Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Grândola - Comemorações do Dia Mundial da Criança

Festa_da_criança_Cartaz-01.png

O Município de Grândola assinala o Dia Mundial da Criança a 1 de Junho com a Festa da Criança que decorre entre as 16h00 e as 19h00 no Jardim 1º de Maio, o maior e mais emblemático espaço verde da Vila Morena.

 

Para colorir com muita diversão e animação  neste dia especial haverá Insufláveis, música com  DJ e efeitos especiais de palco,  animadores, pinturas faciais, exposição de Tsurus,  e ofertas para os mais pequenos, assim como  diversos ateliers a nível cultural e desportivo, promovidos por vários serviços do Município e pelo movimento associativo.

 

Os ateliês são desenvolvidos por técnicos da Biblioteca e Arquivo Municipal, Património e Museu Municipal, projeto Em Raizes’artes, Desporto, Juventude, Educação e CPCJ – Comissão de Proteção de Crianças e Jovens, e pelas entidades do movimento associativo AISGRA - Creche Era uma Vez, Ludoteca, Box Gandolativa, CAB - Clube Amigos do Basquete, Clube Recreativo o Grandolense e Associação Pais em Rede.

Encontro da Canção de Protesto de 2022: Sessão de cinema documental Não Apaguem os Nossos Rastos! — Dominique Grange, Uma Cantora de Protesto, de Pedro Fidalgo

2.jpg

Encontro da Canção de Protesto de 2022: Sessão de cinema documental Não Apaguem os Nossos Rastos! — Dominique Grange, Uma Cantora de Protesto, de Pedro Fidalgo

Entre os dias 16 e 18 de setembro de 2022 irá realizar-se em Grândola, no âmbito da atividade do Observatório da Canção de Protesto*, uma nova edição do Encontro da Canção de Protesto**.

De entre as iniciativas previstas, destacam-se desde já a apresentação da peça de cinema documental da autoria de Pedro Fidalgo designada N'Effacez Pas Nos Traces ! — Dominique Grange, Une Chanteuse Engagée (Não Apaguem os Nossos Rastos! — Dominique Grange, Uma Cantora de Protesto), dedicada à cantora, voz do maio de 68, activista, escritora e guionista de banda desenhada, Dominique Grange, a realização de uma sessão testemunhal em que irão participar Pedro Fidalgo, Dominique Grange e o ilustrador Jacques Tardi, e a participação de Dominique Grange na sessão de canto livre que o Observatório da Canção de Protesto produz anualmente.  

O documentário supramencionado será estreado em Portugal em 12 de maio de 2022, no Cinema City Alvalade***, e terá, nesse e nos dias que sucedem, sessões de testemunho associadas. Numa dessas sessões, em 13 de maio, irão participar elementos em representação do Observatório da Canção de Protesto.

*
O Observatório da Canção de Protesto (OCP) é um organismo resultante da parceria entre o Município de Grândola, entidade promotora, a Associação José Afonso, a Sociedade Musical Fraternidade Operária Grandolense, e os institutos da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa Centro de Estudos de Sociologia e Estética Musical (CESEM), Instituto de Etnomusicologia - Centro de Estudos em Música e Dança (INET-md), e Instituto de História Contemporânea (IHC). Os seus objectivos são o estudo, a salvaguarda e a divulgação do património musical tangível e intangível da canção de protesto produzido durante os séculos XX e XXI, através da realização de iniciativas culturais diversas.

 

Para saber mais sobre esta iniciativa, consultem-se os seguintes sítios em rede:

- 2019 (https://www.rtp.pt/antena1/concertos/encontro-da-cancao-de-protesto_10904)

- 2020 (https://www.rtp.pt/antena1/concertos/encontro-da-cancao-de-protesto_11263 )

- 2021 (https://www.rtp.pt/antena1/concertos/encontro-da-cancao-de-protesto-de-2021-_11502 )

 

***

Texto produzido pelo realizador:

Estreia a 12 de Maio no Cinema City Alvalade o novo filme do realizador português Pedro Fidalgo intitulado N'EFFACEZ PAS NOS TRACES ! Dominique Grange, uma cantora de protesto.

O realizador continua a filmar a História através da canção de protesto, no seguimento do filme Mudar de Vida, José Mário Branco, vida e obra(2014), co-realizado com Nelson Guerreiro. O realizador escolheu desta vez Dominique Grange, também ela cantora de intervenção, porque as suas canções transportam os rastos do Maio de 68 até aos nossos dias. O filme conta com a participação do consagrado desenhador de banda desenhada Tardi que ilustra e dá voz ao filme..

NÃO APAGUEM OS NOSSOS RASTOS! (em português) debruça-se também sobre as recentes lutas em França. O filme insere-se na atualidade, pois Dominique Grange define o seu trabalho como um «compromisso perpétuo». O slogan de 1968 « Isto é só o início, continuemos a luta! » repercute tanto nela como em nós. Foi neste estado de espírito que Pedro Fidalgo filmou e acompanhou o movimento social em França dos últimos anos. Estes arquivos do presente entrecruzam-se e misturam-se com imagens e canções de Dominique Grange, mas também com desenhos de Tardi. O filme realça as lutas do passado e recheia-as com o real do presente.

Um filme para ver e ouvir num espírito libertário. N'EFFACEZ PAS NOS TRACES ! é uma obra militante ao mesmo tempo um documentário cinematográfico filmado e produzido através de 'crowdfunding', com uma das pessoas a contribuir para este filme a ser Jean-Luc Godard. Haverá sessões comentadas em presença do realizador e convidados surpresa nos dias 12, 13 e 14.

 

MAIO MADURO MAIO EM LISBOA

Dia 11 de Maio - 18H30 - Quarta-feira - Núcleo da AJA de Lisboa

MUDAR DE VIDA, José Mário Branco, vida e obra

em presença dos realizadores Nelson Guerreiro e Pedro Fidalgo

 

Estreia - Dia 12 de Maio - 19H00 - Quinta-feira - Cinema City Alvalade

N'EFFACEZ PAS NOS TRACES, Dominique Grange, uma cantora de protesto

Debate: Filmar a canção de protesto

Sessão comentada em presença do realizador Pedro Fidalgo e de Nelson Guerreiro, co-realizador de Mudar de Vida, José Mário Branco, vida e obra

 

Dia 13 de Maio - 19H00 - Sexta-feira - Cinema City Alvalade

N'EFFACEZ PAS NOS TRACES, Dominique Grange, uma cantora de protesto

Debate : A influência do Maio de 68 na canção de protesto em Portugal

Sessão comentada em presença do realizador Pedro Fidalgo e de Hugo Castro e Ricardo Andrade, membros do Instituto de Etnomusicologia - Centro de Estudos em Música e Dança e do Observatório da Canção de Protesto.

 

Dia 14 - 18 de Maio - Cinema City Alvalade

N'EFFACEZ PAS NOS TRACES, Dominique Grange, uma cantora de protesto

Sessão diária.

E caso se mobilizem as massas...  a luta pode continuar mais dias!

Informações e contactos:

Núcleo AJA Lisboa - Associação José Afonso

Rua de São Bento, 170

1200-821 Lisboa

Tel: +351 21 131 82 90

ajalisboa.nucleo@gmail.com

Cinema City Alvalade

Av. De Roma, 100

1700-352 Lisboa

Contactos +351 214 221 030 | Ext. 4 // alvalade@cinemacity.pt

Lotação 4 Salas // 389 lugares

Trailer👇  - Legendado em português

https://www.youtube.com/watch?v=QUgzubyy5LY

 

Mais informações sobre o filme 👇

https://www.kinomargem.net/team-3

 

Grândola recebe Concerto Evocativo Dedicado à Obra Poética e Musical de José Afonso

pato-1.jpg

O Município de Grândola irá acolher dia 17 de Maio, às 21 h 30, no Cineteatro Grandolense, um concerto evocativo do dia em que as histórias de Grândola e de José Afonso se cruzaram pela primeira vez, em 1964, protagonizado por António Ataíde, Bruno Costa, Nuno Miguel Botelho, e Rui Pato, músico que acompanhou José Afonso durante a década de sessenta.

 

Dedicado à profusa obra poética e musical de José Afonso, o repertório incidirá sobre o Fado de Coimbra, a Canção de Coimbra e a sua reconfiguração; a balada e as canções consideradas precursoras do movimento da canção de protesto em Portugal; outras canções da autoria de José Afonso que integram o movimento referido e se constituem, também, como instrumentos de denúncia e contestação.

*a entrada é gratuita

Dino D'Santiago e Golosa La Orquestra na noite de 24 de Abril em Grândola

cartaz-24 de abril.png

No ano em que voltamos a comemorar na rua a “Liberdade, Incondicional” conquistada em Abril de 74, e reafirmando a ligação da Grândola Vila Morena aos valores essenciais da liberdade, democracia e fraternidade, a Festa da Liberdade comemorativa dos 48 anos da revolução dos cravos realiza-se no centro da vila, em vários espaços, com duas apostas fortes do Município de Grândola para a noite de 24 de Abril: os espetáculos com Dino D’Santiago e Golosa La Orquestra, uma banda Chilena.

 

Pela primeira vez em Grândola, Dino D’Santiago sobe ao palco situado no espaço exterior do Complexo Desportivo Municipal José Afonso às 22h30, para um espetáculo caloroso, onde os ritmos de Cabo Verde se fundem com a eletrónica, em temas como “Kriolu”, “Lokura” ou o recente  “Esquinas”.

 

Em estreia absoluta na Vila Morena, Golosa La Orquestra, uma banda internacional oriunda do Chile, sobe ao palco situado no Jardim 1º de Maio, às 00h30, para um concerto com uma performance enérgica de ritmos quentes e onde a interação direta com o publico será uma constante. O som da banda funde vários ritmos latino-americanos com a força do Rock e a liberdade do Jazz.

 

A Festa da Liberdade começa às 20h15 com animação de rua com o Grupeto do Coreto, a tradicional Corrida da Liberdade, a arruada da banda da SMFOG e o espectáculo de fogo de artifício piromusical às 00h20.

 

Para consultar o programa completo das Comemorações do 25 de Abril: https://www.cm-grandola.pt/noticia-73/grandola-comemora-48-anos-de-liberdade-com-mais-de-trinta-iniciativas-de-entrada-livre ou  https://www.cm-grandola.pt/autarquia/comunicacao-e-imagem/agenda-proximos-eventos/evento/abril-em-grandola-vila-morena-a-liberdade-incondicional-programacao-geral

Grândola Comemora 48 anos de Liberdade com mais de trinta iniciativas de entrada livre

image003 (1).png

A revolução de Abril é assinalada na Terra da Fraternidade, até ao final do mês, com um vasto programa comemorativo que inclui concertos, exposições, espetáculos, cinema, a iniciativa “Abril Flores Mil” e atividades em todas as freguesias do concelho.

As comemorações começam no dia 1 com a inauguração, no Jardim 1º de Maio, da exposição «O 25 de Abril ao Ar Livre», produzida pela Casa da Achada – Centro Mário Dionisio, dedicada às transformações mais significativas que o 25 de abril de 1974 originou, segundo um texto da autoria de João Martins Pereira.

Destaques do programa comemorativo dos 48 anos da revolução dos cravos:

Iniciativas programadas na Biblioteca e Arquivo do Município de Grândola: no dia 2, a abertura de duas Exposições comemorativas do centenário do nascimento de Artur Pastor, que vai contar com a atuação do Grupo Cramol com canções regionais e canto tradicional de mulheres;  no dia 23, as Comemorações do 1º aniversário da Biblioteca e Arquivo e do Dia Mundial do Livro;

O Cine Granadeiro recebe no dia 16 a apresentação de “Dentro de ti Ó Cidade”, um projeto multiartístico que inclui dança, música e poesia, e no dia 22, o espetáculo “Cantar Abril “– Canta Ary dos Santos.

O Cineteatro Grandolense volta a receber o Ciclo de Cinema “Abril Documental” com a exibição de “Para Sama”, “Santiago Itália”, “Uma Vida Alemã e “Mais um Dia de Vida”.

“Abril Flores Mil” volta à mesa dos restaurantes do concelho tendo como principal elemento as flores comestíveis, na área da cozinha criativa.

 

Comemorar Abril na Rua

Em Grândola, Vila Morena, o momento mais emblemático será sempre a noite de 24 de Abril, este ano com um sabor especial ao voltarmos a comemorar na Rua a noite da Liberdade.

Dino D’ Santiago e Golosa La Orquestra, uma banda internacional oriunda do Chile, são a aposta do Município de Grândola para os grandes concertos da noite. Mas a Festa da Liberdade começa às 20h15, no espaço exterior ao Complexo Municipal José Afonso, com animação do Grupeto do Coreto, a Corrida da Liberdade, a Arruada da Banda da SMFOG e o espetáculo de fogo de artifício piromusical.

O dia 25 é todos os anos comemorado com um simbolismo especial na terra que é indissociável da revolução de abril de 1974 e dos seus valores de democracia, fraternidade, igualdade, e que dá nome à canção que é um hino mundial de liberdade e resistência à opressão.

Às 11h00, nos Paços do Concelho, decorrerá  a cerimónia do Hastear da Bandeira, seguido da Sessão Comemorativa dos 48 anos do 25 de Abril.  À tarde, a festa regressa ao Jardim 1º de Maio com a atuação de grupos de música tradicional do concelho.

Biblioteca e Arquivo do Município de Grândola comemora 1.º aniversário e Dia Mundial do Livro

cartaz-aniversário-v2.png

Apesar do adiamento de algumas iniciativas que integravam o programa de comemorações do 1.º aniversário da BAMG e do Dia Mundial do Livro, decorrente das condições meteorológicas previstas para o dia 23 de abril de 2022, o próximo sábado é dia de festa e de celebrar a Cultura!

Entre as 10h00 e as 19h00 celebre connosco a leitura, os livros, os documentos, os filmes e os autores. Visite as exposições de Fotografia «Artur Pastor – Um Certo Portugal», de Artur Pastor, e de Ilustração «As Mulheres de Artur Pastor», de Marta Nunes, patentes na sala polivalente e sala de exposições, respetivamente.

 

«O Rei Vai Nu», espetáculo de teatro para a infância, agendado para as 11h00, é produzido e realizado pela Biblioteca Municipal com base na história de Hans Christian Andersen.

Entre as 14h00 e as 15h30 decorre uma Oficina de Escrita e Ilustração com base nas fotografias de Artur Pastor e nas ilustrações de Marta Nunes.

 

A sessão de apresentação do livro «Biblioteca e Arquivo do Município de Grândola» realizar-se-á às 16h00, por Carlos Machado e Moura e Francisco Aires Mateus, com a presença dos autores do projeto, Pedro Matos Gameiro e Pedro Domingos.

 

O edifício da Biblioteca e Arquivo do Município de Grândola foi recentemente distinguido no Prémio Nacional do Imobiliário 2022, com uma menção honrosa na categoria de Empreendimentos Colectivos. Neste momento, é finalista na categoria Ciudad y Paisaje na 64.ª edição dos Prémios FAD 2022 – Arquitetura e Interiores, um dos galardões mais antigos na Europa e um dos mais prestigiados na Península Ibérica.

 

A Biblioteca e Arquivo do Município de Grândola pode ser visitada no seguinte horário:

Segunda a sexta-feira: 09h30 | 19h00

Sábado: 10h00 | 13h00

Cravo Humano - Em Grândola, a liberdade de criar

Web @ CravoHumano_Prancheta 1.png

“Vamos criar um Cravo Humano!” É o desafio proposto a toda a população! Junte os seus conhecidos, amigos e família e participe nesta iniciativa.

 

O Município de Grândola em parceria com a Cercigrândola e a Associação Pais em Rede - Núcleo de Grândola tem como objetivo dar vida ao cravo do Memorial ao 25 de Abril.

Dia 24 de abril, pelas 10h00, na Praça da Liberdade — todos juntos pela igualdade, fraternidade e solidariedade.

Esta iniciativa, inserida nas Comemorações dos 48 anos do 25 de Abril, visa proporcionar uma experiência única aos jovens portadores de deficiência e as suas famílias, bem como a todas as pessoas que se queiram juntar a este propósito! Vamos criar o maior Cravo Humano?

 

Inscrições até ao dia 23 de abril através de email - gab.jovem@cm-grandola.pt, telefone - 269 450 083 ou no Estúdio Jovem (Complexo Desportivo Municipal José Afonso) e no local da atividade no próprio dia.

Grândola inaugura as exposições «Artur Pastor: Um Certo Portugal" e «As Mulheres de Artur Pastor»

image003.png

Inseridas nas comemorações do 48.º aniversário do 25 de Abril, e no ano em que se comemora o centenário do nascimento do fotógrafo, a Biblioteca e Arquivo do Município de Grândola abre ao público, no dia 2 de abril, às 17h00, as exposições “Artur Pastor: Um Certo Portugal” (que contará com a participação de Artur Costa Pastor), e “As Mulheres de Artur Pastor”, da ilustradora Marta Nunes. Estarão patentes ao público na sala polivalente e na sala de exposições, respetivamente.

 

Nascido em 1922, em Alter do Chão, Artur Pastor descobriu o fascínio pela fotografia quando resolveu ilustrar a tese final do seu curso de regente agrícola com imagens captadas por si. A partir desse momento nunca mais deixou de fotografar e a sua vida profissional foi para sempre marcada por aquela arte. Durante cerca de trinta anos trabalhou na Direção-Geral dos Serviços Agrícolas, em Lisboa, onde foi responsável pela produção e organização das mais de 10 000 fotos que compõem a sua Fototeca. A sua profissão permitiu-lhe percorrer o país de lés a lés, captando imagens que se tornaram o testemunho de um Portugal multifacetado, retratando desde as atividades agrícolas às piscatórias, e desde o património construído aos costumes das nossas gentes. Participou em exposições oficiais, feiras e salões de fotografia, dentro e fora do País, e colaborou em inúmeras publicações fotográficas nacionais e estrangeiras.

Finalmente consagrado como um dos maiores fotógrafos portugueses do século XX, hoje em dia as suas imagens servem de inspiração para o trabalho de muitos jovens artistas, como pintores, ilustradores e músicos.

 

Marta Nunes nasceu na primavera de 1984, em Lousada. Formada em Arquitetura pela Universidade da Beira Interior, foi ainda durante o curso que executou os primeiros trabalhos de ilustração para publicações. Desde 2010, participou em exposições coletivas e individuais, mas foi a partir de 2019 que a ilustração se tornou a sua principal atividade. O interesse pela tradição e cultura portuguesas marcam alguns dos seus trabalhos. As expressões, as pessoas e os ofícios tradicionais são o que mais a inspira na construção de narrativas, assim como os objetos do quotidiano e a poética dos dias úteis. Fascinada pela obra de Artur Pastor, resolveu “pegar nesses rostos anónimos, cheios de tenacidade, de mulheres que foram motores de trabalho no campo, nas indústrias e em casa e criar esta série”.

 

Às 18h00, atua o grupo vocal feminino Cramol, fundado em 1979 no concelho de Oeiras, um dos grupos da Biblioteca Operária Oeirense. Embora funcionando de modo autónomo, o coro foi formado no seguimento de uma oficina de canto tradicional promovida por Domingos Morais e ministrada por Rui Vaz. O seu repertório, que se baseia no canto tradicional de mulheres, foi constituído por meio das recolhas etno-musicais de Michel Giacometti e Fernando Lopes-Graça – que resultaram na publicação de Antologia da Música Regional Portuguesa Cancioneiro Popular Português –, de outros cancioneiros, designadamente de Cinfães, Lafões, Arouca e Resende, do arquivo do músico e etnomusicólogo Vergílio Pereira, e de pesquisas próprias. Este repertório compreende o quotidiano das populações rurais, em particular das mulheres: as canções de embalar, trabalho, nomeadamente na ceifa e no linho, religiosidade, amor e sensualidade. O coro, que foi anteriormente dirigido por Rui Vaz e Luís Pedro Faro, tem atualmente Eduardo Paes Mamede como diretor artístico.

 

Aa exposições, que poderão ser visitadas até ao dia 14 de maio, são organizadas pelo Município de Grândola, tendo a exposição “Artur Pastor: Um Certo Portugal” o apoio da Câmara Municipal de Lisboa e do Arquivo Municipal de Lisboa.

Dino D'Santiago e Golosa La Orquestra na noite de 24 de Abril em Grândola

Abril em Grândola, Vila Morena

A Liberdade, Incondicional

 

cartaz-facebook-25Abril22-03.png

 

 

No ano em que voltamos a comemorar na rua a “Liberdade, Incondicional” conquistada em Abril de 74, e reafirmando a ligação da Grândola Vila Morena aos valores essenciais da liberdade, democracia e fraternidade, a Festa da Liberdade comemorativa dos 48 anos da revolução dos cravos realiza-se no centro da vila, em vários espaços, com duas apostas fortes do Município de Grândola para a noite de 24 de Abril: os espetáculos com Dino D’Santiago e Golosa La Orquestra, uma banda Chilena.

 

Pela primeira vez em Grândola, Dino D’Santiago sobe ao palco situado no espaço exterior do Complexo Desportivo Municipal José Afonso às 22h30, para um espetáculo caloroso, onde os ritmos de Cabo Verde se fundem com a eletrónica, em temas como “Kriolu”, “Lokura”, “Esquinas” ou o recente “Voei de Mim”.

Já pisou palcos de grandes festivais, como Super Bock Super Rock, NOS Primavera Sound, Med ou o FMM – Festival Músicas do Mundo. Este ano já está anunciada a sua presença no NOS Alive e no Coliseu dos Recreios.

“Kriola” foi considerado um dos melhores álbuns por meios como o Público, Time Out ou Blitz e a nível internacional pela conceituada Rolling Stone.

Dino D’Santiago já foi distinguido com os prémios Play de melhor álbum, melhor artista masculino e prémio da critica.

Em estreia absoluta na Vila Morena, Golosa La Orquestra, uma banda internacional oriunda do Chile, sobe ao palco situado no Jardim 1º de Maio, às 00h30, para um concerto com uma performance enérgica de ritmos quentes e onde a interação direta com o publico será uma constante. O som da banda funde vários ritmos latino-americanos com a força do Rock e a liberdade do Jazz. São nove anos de experiência, com três álbuns e três digressões pela Europa, que se traduzem em mais de 70 concertos. Golosa, La Orquestra esteve nomeada para os Prémios Pulsar no Chile, com o álbum “Sobre La Ciudad” que conta com a colaboração do cantor e compositor argentino Kevin Johansen.

A Festa da Liberdade começa às 20h15 com animação de rua com o Grupeto do Coreto, a tradicional Corrida da Liberdade, a arruada da banda da SMFOG e o espectáculo de fogo de artifício piromusical às 00h20.

As Comemorações da Revolução de Abril na Vila Morena vão decorrer ao longo de todo o mês. O programa preparado pelo Município de Grândola em parceria com as Juntas de Freguesia e o movimento Associativo será divulgado em breve.

 

Grândola, Vila Jazz apresenta o segundo espetáculo dia 25 de março

“Just in Trio Quarteto”, projeto constituído por Marta Garret na voz, Bruno Santos na Guitarra, Romeu Tristão no Contrabaixo e André Sousa machado na bateria, são os convidados para o segundo espetáculo do Grândola, Vila Jazz – temporada 2022, agendado para o próximo dia 25 de março,  às 21h30 no Cineteatro Grandolense.

 

Este ciclo de concertos, cujo nome faz a analogia entre o titulo do poema, que se tornou senha da revolução de 25 de abril de 1974 – Grândola, vila morena – e este estilo musical, pretende diversificar e aumentar o número de concertos de jazz, tornando a Vila de Grândola num dos locais de referência do jazz em Portugal.

jazzMarco.jpg

 

“Grândola, vila jazz” nasce este ano, no âmbito da parceria entre a Sociedade Musical Fraternidade Operária Grandolense (SMFOG-Música Velha) e o Município de Grândola, para a dinamização do Cineteatro Grandolense através da realização de concertos de Jazz, que remonta a 2014.

 

O programa completo da temporada 2022 do “Grândola, vila jazz” será divulgado em breve, através de um evento de apresentação da temporada organizado pela SMFOG-Música Velha e Município de Grândola, que contará ainda com presença de músicos e do curador da temporada.