifascista, recolheu-se, na primeira pessoa, o testemunho de dezasseis ex-presos políticos. De facto, durante o Estado Novo, encontram-se documentadas, no Registo Geral de Presos do Arquivo da PIDE, as prisões de oitenta grandolenses, admitindo-se que este número seja muito inferior ao real.

A iniciativa pretendeu constituir um repositório documental sobre a resistência e a luta antifascista em Grândola, dada a crucial importância desta temática no contexto da História Local do séc. XX, e a realização de um documentário audiovisual, para exibição pública.

 

O Documentário apresenta testemunhos de:

Álvaro Mariani, António Figueira Mendes, Aprígio de Sousa, Armando Costa, Augusto Pinto da Costa, Joaquim dos Santos, Joaquim Pinto da Costa, Joaquim Sobral Lança, José António Rafael, José Manuel Esperto, Manuel Francisco Barão, Manuel Maria Candeias, Manuel dos Santos Guerreiro, Maria de Lourdes de Sousa, Maria Vitorina Batista e Raúl Martins Costa.

 

Se Fores Preso, Camarada… é o título de uma publicação da Editorial “Avante”, cujo texto é atribuído a Álvaro Cunhal. Considerando que a maioria dos testemunhos refere a importância desta publicação na resistência à prisão e na afirmação dos valores de liberdade e de dignidade humana, o Município atribuiu este título ao documentário, refletindo de modo mais adequado as finalidades que se pretendem atingir.

 

As Comemorações da Revolução de Abril na Vila Morena vão decorrer ao longo de todo o mês. O programa preparado pelo Município de Grândola e parceria com as Juntas de Freguesia e o movimento Associativo será divulgado em breve.

Antestreia de “Doutores Palhaços” não deixará ninguém indiferente

 

Cartaz_DoutoresPalhaços.jpeg

 

O documentário “Doutores Palhaços”, produzido pela Força Maior, terá a sua antestreia na próxima segunda-feira, 12 de novembro, às 21 horas, nos Cinemas UCI do El Corte Inglés.

Onde o sofrimento impera, os Doutores Palhaços, especialistas em sorrisos, avivam a esperança e aliviam a dor aos pacientes, familiares e corpo clínico dos hospitais. O seu efeito junto de quem mais precisa é desvendado ao longo do documentário, que acompanha as equipas presentes em cinco dos quinze hospitais nacionais abrangidos pelas visitas da Operação Nariz Vermelho: o IPO de Lisboa, Hospital D. Estefânia, Hospital Amadora-Sintra, Hospital Pediátrico de Coimbra e Centro Materno Infantil do Norte.

Além dos testemunhos de alguns dos palhaços, o filme inclui depoimentos dos profissionais de saúde e dos familiares das crianças internadas, que sublinham a relevância do trabalho da Operação Nariz Vermelho, optando por não mascarar a realidade dura e crua das rotinas de cada um.

O documentário tem a assinatura dos fundadores da Força Maior, com Helder Faria e Bernardo Lopes na realização e João Fonseca na produção.

 

Estreia do documentário «Tongobriga - O Espírito do Lugar» | 22 junho | Casa das Artes

Estreia nacional do documentário

«TONGOBRIGA. O ESPÍRITO DO LUGAR»

Dia 22 junho 2018 | 21h30 | Casa das Artes | Porto

 

O documentário «Tongobriga – O Espírito do Lugar» é uma produção cinematográfica na qual se utilizaram as mais inovadoras técnicas de cinema e imagem digital e avançados meios de produção.

image007.jpg

 

Através das mais relevantes estruturas arqueológicas até hoje identificadas em Tongobriga (Marco de Canaveses), o documentário conta a história de um lugar que atingiu o seu apogeu nos dois primeiros séculos da era cristã, enquadrando essa história no contexto global da integração da Península Ibérica no Império Romano.

A apresentação nacional do documentário, coproduzido pela Direção Regional de Cultura do Norte, Câmara Municipal de Marco de Canaveses e a produtora Digivision, está agendada para o próximo dia 22 de junho, pelas 21h30, na Casa das Artes, no Porto.

Nesta produção, unem-se reconstruções históricas a elaborados modelos digitais sobrepostos às imagens reais do surpreendente sítio arqueológico de Tongobriga, para que o espetador possa conhecer e compreender a história do lugar.

Ao longo de cerca de cinquenta minutos, o documentário recorre a tecnologia de ponta na área da realidade virtual para ir ainda mais longe, ao desvendar a história multissecular de um sítio extraordinário e ousar captar a sua vocação intemporal, o seu Genius Loci: o Espírito do Lugar.

«Tongobriga - O Espírito do Lugar» é uma produção transmedia, associada à produção de imagens virtuais pela empresa IMAGEEN, que pode ser visualizada em smartphones, tablets e óculos de realidade virtual.

A apresentação nacional do documentário será acompanhada do lançamento oficial do Guia Arqueológico Virtual, uma publicação com mais de 100 páginas, e que contextualiza todos os conteúdos presentes no filme.

As edições do documentário e do referido Guia inserem-se num plano estratégico mais amplo de divulgação do complexo arqueológico de Tongobriga, no âmbito de uma candidatura conjunta da Direção Regional de Cultura do Norte e Câmara Municipal de Marco de Canaveses a fundos comunitários do Programa Operacional ON2.

As ruínas romanas de Tongobriga e a arquitetura tradicional da aldeia histórica de Santa Maria do Freixo constituem as duas faces mais visíveis do valor patrimonial da Área Arqueológica do Freixo, um espaço com 50 hectares que se encontra sob gestão da Direção Regional de Cultura do Norte.

 

 

El Bosco. El Jardín de los Sueños, de José Luis Lopez-Linares no CCB

phpThumb_generated_thumbnailjpg.jpg

 

15 de abril | 17:30 | Grande Auditório

O documentário El Bosco. El jardin de los sueños é uma reflexão sobre O Jardim das Delícias, de Bosch. Realizado por José Luis López-Linares, o filme parte de uma ideia do historiador Reindert Falkenburg e pretende dar respostas aos múltiplos mistérios que a pintura encerra.

DIA MUNDIAL DO TEATRO @ TEATRO ABERTO

O Teatro Aberto vai celebrar o Dia Mundial do Teatro com uma iniciativa que decorrerá na Sala Azul, dia 27 de março, a partir das 21h00. A entrada é livre.

O evento será terá três momentos:

 

ABERTURA

João Lourenço

“LEMBRANDO”

 

DEBATE - O TEATRO E O FUTURO

Cristina Carvalhal - Actriz e Encenadora | Marta Dias – Encenadora | Rui Francisco – Cenógrafo

Moderação Tiago Palma - Jornalista

 

ESTREIA DO DOCUMENTÁRIO

DESCOBRIR

Um Filme de - João Lourenço e Eduardo Breda