Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Festival Flamenco regressa ao Casino Estoril em Setembro

 

Com um notável elenco, o “Festival Flamenco Casino Estoril” regressa, em Setembro, ao Lounge D. Os visitantes do Casino Estoril poderão acompanhar um ciclo de quatro espectáculos com alguns dos melhores intérpretes de flamenco. A não perder, às Quintas-Feiras, a partir das 22h30. A entrada é livre.

 

 

Oscar de los Reyes será o protagonista da Gala de abertura “Festival Flamenco Casino Estoril”, agendada para 6 de Setembro. Em noite de Grande Gala Baile Flamenco, o bailarino partilha o palco com alguns artistas convidados. Trata-se de um genuíno espectáculo de flamenco que promete surpreender o público no Lounge D. 

 

Oscar de los Reyes  1 - 06.09.18.jpg

 

Sevilhano, começou, com apenas 7 anos, os estudos de baile na academia de José Mancilla y Margarita, no qual passou vários anos. Mais tarde, teve aulas com maestros como Farruco, Antonio Canales, Alejandro Granados, Javier Latorre entre outros. A sua carreira começou a tomar forma nos tablaos flamenco, onde actuou: Los “Gallos”, El “Arenal”, “Casa Patas”, El “Corral de la Pacheca” e El “Cordobés” entre outros.

 

 

Em noite de Tablao FlamencoJacob Guerrero  e o bailarino convidado Dani Torres apresentam-se, a 13 de Setembro, no Lounge D do Casino Estoril, assegurando um espectáculo único e imperdível.

 

Jacob Guerrero é primeiro bailarino da companhia Antonio Gades. No papel que representou de “Carmelo” à base de classe e estética do seu baile, a sua presença em palco foi um acontecimento para a beleza e dança. Dotado de uma técnica refinada mostra uma grande coordenação e entendimento tanto da parte dramática como nas  cenas de baile.

 

 

O ciclo prossegue, a 20 de Setembro, com um novo espectáculo de Tablao Flamenco que será protagonizado, desta vez, por Jesús Herrera. Estarão, ainda, em destaque alguns artistas convidados no palco do Lounge D.

 

Jesús Herrera ganhou, em 2005, o prémio por alegrias no concurso nacional de Baile La Perla de Cádiz e foi finalista no concurso internacional Cante de las Minas nos anos 2006 e 2007. É, ainda, de realçar que alguns anos antes, em 2000, juntou-se à Compañia Andaluza de Danza, com direcção de José Antonio, com a qual participou nos seguintes espectáculos “Latido flamenco”, “Perro andaluz”, “Leyenda” y “Encuentros” com coreografía de Eva “La Yerbabuena”, Alejandro Granados, Rafael Campallo, José Antonio e Isabel Bayón.

 

 

Grande Gala de Encerramento Baile Flamenco está marcada para 27 de Setembro, com Victor Bravo e artistas convidados. Com um assinalável prestigio, Victor Bravo é um artista de flamenco e director de baile do museu de baile flamenco de Sevilha. Actua em companhias de dança clássica e moderna como a de Maria Pagés e Joaquin Cortés.

 

Vitor Bravo 2 - 27.09.18.jpg

 

Começou os estudos de dança clássica e flamenca com, apenas, 4 anos na escola superior de dança Matilde Coral. Passou pelo Japão onde começou a sua etapa como coreografo e director. Hoje em dia dirige a sua própria companhia.

 

Programa “Festival Flamenco Casino Estoril”:

- 06 de Setembro: Grande Gala de Abertura Baile Flamenco - Oscar de los Reyes + artistas convidados

- 13 de Setembro: Tablao Flamenco - Jacob Guerrero + Bailaor convidado Dani Torres

- 20 de Setembro: Tablao Flamenco - Jesús Herrera + artistas convidados 

- 27 de Setembro: Grande Gala de Encerramento Baile Flamenco – Victor Bravo + artistas convidados

 

O Lounge D acolhe, de 6 a 27 de Setembro, o “Festival Flamenco Casino Estoril”. Trata-se de uma série quatro espectáculos com alguns dos melhores intérpretes de flamenco. Com entrada livre, às Quintas-Feiras, a partir das 22h30, no Lounge D.

 

Por imperativo legal, o acesso aos espaços do Casino Estoril é reservado a maiores de 18 anos. 

 

FOMe – Festival de Objectos e Marionetas e Outros Comeres promete contagiar Loulé

Mamulengo Capiroto.jpg

Loulé acolhe pela primeira vez o FOMe – Festival de Objectos e Marionetas e Outros Comeres, uma programação e produção da ACTA – A Companhia de Teatro do Algarve, numa parceria em rede entre cinco municípios do Algarve Central: Faro, Loulé, Olhão, São Brás de Alportel, Tavira e Albufeira.  

No domingo, dia 16 de setembro, data de início do festival no Concelho, há lugar a vários espetáculos. Os robertos, descendentes do pulcinello italiano, do guignol francês e do punch inglês, ocupam a esplanada do restaurante "11 da Villa" em Loulé, pelas 11h30, onde a companhia "A Barraca do Gregório", de Lagoa, apresentará um espetáculo com duas histórias "D. Roberto e a namorada" e "O burro teimoso". No mesmo lugar, pelas 12h00, é a vez de "Pulcinella", pelas mãos de Irene Vecchia, companhia italiana, trazer a técnica de bonecos de luva com a personagem principal a encenar o eterno conflito entre o bem e o mal. 

Após estes dois espetáculos será servido um brunch (mediante pagamento) no 11 da Villa, para o qual se exige reserva prévia através do número 919 557 268.

Pela tarde do mesmo dia 16, descentralizam-se as atividades do FOMe e é em Quarteira, na Praça do Mar, pelas 18h00, que se inicia o espetáculo "Punch and Judy" por Clive Chandler (Inglaterra), um profissional com mais de 30 anos de experiência no teatro tradicional de marionetas. O "professor" Clive encena uma performance muito ritmada e bem-humorada. Pelas 18h30, no mesmo local, é a vez da companhia portuguesa de Vila do Conde, "La Fontana – Formas Animadas", levar a palco um teatro de caraterísticas genuinamente populares "onde os atores são bonecos que falam, dançam, brigam e, quase sempre, morrem", explicam os autores de "Mamulengo Capiroto", o espetáculo dos vila-condenses. 

"Un Elefante com Hambre", da responsabilidade da companhia argentina Tuti, cuja exibição terá lugar no Claustro do Convento do Espírito Santo, em Loulé, acontece no sábado, 21 de setembro, de manhã, às 10h30. Conta a história de "um elefante que tem tanta fome que a sua barriga não pára de fazer barulho, uma barriga onde se encontram mágicos, trapezistas, equilibristas e até um cantor de tangos". "Un Elefante com Hambre" é exibido também, no mesmo dia, no Largo da Igreja de Querença às 18h30.

No âmbito do FOMe existe, em Loulé, a possibilidade de inscrição no workshop "The Acting Object", ministrado por Helen AinsWorth, entre os dias 24 e 27 de setembro, das 20h00 às 23h00, no auditório do Convento do Espírito Santo. A marionetista apresenta como ponto de partida questões como: "Quais os limites de cada objeto? Como representar uma personagem e quais são as possibilidades de expressão que estes objetos nos apresentam?". A entrada é livre mas está sujeita a inscrição que pode fazer-se através do número 289 400 820 ou do email cinereservas@cm-loule.pt

A Associação Cultural "Radar 360" (Porto) é a responsável pelo espetáculo multidisciplinar "Os Transportadores", que terá lugar no dia 26 de setembro, pelas 22h00, no Parque de Viaturas da Câmara Municipal, junto ao Convento de Santo António, em Loulé. Os transportadores são "nómadas contemporâneos que questionam o excesso, a carência, o desperdício, o alto consumo, a sociedade fabricada, a natureza bruta, a memória individual e a (in)consciência coletiva da sociedade contemporânea".

A 28 de setembro encerra a programação do FOMe em Loulé com "Janet", de Helenand John (Inglaterra), desta feita no Claustro do Convento do Espírito Santo, pelas 21h00. Trata-se de um espetáculo de teatro recentemente cocriado que mistura o drama da mesa da cozinha com o terror do filme B, "um reflexo despreocupado dos nossos sonhos e medos". Todos quantos assistirem poderão desfrutar de surpresas gastronómicas e poderão degustar produtos tradicionais da cidade de Loulé. 

Segundo a ACTA, "possivelmente trata-se do maior evento ibérico do género em dimensão territorial e objetivos programáticos", uma vez que, pela primeira vez na história do festival, este ano, aderiram ao projeto todos os municípios do Algarve Central (Albufeira, Faro, Loulé, Olhão, São Brás de Alportel e Tavira), contribuindo assim para alargar o seu território de influência, envolvimento e impacto junto do público. 

Em Loulé todas as atividades do FOMe – Festival de Objectos e Marionetas e Outros Comeres são de acesso gratuito. 

Para mais informações e reservas os interessados podem contactar o Cine-Teatro Louletano pelo telefone 289 414 604 (terça a sexta-feira, das 13h00 às 18h00) ou pelo email cinereservas@cm-loule.pt. Além disso, podem consultar a sua página de facebook – www.facebook.com/cineteatrolouletano ou o seu renovado website http://cineteatro.cm-loule.pt, ambos em permanente atualização.

 

CML/GAP /RP 

 

 

 

Festival de Bandas de Empresas recorda Zé Pedro na data do seu aniversário

primage_24204.png

Falta menos de um mês para o arranque da VI edição do Festival Brands Like Bands, o único Festival de Bandas de Empresas do Mundo. Este ano terá três datas: 13 de outubro, no Porto, 27 de outubro em Lisboa, e uma data extra, 3 de novembro, também em Lisboa.

Em dia de aniversário de José Pedro Reis, mais conhecido como Zé Pedro, o eterno guitarrista dos Xutos & Pontapés, a Organização do Festival lança também o cartaz deste ano, criado, novamente, pela Ivity, recordando, deste modo, a energia positiva e carisma do músico português, que foram fundamentais para o arranque, em 2013, do Festival Brands Like Bands. E no qual Zé Pedro participou desde a sua génese chegando, igualmente, a colaborar com algumas das empresas participantes no Festival.

«O Zé Pedro é alguém que foi sempre atrás dos seus sonhos, fazendo tudo o que estava ao seu alcance para os realizar. E isso podia ser desde tocar com os Rolling Stones ou desenvolver e participar em várias iniciativas, como o Festival Brands Like Bands, onde tiramos da gaveta o sonho de muitos colaboradores de empresas que já não tocavam numa banda há algum tempo e que o passaram a fazer com os seus colegas de trabalho.» - comenta Fernando Gaspar Barros, do Festival Brands Like Bands

A edição este ano contará assim com a presença das bandas das empresas: Cision, CRITICAL Software, Liberty Seguros, Siemens, PLMJ – Sociedade de Advogados, BEE Engineering, Aubay, Schneider Electric, Mercer, AMT-Consulting, Grupo RHmais, Arvato Bertelsmann, Agap2IT, Cofidis, L'Oréal, Bosch Security Systems, Super Bock Group, Nokia e Zurich. Dois projetos musicais, um dos alunos da Escola dos Salesianos, e outro que junta a Universidade Nova de Lisboa e o Instituto Superior Técnico, irão também subir a este palco.

Os bilhetes têm o valor simbólico de 3 euros e todas as receitas de bilheteira reverterão, integralmente, para a Corações com Coroa, presidida por Catarina Furtado.

Pode consultar toda a informação em: www.festivalbrandslikebands.com

 

“Festival Flamenco Casino Estoril” regressa em Setembro com um notável cartaz

Festival Flamenco.jpg

Com um notável elenco, o “Festival Flamenco Casino Estoril” regressa, em Setembro, ao Lounge D. Os visitantes do Casino Estoril poderão acompanhar um ciclo de quatro espectáculos com alguns dos melhores intérpretes de flamenco. A não perder, às Quintas-Feiras, a partir das 22h30. A entrada é livre.

 

 

Oscar de los Reyes será o protagonista da Gala de abertura “Festival Flamenco Casino Estoril”, agendada para 6 de Setembro. Em noite de Grande Gala Baile Flamenco, o bailarino partilha o palco com alguns artistas convidados. Trata-se de um genuíno espectáculo de flamenco que promete surpreender o público no Lounge D. 

 

Sevilhano, começou, com apenas 7 anos, os estudos de baile na academia de José Mancilla y Margarita, no qual passou vários anos. Mais tarde, teve aulas com maestros como Farruco, Antonio Canales, Alejandro Granados, Javier Latorre entre outros. A sua carreira começou a tomar forma nos tablaos flamenco, onde actuou: Los “Gallos”, El “Arenal”, “Casa Patas”, El “Corral de la Pacheca” e El “Cordobés” entre outros.

 

 

Em noite de Tablao FlamencoJacob Guerrero  e o bailarino convidado Dani Torres apresentam-se, a 13 de Setembro, no Lounge D do Casino Estoril, assegurando um espectáculo único e imperdível.

 

Jacob Guerrero é primeiro bailarino da companhia Antonio Gades. No papel que representou de “Carmelo” à base de classe e estética do seu baile, a sua presença em palco foi um acontecimento para a beleza e dança. Dotado de uma técnica refinada mostra uma grande coordenação e entendimento tanto da parte dramática como nas  cenas de baile.

 

 

O ciclo prossegue, a 20 de Setembro, com um novo espectáculo de Tablao Flamenco que será protagonizado, desta vez, por Jesús Herrera. Estarão, ainda, em destaque alguns artistas convidados no palco do Lounge D.

 

Jesús Herrera ganhou, em 2005, o prémio por alegrias no concurso nacional de Baile La Perla de Cádiz e foi finalista no concurso internacional Cante de las Minas nos anos 2006 e 2007. É, ainda, de realçar que alguns anos antes, em 2000, juntou-se à Compañia Andaluza de Danza, com direcção de José Antonio, com a qual participou nos seguintes espectáculos “Latido flamenco”, “Perro andaluz”, “Leyenda” y “Encuentros” com coreografía de Eva “La Yerbabuena”, Alejandro Granados, Rafael Campallo, José Antonio e Isabel Bayón.

 

 

Grande Gala de Encerramento Baile Flamenco está marcada para 27 de Setembro, com Victor Bravo e artistas convidados. Com um assinalável prestigio, Victor Bravo é um artista de flamenco e director de baile do museu de baile flamenco de Sevilha. Actua em companhias de dança clássica e moderna como a de Maria Pagés e Joaquin Cortés.

 

Começou os estudos de dança clássica e flamenca com, apenas, 4 anos na escola superior de dança Matilde Coral. Passou pelo Japão onde começou a sua etapa como coreografo e director. Hoje em dia dirige a sua própria companhia.

 

Programa “Festival Flamenco Casino Estoril”:

- 06 de Setembro: Grande Gala de Abertura Baile Flamenco - Oscar de los Reyes + artistas convidados

- 13 de Setembro: Tablao Flamenco - Jacob Guerrero + Bailaor convidado Dani Torres

- 20 de Setembro: Tablao Flamenco - Jesús Herrera + artistas convidados 

- 27 de Setembro: Grande Gala de Encerramento Baile Flamenco – Victor Bravo + artistas convidados

 

O Lounge D acolhe, de 6 a 27 de Setembro, o “Festival Flamenco Casino Estoril”. Trata-se de uma série quatro espectáculos com alguns dos melhores intérpretes de flamenco. Com entrada livre, às Quintas-Feiras, a partir das 22h30, no Lounge D.

 

Por imperativo legal, o acesso aos espaços do Casino Estoril é reservado a maiores de 18 anos. 

 

 

Festival 'Estes Romanos Estão Loucos', começa hoje e termina no domingo

Festival Estes Romanos Estão Loucos
14-16 setembro, sexta-domingo

O Museu de Lisboa - Teatro Romano sai à rua

f448a2af-fd2e-4d73-b444-e9529ddb3853.jpg

 

 
De 14 a 16 de setembro, o Museu de Lisboa - Teatro Romano convida todos os lisboetas (e curiosos) a melhor conhecerem os seus antepassados olisiponenses. Com múltiplas atividades que se desenvolvem no sítio arqueológico do teatro romano, mas também no museu e nas ruas envolventes, este festival oferece uma nova perspetiva sobre a cidade e sobre a sua história.
Afinal os romanos eram mesmo loucos!

Carregue aqui para abrir o programa

Entrada livre sujeita à lotação. Algumas atividades requerem inscrição e levantamento de bilhete. Informações e reservas: 215 818 530 ou teatroromano@museudelisboa.pt 

Festival Flamenco Lisboa

Festival Flamenco de Lisboa 2018
XI Edição
Apresenta

182f7b38-7a72-4e74-962f-3ae79171c598.jpg

151107b8-7fa1-489f-8d45-e868226ed471.jpg

 

 
24 Out | Tributo a Paco de Lucía
Úrsula y Tamara López | Cia.de Baile
"Bailandote"
 
O conceito do espetáculo, dirigido por Javier Patino, guitarrista de Jerez de la Frontera, em conjunto com Tamara e Úrsula López, demonstra que as novas influências do contemporâneo se sobrepõem à expressão mais “jonda”, dando assim riqueza a cada movimento. Emoção e elegância num espetáculo onde sintetizam o pensamento de Paco de Lucia e das suas raízes, ou pelo menos, deixam em aberto a presença criativa do Maestro Universal.
A sensualidade dos movimentos convidam-nos à transgressão da dança harmonizada, quando pensamos sobre o caminho que Paco de Lucía empreendeu ao romper barreiras musicais, já que não há mensagem sem intenção e as “bailaoras” conseguiram, com o cante de Gema Caballero, lembrar a universalidade do flamenco.
Um espetáculo trabalhado com amor. Úrsula e Tamara, duas irmãs nascidas no baile que vêm a Portugal para também nos recordarem o sangue português do Mestre.


"En Úrsula y Tamara, todo gesto en movimiento se convierte en arte".En ellas se reune la máxima: "solo el arte es capaz de sentir lo intangible y hacer apreciar lo imposible".Manuel Martin. El Mundo.
 
Baile: Úrsula López e Tamara López | Canto: Gema Caballero | Guitarras: Javier Patino e Tino Van der Sman | Percussão: Raul Soto
 

4c5b6667-17ab-4bc1-a194-94851d0e718f.jpg

25 Out | Esther Merino
"Mil y Una Razones"
Experimenta Extremadura Flamenca
 
A cantora de Gévora (Badajoz) é uma das figuras importantes do panorama flamenco atual. Conta com mais de 20 primeiros prémios e recebeu em 2017 o prémio “Melón de Oro” no importante Festival de “Lo Ferro de Múrcia”.
Com “Mil y Una Razones” , além dos cantes “Extremeños” e cantes “Grandes”, apresenta-nos uma aproximação emotiva com a “Canção de Embalar” e “Cantar Alentejano” de Zeca Afonso, com arranjos de Luis Pacheco e Cunha e Amilcar Vasquez.
 
Canto: Esther Merino | Guitarras: Juan Manuel Moreno, Joaquin Muñino | Piano: Amilcar Vasquez | Violino: Luis Pacheco
 

51ed6cf7-e023-4b2a-8b09-42ad0d62f6fd.jpg

 


 
 
26 Out | Maria Juncal. Cia. de baile.
“Emotions”
 
Artista internacional, Maria Juncal conta com prémios e condecorações importantes tais como: “Prémio Nacional de Danza Antonio Gades” do Festival Internacional de Córdoba, primeiro prémio “Desplante” do Festival del Cante de las Minas, Embaixadora do Festival Internacional de “Danza Iberica Contemporânea”, Prémio “Luna” do Auditório Nacional, entre outros. É Coreografa da equipa Nacional de Ginástica Rítmica e professora do Centro de arte flamenco e dança “Amor de Dios” de Madrid.
 
“Emotions” aproxima-nos a uma experiência rica em sensações como a própria vida, uma oportunidade para viver a emoção através da guitarra, do canto e da dança.
Juncal, juntamente com dois virtuosos cantores e uma guitarra, oferece uma jornada de cores e sentimentos – “Martinete”, “Guajiras”, “Alegrías” e “Soleá”, a rota do flamenco vibrará no palco. Maria Juncal mostra-nos o mundo das mulheres, o feminino e a emoção pura.
 
Baile: Maria Juncal | Canto: Carlos Triviño, Jonatan Reys | Guitarra: Basilio Garcia

 
 
19 Outubro | Instituto Cervantes de Lisboa
Entrada Livre

cf485ef2-7355-4616-886e-9037386127e9.jpeg

 

DÚO DEL MAR
"Ritmos de Sabicas"

 
Força e sensibilidade, guitarra flamenca e guitarra clássica. Marta Robles e Ekaterina Záytseva.
 
Marta Robles, sevilhana, é uma das guitarristas destacadas do panorama flamenco atual.
Compositora e fundadora do grupo “Las Migas”, com Silvia Perez Cruz e Isabelle Laudenbach. Licenciada em guitarra clássica pelo Conservatório Superior de Sevilha, “Master Solis Degree” de guitarra flamenca pelo Sweelinck Conservatorium Amsterdam e licenciada em guitarra flamenca na Escola Superior de Música de Catalunha.
Ekaterina Záytseva, nascida em Genebra, é considerada na Europa como uma das grandes solistas de guitarra clássica. Participou em festivais importantes tais como Concurso de Belgrado, Cidade de Torrent em Valência, Conservatório de Moscovo, Filarmónica de San Petersburgo e Palau de la Música de Barcelona, entre outros.

Da união artística das duas solistas e compositoras nasce o trabalho sobre uma das figuras da guitarra flamenca da segunda metade do século XX – SABICAS.
 
Sabicas, 1912-1990. Em 1936 exilia-se no México ao mesmo tempo que Carmen Amaya, a deusa do baile flamenco.Muda-se para Nova Iorque no final dos anos 40, onde desenvolve toda a sua carreira, com 40 discos gravados, um deles com Joe Beck – “Rock Encounte”. Sabicas foi um dos artistas fundamentais para a introdução do Flamenco fora de Espanha.
 

fb5a8cdb-ea98-4e7f-9ddc-4a1a9c3a712f.jpg

 

 
Alfredo Galvão-Lucas
Documentário
“Insólito Flamenco”
Alfredo Galvão-Lucas é um produtor de video, diretor de fotografia e fotógrafo luso-brasileiro radicado em São Paulo, Brasil. É profissional do meio audiovisual há mais de 10 anos, onde grava anúncios, eventos sociais, culturais, desportivos, videos institucionais, videoclips, documentários e curta-metragens. No cinema, fez parte da produção de 6 curta-metragens e 3 mini-documentários, onde desempenhou funções no campo da cinematografia, quer como operador de câmara, quer como diretor de fotografia. Em 2014 estreou-se como realizador na curta-metragem de artes marciais “O Caminho de Washida”. Posteriormente, assinou mais duas obras como realizador/produtor, “In Persona com Miguel Bestard”, mini-documentário sobre o músico de blues uruguaio, e o filme “Insólito Flamenco”, um mini-documentário, dedicado à música flamenca.
 

ebfe7492-d3ca-4e17-bb9f-94301ebab101.jpg

b9e55a60-563a-459e-acc7-af8ead0e59f9.jpg

 

 
 
 
 

FESTIVAL CIOFF® CULTURAS MEDITERRÂNICAS chega a 12 de Setembro ao Parque de Jogos 1º de Maio, em Lisboa

95cee312-275b-4c29-9d01-39b678971c2c.jpg

 

O Festival, que se assume como uma mostra cultural das tradições, usos e costumes dos países do mediterrâneo e de influência mediterrânica, decorre de 12 a 16 de Setembro em Lisboa, no Parque de Jogos 1º de Maio
 

Festival CIOFF® Culturas Mediterrânicas é uma iniciativa do CIOFF® Portugal em parceria estratégica com a Fundação INATEL


O CIOFF® é a entidade mundial que regula os festivais internacional de Folclore no Mundo. Em Portugal tem 52 associados e é presidido pela Fundação Inatel. O CIOFF® Portugal candidatou-se a organizar, no nosso País, um Festival de Culturas Mediterrânicas, candidatura aceite pela organização.

Os destaques da programação anunciada em conferência de imprensa, no passado mês de Maio, vão para atuação de Rabih Abou-Khalil e do fadista português Ricardo Ribeiro, que abrem o festival no dia 12 de Setembro; no dia 13 é tempo de dar as boas vindas ao enérgicos Folk n’ Roll, da Grécia, que vêm animar o público com uma explosiva fusão entre a sonoridade dos balcãs, ska reaggae; Diretamente da Macedónia chegam os Fanfarra Luboyna - nome maior da nova música tradicional macedónica – para uma atuação no dia 14.  No dia 15, um dia antes do fecho do festival, uma das mais belas e representativas vozes da nova geração de fadistas nacionais, Joana Amendoeira, fecha a noite e o ciclo de apresentações de espetáculos de músicas do mundo. Os concertos têm lugar a partir das 21h. O festival continua no dia 16 de Setembro, com uma grande apresentação dos grupos tradicionais e de folclore dos países convidados. 

No âmbito do Festival CIOFF® Culturas Mediterrânicas decorre, em paralelo, a Conferência Internacional  Mediterrâneo: Território dos 5 Sentidos, organizada pelo CRIA – Centro em Rede de Investigação e Antropologia do ISCTEpela FCT (Fundação para a Ciência e Teclonologia) com o apoio da Associação Turismo de Lisboa – a realizar nos dias 12 e 13 de Setembro no ISCTE. A conferência pretende-se um espaço de encontro de especialistas e personalidades da cultura, para debate sobre o presente e o futuro no mediterrâneo e da cultura como promotor da Paz. 

Nos dias 12 e 13 o recinto do festival está aberto das 15h às 23h, no dia 14 das 15h às 24, no dia 15 das 10h às 24h e no dia 16 das 10h às 22h. As atividades não se ficam pelos concertos, durante o dia há oficinas diversas, ciclos de cinema, espetáculos de folclore nacional e internacional, animações de rua, gastronomia, artesanato, exposições, uma zona de restauração e espaço criança com atividades para os mais novos. 

A entrada no recinto e todas as atividades são gratuitas. 
 
Francisco Madelino, Presidente do CIOFF® Portugal, realça os seguintes aspetos deste evento e o porquê do empenho na sua organização:

  1. A afirmação da riqueza etnográfica do nosso País, quer nos seus conteúdos, quer na qualidade do trabalho dos nossos Festivais CIOFF® e dos grupos etnográficos nacionais associados, tendo estes feito uma adaptação impressionante, nos últimos anos, na investigação e no rigor do que representam.
  2. A promoção do diálogo intercultural entre os Povos, sobretudo numa região como Mediterrâneo, que tem sido um espaço milenar de misturas culturais, que nos enriqueceram e fazem, e, sobretudo, que deram à Europa contributos civilizacionais importantes.
  3. Promover espaços de partilha e usufruto, na Cidade de Lisboa e no País, entre gerações. Os países são feitos de raízes culturais ancestrais, mas que se renovam permanentemente, em processos intergeracionais, em que o antigo se renova, numa cadeia de união intemporal.

 
Consulte AQUI a programação completa do festival e AQUI o alinhamento e oradores da Conferência. 

FESTIVAL CIOFF® CULTURAS MEDITERRÂNICAS chega a Lisboa em Setembro | Conheça o Programa

image002.png

Lisboa recebe em 2018 uma mostra cultural das tradições, usos e costumes dos países do mediterrâneo e de influência mediterrânica sob o mote Mediterrâneo: Território dos 5 sentidos

 

Ao todo serão 5 dias de festival, com 2 palcos, 4 concertos de world music, 12 países, 10 grupos internacionais e 32 grupos tradicionais portugueses a ter lugar de 12 a 16 de Setembro, no Parque de Jogos 1º de Maio, em Alvalade.

 

Paralelamente ao festival, tem lugar a Conferência Internacional Mediterrâneo: Território dos 5 Sentidos, organizada pelo CRIA – Centro em Rede de Investigação e Antropologia do ISCTE e com o apoio da Associação Turismo de Lisboa – a realizar nos dias 12 e 13 de Setembro no ISCTE.

 

Do alinhamento do festival fazem parte o projecto do libanês Rabih Abou-Khalil e do fadista português Ricardo Ribeiro; a portuguesa Joana Amendoeira; os Fanfarra Luboyna – a mais relevante e inventiva banda da Macedónia — e os Folk’n Roll — vindos directamente da Grécia. 

Estarão também presentes grupos tradicionais de canto, folclore e etnográficos dos restantes países representados: Bulgária, Croácia, Espanha, França, Grécia, Itália, Portugal, Sérvia, Tunísia e Turquia.

 

A programação completa-se com a realização de dez workshops que vão da dança, ao artesanato, passando pela música – orientados pelos grupos tradicionais convidados; três exposições; um ciclo de cinema, programado pelo Festival Olhares do MediterrâneoCinema no Feminino; mostras de artesanato e gastronomia; um bazar dos 5 sentidos com produtos dos países do Mediterrâneo e uma área de restauração.

Haverá ainda lugar para o Espaço Criança com atividades programadas especialmente para os mais novos. 

 

A entrada no recinto e todas as actividades são gratuitas.

 

O FESTIVAL CIOFF® CULTURAS MEDITERRÂNICAS  é uma iniciativa do CIOFF® Portugal em parceria estratégica com a Fundação Inatel. Assume-se como um espaço de liberdade, promoção das culturas dos países do mediterrâneo e uma celebração das diferenças que simultaneamente as unem e diferenciam, numa reflexão e apelo à paz entre todos os povos.  

O CIOFF®, Conselho Internacional das Organizações de Festivais de Folclore, é uma organização não-governamental, sem fins lucrativos, membro associado da UNESCO desde 2015. Com um elenco de cerca de 93 países com secções nacionais e vários membros associados ou correspondentes, está hoje ativo em mais de 100 países nos 5 continentes. Portugal foi um dos fundadores do CIOFF®, estando a Fundação INATEL associada a esta organização desde 1992 assumindo desde então o seu funcionamento. Desde 2010 o CIOFF® em Portugal constitui-se como Associação, passando a partir dessa data a desempenhar funções de presidência. O CIOFF® Portugal integra a Secção da Europa do Sul do CIOFF® Internacional, contando com um elenco de 10 Festivais com a chancela CIOFF®. 

 

Veja AQUI o vídeo de apresentação.

 

 

14º Ciclo de Cinema LGBTI passa por Loulé

Moonlight.jpg

A sede da Casa da Cultura de Loulé, no Parque Municipal, irá receber o 14º Ciclo de Cinema LGBTI, de 14 a 16 de setembro, com a projeção de 5 películas. O objetivo primordial deste evento é o de sensibilizar a população em geral para a realidade da juventude lésbica, gay, bissexual, trans, intersexo (LGBTI), abordando questões como a homossexualidade, a bissexualidade, a homoparentalidade, questões intersexo, o coming out e as questões trans.

Assim, no dia 14, pelas 21h00, é apresentado “Rip 2 My Youth”, um dos primeiros documentários sobre transexualidade realizados em Portugal e que conta a história real de Isaac dos Santos, um jovem de 20 anos, que passou pelo processo de transição de género.

Segue-se, no dia 15, pelas 14h00, “120 batimentos por minuto”, de Robin Campillo. Tendo como pano de fundo a França do início dos anos 90, retrata a história do ACT UP, grupo francês que, nessa década, ficou conhecido por promover ações não-violentas em defesa da prevenção e do tratamento da SIDA.

“Moonlight”, película galardoada com o Óscar de “Melhor Filme”, do realizador Barry Jenkins, é apresentada às 18h30. Uma história atemporal de relações humanas e autoconhecimento, este drama narra a vida de um jovem afroamericano desde a infância até à vida adulta e a luta dele para encontrar o seu lugar no mundo enquanto cresce num bairro violento de Miami. 

No dia de encerramento do Ciclo, 16 de setembro, às 14h00, é exibido “Carol”, um filme de Todd Haynes com Cate Blanchett como protagonista. Passado nos anos 50, apresenta a história de uma vendedora que se apaixona por uma mulher rica e casada.

Finalmente, às 20h30, será projetado “A três não é demais”, de Jérôme Bonnell. Lille, França. Charlotte (Sophie Verbeeck) e Micha (Félix Moati) estão juntos há quatro anos e o relacionamento dá sinais que está caindo na monotonia. Tanto que, há seis meses, ela mantém um caso com Mélodie (Anaïs Demoustier). Sem desconfiar de algo, Micha sente-se abandonado e, quando surge a oportunidade, tenta algo com Mélodie. Inicialmente receosa, não demora muito para que se entregue ao desejo. Com isso, Mélodie mantém simultaneamente casos tanto com Micha quanto com Charlotte, sem que um saiba da traição do outro. 

Refira-se que a visualização dos filmes será seguida de debates. Todas as sessões têm entrada livre.

Refira-se que a rede ex aequo, através desta iniciativa, contribui, regionalmente, para o fim da invisibilidade e do silêncio para com a diversidade de orientação sexual e de identidade e/ou expressão de género. Este evento da rede ex aequo, que chega a várias localidades, é muitas vezes o único evento do ano onde se fala abertamente, e para o público em geral, sobre estas realidades.

 

CML/GAP /RP 

OUT.FEST - Festival Internacional de Música Exploratória do Barreiro divulga Cartaz completo

5 e 6 de outubro

 

OutFest 2018.jpg

 

Telectu, Kaja Draksler, Burnt Friedman & Mohammad Reza Mortazavi são alguns dos destaques do último lote de onze atuações programadas para o Festival Internacional de Música Exploratória do Barreiro. Uma secção autónoma dedicada ao projecto Unearthing the Music apresenta ainda alguma da música experimental produzida para lá da antiga 'Cortina de Ferro' no leste da Europa. O cartaz da 15ª edição do OUT.FEST – Festival Internacional de Música Exploratória do Barreiro, a decorrer nos dias 5 e 6 de outubro, está completo.

 

Uma edição que traz um festival renovado, concentrado no tempo mas expandido na sua dinâmica, com o centro da cidade a definir um perímetro onde acontecerão 25 concertos protagonizados por criadores portugueses, brasileiros, ingleses, italianos, alemães, finlandeses, eslovenos, lituanos, norte-americanos, iranianos e japoneses, dos 20 aos 80 anos de idade, do jazz ao rock às músicas eletrónicas e a tudo o que se possa imaginar pelo caminho.

A interpretação integral de 'Belzebu', icónico álbum dos revolucionários experimentalistas lusos TELECTU, reeditado no início do ano, é um dos destaques deste último lote de confirmações, tal como o duo do alemão BURNT FRIEDMAN e do percussionista iraniano MOHAMMAD REZA MORTAZAVI e a apresentação a solo da pianista eslovena KAJA DRAKSLER, um dos mais interessantes nomes do novo jazz europeu.

O programa revela ainda um novo lote de valores emergentes de vários quadrantes musicais nacionais composto por OPUS PISTORUM, ODETE, IMPÉRIO PACÍFICO e TODA MATÉRIA, bem como dois concertos after-hours pelo britânico JOHN T. GAST e o luso DJ LYCOX. 

A completar o cartaz o OUT.FEST apresenta uma secção autónoma dedicada ao projecto 'Unearthing the Music', iniciativa da OUT.RA – Associação Cultural cofinanciada pelo programa Europa Criativa da União Europeia que investiga e divulga as várias músicas experimentais criadas nos regimes não-democráticos na Europa da segunda metade do séc.XX. O artista multidisciplinar finlandês ANTON NIKKILÄ, que apresenta uma instalação multimédia inspirada nos fundamentos do vanguardismo soviético, e o septuagenário músico de jazz lituano VLADIMIR TARASOV, que protagoniza um solo de percussão, são as propostas escolhidas neste âmbito.

Encontram-se já à venda passes globais (ao preço de 20€) e bilhetes diários (10€ para dia 5 e 15€ para dia 6) via BOL e locais habituais.

Todas as informações sobre o programa, horários e bilhetes podem ser encontradas no site www.outfest.pt

Fonte: OUT.RA – Associação Cultural