Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Agrupamento de Escolas de Esgueira, em Aveiro, recebe Fórum Poesia da Resistência

descarregar.png

A Cais 1515 - Associação Cultural vai realizar na próxima quinta-feira, 9 de maio, pelas 09h30, no Agrupamento de Escolas de Esgueira, o Fórum Poesia da Resistência. Este fórum é o momento de consagração do projeto europeu “Poetry of Resistance” e vai mostrar os trabalhos de quase uma centena de jovens de Portugal, Itália, Espanha e Alemanha. O Agrupamento de Escolas de Esgueira irá receber mais de 300 participantes naquele que será o último momento público deste projeto europeu.

O “Poetry of Resistance” é um projeto co-financiado pela Comissão Europeia, ao abrigo do programa CERV (Citizens, Equality, Rights and Values). O Fórum irá contar com a presença dos parceiros europeus em Aveiro e, para além dos habituais discursos contará com duas exposições, três mesas redondas sobre as temáticas do projeto e ainda vários momentos culturais, culminando na atuação da Tuna Universitária de Aveiro. A entrada é gratuita, mediante inscrição.

descarregar (1).png

Sessão “Visualidade em 2023” no âmbito de Fórum de Debate Coletivo em Torres Vedras

descarregar (12).jfif

“Visualidade em 2023” é o tema da segunda sessão do Fórum de Debate Coletivo: Mitologias de Declínio e Renovação, a qual se realizará no próximo dia 5 de junho, pelas 18h00, na Paços - Galeria Municipal de Torres Vedras.

Com esta sessão, que terá como oradoras Ana Bigotte Vieira e Cristina Brito, pretende-se pensar, em particular, o futuro da representação visual, num momento em que as práticas artísticas deixaram de ser o principal agente de construção de uma visualidade. Levantar-se-ão questões como: Que mitologias estamos interessados em criar em resposta (ou apoio) às mitologias que têm vindo a ser construídas ao longo do século XXI? E quem são hoje os agentes intervenientes na construção de visualizações e narrativas históricas?

A sessão “Visualidade em 2023” encerrará o primeiro núcleo do Fórum de Debate Coletivo: Mitologias de Declínio e Renovação, núcleo dedicado às práticas artísticas e ao conceito de visualidade, sendo que o próximo centrar-se-á em tópicos relacionados com a reflexão histórica e a responsabilidade transgeracional.

Recorde-se que é objetivo do Fórum de Debate Coletivo: Mitologias de Declínio e Renovação, que é uma iniciativa da Câmara Municipal de Torres Vedras, coordenada por João Mateus, proporcionar a discussão de problemáticas do nosso tempo. O respeito pelo espaço que o humano ocupa, a utilização que faz dos recursos ou a forma como comunica entre si, são temas que atravessam a existência e que se pretende abordar com o contributo de artistas e investigadores, convidando a comunidade para o diálogo. 

De referir que a sessão “Visualidade em 2023” integra-se no programa comemorativo do 20.º aniversário da Paços - Galeria Municipal de Torres Vedras.

 

Ana Bigotte Vieira
Ana Bigotte Vieira é professora, curadora e investigadora. Faz parte da equipa do Teatro do Bairro Alto como Programadora de Discurso. Leciona na Escola Superior de Dança do Instituto Politécnico de Lisboa. Licenciada em História Moderna e Contemporânea (ISCTE), especializou-se em Cultura Contemporânea (FCSH-UNL), e em Estudos de Teatro (UL). Foi Visiting Scholar na NYU de 2009 a 2012. É cofundadora de baldio | Estudos de Performance e dramaturgista. O seu trabalho de investigação foca-se na relação entre experimentalismo nas artes e as transformações culturais e urbanas na segunda metade do século XX. A sua tese de doutoramento sobre o Serviço ACARTE da Fundação Calouste Gulbenkian recebeu uma Menção Honrosa no Prémio Mário Soares 2016. Foi bolseira no projeto ERC TKB / Transmedia Knowledge Base for the Performing Arts. Traduziu vários autores dos quais se destacam Luigi Pirandello, Spiro Scimone, Annibale Ruccello, Giorgio Agamben e Maurizio Lazzarato.

 

Cristina Brito
Cristina Brito é Professora Associada do departamento de História da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. É também investigadora no CHAM. Doutorada em História (FCSH), Mestre em Etnologia (ISPA) e Licenciada em Biologia Aplicada a Recursos Animais (FCUL). É autora do livro Humans and Aquatic Animals in Early Modern Africa and Americas, que será publicado no final deste ano. A sua investigação foca-se na história ambiental marinha, na perceção local e global do mar, nas histórias oceânicas e atlânticas, nas relações entre humanos e não-humanos, no Antropoceno e nas Blue Humanities. Autora de vários artigos científicos, Brito destaca-se por uma abordagem de investigação interdisciplinar, comparativa e transcultural. É cocoordenadora do projeto “4-OCEANS: Human History of Marine Life” (2021-2027), e principal coordenadora de dois projetos dos EEA Grants Bilateral Funds Initiatives.

Museu de Lamego e Monumentos do Vale do Varosa | OIKOS - A Casa Comum | "As Aves e os Peixes da Casa" | Convento de Santo António de Ferreirim | 21 de maio

Museu de Lamego e Monumentos do Vale do Varosa |

OIKOS – A Casa Comum | 06 “As Aves e os Peixes da Casa”

no Convento de Santo António de Ferreirim | 21 de maio

2023-05-21 OIKOS_ACasaComum_06_Cartaz.jpg

No próximo dia 21 de maio, a partir das 15h30, acontece no Convento de Santo António de Ferreirim o sexto fórum OIKOS- A Casa Comum. A sessão intitulada As Aves e os Peixes da Casa terá como convidados os biólogos Paulo Travassos e Nuno Santos e a responsável pelo projeto de repovoação de corujas no Mosteiro de Santa Maria de Salzedas, Cátia Custódio.

A anteceder a mesa redonda terão lugar duas leituras encenadas: a primeira “Laudato Si”, por João Pereira, do Teatro Solo, que toma como ponto de partida a Encíclica do papa Francisco, e a segunda “Sermão no Rio Balsemão”, realizada pelos alunos do Agrupamento de Escolas de Latino Coelho – Lamego.

OIKOS – A CASA COMUM é um projeto sediado no Convento de Santo António de Ferreirim, que desde a sua apresentação, em setembro de 2022, compreende encontros regulares dedicados ao Ambiente e Sustentabilidade, que aposta na transversalidade de disciplinas e formas de expressão artística, ligadas pela causa comum do presente e o futuro do Planeta, a CASA COMUM.

Organizado pelo Museu de Lamego, Monumentos do Vale do Varosa e Teatro Solo, com a parceria do Município de Lamego, OIKOS – A CASA COMUM é um lugar, que se pretende, de diálogo com a sociedade, sobre cultura ambiental.

A entrada é gratuita.

Primeira sessão do Fórum de Debate Coletivo: Mitologias de Declínio e Renovação

 

descarregar (3).jpg

O Fórum de Debate Coletivo: Mitologias de Declínio e Renovação, uma iniciativa da Câmara Municipal de Torres Vedras, com curadoria de João Mateus, vai ter a sua primeira sessão no próximo dia 6 de março, pelas 18h00, na Paços - Galeria Municipal de Torres Vedras.

De referir que este fórum consistirá num conjunto de debates com o objetivo de discutir problemáticas do nosso tempo. O respeito pelo espaço que o humano ocupa, a utilização que faz dos recursos ou a forma como comunica entre si, são temas que atravessam a existência e que se pretende abordar na iniciativa, com o contributo de artistas e investigadores, convidando toda a comunidade para o diálogo. Colocar-se-ão à discussão questões como: Que impactos têm a forma como comunicamos e transmitimos conhecimento? Que mitologias dominam a nossa realidade? Que mitologias precisamos para sobreviver? Porque insistimos nas ideias de crescimento e expansão constantes?

“Produção Artística, Imagem e Representação” será o tema da primeira sessão do Fórum de Debate Coletivo: Mitologias de Declínio e Renovação, a qual terá como convidados Tânia Geiroto Marcelino, Rita Senra e Raquel Sousa. Relativamente a essa sessão, João Mateus refere o seguinte:

“Existe um certo alívio em reconhecer que estes são tempos de excesso e de deterioração. Tempos da mais prepotente arrogância, da quebra de laços sagrados, de contínua profanação e do mais obstinado desrespeito perante todos aqueles que apenas merecem descanso. Tempos de falsos testemunhos, de infindável sofrimento, da mais colossal devastação. Tempos de declínio. Mas declínio não se refere aqui à linguagem económica de uma «trajetória descendente» ou de «estagnação» – refere-se sim a uma alteração de direção. Declínio enquanto reconsideração de um modo de existência que se considerava perpétuo. Enquanto redução de uma voracidade.

Neste contexto, uma possível renovação surge apenas como consequência de uma diminuição de uma insaciabilidade inesgotável. E será um erro entender renovação como uma reinstituição de antigos valores. Fará mais sentido pensá-la como estimulação metabólica que implica aqui a perda de alguns elementos e a reativação de outros. Qualquer aquisição e libertação de energia só é possível através de vários movimentos cíclicos que evoluem e se renforçam mutuamente, a partir dos quais se estabelece um vínculo que desencadeia uma contínua evolução ou degeneração.

Torna-se necessário abdicar intencionalmente do que limita e corrói. E torna-se necessário refletir crítica e cuidadosamente sobre as imagens, histórias e mitologias que cada tempo conjura. Porque como outros pensadores já identificaram de forma astuta, importa considerar que histórias usamos para contar outras histórias, que descrições usamos para descrever, e que mitologias usamos para construir mundos. É sobre esta nova realidade que exige outras imagens, outras narrativas e outras práticas comunicativas que nos propomos debruçar”. 

A segunda sessão do Fórum de Debate Coletivo: Mitologias de Declínio e Renovação realizar-se-á no dia 8 de maio, subordinada ao tema “Falsidade da Imagem e o Futuro da Representação”.

 

João Mateus 
João Mateus (1995, Castelo Branco). Investigador independente. Licenciado em Desenho e Mestre em Práticas Artísticas Contemporâneas. Desenvolve trabalho no campo da imagem, teoria visual e epistemologia. Tem artigos publicados no CITAR Journal, CITCEM e Interact. Participou, enquanto orador convidado, no V Colóquio Narrativa, Média e Cognição (2018), IJUP (2019), Groove the City (2020), Workshop Archives in Lusophone Film (2020) e xCoAx 2022 (2022). Redigiu uma coluna mensal de análise e comentário político-cultural no jornal Badaladas de 2019 a 2021. Concebeu e coordenou o ciclo de conversas, debates e investigações “O Fim da Verdade Objetiva” no Atelier-Museu Júlio Pomar, em 2021. Coordenou a publicação homónima resultante desse projeto, editada pelo Atelier-Museu Júlio Pomar.

 

Raquel S. 
Raquel S. (1986, Monção). Estudou Filosofia e Estudos Literários, Culturais e Interartes. Trabalha a partir do Porto como dramaturga - escrevendo e dirigindo peças de sua autoria - e dramaturgista - acompanhando espetáculos de teatro e dança de várias companhias e adaptando textos de outros autores. Fundadora e diretora da estrutura Noitarder, que procura cruzar teatro, literatura e filosofia. A partir desta, estreou Longe (2018), amor.demónio (2021) e Ruído (2021). Foi uma das dramaturgas selecionadas na École des Maîtres 2020, no âmbito da qual escreveu o texto Carne (2021). Autora do livro-poema Fogo Lento e de diversos outros ensaios.

 

Rita Senra
Rita Senra (1993, Barcelos). Artista visual a viver e a trabalhar no Porto. Licenciada em Artes Visuais pela Faculdade de Belas-Artes da Universidade do Porto. Desenvolve o seu trabalho artístico nas áreas do desenho e da instalação. É membro do Sismógrafo, espaço cultural no Porto, desde 2016. Apresenta trabalho desde 2013, do qual se destacam as exposições individuais: Corpo, imagem e sua perceção (2013), na Galeria Cozinha da Faculdade de Belas-Artes do Porto; Justamente Expostos (2014), no Projeto Expedição; e Legalenga (2019), no Sismógrafo. Conta com várias publicações e integrou, em 2016, a residência Papéis Cruzados, nas Oficinas do Convento, em Montemor-o-Novo, e, em 2019, a residência cruzada Porto/Clermont-Ferrand.

 

Tânia Geiroto Marcelino 
Tânia Geiroto Marcelino (1989, Lisboa). Artista visual independente, curadora e produtora cultural a viver e a trabalhar em Lisboa. Licenciada em Pintura (FBAUL) e Mestre em Práticas Artísticas Contemporâneas (FBAUP). Expõe o seu trabalho regularmente desde 2012, em exposições individuais e coletivas, residências artísticas e outros projetos. Expôs individualmente no Maus Hábitos/Saco Azul (Porto, 2017), na Rua das Gaivotas 6 (Lisboa, 2020) e no Duplex AIR (Lisboa, 2022). Colaborou também com projetos como Carpe Diem Arte e Pesquisa (Lisboa, 2013-14), Galeria Foco (Lisboa, 2019) e SLUICE (Londres-Barreiro, 2022). Atualmente encontra-se a produzir Hors Lits Lisboa – 3.ª ed. (Lisboa, 2023) e Cosmic Phase/Stage de Ana Libório, Bruno José Silva e João Estevens (2022-23). É Curadora em Residência nos Estúdios PADA (Barreiro, 2023).

Fórum Dentes de Leão

descarregar (4).png


O Fórum Dentes de Leão decorre nos dias 21 e 22 de janeiro na Culturgest, em Lisboa. É este o momento oportuno para dar visibilidade aos diversos resultados do projeto: resultados educativos, artísticos e sociais. No Fórum serão apresentadas publicamente as criações artísticas que foram desenvolvidas ao longo de todo o projeto nos diferentes territórios. Este é também um momento de grande emotividade e relevância social: é o último momento de intercâmbio de todos os jovens participantes. Essa oportunidade de reunião suscitará inevitavelmente reflexões críticas sobre os contributos para os projetos e para o percurso individual de cada um. 
 
A entrada é livre mediante inscrição através do seguinte Formulário
 
 
Culturgest reúne investigadores e a comunidade do projeto Dentes de Leão num fórum dedicado às artes participativas 
 
Nos dias 21 e 22 de janeiro realiza-se o Fórum Dentes de Leão, na Culturgest, em Lisboa, o momento de partilha de alguns dos resultados educativos, artísticos e sociais do projeto Dentes de Leão. Convidados nacionais e internacionais discutem sobre questões relativas aos processos e práticas nas artes participativas e apresentam-se os projetos artísticos desenvolvidos durante o ano de 2022.
O projeto Dentes de Leão teve início em janeiro de 2022 com o Fórum de Abertura — um encontro entre jovens, artistas, mediadores, investigadores e equipa. Desde então, todas as semanas, decorrem Encontros de Jovens em Lisboa, Sardoal e Évora, com o objetivo de um envolvimento continuado em processos de co-criação e de co-curadoria que contribuem para o alargamento de referências e para o aprofundamento de hábitos de fruição. Por sua vez, os artistas do projeto desenvolveram propostas de criação com o apoio dos grupos de jovens e frequentaram laboratórios e residências artísticas, ao longo de 2022. Em simultâneo, o Curso de Artes Participativas — Campo Aberto criou a oportunidade para profissionais da cultura e interessados trocarem perspectivas sobre práticas artísticas e as suas relações com as comunidades. Em outubro de 2022, o Ciclo de Artes Participativas, que decorreu em Évora e no Sardoal, permitiu partilhar, com diferentes públicos, alguns dos resultados do projeto, nomeadamente, os cinco projetos desenvolvidos nos últimos meses - em espera, Dentes de Leitão, Linha de Terra, Oferta, Pareidolia.
Em janeiro de 2023, o projeto ruma a Lisboa para um momento de reflexão e partilha. No Fórum Dentes de Leão expõem-se alguns resultados da investigação levada a cabo pelos parceiros académicos (OsloMet, IHA e ICNova), que se apresentam numa conferência internacional pública. Convidados nacionais e internacionais, entre eles Pascal Gielen, discutem questões relativas aos processos e práticas nas artes participativas. 
Uma publicação com o resultado da investigação participante ficará disponível em março de 2023.

O projeto Dentes de Leão é concebido pela Materiais Diversos (Lisboa), a Pó de Vir a Ser (Évora) e a Culturgest (Lisboa), em colaboração com a Academy of the Senses (Reykjavik), o Município de Sardoal, o Município de Évora, a OsloMet (Oslo), o Instituto de História da Arte e o Instituto de Comunicação da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, a Universidade de Évora e a Assimagra.
 
 
CONFERÊNCIA INTERNACIONAL | Ativar a participação nas artes
Rui Telmo Gomes (PT)
Centro de Investigação e Estudos de Sociologia, do Instituto Superior das Ciências do Trabalho e da  Empresa (CIES-ISCTE)

Dagny Stuedahl (NO)
Departamento de Jornalismo e Estúdios dos Media, Faculdade de Ciências Sociais, Universidade de Oslo

Pascal Gielen (BE)
Instituto de Pesquisa para as Artes, da Universidade da Antuérpia (ARIA)
 
Cláudia Madeira (PT)
Instituto de Comunicação da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, da Universidade Nova de Lisboa (ICNOVA/ NOVA FCSH)

Cristina Pratas Cruzeiro (PT)
Instituto de História de Arte da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, da Universidade Nova de Lisboa (IHA/NOVA FCSH)

Bruno Marques (PT)
Instituto de História de Arte da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, da Universidade Nova de Lisboa (IHA/NOVA FCSH)
 
APRESENTAÇÃO DE PROCESSOS 
E OBJETOS ARTÍSTICOS
performance
PAREIDOLIA

performance 
LINHA DE TERRA

instalação sonora
EM ESPERA
escultura
OFERTA

artes individualistas
DENTES DE LEITÃO
 
 

Ordens religioso-militares são tema do Fórum Turismo Palmela 2019

A participação é gratuita e as inscrições estão abertas!

Ordens religioso-militares são tema do Fórum Turismo Palmela 2019

Castelo de Palmela.jpg

 

No ano em que o Município de Palmela comemora 30 anos de investigação e divulgação de conhecimento historiográfico em Ordens Militares, o Fórum Turismo Palmela, que se realiza a 6 de dezembro, a partir das 9h30, no Cineteatro S. João, tem como tema “As Ordens religioso-militares na valorização turística dos destinos”.

Organizado pela Câmara Municipal de Palmela, com o apoio da Entidade Regional de Turismo da Região de Lisboa e da Rota de Vinhos da Península de Setúbal, o Fórum Turismo assume-se como um momento anual de partilha de experiências na área do Turismo, focando, todos os anos, temas diferentes e de grande interesse para o setor. Os trabalhos desta edição são centrados em dois grandes painéis: “A Ordem Militar de Santiago e a sua influência nos destinos turísticos” e “O papel das Ordens religioso-militares na valorização turística dos destinos / Exemplo e Práticas”. São convidadas/os oradoras/es a nível nacional, que farão intervenções relacionadas com as suas áreas de ação, para partilha de exemplos e boas práticas.

A participação no Fórum Turismo Palmela é gratuita. Mais informações e inscrições: 212 336 668, turismo@cm-palmela.pt, turismo.cm-palmela.pt ou www.facebook.com/TurismoPalmela.

 

 

Fórum Turismo Palmela 2019: conheça o programa!

Fórum Turismo Palmela.jpg

 

 

 

Já está disponível o programa do Fórum Turismo Palmela 2019, que se realiza a 6 de dezembro, no Cineteatro S. João. As inscrições, gratuitas, estão a decorrer.

No ano em que o Município de Palmela comemora 30 anos de investigação e divulgação de conhecimento historiográfico em Ordens Militares, o tema escolhido para o Fórum Turismo foi “As Ordens religioso-militares na valorização turística dos destinos”.

Organizado pela Câmara Municipal de Palmela, com o apoio da Entidade Regional de Turismo da Região de Lisboa e da Rota de Vinhos da Península de Setúbal, o evento assume-se como um momento anual de partilha de experiências na área do Turismo, focando, todos os anos, temas diferentes e de grande interesse para o setor. Os trabalhos desta edição são centrados em dois grandes painéis: “A Ordem Militar de Santiago e a sua influência nos destinos turísticos” e “O papel das Ordens religioso-militares na valorização turística dos destinos / Exemplo e Práticas”. São convidadas/os oradoras/es a nível nacional, que farão intervenções relacionadas com as suas áreas de ação, para partilha de exemplos e boas práticas.

Mais informações e inscrições: 212 336 668, turismo@cm-palmela.ptou www.facebook.com/TurismoPalmela.

 

Programa

 

9h30

Sessão de Abertura

 

Secretaria de Estado do Turismo*

Turismo de Portugal - Teresa Ferreira

Entidade Regional de Turismo da Região de Lisboa - Vítor Costa

Câmara Municipal de Palmela - Álvaro Balseiro Amaro

 

10h00-12h30

A Ordem Militar de Santiago e a sua influência nos destinos turísticos

Moderação: Jorge Humberto Silva - Entidade Regional de Turismo da Região de Lisboa

 

Palmela: História, Arqueologia e Arte da Ordem de Santiago como Atrativo Turístico

Isabel Cristina Ferreira Fernandes - GesOS-Câmara Municipal de Palmela

 

A Relevância da Ordem de Santiago em Alcácer do Sal: Castelo, Convento, Igrejas e Panteão

Maria Teresa Lopes Pereira - Instituto de Estudos Medievais-Universidade Nova de Lisboa

 

A Ordem de Santiago no Alentejo: Valor Histórico e Artístico no Quadro de um Turismo Cultural

José António Falcão - Direção-Geral do Património Cultural

 

O Projeto Ordo Christi: Do Estudo do Património à Implementação e Promoção de Rotas de uma Ordem Religioso-Militar

João Neves e Ricardo Silva

 

Debate

 

14h00-16h45

O papel das Ordens religioso-militares na valorização turística dos destinos / Exemplo e Práticas

Moderação: Paula Magalhães - Câmara Municipal de Palmela

 

Ordem dos Templários – Conselho Científico Português da Rota Europeia dos Templários

Ernesto Jana - Município de Tomar

 

O Valor Cultural e Turístico do Património de Avis, sede da Ordem Religioso-Militar de Avis

Marta Alexandre - Centro Interpretativo da Ordem de Avis-Câmara Municipal de Avis

 

Ordem do Hospital / Ordem de Malta - Mosteiro Flor da Rosa

Jorge Rodrigues e Paulo Pereira - Museu Municipal do Crato

 

A Importância do Turismo no Desenvolvimento Regional

Bernardo Trindade AHP - Associação de Hotelaria de Portugal

 

Ordem de Santiago e Valorização Patrimonial – Perspetivas e Desafios de Futuro

Luís Miguel Calha - Câmara Municipal de Palmela

 

Debate

 

Encerramento com Moscatel de Honra

 

*A confirmar

 

 

Fórum Turismo Palmela 2019 está a chegar!

 

Fórum Turismo Palmela.jpg

 

É já no dia 6 de dezembro que se realiza o Fórum Turismo Palmela, este ano com o tema “As Ordens religioso-militares na valorização turística dos destinos”. As inscrições, gratuitas, ainda estão a decorrer.

A edição de 2019, que decorre a partir das 9h30, no Cineteatro S. João, debate este tema, no ano em que o Município de Palmela comemora 30 anos de investigação e divulgação de conhecimento historiográfico em Ordens Militares.

Organizado pela Câmara Municipal de Palmela, com o apoio da Entidade Regional de Turismo da Região de Lisboa e da Rota de Vinhos da Península de Setúbal, o evento assume-se como um momento anual de partilha de experiências na área do Turismo, focando, todos os anos, temas diferentes e de grande interesse para o setor. Os trabalhos desta edição são centrados em dois grandes painéis: “A Ordem Militar de Santiago e a sua influência nos destinos turísticos” e “O papel das Ordens religioso-militares na valorização turística dos destinos / Exemplo e Práticas”. São convidadas/os oradoras/es a nível nacional e internacional, que farão intervenções relacionadas com as suas áreas de ação, para partilha de exemplos e boas práticas.

Mais informações e inscrições: 212 336 668, turismo@cm-palmela.pt, turismo.cm-palmela.pt ou www.facebook.com/TurismoPalmela.

 

Programa

 

9h30

Sessão de Abertura

 

Turismo de Portugal - Teresa Ferreira

Entidade Regional de Turismo da Região de Lisboa - Vítor Costa

Câmara Municipal de Palmela - Álvaro Balseiro Amaro

 

10h00-12h30

A Ordem Militar de Santiago e a sua influência nos destinos turísticos

Moderação: Jorge Humberto Silva - Entidade Regional de Turismo da Região de Lisboa

 

Palmela: História, Arqueologia e Arte da Ordem de Santiago como Atrativo Turístico

Isabel Cristina Ferreira Fernandes - GesOS - Câmara Municipal de Palmela

 

A Relevância da Ordem de Santiago em Alcácer do Sal: Castelo, Convento, Igrejas e Panteão

Maria Teresa Lopes Pereira - Instituto de Estudos Medievais - Universidade Nova de Lisboa

 

A Ordem de Santiago no Alentejo: Valor Histórico e Artístico no Quadro de um Turismo Cultural

José António Falcão - Direção-Geral do Património Cultural

 

O Projeto Ordo Christi: Do Estudo do Património à Implementação e Promoção de Rotas de uma Ordem Religioso-Militar

João Neves e Ricardo Silva - Escola Superior de Artes Aplicadas do Instituto Politécnico de Castelo Branco

 

Território Hospitalário (Aracena, Aroche, Serpa, Moura) – Quatro Castelos, um mesmo horizonte. Um projeto transfronteiriço de turismo cultural

EduardoRomero Bomba - Ayuntamiento de Aracena

Miguel Serra - Câmara Municipal de Serpa

 

Debate

 

14h00-16h45

O papel das Ordens religioso-militares na valorização turística dos destinos / Exemplo e Práticas

Moderação: Paula Magalhães - Câmara Municipal de Palmela

 

A sede das Ordens do Templo e de Cristo como motor de desenvolvimento no Médio-Tejo e na ligação cultural e científica com a Europa

Ernesto Jana - Município de Tomar

 

O Valor Cultural e Turístico do Património de Avis, sede da Ordem Religioso-Militar de Avis

Marta Alexandre - Centro Interpretativo da Ordem de Avis - Câmara Municipal de Avis

 

Ordem do Hospital / Ordem de Malta - Mosteiro Flor da Rosa

Jorge Rodrigues e Paulo Pereira - Museu Municipal do Crato

 

A Importância do Turismo no Desenvolvimento Regional

Bernardo Trindade - AHP - Associação de Hotelaria de Portugal

 

Ordem de Santiago e Valorização Patrimonial – Perspetivas e Desafios de Futuro

Luís Miguel Calha - Câmara Municipal de Palmela

 

Debate

 

Encerramento com Moscatel de Honra

Câmara Municipal de Palmela | 3.º Fórum do Projeto Educativo Local debate Educação e Parentalidade

Fórum PEL.jpg

 

No dia 31 de maio, na Biblioteca Municipal de Palmela

 

A Câmara Municipal de Palmela promove, no dia 31 de maio, entre as 9h00 e as 17h30, na  Biblioteca Municipal de Palmela, o 3.º Fórum do Projeto Educativo Local, com o tema “Educação e Parentalidade: tecer uma rede de cumplicidades”. Integrado no Ano Nacional da Colaboração, o Fórum apela ao potencial transformador da colaboração na promoção do sucesso educativo das crianças e das/os jovens e pretende fomentar novas formas de comunicação, articulação e mobilização das instituições, grupos de cidadãs/ãos que impulsionem a reflexão e a discussão de assuntos do seu interesse.

 

“Educação, Parentalidade e Sucesso Educativo”, por José Morgado, do ISPA (Instituto Universitário de Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida”; “Fazer o círculo sem reinventar a roda: educar para o processo educativo”, por Gina Cláudia Lemos, investigadora do Centro de Investigação em Educação,  da Universidade do Minho e Escola Superior de Educação de Setúbal; “A motivação dos pais para se envolverem nas escolaridade dos filhos – motivação e compromisso”, por Isaura Pedro, da Escola Superior de Educação de Setúbal são algumas das comunicações que integram  a terceira edição do Fórum. “Educação e Parentalidade, como tecer uma rede de cumplicidades?” é a comunicação da tarde, que encerra o Fórum, com as participações de Agrupamentos de Escolas do concelho, da Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Palmela, de Associações de Pais do concelho, do Instituto de Apoio à Criança (IAC) e do “Projeto Pais Informa”, do Município de Loures.

 

O Fórum, com participação gratuita (limitada à capacidade da sala) - destinado a docentes, não docentes, pais e encarregadas/os de educação, técnicas/os das áreas  da educação, intervenção social e associações de estudantes – é uma ação certificada pelo Centro de Formação Ordem de Santiago e integra o “Plano Inovador de Combate ao Insucesso Escolar – Eu conquisto o meu sucesso”, que pretende reforçar a interação colaborativa entre a escola e a família.

 

Programa completo e ficha de inscrição, disponíveis em www.cm-palmela.pt. Mais informações/inscrições (Divisão de Educação e Intervenção Social): deis.geral@cm-palmela.pt e telf. 212336606.

Fórum Turismo Palmela apresenta exemplos e práticas de sucesso na valorização dos territórios

 

Dia 6 de dezembro | Cineteatro S. João, em Palmela

Fórum Turismo Palmela apresenta exemplos

e práticas de sucesso na valorização dos territórios

 

 

Fórum Turismo.jpg

 

O Cineteatro S. João, em Palmela, recebe, no dia 6 de dezembro, o Fórum Turismo Palmela. O evento, uma iniciativa da Câmara Municipal de Palmela, tem, como tema, este ano, “Turismo e Património Cultural – Valorização dos Territórios” e partilha exemplos e boas práticas de sucesso nesta área. O Fórum, organizado em dois painéis - “Turismo como fator de valorização cultural dos territórios” e “ O Caminho de Santiago – Perspetivas de Desenvolvimento Turístico-Cultural” – integra, entre outras, as comunicações das Câmaras Municipais de Setúbal e Sesimbra sobre a Centralidade Arrábida; da Direção Regional de Cultura do Norte, sobre os Paços do Duque, em Guimarães; da Universidade de Aveiro, com o caso do Caminho de Santiago ou da Direção Geral do Património Cultural, sobre os traçados dos Caminhos do Sul.

 

Este Fórum encerrará com a comunicação do Vereador da Câmara Municipal de Palmela, Luís Miguel Calha, “Parcerias e Inovação – Fatores de Desenvolvimento do Turismo Cultural”.

 

A participação no Fórum Turismo Palmela é gratuita. Informações e inscrições: www.turismo.cm-palmela.pt | ­­­­­­­­turismo@cm-palmela.pt. Programa provisório e ficha de inscrição disponíveis em www.cm-palmela.pt