Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Santos Populares animam cidade de Quarteira e outros pontos do Concelho de Loulé

Marchas de Quarteira (CTP®) 28-06-2017-38.jpg

 

Nas noites dos dias 12, 13 e 28 de junho, Quarteira revive um dos mais típicos e característicos eventos culturais da cidade e uma demonstração do forte bairrismo desta antiga comunidade piscatória: as festas dos Santos Populares. Arraiais, bailes e animação a cada esquina são os ingredientes de um evento que tem o seu ponto central no desfile das marchas na zona do Calçadão Nascente.

Estas marchas em representação das principais ruas e bairros de Quarteira atraem milhares de visitantes que aqui vêm apreciar esta verdadeira manifestação etnográfica ligada ao mar, nomeadamente os trajes, as músicas e as coreografias dos grupos participantes.

Nas três noites de festejos – Stº António, S. João e S. Pedro – centenas de quarteirenses desfilam num dos maiores eventos do género no sul do País e que é um cartaz turístico do Algarve nesta altura do ano.

A cada ano que passa, a criatividade aumenta, bem como as melhorias neste evento, sem no entanto se descurar aquelas que são as suas tradições e que o tornem tão singular e original no contexto das marchas populares que acontecem por esse país fora.

Este ano participam as seguintes marchas em representação das artérias e bairros da cidade: a marcha infantil da Fundação António Aleixo (com o tema “As Andorinhas”), Florinhas de Quarteira (com o tema “Postais do Algarve”), Marcha Poeta Pardal (com o tema “Saudade de Portugal”), Rua do Outeiro (com o tema “Quarteira é Pescadora”), Rua Gago Coutinho (com o tema “As Peixeiras à Portuguesa”), Rua Vasco da Gama (com o tema “Uma Casa Portuguesa”) e Rua da Cabine (com o tema “Quarteira às Flores”).

Este desfile tem entrada livre e o início marcado para as 21h00.

À semelhança do que tem acontecido nos últimos anos, por estes dias a Câmara Municipal de Loulé irá promover também os tradicionais bailes nas ruas, entre as 20h00 e as 1h00, onde não faltarão os petiscos, a música e, naturalmente, muita animação para quem vier até aqui dar um pezinho de dança. Na Rua Poeta Pardal o baile acontece nos dias 14 e 15 de junho, enquanto que a Rua da Cabine revive esta tradição nas noites de 21, 22 e 23 de junho.

Já na freguesia de S. Clemente, em plano coração da cidade de Loulé, o Largo do Tribunal de Loulé recebe também os Bailes de Santos Populares. As propostas desta organização conjunta da Junta de Freguesia e Câmara Municipal são as seguintes: dia 12 de junho, baile com o grupo Fora D’Horas (20h00), atuação da Marcha de S. Clemente (22h00) e espetáculo com a banda Ganda Banda (22h30); 23 de junho, baile com Ruben Baião (20h00), atuação da Marcha de S. Clemente (22h00) e espetáculo com a banda Kremlin (22h30); dia 26 de junho, baile com Marcelo Filipe (20h00), atuação da Marcha de S. Clemente (22h00) e espetáculo com a banda HI-FI (22h30). A entrada é livre.

 

CML/GAP /RP

 

As Festas de Lisboa continuam em pleno

0ed7aba2-3f49-46a0-8322-4c3a6b288276.jpg

 

Os arraiais, as marchas populares e os casamentos de Santo António já estão aí e a EGEAC está a sensibilizar todas as entidades envolvidas para que as Festas de Lisboa decorram com respeito pelos horários e todas as normas de segurança, ruído, higiene e sustentabilidade.
 
“É fundamental que, tanto parceiros como público, ganhem consciência de que quando as normas não são respeitadas estão a prejudicar os moradores e uma das iniciativas mais queridas da cidade” sublinha a presidente do Conselho de Administração da EGEAC, Joana Gomes Cardoso.

“Isto não significa que não se possa festejar e celebrar”, acrescenta Joana Gomes Cardoso, lembrando que já na próxima semana vão decorrer algumas das iniciativas mais emblemáticas e distintivas da cidade: as marchas populares.
 
Ainda antes do grande desfile na noite de Santo António, na Avenida da Liberdade, as Marchas Populares irão revelar os temas, figurinos, músicas e coregrafias, que nos últimos meses estiveram a ser preparados e ensaiados em segredo.

Dias 7, 8 e 9, a partir das 21h, a Altice Arena é o palco das primeiras exibições públicas das Marchas, um espetáculo vibrante e aberto ao público que pode, assim, assistir em primeira mão a esta tradição festiva lisboeta.

Também no fim de semana é obrigatório visitar a exposição 100% Sardinha, para conhecer as melhores propostas do concurso deste ano que até ao final do mês, entre as 14 e as 22h, estão expostas no Espaço Trindade.
Integrado nesta exposição, convidamos alguns dos mais premiados ilustradores portugueses para a realização de workshops gratuitos para toda a família, com sessões às 15h30 e 17h30. Ao longo do mês, nas tardes de sábado e domingo, contamos com nomes como Yara Kono, Nuno Saraiva, Catarina Sobral e André Letria.

A partir deste sábado, e durante três dias, o festival de música Lisboa Mistura estará na Quinta das Conchas levando pela primeira vez até este jardim do Lumiar o festival que celebra a diversidade cultural.
  
Este ano, o Lisboa Mistura junta músicos internacionais do Médio Oriente, América do Norte e África com grupos comunitários, constituídos por pessoas de várias freguesias de Lisboa, de diferentes gerações e culturas. 

Na próxima semana é o Fado que vai estar em destaque nas Festas de Lisboa, ao longo de duas noites especiais que juntam duas das maiores fadistas da atualidade com dois coros muito particulares. Num palco privilegiado, o Castelo de S. Jorge, a partir das 22h, fazemos silêncio para ouvir Ana Moura e Sopa de Pedra (dia 14) e Raquel Tavares e Gospel Collective (dia 15).
 

Arraial da Cascata

Terça-feira, 18 de junho // Todo o dia // Museu da Quinta de Santiago

Uma cascata à moda antiga para conhecer em Leça da Palmeira

DSC_8768.jpg

 

O Santo António, como diz a canção, está-se a acabar – mas as festas dos santos populares ainda vão no adro. Para dar a conhecer uma das mais antigas tradições da época, o Museu da Quinta de Santiago, em Leça da Palmeira, abre na terça-feira, 18 de junho, as portas da pitoresca Cascata Leceira, composta por mais de trezentas peças. A entrada neste Arraial da Cascata é gratuita.

 

Para além da possibilidade de visitar a Cascata Leceira, doada há nove anos à Câmara Municipal de Matosinhos, o programa da iniciativa inclui jogos tradicionais, marchas populares nos jardins do museu e a atuação de um rancho folclórico sénior. O arraial decorrerá desde o início da manhã até ao final da tarde, sendo especialmente dirigido ao público escolar, sénior e com necessidades especiais, contando com a colaboração de diversas instituições do concelho. Mas todos são bem-vindos.

 

Com cerca de 15 metros quadrados, a Cascata Leceira foi concebida pelo artesão José Moreira, que ali retratou, com pormenor, a Leça da Palmeira da sua infância, nos anos 1920/1930, época em que a localidade era uma importante estância de veraneio, frequentada por artistas, pela burguesia portuense e pela comunidade inglesa. As cerca de 300 peças e bonecos presentes nesta obra, diversas com movimento, foram construídas ao longo de décadas.

 

Cada casa e cada figura da cascata têm uma história e um significado para o seu autor. Nela são reconhecíveis os principais lugares e monumentos da localidade, o rio Leça e as suas seis pontes (destruídas durante as obras de construção do Porto de Leixões), as praias, a Igreja Matriz, o Forte de Nossa Senhora das Neves e o Farol, mas também as vivências e tradições, em parte já perdidas – as romarias de S. João da Boa Nova, do Senhor de Matosinhos (com a feira das louças, as bancas, o Teatro dos Robertos –, as procissões, as artes e os ofícios – a lavoura, a lavadeira, os vendedores, a leiteira, o pescador ou o sapateiro – e as figuras ilustres da terra, como o poeta António Nobre ou o marítimo José Rabumba.

Gabriel o Pensador | 15 de Junho | Festas de Oeiras, 22H

view.php.png

 

Depois do single "DEIXA QUEIMAR" e, tal como prometido, Gabriel o Pensador, está de regresso aos palcos nacionais para celebrar os  25 anos de carreira e levar até junto do público todos os seus êxitos...
 
Este sábado, 15 de Junho, Festas de Oeiras, Jardim Municipal de Oeiras. Concerto de encerramento das festas de Oeiras. Ninguém vai
querer ficar em casa.
 
 
Próxima data - 28 de Julho - Pombal

 

Fernando Daniel, Azúcar Moreno e Os Vocalistas nas Festas de Santo António em Reguengos de Monsaraz

 

 

As Festas de Santo António em Reguengos de Monsaraz vão decorrer entre os dias 12 e 16 de junho no Parque de Feiras e Exposições. A banda sonora das festividades em honra do padroeiro de Reguengos de Monsaraz integra concertos com Fernando Daniel, Azúcar Moreno, Os Vocalistas, Grupo Republika e a banda Remember de tributo aos anos 80 e 90 do século passado. O programa terá ainda as tradicionais marchas populares e a quinta edição da feira de vinhos ViniReguengos, onde poderão ser degustadas dezenas de marcas de vinhos portugueses.

AL - CANTI

AL-CANTI.jpg

 

A inauguração das Festas de Santo António vai decorrer no dia 12 de junho, às 18h30, no Pavilhão Multiusos do Parque de Feiras e Exposições. Pelas 22h começam a desfilar e a atuar as marchas populares, que este ano são compostas pelas marchas infantis das Atividades de Animação e Apoio à Família do Jardim de Infância de Reguengos de Monsaraz e do Jardim de Infância da Santa Casa da Misericórdia de Reguengos de Monsaraz, e pelas de adultos do Câmara Reguengos Clube, do Núcleo Sportinguista de Reguengos de Monsaraz e da Ani + Reguengos – Associação de Proteção de Animais de Reguengos de Monsaraz. A primeira noite das festividades terá ainda um espetáculo pirotécnico à meia-noite, seguindo-se a atuação do Grupo Republika, uma banda que tem o palco num camião.

DJ GROUSE

Dj Grouse (2).jpg

 

No dia 13 de junho, dia de Santo António, o programa das festividades inicia-se às 10h com a cerimónia do içar das bandeiras nos Paços do Concelho. Pelas 10h30 concentram-se na Praça da Liberdade as Imagens dos Padroeiros das Comunidades Cristãs do concelho, seguindo-se meia hora depois a Eucaristia.

 

DUO RITMUS

Duo Ritmos.jpg

 

 

Às 22h voltam a desfilar e a atuar as tradicionais marchas populares e pelas 23h30 cantam Os Vocalistas. Este projeto originário de Beja foi formado em 2015 e apresenta um repertório baseado no Cante Alentejano. A partir da meia-noite e meia hora realiza-se um baile popular com o Duo Ritmus.

Fernando Daniel.jpg

 

No dia 14 de junho, às 22h30, sobe ao palco Fernando Daniel, cantor que ficou conhecido por vencer o programa The Voice Portugal em 2016. Fernando Daniel lançou o seu primeiro álbum, “Salto”, de onde extraiu as músicas “Espera”, “Nada Mais” e “Mágoa” que se tornaram sucessos nas rádios e atingiram dezenas de milhões de visualizações no You Tube. O cantor apresentou recentemente o tema “Tal como sou”, que será o primeiro single do seu novo álbum.

 

À meia-noite abre a pista de dança do Reguengos Emotions com a dupla K.R.A.S.H., constituída pelo dj e produtor Henri Josh e pelo MC Katorz. Com mais de 10 anos de carreira e centenas de espetáculos, Henri Josh e MC Katorz vão misturar as melhores músicas eletrónicas, Hip Hop e House.

 

No dia 15 de junho, pelas 11h, realiza-se o XI Desfile de Fanfarras de Bombeiros Voluntários pelas ruas da cidade, com a participação das fanfarras de Reguengos de Monsaraz, Montemor-o-Novo, Arraiolos, Cacilhas, Vila Viçosa e Alcabideche. A Praça de Toiros José Mestre Batista recebe às 18h uma corrida de toiros em homenagem ao ganadeiro Luís Rocha, com os cavaleiros João Moura Jr, João Ribeiro Telles e Luís Rouxinol Jr.. Os forcados de Monsaraz e de Montemor-o-Novo vão pegar toiros da ganadaria Luís Rocha.

 

Pelas 22h30 sobem ao palco das festas a dupla Azúcar Moreno, constituída pelas irmãs Toñi e Encarna Salazar. Naturais de Badajoz, as Azúcar Moreno têm 39 anos de carreira, 23 álbuns editados, 35 discos de ouro, 18 discos de platina e mais de seis milhões de discos vendidos em todo o mundo. A partir da meia-noite, o Reguengos Emotions recebe o Dj Grouse, acompanhado por Martin, dos Santos e Pecadores, com uma atuação de saxofone e percussão.

 

O último dia das Festas de Santo António terá, às 22h30, o concerto com a banda Remember, que vai tocar os maiores sucessos musicais das décadas de 1980 e 1990. A fechar as festividades, a partir da meia-noite, vai estar o Dj Plastiks a misturar música no Reguengos Emotions.

 

No Parque de Feiras e Exposições haverá também ao dispor dos visitantes várias tasquinhas e bares. Os bilhetes para as Festas de Santo António custam 4 euros nos dias 14 e 15 de junho. Poderá também ser adquirida a pulseira jovem (até aos 29 anos), que pelo valor de 4 euros dará acesso a todos os espetáculos, assim como o bilhete único, que custa 5 euros. Os munícipes com Cartão Social têm entrada grátis.

 

ViniReguengos apresenta cerca de duas dezenas de produtores de vinho

Durante as Festas de Santo António, de 14 a 16 de junho, o Pavilhão Álamo do Parque de Feiras e Exposições vai receber a quinta edição da ViniReguengos. Nesta feira de vinhos poderão ser apreciadas referências de vinhos de cerca de duas dezenas de produtores nacionais.

 

A ViniReguengos abre no dia 14 de junho às 18h com a atuação do grupo Al-Canti, seguindo-se um beberete dinamizado pelos formandos do Centro de Emprego e Formação Profissional de Évora. O espaço PROVA, local destinado à promoção dos vinhos, das marcas e dos serviços dos produtores, recebe às 21h30 a apresentação da Rota do Vinho Bucelas, Carcavelos e Colares.

 

No dia 15 de junho, a ViniReguengos abre às 18h com a atuação do Grupo Coral Os Bel’Aurora de Campinho. Pelas 18h30 decorre o Showcooking Reguengos à Mesa pelo chef Hélio Loureiro com destaque para a Semana Gastronómica do Porco.

 

Às 19h30 e às 21h30 haverá apresentações de vinhos no espaço PROVA, enquanto pelo meio, às 21h, realiza-se mais um Showcooking Reguengos à Mesa pelo chef Hélio Loureiro, desta vez referente à Semana Gastronómica do Borrego.

 

No dia 16 de junho, o programa da ViniReguengos inicia-se às 18h com a atuação do grupo En’canta Modas, seguindo-se meia hora mais tarde um Showcooking Reguengos à Mesa pelo chef Luís Leitão, com destaque para a Semana Gastronómica do Lago. Às 19h30 e às 21h30 haverá apresentações de vinhos no espaço PROVA, decorrendo pelo meio, às 21h, Showcooking Reguengos à Mesa pelo chef Luís Leitão sobre a Semana Gastronómica da Caça.

Senhor de Matosinhos

Primeira edição do Congresso Internacional do Senhor de Matosinhos é a grande novidade do programa das festas e incluirá o lançamento da terceira edição do livro que Joel Cleto dedicou à celebração.

 

 

As autoridades policiais e de proteção civil estimam que os 200 mil metros quadrados do recinto das Festas do Senhor de Matosinhos acolham cerca de 840 mil pessoas entre a noite de sexta-feira, 7 de junho, e o fim de terça-feira, 11 de junho, dia do feriado municipal dedicado ao Bom Jesus de Matosinhos. A previsão consta do Plano de Coordenação de Segurança preparado para aquela que é uma das maiores romarias do norte do país, com mais de seis séculos de história.

 

A programação do grande fim-de-semana do Senhor de Matosinhos inclui o grande espetáculo pirotécnico de sábado à noite, a procissão solene, os concertos de Blaya e dos GNR (acompanhados pela Banda de Matosinhos-Leça), a eucaristia presidida pelo bispo do Porto e o tradicional Fogo de Bonecos, tendo como ponto alto, e principal novidade, a primeira edição do Congresso Internacional do Senhor de Matosinhos, que decorrerá nos Paços do Concelho, entre os dias 11 e 13 de junho.

 

Concebido para celebrar a dispersão do culto do Senhor de Matosinhos, o congresso contará com a participação de especialistas portugueses, espanhóis, peruanos e brasileiros, estes vindos nomeadamente do estado de Minas Gerais, onde existe um grande número de templos dedicados ao Bom Jesus de Matosinhos. O encontro tratará não só destes cultos tributários – em Congonhas do Campo o Santuário do Bom Jesus de Matosinhos está mesmo classificado como Património Mundial –, mas também de lendas semelhantes à de Matosinhos, como a do Santo Cristo de Ourense.

 

No âmbito do congresso será ainda apresentada a terceira edição (revista e aumentada) do livro “Senhor de Matosinhos. Lenda. História. Património”, do historiador Joel Cleto. A obra conta agora com um texto do arquiteto Álvaro Siza Vieira, narrando a sua passagem, na década de 1950, pela comissão de festas do Senhor de Matosinhos, e com um desenho original da sua autoria, produzido para o cartaz da romaria, mas então recusado. A capa do livro contará também com um desenho original do arquiteto (em anexo)

 

“Sendo, como afirmou o historiador José Hermano Saraiva a propósito da primeira edição, “um livro que ensina tudo o que se pode saber sobre o Senhor de Matosinhos”, este volume é, porém, muito mais do que isso – é o espelho em que podemos rever-nos e que nos ajuda a compreender o que somos e o que fomos, mas também o trajeto de fé que transformou o Bom Jesus de Matosinhos em objeto de devoção em terras tão distantes (e recônditas) como Congonhas do Campo, Conceição do Mato Dentro, São Miguel do Piracicaba, São João del-Rei, Santo Antônio do Pirapetinga, Jaboatão dos Guararapes ou Terra Nova (onde o Bom Jesus de Bouças se transformou em Bom Jesus de Bolsas)”, escreveu a presidente da Câmara Municipal de Matosinhos no texto que serve de preâmbulo a esta terceira edição.

 

O Congresso Internacional do Senhor de Matosinhos deverá, refira-se, passar a realizar-se alternadamente em Portugal e no Brasil, procurando valorizar o património e a fé disseminados pela diáspora portuguesa e dar corpo a um grande movimento transatlântico de preservação da história e da devoção comum ao Bom Jesus de Bouças.

 

O programa completo das Festas do Senhor de Matosinhos poderá ser consultado em http://www.cm-matosinhos.pt/cmmatosinhos/uploads/writer_file/document/20934/programa_senhor_de_matosinhos_2019.pdf. De referir ainda que o Plano de Coordenação de Segurança da romaria determinou a instalação de um posto de assistência pré-hospitalar e de transferências de eventuais vítimas de acidentes no recinto das festas, localizado na Casa da Juventude. (Avenida D. Afonso Henriques, 487, com acesso também a partir do Parque 25 de Abril).

Festas do Senhor de Matosinhos

GNR e Blaya são cabeças de cartaz das Festas do Senhor de Matosinhos

Entre 24 de maio e 16 de junho, uma das maiores romarias do país cruza a dimensão religiosa com a cultura popular, a animação e as artes contemporâneas, reunindo este ano o primeiro Congresso Internacional Senhor de Matosinhos.

 

 

Pode parecer, mas a colaboração dos GNR com a Banda de Matosinhos-Leça não é um milagre do Senhor de Matosinhos. O concerto que juntará as duas formações, marcado para o dia 10 de junho, pelas 22 horas, no jardim da Biblioteca Municipal Florbela Espanca, limita-se a unir os dois projetos musicais em que Rui Reininho está atualmente envolvido.

 

Após quase quarenta anos na banda de pop-rock que mudou a música em Portugal, Reininho preside há quase um ano à associação da banda filarmónica, com 132 anos de história. Desafiado pela Câmara Municipal de Matosinhos, decidiu juntar os músicos dos GNR e da Banda de Matosinhos-Leça para um concerto único que vai, decerto, constituir um dos pontos altos da edição desde ano das Festas do Senhor de Matosinhos.

 

Para além do imperdível espetáculo pirotécnico, marcado para a meia-noite do dia 8 de junho, as festas, que arrancam esta sexta-feira, 24 de maio, ficarão ainda marcadas pela realização do primeiro Congresso Internacional Senhor de Matosinhos, que juntará outras cidades com cultos tributários do de Matosinhos, e pelo concerto da cantora e bailarina Blaya.

 

Depois do êxito do single “Faz Gostoso”, Blaya lança o novo disco, “Blaya con Dios”, no dia 27 de maio. No domingo seguinte, 9 de junho, a ex-Buraka Som Sistema, que participa também no mais recente disco de Madonna, estará em Matosinhos para o primeiro grande concerto da edição deste ano do Senhor de Matosinhos.

 

Aquela que é uma das maiores romarias do país, com seis séculos de história, e que traz a Matosinhos cerca de um milhão de visitantes, incluirá também este ano a celebração, a  31 de maio, do Dia do Pescador, que sublinhará a importância do sector das pescas para a economia do concelho de Matosinhos, homenageando o trabalho árduo dos pescadores, operários e empresários conserveiros matosinhenses, de hoje e do passado.

 

O programa incluirá a apresentação do documentário “Portugal tem lata”, com argumento e realização de Rui Pregal da Cunha, antigo vocalista da banda “Heróis do Mar”, e João Trabulo, dedicado à indústria conserveira, e com a reabertura do Núcleo Museológico do Mar, na antiga Escola do Bairro dos Pescadores, após obras de beneficiação realizada pela Câmara Municipal de Matosinhos.

 

Com as ruas de Matosinhos iluminadas a preceito, o programa das festas (disponível em http://www.cm-matosinhos.pt/cmmatosinhos/uploads/writer_file/document/20934/programa_senhor_de_matosinhos_2019.pdf) inclui, como é habitual, as feiras de artesanato e da louça, os divertimentos mecânicos e a zona de alimentação, sem esquecer a tradição do Fogo de Bonecos, única no país. No sábado, 1 de maio, destaque ainda para a inauguração da exposição “No Reino do Cavaleiro Cayo Carpo”, que ficará patente na Biblioteca Municipal Florbela Espanca, contando em palavras e barro as principais lendas de Matosinhos.

 

No mesmo dia, pelas 16 horas, o Rancho Típico da Amorosa fará a encenação das antigas romarias a Matosinhos, seguindo-se, pelas 21h30, um concerto da Orquestra barroca da Casa da Música do Porto na Igreja do Bom Jesus de Matosinhos.

 

A abertura das Festas de Lisboa é já este fim de semana

 

0ed7aba2-3f49-46a0-8322-4c3a6b288276.jpg

 

É já este fim de semana que abrimos oficialmente as Festas de Lisboa e este ano subimos literalmente aos ares com um grande espetáculo de funambulismo que irá fixar todos os olhares nos céus.

Linhas Voadoras é o nome do espetáculo de arte circense, baseado no exercício de equilibrismo sobre uma corda, que vai abrir as Festas no dia 1, sábado, a partir das 19h30.

Na Alameda D. Afonso Henriques, Tatiana-Mosio Bongonga, uma das poucas mulheres a atuar a esta altitude, irá percorrer uma corda bamba, a 33 metros do chão. O trajeto aéreo, em direção à Fonte Luminosa, será acompanhado por música interpretada ao vivo por músicos da Banda da Armada e elementos da companhia Basinga que a artista fundou em 2014.

Na primeira semana das Festas, há muito mais para ver, ouvir e desfrutar em Lisboa, ao ar livre e nos espaços culturais da EGEAC, através de propostas artísticas variadas e de entrada gratuita para todas as idades, não esquecendo os mais novos porque afinal, sábado, é o Dia Mundial da Criança.

Assim, outra paragem obrigatória durante o fim de semana será o teatro LU.CA – teatro para crianças e jovens – que celebra o seu primeiro aniversário com várias atividades livres.
 

Toda a programação em culturanarua.pt