Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

20, 21 e 22 de setembro | 17h00 às 00h00 | 4ª Feira Quinhentista de Coina

 

 

Cartaz_Feira_Quinhentista_2019.jpg.png

 

A 4ª Feira Quinhentista de Coina terá lugar nos dias 20, 21 e 22 de setembro, das 17h00 às 00h00, no Recinto do Mercado Mensal.  

«A primeira edição da Feira Quinhentista de Coina realizou-se em 2016, no contexto das comemorações dos 500 anos do Foral de Coina, e integrou uma programação vasta com iniciativas dirigidas quer ao público escolar, quer aos habitantes daquela freguesia. Para a memória do Concelho ficará, também, o lançamento de uma publicação de prestígio – Foral de Coina de 1516 – assinada pelo historiador José Manuel Vargas.

Em 2019, e pela quarta vez consecutiva, a Feira Quinhentista consolida a sua presença na região, e o Programa de animação proposto justifica o elevado número de participantes e de público que se verificou em edições anteriores. Assim, a Feira Quinhentista volta a contar com as Tasquinhas, o Artesanato, animação de época, desfile tradicional e encenação teatral, recriando o ambiente vivido na época. Irá contar ainda, com visitas a locais históricos de Coina.»

O evento destina-se ao público em geral.  

Pode obter mais informações através do contacto: Tel. 212 068 232 e do email cultura@cm-barreiro.pt

A organização é da Câmara Municipal do Barreiro, da União de Freguesias de Palhais e Coina e da Associação Alius Vetus.

Feira Alternativa - Festival de Bem-Estar com várias novidades este ano

Maior evento de terapias complementares realiza-se de 6 a 8 de setembro, em Lisboa

Feira Alternativa_2.jpg

 

 

A edição 2019 da Feira Alternativa – Festival de Bem-Estar em Lisboa, que se realiza de 6 a 8 de setembro, no Parque de Jogos 1º de Maio, do Inatel, promete várias novidades para este ano. Um recorde mundial para o Guiness, uma grande mandala humana e uma meditação Heart Chakra, aberta a todos os que quiserem participar, a realizar no relvado do estádio, serão os momentos altos do programa.

Durante os três dias do evento, os milhares de visitantes previstos terão à sua espera mais de duas centenas de expositores das mais variadas terapias, espaços de cosmética natural, ecologia, nutrição, alimentação saudável, artesanato e esoterismo. O programa inclui várias palestras, workshops, aulas, showcooking e concertos.

A Feira Alternativa – Festival de Bem-Estar é o mais antigo e o maior evento nacional de terapias complementares e de desenvolvimento pessoal e espiritual, sendo esta a 15.ª edição realizada na capital, em pleno coração da cidade.

Na área das terapias complementares, as opções disponíveis são muitas e variadas: massagens, reflexologia, reiki, acupuntura, cones indianos, cromoterapia, massagem de som com taças, feng shui, mesa quântica, numerologia, domoterapia, cristaloterapia, terapia de som e leitura da aura, entre outras. Ao longo dos três dias, haverá ainda aulas práticas de Yoga, Chi Kung, Tai Chi, danças e meditação.

A restauração conta com uma vasta oferta no espírito da alimentação saudável com comida para todos os gostos, incidindo sobretudo na vegetariana, vegan e produtos biológicos.

Na componente das palestras e workshops de profissionais, o programa inclui vários palestrantes internacionais, como Carlos Orozco, Marco Marcondes, Anna Xára, Cátia Simionato, Jordi Puig e Claudiney Prieto, enquanto António Paiva, Luís Resina, Alexandre Gama, Paula Margarido e Luís Martins Simões, entre muitos outros, integram o contingente de oradores nacionais.

Um dos momentos altos da edição 2019 será bater o Guiness World Record do maior número de terapeutas de reflexologia a realizar simultaneamente reflexologia aos seus pacientes. A reflexologia é uma arte curativa de origem milenar, enriquecida por bases científicas, tendo sido já eleita por inúmeros estudos como sendo a terapia com maior eficácia na redução de stress. A iniciativa de bater este recorde mundial durante a Feira Alternativa – Festival de Bem-Estar, que decorrerá na manhã de domingo, dia 8, partiu do IRIL – Instituto de Reflexologia Integrada de Lisboa.

No sábado, dia 7, outro dos pontos altos será a realização de uma grande mandala humana com a forma da Flor da Vida no relvado do Parque de Jogos 1º de Maio. Será um momento de Yoga em grupo e ao ar livre, com uma formação em círculo que origina posturas interconectadas e interdependentes entre os participantes. O objetivo é criar sensações de união, harmonia, aceitação, confiança, partilha e cooperação.

A meditação Heart Chakra, concebida por Osho, ocorrerá também no sábado, dia 7, ao fim da tarde. Trata-se de uma prática de meditação ativa, baseada na tradição Sufi com centenas de anos, incluindo exercícios simples de respiração, som e movimento que ajudam a aliviar a tensão interna. Esta prática dura cerca de 1 hora, sendo praticada inicialmente (30 minutos) de pé, ao som da música, e na última fase (20 minutos) é feita com o participante sentado, em silêncio e em total imobilidade. Pode ser praticada por qualquer pessoa, independentemente da idade e condição física de cada um.

“É notório que assistimos a uma tendência de viver com mais consciência do que somos, do que pensamos, do que fazemos, do que comemos”, afirma Jorge Coelho Lopes, responsável pela organização do evento, que acrescenta: “Na Feira Alternativa queremos sempre proporcionar aos especialistas, profissionais e autores destas áreas a divulgação dos seus trabalhos e, por outro lado, aos visitantes a oportunidade de conhecerem o que de novo existe em Portugal e no Mundo”.

O bilhete diário para a Feira Alternativa – Festival de Bem-Estar tem um custo de 6 euros, enquanto o passe para os três dias custa 10 euros. Os bilhetes já estão à venda online, através do site www.feiraalternativa.pt, e em todos os pontos de venda Ticketline. Nos dias do evento estará aberta a bilheteira física à entrada do recinto.

Depois de Lisboa, o maior evento de terapias alternativas visitará, pela primeira vez, a cidade de Braga. O evento decorre de 4 a 6 de outubro, no Altice Fórum Braga, estando já garantida a presença de mais de 100 expositores das mais variadas terapias.

Datas e horários:

-Lisboa-

Sexta-feira, 6 de setembro: das 15h às 23h

Sábado, 7 de setembro: das 10h às 23h

Domingo, 8 de setembro: das 10h às 21h

-Braga-

Sexta-feira, 4 de outubro: das 15 às 23h

Sábado, 5 de outubro: das 10h às 23h

Domingo, 6 de outubro: das 10 às 21h

Mais informações em www.feiraalternativa.pt

Facebook: https://www.facebook.com/feiraalternativa

Feira Alternativa de Lisboa em contagem decrescente

Feira Alternativa_14.jpg

 

A Feira Alternativa – Festival de Bem-Estar regressa nos dias 6, 7 e 8 de setembro ao Parque de Jogos 1º de Maio, do Inatel, em Lisboa. Ao longo de três dias, o maior evento nacional da área de terapias complementares e desenvolvimento pessoal oferece mais de 150 atividades, incluindo palestras com oradores nacionais e internacionais, workshops e aulas práticas. A área de exposição reunirá mais de 200 expositores, a que se juntam os espaços de restauração no espírito da alimentação saudável.

 

Num fim-de-semana pensado para desfrutar em família, o programa de 2019 promete ser rico e diversificado. A feira oferece a possibilidade de conhecer e experimentar novas práticas terapêuticas, derivadas de antigos e tradicionais sistemas de cura, com abordagens ditas holísticas ou integrais. Quem preferir poderá participar em aulas de Yoga, Tai-Chi, Chi Kung, meditação e dança. O evento será ainda palco para a apresentação dos mais variados temas no âmbito da promoção de hábitos de vida saudável, incluindo saúde, ecologia e ambiente.

 

O objetivo é proporcionar aos visitantes uma viagem de autoconhecimento que permita sentir, ouvir e refletir sobre diversas “linguagens” e terapias. Tudo isto mostrado por diferentes saberes, como numerologia, angeologia, bioenergética, hipnose, reiki, xamanismo, leitura de aura, terapia regressiva, astrologia, geometria sagrada, yoga, meditação, biodanza e cânticos devocionais indianos, entre muitas outras práticas.

 

Na área dos expositores, haverá igualmente espaços para consultas, diversos tipos de massagens, promoção da alimentação saudável incidindo sobretudo na vegetariana e vegan, produtos biológicos, cosmética natural e artesanato.

 

À semelhança das edições anteriores, o programa de 2019 está recheado de palestrantes. Entre os oradores internacionais marcarão presença Carlos Orozco, cientista de biologia e bioquímica e especialista em epigenética; Marco Marcondes, médico nutrólogo; Cátia Simionato, terapeuta holística e professora de meditação; e a Xamã Anna Xára, nascida na floresta amazónica e descendente de uma tribo brasileira (Sateré Mawé).

 

No sábado à tarde, no relvado do Parque de Jogos 1º de Maio, os visitantes poderão participar na construção da maior Mandala Humana feita em Portugal (uma formação em círculo que origina posturas interconectadas e interdependentes entre os participantes). Ao fim da tarde, poderão fazer uma sessão de Heart Chakra Meditation, uma dança meditativa de uma hora concebida por Osho, baseada na tradição Sufi.

 

No último dia, a Feira Alternativa pretende bater o recorde mundial do Guinness do maior número de reflexologistas a praticar reflexologia com os seus pacientes. O evento está marcado para as 10 horas de domingo, também no relvado do estádio.

 

“Atrevo-me a vaticinar que esta deverá ser a maior e melhor edição da feira. Temos não só a maior procura de sempre por parte dos expositores, como um programa recheado de interessantes e bons palestrantes”, afirma Jorge Coelho Lopes, organizador da Feira Alternativa de Lisboa, que acrescenta: “Assiste-se hoje a uma grande sensibilidade pelo conceito de bem-estar. Tornarmo-nos uma pessoa saudável que desfruta de completo bem-estar, exige a prática consciente para direcionarmos a nossa atenção ao corpo, à mente e ao espírito, de forma a mantê-los em equilíbrio.”

 

A entrada individual para a feira custa 6 euros e o passe de três dias fica por 10 euros. As crianças até aos 10 anos não pagam.

 

Em outubro, a Feira Alternativa – Festival de Bem-Estar segue para Braga, onde o evento se realizará pela primeira vez. O palco será o Altice Fórum Braga, decorrendo entre os dias 4 e 6.

 

 

Datas e horários:

-Lisboa-

Sexta-feira, 6 de setembro: das 15h às 23h

Sábado, 7 de setembro: das 10h às 23h

Domingo, 8 de setembro: das 10h às 21h

 

-Braga-

Sexta-feira, 4 de outubro: das 15 às 23h

Sábado, 5 de outubro: das 10h às 23h

Domingo, 6 de outubro: das 10 às 21h

Livros e artesanato “invadem” Feira de Verão de Quarteira

Feira de Verão Quarteira - livros e artesanato (3

 

A partir de hoje e até ao dia 18 de agosto, a Feira de Verão de Quarteira, que decorre no Jardim Filipe Jonas, vai contar com uma componente dedicada aos livros e ao artesanato.

Este espaço integrará, nestes dias, mais 13 stands onde estarão representadas as principais editoras e alguns livreiros do país, com várias propostas de livros que poderão ser a companhia ideal para estas férias. Pretende-se, assim, estimular o gosto pela leitura junto dos muitos veraneantes que se encontram em Quarteira nesta altura do ano.

Por outro lado, serão incluídos nesta Feira de Verão mais expositores de artesanato, não só com produtos regionais mas também de outros pontos do país, bem como artesanato internacional.

Este será mais um atrativo para uma visita à Feira de Verão de Quarteira que conta, igualmente, com produtos agroalimentares, roulotes de street food, carrosséis e um programa de animação e entretenimento diário. O certame funciona das 19h30 à 01h00. A entrada é livre. 

CML/GAP /RP

Mercado Municipal de Pinhal Novo com Mostra de Artesanato e Feira Outlet em Agosto

Feiras Outlet.jpg

 

O Mercado Municipal de Pinhal Novo recebe mais uma Mostra de Artesanato e Produtos Regionais, nos dias 3 e 4 de agosto, uma iniciativa da Câmara Municipal de Palmela que pode ser visitada entre as  8h00 e as 13h00. Com a participação de artesãs/ãos e pequenas/os produtoras/es, estas Mostras que decorrem na nave central daquele equipamento, têm como objetivo promover o artesanato e os produtos locais e regionais de qualidade.

 

Entre 23 e 25 de agosto, aquele espaço acolherá, ainda, uma Feira Outlet, onde será possível comprar vestuário para adulto, criança e bebé, calçado, acessórios, cosméticos e outros produtos, a preços mais baixos.  As Feiras Outlet, organizadas, também, pelo Município, proporcionam aos agentes económicos locais a oportunidade de exporem e venderem os seus artigos, com promoções durante três dias.

 

 

 

A Oficina relança Feira de Artesanato de Guimarães no Jardim da Alameda de São Dâmaso (26 julho a 5 agosto)

XXII Feira de Artesanato de Guimarães decorre de 26 de julho a 5 de agosto
Inauguração acontece esta sexta-feira às 18h00

f5d389be74d0a9789655.jpg

 

De 26 de julho a 5 de agosto, a Feira de Artesanato de Guimarães regressa ao seu local de origem: o Jardim da Alameda de São Dâmaso, convertido num bosque urbano em 2012 no âmbito da Capital Europeia da Cultura e localizado no Centro Histórico de Guimarães, Património Mundial da UNESCO desde 2001. Diversas artes e ofícios, desde a Olaria à Cerâmica, passando pela Tecelagem, o Bordado e o Ferro Forjado, vão estar representados em 25 stands. Os diversos espetáculos programados para o Jardim da Alameda percorrem também várias artes – música, teatro, humor, performance, marionetas – e prometem animar as noites e o quotidiano dos habitantes e visitantes de Guimarães, na XXII Feira de Artesanato e nas Festas da Cidade e Gualterianas. O momento inaugural da Feira de Artesanato está marcado para esta sexta-feira, às 18h00, com a presença da Presidente da cooperativa A Oficina, Adelina Paula Pinto, e do Presidente do Município de Guimarães, Domingos Bragança.
 
O percurso permite ao visitante um contacto direto com os modos de fazer específicos de cada uma das atividades, que vão materializando, pelo talento criativo dos artesãos, os seus diversos objetos. As técnicas ancestrais, transmitidas de geração em geração ao longo de muitos séculos, constituem um património imaterial valioso que hoje é salvaguardado por pessoas que dedicam a sua vida a um trabalho alicerçado em memórias profundamente pessoais, avivadas pelo seu espírito inventivo constante. Do interior para o gesto, o material transmuta-se em coisa útil ou de forma singular, pensado para usos no presente. Fruto de muito labor, no girar lento de uma roda de oleiro, na agulha ao correr das fibras, no som do bater de um tear, são artes que nos fazem parar para contemplar e para levar connosco.

Os espetáculos apresentados (sempre às 21h30) convocam vários géneros artísticos ao Coreto do Jardim da Alameda e prometem animar, também, a vivência deste jardim na XXII edição da Feira de Artesanato de Guimarães, que, por estes dias, se torna ainda espaço para uma cidade em celebração no decorrer das afamadas Gualterianas.
 
A abrir a programação da Feira, a Associação Guimarães Fado apresenta-se esta sexta-feira (26 julho) com o seu Fado1111, uma viagem através dos principais autores, cultores e intérpretes da Canção de Coimbra, aos olhos do Minho, com Luís Teixeira de Campos, Francisco Carvalho, Magina Pedro e Manuel Pereira.
Com inspiração na tradição oral que dita ter sido 1111 o ano de nascimento de D. Afonso Henriques e Guimarães a génese da nossa Portugalidade, nasceu o projeto Fado1111. Este projeto musical
- materialização artística da Associação Guimarães Fado - propõe-se representar este cantar trovadoresco de raiz estudantil, popular
e erudito: a Canção de Coimbra. Pautando-se por óbvios critérios de rigor estético e qualidade musical desde a sua fundação (agosto de 2014), este grupo possui já uma assinalável expressão no norte de Portugal e na Galiza.
 
No sábado, o espetáculo Cordofonias com Daniel Pereira & Diogo Riço ocupa novamente o Coreto. Desde muito cedo na sua vida que os instrumentos tradicionais, e os cordofones em particular, fazem parte da existência e da música de Daniel Pereira, artista distinguido em 2018 com o Prémio Carlos Paredes. O próprio já atuou em alguns dos mais importantes teatros e festivais em Portugal e um pouco por toda a Europa, a juntar a passagens pelo Brasil, Estados Unidos e Canadá. Nas suas viagens militantes por instrumentais, cordofones, canto e música tradicional, procura manter viva uma etnicidade identitária do noroeste peninsular, partilhando
a alegria vibrante dos cordofones, músicas
e composições tradicionais, o peso das suas existências seculares e a vontade de os tornar mais vivos do que nunca, fazendo música o mais intemporal, cuidada e contemporânea possível. O músico e compositor Daniel Pereira, que aqui se faz acompanhar por Diogo Riço, explora as sonoridades dos instrumentos ancestrais da tradição minhota. Do cavaquinho à braguesa, passando pelo bandolim, faz uma viagem ora
por sons da tradição oral, nas músicas cantadas, ora por instrumentais que compõe, nos quais afirma que são os próprios instrumentos que comunicam com o público através do seu pulso. O projeto Cordofonias é a visão de Daniel Pereira sobre os cordofones, com especial ênfase nos cordofones minhotos.
 
A fechar este fim de semana, no domingo, o Coreto será palco d’ A Cerimónia, um espetáculo de teatro visual e humor absurdo. Especialista em concertos divertidos e inesperados, Dona Melódica Melancólica traz-nos uma opereta clownesca inspirada
nas canções tradicionais e infantis. Com
um grande coração e uma veia trágica, a protagonista surpreende todos ao interpretar de forma inesperada temas clássicos como “O balão do João” ou “Atirei o pau ao gato”. Da pauta ao poema, vamos entrando no universo desta palhaça que, de trejeitos bem especiais, não deixa o público suster nem uma lágrima. De riso, pois claro!
 
No dia seguinte (29 julho), um casal de marionetas ganha vida numa estória que transforma momentaneamente a vida num feitiço mágico. Ai Xico Xica, concebido e produzido por Sofia Pimentão,
com assistência artística de Miguel Moreira, coreografia de Sandra Rosado e marionetas de Tó Quintas, é um espetáculo de teatro de rua, dirigido a crianças
e adultos, que nos leva para fora da realidade por breves instantes e contamina os espetadores
que naturalmente percorrem o jardim da Alameda de São Dâmaso. Todas as expressões das marionetas, os seus movimentos, roupas, adornos e a música são influenciadas pelo folclore português, invocando todas as regiões de Portugal, que têm as suas próprias danças e cantos tradicionais cujas origens se desvanecem no tempo. Este espetáculo, inspirado pelas danças, instrumentos, sons e letras regionais como “Vira”, “Chula”, “Corridinho” a “Tirana” e o “Fandango”, mistura novas tendências artísticas
 e experimentais. O par de marionetas dança uma coreografia ao som das palmas dos espetadores, guitarras e acordeões misturam sons tradicionais com sons novos e curiosos, eletronicamente compostos ou manipulados por outros instrumentos ou objetos contemporâneos. A felicidade e a exuberância de uma dança que tem como lema o elegante ritual de flirt e namoro.
 
Na terça-feira, 30 de julho, o teatro de marionetas volta a assaltar o Coreto do Jardim com Zé do Telhado e Castelo Assombrado, uma saga de teatro de fantoches numa técnica centenária denominada de Teatro Dom Roberto. Duas histórias num espetáculo. Dois heróis, o Zé do Telhado e o Dom Roberto. Um tenta levar a sua lenda de Robin dos Bosques português a um patamar cómico e repleto de história; o outro tenta salvar a sua amada das mais variadas assombrações do castelo de Santa Maria da Feira.

A música regressa ao Coreto na quarta-feira com Cindazunda. Quando 4 jovens músicos hibernam para explorar a sua música debaixo de um céu em constante mudança, submersos nos movimentos rítmicos do continente europeu, nasce Cindazunda, um projeto que tem inspirado o público com uma nova paleta de sons da música folk do século XXI. A banda é formada por Hugo Oliveira (saxofone, flauta transversal, gaita de foles), João Fragoso (contrabaixo), João Tavares (concertina) e Rodrigues Vila (bateria). Sentindo uma forte pulsação de origem tradicional, surgem criativamente os ritmos e harmonias
do jazz, do rock, e das músicas do mundo em torno desta base, construindo camadas sonoras ricas, que dão forma a um espetáculo desafiante de composições originais, baseadas em danças ancestrais apresentadas com uma nova vibração.
 
O último espetáculo leva As Tresmoças (Rita Só, Elina Sto, Nezia Alex) a subir ao Coreto do Jardim para cantar músicas tradicionais portuguesas acompanhadas ao ritmo do adufe, acordeão e outros pequenos engenhos de percussão. Projeto surgido em dezembro de 2014, as Tresmoças interpretam um repertório diverso, que abarca diferentes regiões do país, desde o Douro Litoral, ao Minho, às Beiras, até Trás-os-Montes.
 
O Jardim da Alameda de São Dâmaso e o seu Coreto continuarão a ser espaço de eleição dos vimaranenses e todos quantos visitem Guimarães ao longo desta Feira de Artesanato e das Festas da Cidade e Gualterianas, como quem diz, até 5 de agosto. A Feira de Artesanato de Guimarães estará em funcionamento das 17h00 às 01h00 nos dias 26 e 27 julho, das 17h00 às 24h00 de 28 julho a 1 agosto, das 17h00 às 01h00 a 2 e 3 de agosto e das 17h00 às 24h00 nos dois últimos dias, 4 e 5 agosto.

Caracóis e Caracoletas de regresso esta quinta feira a Loures

Com especialidades desde o tradicional Caracol Cozido à Feijoada de Caracoleta, chega mais uma edição do Festival do Caracol Saloio, de 11 a 28 de julho, junto ao Pavilhão Paz e Amizade, em Loures. A entrada é gratuita.

image002.jpg

 

Está de regresso à cidade de Loures o festival com sabores únicos, onde todos os visitantes podem degustar um leque de iguarias com o famoso Caracol Saloio. Rissóis de Caracol, Caracoletas à Bulhão Pato, Ovos Mexidos com Caracoleta e Farinheira são alguns dos pratos que vai poder apreciar.

O Festival do Caracol Saloio conta com a participação de cerca de uma dezena de tasquinhas em representação dos restaurantes do concelho de Loures.

Além de caracóis e caracoletas, a música também vai estar presente e os visitantes podem ainda usufruir de um espaço de animação infantil e assistir a demonstrações diárias de showcooking com algumas das melhores receitas da região.

No exterior da tenda principal, existirá ainda uma área de street food, em alternativa aos pratos de caracóis, e uma área de artesanato, onde dezenas de artesãos, maioritariamente de Loures, mostram a sua arte e criatividade.

Feira Comercial e Agrícola de Poceirão celebra 30 anos com programa renovado

Feira Comercial e Agrícola de Poceirão.jpg

 

A Feira Comercial e Agrícola de Poceirão comemora os seus 30 anos com um programa renovado. É já nos dias 12, 13 e 14 de julho que o certame está de regresso ao coração agrícola da Península de Setúbal, numa organização da Associação da Feira Comercial e Agrícola de Poceirão, com o apoio da Câmara Municipal de Palmela e da União das Freguesias de Poceirão e Marateca.

Nesta 30.ª edição, as/os visitantes vão poder contar com várias novidades, reveladas pelo Presidente da Associação, João Neto, durante a apresentação da Feira, no dia 2 de julho, na Adega Filipe Palhoça. Sempre com a prioridade de promover e divulgar a agricultura e o mundo rural, a Feira vai contar com um novo espaço, a Tenda “Saberes e Sabores da Terra”, onde as/os produtoras/es locais e novas/os investidoras/es vão expor os produtos da terra. O espaço será dinamizado com a realização de um conjunto de workshops e palestras. A exposição de animais e tratores e máquinas agrícolas, no recinto do Mercado Mensal, foi também reforçada.

Outra novidade são as Jornadas Técnicas “ O futuro da Maçã Riscadinha e da Fruticultura na Península de Setúbal”, dia 13, organizadas pelas/os produtoras/es locais, com o apoio da Câmara Municipal de Palmela. Do programa, destaque também, logo no primeiro dia, para o Espetáculo Equestre de homenagem ao Mestre Nuno de Oliveira, por ocasião dos 30 anos da sua morte. Este ano, não haverá eleição da Rainha da Feira e o Desfile Etnográfico pelas ruas de Poceirão, ponto alto do certame, vai contar com a participação das Rainhas das edições anteriores, como forma de assinalar os 30 anos. Os vinhos e gastronomia local, o artesanato, um vasto programa de animação musical, atividades equestres e um espaço dirigido às/aos mais jovens, o “Spot Caramelo”, completam o programa.

O Município de Palmela é parceiro da organização desde o primeiro momento e atribuiu à Feira um apoio financeiro no valor de 4 mil euros, ao qual se somam apoios técnicos e logísticos no valor estimado de 7 mil euros. O Vereador com o pelouro do Desenvolvimento Económico, Luís Miguel Calha, presente na apresentação da Feira, não tem dúvidas de que esta 30.ª edição «presta homenagem a todas/os as/os que se associaram ao certame ao longo dos anos» e que as inovações introduzidas no programa «representam uma visão de futuro no que respeita à evolução e dinâmica do evento».

A Presidente da União das Freguesias de Poceirão e Marateca, Cecília Sousa, destacou os «30 anos de afirmação» do certame que, mais uma vez, «tem tudo para que seja uma excelente Feira».

  

Programa

 

12 de julho

 

18h00 - Inauguração oficial com a Fanfarra dos Bombeiros de Pinhal Novo no Parque Mário Bento, seguida de visita aos recintos de exposição e Mercado Mensal

 

19h15 - Degustação de produtos regionais, com um apontamento musical com a artista Carla Baltazar - Tenda “Saberes e Sabores da Terra”

   Animação de rua com “Era uma vez… o Cante”

 

20h00 - Atuação do Grupo Musical Sem Trambelho - Palco principal

 

21h00 - Espetáculo Equestre, de homenagem ao Mestre Nuno de Oliveira - Picadeiro

             Org.: Quinta Cavaluz

 

21h15 - Espetáculo de Fados - Pavilhão

            - Noémia Dourado

            - Francisco Andrade

            - Maria do Céu Freitas

            - Horácio Pereira

 

21h30 - Spot Caramelo (atividades e animação musical) - Mercado

  Org.: AJOC

 

22h00 - Espetáculo com Chico Moreno Show - Palco Principal

 

23h15 - Baile com Nélio Pinto - Palco principal

 

24h00 - Vacada

 

13 de julho

 

9h00 - 2.ª Cãominhada - junto ao Jardim Ferreira da Costa, Poceirão

Org.: AJOC

 

10h00 - Baptismo Equestres para crianças e passeios de charrete - Picadeiro

 

10h00 - Poule de Saltos de Obstáculos

 

10h30 - Poule de Dressage

Org.: Quinta S. João

 

14h00 - Jornadas Técnicas da Maçã Riscadinha - Centro Cultural de Poceirão

 

 

15h00 - Demonstração de Radiomodelismo - Recinto do Mercado

 

17h00 - Encontro “O Estatuto da Agricultura Familiar” - Pavilhão

Org.: AADS

 

18h00 - Color Party: animação com DJ e lançamento de tinta colorida - Mercado

 Org.: AJOC

 

20h00 - Atuação do Grupo de Cavaquinhos Cordas Mágicas - Pavilhão

 

20h30 - Spot Caramelo (atividades e animação musical) - Mercado

             Org.: AJOC

 

20h45 - Atuação do Grupo “Ceifeira de Degolados” - Pavilhão

 

21h00 - Tenda “Saberes e Sabores da Terra”

            Workshops:

- Alquimia dos Sabores confeciona Pasta de Alheira com Pickles

- Adoce a boca com a Fogaça, por Maria da Luz Silva

            Palestras:

            - Finca Equilibrium apresenta a Oficina “Acrescentar um ponto na Natureza” 

           

21h15 - Baile com João Tendeiro e Carlos Delgadinho - Palco principal

 

22h30 - Espetáculo musical com Jorge Guerreiro - Palco principal

 

23h00 - Artes Taurinas

 

23h30 - Continuação do Baile 

 

24h00 - Vacada

 

14 de julho

 

10h00 - Passeio Equestre

 

17h00 - Demonstração do Jogo do Pau

 

18h00 - Desfile Etnográfico pelas ruas de Poceirão, com a participação das Rainhas da Feira, Ranchos Folclóricos, Cavaleiros, Máquinas Agrícolas e Carros Alegóricos

 

19h00 - Atuação dos Ranchos participantes no desfile - Palco principal

 

20h15 - Spot Caramelo (atividades e animação musical) - Mercado

 Org.: AJOC

 

20h30 - Espetáculo de Comédia com o Humorista Serafim - Palco principal

 

21h00 - Tenda “Saberes e Sabores da Terra”: Workshops e Palestras

 

22h00 - Baile com Duo Ricardo & Jorge - Palco principal 

 

23h00 - White Party - Pavilhão

Org.: AJOC

 

00h30 - Encerramento da Feira

 

 

Estacionamento e circulação interditos

Durante a realização da Feira, o estacionamento e a circulação rodoviária vão estar interditos na Rua Padre Vieira, Rua Alexandre Herculano (desde o Parque Mário Bento até ao cruzamento com a Rua 5 de Outubro) e Avenida de Palmela.

A proibição vigora das 08h00 do dia 12 de julho às 12h00 do dia 15 de julho e a infração estará sujeita a penalização (reboque e coima).

Feira Popular de Loulé ganha novo espaço, mais animação e “stockout” do comércio local

De 10 a 14 de julho, Loulé recebe mais uma edição da Feira Popular. Este ano, o evento, que é uma referência na animação de verão no Concelho de Loulé, irá deslocar-se para um outro espaço da cidade: o Largo do Monumento Engº Duarte Pacheco, junto ao Parque Municipal de Loulé.

Virgem Suta.jpg

 

Numa recriação do evento de beneficência que nos anos de 1946 e 1952 animou a antiga Quinta do Pombal, com assinalável êxito, esta Feira traz em 2019 algumas novidades, não só o novo recinto mas também uma forte aposta na animação musical e a integração de um “stockout”.

Marco Rodrigues.jpg

 

O certame contará com diversas valências, entre elas a exposição e venda de artesanato, plantas, produtos agroalimentares, restauração, mas também a feira de stocks do comércio local, com a venda a preços mais acessíveis de produtos nas áreas do pronto-a-vestir, sapataria, bijuteria, decoração e muito mais.

Papillon.jpg

 

Os petiscos também estarão em destaque nas bancas de expositores de produtos agroalimentares e nos espaços de tasquinhas e de street food, proporcionando aos visitantes a degustação de diversas iguarias.

Kumpania Algazarra.jpg

 

No que toca à música, as propostas são variadas e pretendem contribuir para animação do público que por aqui passar. No dia inaugural, 10 de julho, quarta-feira, sobem ao palco a banda Virgem Suta (21h00) e Papillon (22h30). No dia 11, quinta-feira, é a vez do músico Marco Rodrigues (21h00) e os Kumpania Algazarra (22h30) animarem o recinto. A noite de sexta-feira, dia 12, terá um baile animado pelo grupo Bailasons. Já no sábado, 13 de julho, o folclore volta a associar-se a esta Feira Popular com a realização, no local, do 42º Festival de Folclore “Ecos da Serra”. Irão atuar o Rancho Folclórico da Herdade de Rio Frio (Palmela), Rancho Folclórico da Redinha (Pombal), Rancho Folclórico e Etnográfico de Penedono (Viseu), Rancho Folclórico Roda Viva (Telheiro – Leiria), Rancho Folclórico da Casa do Povo de Valega (Ovar) e Rancho Folclórico Infantil e Juvenil de Loulé. O evento encerra, no domingo, com a atuação da Orquestra Vicentina (21h00) e de Ben&The Pirates (22h30).

A Feira Popular irá funcionar no seguinte horário: das 20h00 às 00h00, nos dias 10 a 12 de julho, e das 19h00 às 00h00, nos dias 13 e 14 de julho.

A entrada é livre.

Refira-se que a Feira Popular de Loulé é uma iniciativa da Câmara Municipal que pretende oferecer à cidade e aos seus habitantes uma opção diversificada de entretenimento e animação nas noites quentes de verão, em pleno centro da região algarvia.

CML/GAP /RP

Pavilhão de gastronomia da FIA com entrada livre todos os dias do evento | 29 de Junho a 7 de Julho na FIL

fia.png

 

 

De 29 de Junho a 7 de Julho é possível almoçar na FIA sem pagar entrada, das 12h30 às 14h30

Boas notícias para os amantes da gastronomia da FIA – Feira Internacional do Artesanato! Durante os nove dias do evento, é possível almoçar com entrada gratuita no pavilhão da gastronomia da FIA (pavilhão 3), entre as 12h30 e as 14h30.

 

Com uma oferta gastronómica variada, são cerca de 45 tasquinhas típicas e gourmet com produtos de norte a sul do país, desde a alheira de Mirandela, os queijos e presuntos da Serra da Estrela até à cereja do Fundão e os enchidos do Alentejo, não esquecendo a doçaria regional, com os ovos moles de Aveiro, Dom Rodrigo do Algarve, entre muitos outros. Para além das tasquinhas, a FIA também terá dois restaurantes – o Lampião do Alentejo e o Temudus de Coimbra.

 

A grande novidade no pavilhão de gastronomia nesta 32ª edição da FIA é a introdução do Peixe na FIA com dois restaurantes a servir pratos e aperitivos, só com refeições de peixe. A Adega 33 e o 100 Peneiras, ambos do Seixal, são os responsáveis por trazer o peixe fresco à FIA.

 

A Região Autónoma da Madeira, que regressa à FIA após alguns anos de ausência, dará a provar poncha, rum e bolo do caco.

Mas a FIA tem muito mais. Esta é uma oportunidade única de, sem sair de Lisboa, degustar e provar a gastronomia e doçaria típica de todas as regiões do país, ilhas incluídas, e, para muitos, reviver os produtos gastronómicos da sua terra natal.