Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

UAU | 25 de junho, 10 anos da morte do "Rei da Pop" :: Os êxitos de Michael Jackson regressam a Portugal com Forever King of Pop

 

Outlook-djdlonpe.png

 

 

Bilhetes à venda a partir de amanhã, 26 de junho, às 10h.

 

 

Dez anos depois do adeus ao “Rei da Pop”, que teve lugar a 25 de junho de 2009, Forever King of Pop, o espectáculo de homenagem a Michael Jackson, regressa a Portugal com novas canções e coreografias.

 

 

Com a aprovação de Joseph Jackson, pai do músico e compositor, e de Jermaine e La Toya Jackson, os seus irmãos mais velhos, Forever King of Pop tem estado em digressão por países como França, México, Espanha e Alemanha, levando na bagagem o legado musical incontornável, que ainda hoje é entoado e dançado, e que muitos nunca esquecerão, de Michael Jackson. “Bad”, “Dirty Diana”, “Thriller”, “Earth Song” e “Smooth Criminal” são alguns dos temas que Forever King of Pop reaviva e reacende, hipnotizando o público com coreografias ritmadas, um guarda-roupa memorável e muitos “moonwalks”, a imagem de marca do cantor. Um projecto coreografado com rigor e entrega, ao qual o próprio progenitor de Michael Jackson se referiu como sendo “bom demais para ser verdade” e onde “parecia que estava a vê-lo ali”.

 

 

O papel principal cabe a Alex Blanco, artista londrino de 23 anos, que começou a imitar o artista “Man in the Mirror” e “Billie Jean” no ano da sua morte e cujos vídeos no YouTube se tornaram tão conhecidos que fizeram dele uma verdadeira estrela, com a “Human Nature” dos palcos.

 

 

“Este espectáculo é fantástico. Todos fizeram um excelente trabalho.”, Jermaine Jackson


Forever King of Pop

Lisboa

Salão Preto e Prata Casino Estoril | 20 a 23 de Fevereiro

 

 

Porto

Coliseu Porto Ageas | 28 de Março

Circo no Mercado de Arroios

 

 

A Junta de Freguesia de Arroios lança a 2ª edição do “Circo nos Mercados”, no próximo dia 30 de março no Mercado de Arroios. 

Este evento de expressão artística, produzido em parceria com a COR.D’A - Corrente d’Arte Associação tem como objetivo principal conectar os comerciantes tradicionais e a comunidade local.

O “Circo nos Mercados” procura também passar a mensagem de que o aumento da procura pela oferta cultural da cidade de Lisboa é um elemento potenciador da sua atividade social e económica e mostrar que o papel da cultura nos processos de regeneração urbana e social é crucial. 

De março a julho, o “Circo nos Mercados” estará no Mercado de Arroios com demonstrações de teatro, música, malabarismo, dança e acrobacia, espetáculos de poesia improvisada, estátuas vivas, palhaços, marionetas, mímica, performance, oferecendo uma programação para todos os públicos independentemente da sua cultura, estatuto social, género ou idade.

Este evento de cultura para todos é de acesso livre e acontece no último sábado de cada mês.

 

Espetáculo "Contos de Outrora para pessoas de agora" por Clara Haddad em Loulé

Clara Haddad2.jpg

 

A Biblioteca Municipal de Loulé irá receber o espetáculo “Contos de Outrora para Pessoas de Agora!”, no dia 15 de março, sexta-feira, pelas 21h00. Este espetáculo será dinamizado por Clara Haddad.

Quando a voz de uma guardiã das palavras entoa "Era Uma vez... No tempo em que não havia tempo... Há muito tempo atrás", o passado deixa de ser tempo remoto para se tornar presente.

Neste espetáculo Clara Haddad narra contos de culturas ancestrais de origens diversas. Contos que viajam já há muito tempo e têm passado de geração em geração, cruzando mares e oceanos, céus e terra ganhando novas matizes de cores. Contos de tempos remotos e lugares distantes, histórias divertidas, histórias de encantamento que nos fazem refletir... Histórias de outrora para pessoas de agora!                                

O espetáculo tem uma duração aproximada de 55 minutos. A entrada é livre e gratuita.

Mais informações através do telefone 289 400850 ou email biblioteca@cm-loule.pt

 

CML/GAP /RP

100% Lisboa estreia hoje com os sons quentes dos They Must Be Crazy

100% Lisboa estreia hoje
com os sons quentes dos They Must Be Crazy 

Em cena nos dias 1, 2, 3, 8, 9, 10 de fevereiro, na Culturgest

ad3c440a-65da-4c48-8afe-2bd5bd77c842.jpg

 

Foto: Vera Marmelo
 

They Must Be Crazy foi a banda escolhida para fazer a banda sonora em palco do espetáculo 100% Lisboa, da companhia Rimini Protokoll, em cena nos dias 1, 2, 3, 8, 9 e 10 de fevereiro, na Culturgest.

100% Lisboa é um espetáculo que pega nas estatísticas oficiais da cidade e dá-lhes uma cara humana, colocando em palco cem dos seus habitantes que representam a população inteira dividida em categorias como género, idade, nacionalidade, agregado familiar e área de residência. Cada um fala também por si, da sua vida, opiniões, felicidades e mágoas. 100 residentes em Lisboa em palco, onde cada um representa 1% dos habitantes da cidade.

Um espetáculo que existe há mais de 10 anos e já passou por mais de 30 cidades (100% Paris, 100% Berlim 100% Tóquio, 100% São Paulo, 100% Melbourne, recentemente 100% Porto, entre muitas outras). 

Em todas as cidades, existe uma banda de suporte, oriunda da cidade onde é realizado o espetáculo. Em Lisboa, a escolha recaiu sobre os They Must Be Crazy, banda fascinada pelo afrobeat e por toda a cultura musical africana que procura transmitir este calor e estes ritmos por onde passa e que retrata a multiculturalidade que existe em Lisboa.

Fortemente inspirados por Fela Kuti, Tony Allen, Mulatu Astatke, Antibalas, The Budos Band, os They Must Be Crazy são: David Vistas (guitarra), Edgar Valente (voz), Gonçalo Prazeres (sax barítono), Iúri Oliveira (percussão, voz), Ivo Rodrigues (trompeta), João Aguiar (guitarra), João Barreiros (teclados), Pedro Tzigani (baixa), Rui Machado (sax tenor), Sebastião Bergmann (bateria), Yuri Antunes (trombone), Zé Cruz (trompeta) e lançaram o álbum Mother Nature, em 2017.

EVA PORO #1 | Nova criação de Madalena Victorino e Joana Guerra + convidados: espectáculo de arte comunitária sobre o desaparecimento

27e0152e-4037-4928-83cb-ab90270517e0.jpg

 

EVA PORO #1: arte comunitária na paisagem sobre o desaparecimento, uma vontade de existir no ar

Em Fevereiro 2019, a programação cultural 'Lavrar o Mar' convida a uma imersão nas deslumbrantes paisagens da Costa Vicentina e do Alto da Serra de Monchique.
EVA PORO #1, com direcção artística de Madalena Victorino e Joana Guerra, em co-criação com Alix Sarrouy, Miguel Nogueira, Nicolau da Costa, Patrick Murys e Remi Gallet e inúmeros convidados, tem ESTREIA ABSOLUTA marcada para dia 8, 9 e 10 Fevereiro, num monte chamado Paraíso, Freguesia da Bordeira / Aljezur e apresentações também a 22, 23 e 24 Fevereiro, na Aldeia de Barbelote, em Monchique.

Dias 8, 9, 10 Fevereiro o ponto de encontro será na Aldeia da Vilarinha / Carrapateira já nos dias 22, 23 e 24, o ponto de encontro será no Heliporto de Monchique, sempre pelas 15h30.



Espectáculo de arte comunitária ao ar livre, 'Eva Poro #1', coloca em cena artistas (homens e uma mulher) e rapazes de contextos escolares muito diversos, juntamente com animais (tão reais quanto oníricos), para investigar, através do som e do movimento e, em recantos perdidos e abandonados pela costa e na serra, o que desapareceu ou se está a desaparecer. 

Onde se intersectam a inteligência e organização das sociedades animais e humana? Como se recuperam, pelo movimento, necessidades que, ancestralmente gravadas no nosso ADN, estão agora em vias-de-evaporação ou em mutação, ou em migração? 

Uma ficção performativa assente na procura do corpo aéreo e  de acções primordiais. 
Uma espécie de exercício de resistência pela memória, por uma matriz que não se pode apagar (mas pode-se redescobrir) e por aquilo que nasce de um espaço silencioso, esvaziado de tudo o que sempre o habitou. Como a transfiguração de uma aldeia, uma sensação, um estado.


EVA é a primeira mulher e é também uma égua que se evaporou do prado sem que ninguém desse por isso. PORO é o que, à flor da pele, nos liga ao interior do corpo, do coração. 

"EVA PORO #1" é a primeira de duas criações transdisciplinares que abordam, a partir de diferentes prismas e géneros, o assunto do desaparecimento, da evaporação, do fim das coisas, no seio das belíssimas paisagens da Costa Vicentina e Serra de Monchique.
O resultado da segunda criação (EVA PORO #2) será apresentado em Maio deste ano.


Quando o mundo que se conhece já lá não está, como ir em busca do que desapareceu? Como transformar o desaparecido em algo que reaparece mas com outra forma?  

Arte comunitária na paisagem sobre o desaparecimento, uma vontade de existir no ar: 'EVA PORO #1".

 

«100% LISBOA»: O ESPÉTACULO DOS RIMINI PROTOKOLL COM ESTATÍSTICAS DA PORDATA

DE 1 A 10 DE FEVEREIRO NA CULTURGEST

 

Na próxima sexta-feira, dia 1 de Fevereiro, estreia o espectáculo «100% Lisboa» dos Rimini Protokoll, cujo projecto – 100% City – já foi realizado em mais de 35 cidades, entre as quais Berlim, Londres, Paris, Melbourne e Tóquio.

 

«100% Lisboa» pega nas estatísticas oficiais da cidade e dá-lhes uma cara humana, colocando em palco cem dos seus habitantes que representam a população inteira dividida em categorias como o género, idade, agregado familiar e nacionalidade. Juntos, dão corpo e alma a Lisboa, pintando um retrato fiel de uma cidade em acelerada mudança.

 

O local do espectáculo conta ainda com uma exposição muito especial, preparada pela Pordata, intitulada «100% Portugal» onde, de forma envolvente e criativa, se apresentam dados sobre várias facetas da sociedade, relativas à população, educação, saúde, turismo, ambiente e energia, protecção social, empresas, emprego e desemprego, finanças locais ou participação eleitoral.

 

Assim e no ano em que celebra 10 anos de existência, a Fundação Francisco Manuel dos Santos, através da Pordata, continua a contribuir para aproximar as estatísticas dos cidadãos e para reforçar a sua utilização por todos.

Este Natal ofereça STOMP!

039f1b78-f4aa-41d2-b2c7-3ac3e33fce85.jpg

 

CURTA TEMPORADA
Teatro Tivoli BBVA
Estreia 6 Fevereiro 2018

 

Quando Luke Cresswell e Steve McNichols formaram os STOMP em 1991 não imaginavam a repercussão que o espectáculo teria em todo o mundo, nem a sua longevidade.  Em constante inovação, adicionando objectos novos em cada visita, STOMP é sinónimo de diversão! 
Em Fevereiro, os STOMP estreiam-se no palco do Teatro Tivoli BBVA!
Festas Felizes e Feliz Ano Novo!

M/6

 

"Não sei ser de outra maneira"

‘NÃO SEI SER DE OUTRA MANEIRA"
DANIEL PINTO COELHO APRESENTA ESPETÁCULO ‘PALAVRAS, FADO E CANÇÕES’ - Sala das Artes do C.C.C. Vallis Longus - Valongo | 15 DEZEMBRO | 21H30

 

Cartaz DPC Fado.png

 

Um espetáculo intimista, de partilha e sentimento, onde o artista se entrega de alma à interpretação musical, mostrando a forma de sentir a música em cada palavra que canta. Assim será o primeiro espetáculo do jovem intérprete e cancioneiro portuense, Daniel Pinto Coelho, intitulado ‘Não sei Ser de outra maneira – Palavas, Fado e Canções’. O evento acontece no dia 15 de Dezembro, pelas 21h30, no C.C.C. Vallis Longus, em Valongo, cidade natal do artista.

Em ‘Não sei Ser de outra maneira’, Daniel Pinto Coelho propõe-se a fazer a ponte entre a tradição e a modernidade, sem nunca perder as raízes originais do fado que o inspiram. A pautar o repertório predominará, assim, um registo tradicional – onde homenageia poetas e fados consagrados – no qual vai mesclando novas criações, letras de sua autoria e novas abordagens musicais às mais belas canções deste estilo musical elevado à categoria de Património Cultural e Imaterial da Humanidade pela UNESCO.

Segundo revelou Daniel Pinto Coelho, o primeiro espetáculo ‘Não sei Ser de outra maneira – Palavas, Fado e Canções’ terá a particularidade de ser filmado “com o propósito de utilizar os vídeos e gravações áudio para fins promocionais do mesmo espetáculo noutras salas do País”. 

O jovem fadista portuense está, atualmente, na fase final da gravação do seu primeiro disco de Fado, onde conta com a participação especial de Maria da Nazaré, António Pinto Basto e Hélder Moutinho.  O lançamento deste trabalho discográfico está programado para o início de 2018.

 

Sobre Daniel Pinto Coelho:

Daniel Pinto Coelho é natural de Valongo, distrito do Porto. Desde muito cedo a música e o espetáculo fazem parte da sua vida. Principiou a sua formação musical com apenas três anos, com piano, onde começou a gerar a sua conexão com a música. Ao longo da infância e juventude teve formação em canto e guitarra clássica. Em 2010, concluiu o curso de voz e performance na prestigiada London Music School. Movido, sempre, pela paixão pela música, entregou-se a diversos estilos musicais, tendo integrado vários projetos ligados ao Blues, Soul, Jazz, Pop e Música Tradicional Portuguesa. O Fado foi estando sempre presente na sua vida, mas foi apenas, em 2015, que despertou para a sua essência de fadista, dedicando-se de alma e coração a este estilo musical. Desde então, Daniel Pinto Coelho tem obtido grande notoriedade no meio Fadista, protagonizando espetáculos e atuado em prestigiadas casas de Fado pelo país: ‘Restaurante típico - O Fado’ e ‘Casa da Mariquinhas’ (Porto), e ‘Maria da Mouraria’, ‘Boteco da Fá’ e ‘Casa da Mariquinhas’ (Lisboa), fazendo elenco com grandes nomes da nossa praça, nomeadamente, António Pinto Basto, Rita Ribeiro, Maria da Nazaré, entre outros.

Ritual Almenara no Castelo de Palmela dia 16 de setembro

Dia 16 de setembro, no Castelo de Palmela

Ritual Almenara reúne mais de meia centena de artistas

image002.jpg

 

O Castelo de Palmela vai acolher, pelo segundo ano consecutivo, o espetáculo “Ritual Almenara”, no dia 16 de setembro, às 21h30, numa iniciativa da Câmara Municipal de Palmela e da Câmara Municipal de Lisboa e a EGEAC (empresa municipal que tutela o Castelo de S. Jorge). Com direção artística de João Brites (Teatro O Bando) e música e direção musical de Jorge Salgueiro, o “Ritual Almenara” conta com a participação de mais de meia centena de participantes, atores e músicos. Em Lisboa, o espetáculo acontece dia 15, no Castelo de S. Jorge e conta com a direção artística de Jorge Ribeiro (Companhia da Esquina).

          

“Almenara Palmela é um espectáculo sobre a Comunicação entre dois Castelos e com Palmela e o seu território histórico e humano. Refugiamo-nos no Castelo, procurando abrigo entre as muralhas, atravessando as guerras que nos deixam exaustos, mudos e sem poder avançar. Resistimos. Em grupo alimentamos as ovelhas com as nossas palavras e acendemos a chama dos nossos desejos. Almenara: Ontem… era fogo para ver ao longe. Hoje… é fogo que arde sem se ver!

 

Ficha Artística:

Dramaturgia e encenação: João Brites
Música e direção musical: Jorge Salgueiro
Cenografia: Rui Francisco

Figurinos: Clara Bento

Assistência de encenação: Juliana Pinho
Desenho de luz e vídeo mapping: João Cachulo

Desenho de som: Sérgio Milhano
Organização: Câmara Municipal de Palmela e Câmara Municipal de Lisboa

Criação: Teatro O Bando

 

 

INFORMAÇÕES E RESERVAS:

Período de entrada no Castelo: 20h30 às 21h20

Entrada gratuita mediante reserva obrigatória

Período de reserva: 11 a 15 de setembro

Reservas: 935 321 205

Horário telefónico: 9h00 às 12h00/ 13h30 às 16h30

 

 

LEVANTAMENTO DE BILHETES:

reserva telefónica obrigatória (lotação limitada e máximo de 4 reservas por pessoa)

Portaria do Cine-teatro S. João, Palmela

Horário de levantamento: 9h00 às 12h00 / 13h00 às 19h30

Os bilhetes devem ser levantados até às 19h30 de sexta-feira, dia 15 de setembro

 

 

 

Para o ALMENARA Palmela o público deve apresentar-se no Castelo de Palmela usando roupas de cores lisas, sem estampados, sem riscas e sem outros padrões.

O Castelo de Palmela é um local muito exposto ao vento e ao frio – é importante o uso de calçado confortável e agasalhos.

 

 

 

 

No Teatro Tivoli BBVA o Fado é uma experiência para ouvir e provar

No Teatro Tivoli BBVA o Fado é uma experiência para ouvir e provar

 

Dia 4 de Julho, a UAU estreia um novo projecto no Teatro Tivoli BBVA. “Tasting Fado” dura 60 minutos e inclui uma visita ao teatro – classificado como monumento nacional – uma exposição sobre Fado e um espetáculo exclusivo. Para uma experiencia mais completa juntam-se dois dos sabores mais típicos de Portugal: um cálice de Vinho do Porto e um pastel de nata.

 

A partir de dia 4 de Julho, às 4ªs e sábados, às 19 horas, o Teatro Tivoli BBVA irá receber o Tasting Fado. Uma experiência que demonstra porquê é que o Fado símbolo nacional e Património Cultural e Imaterial da Humanidade, desde 2011, e que, além de ouvido, pode ser degustado.

 

O Tasting Fado, uma produção da UAU, prova que o Fado é muito mais que uma canção. É uma experiência dos sentidos, uma viagem pela História, artes e gastronomia de Portugal. Com uma duração de 60 minutos permite ainda desfrutar de uma visita ao Teatro Tivoli BBVA, monumento nacional, e considerado marco da Lisboa cultural. O Tasting Fado é uma experiência correta imperdível para os turistas estrangeiros, nacionais, sem esquecer os lisboetas, que pretendem conhecer mais sobre a cultura portuguesa.