Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

RITA REDSHOES E BRUNO SANTOS EM CONCERTO NO CINETEATRO GRANDOLENSE EM GRÂNDOLA

Rita Redshoes e Bruno Santos.jpg

 

Rita Redshoes estará em Grândola a convite de Bruno Santos para um espectáculo a ter lugar dia 7 de Fevereiro, às 21h30, no Cineteatro Grandolense.

 

Rita Redshoes é considerada como uma das mais reconhecidas compositoras e intérpretes da sua geração, multi-instrumentista, com diversos álbuns editados.
Bruno Santos é um reconhecido guitarrista madeirense e professor, que actua regularmente em festivais e salas de concerto por todo o país e estrangeiro.

 

No espectáculo, Rita Redshoes vai cantar músicas originais, passando pelos vários discos editados ao longo da última década.
A particularidade do duo reside na abordagem jazzística sobre repertório essencialmente pop, mas com uma passagem por alguns clássicos do jazz e outras surpresas.
O resultado é um concerto intimista e emotivo onde a guitarra e a voz se encontram, e as melodias pairam sobre novas harmonias e cores.

 

Reservas de bilhete: smfog@sapo.pt /  269 440 214
As receitas deste concerto revertem integralmente para a aquisição de um novo trombone para a Banda Filarmónica da SMFOG - Música Velha.

 

O espectáculo é organizado pela SMFOG – Música Velha com o apoio do Município de Grândola.

QUINTETO MARIA JOÃO FURA DÁ CONCERTO EM GRÂNDOLA

CartazConcertoMJFura_Prancheta 1.png

 

O Cineteatro Grandolense recebe dia 25 de Janeiro, às 21h30, o concerto com o Quinteto Maria João Fura, num espectáculo que será uma viagem entre a Bossa-Nova, o Pop-Eletroacústico, o Cool Jazz e a World Music. A Entrada é gratuita.

A cantora e compositora irá apresentar em quinteto o disco FURA, recheado de belas canções em português, todas de sua autoria.

Numa sonoridade multifacetada, as contagiantes melodias tecidas por vários estados de alma, desenvolvem-se numa ambiência que viaja entre a Bossa-Nova, o Pop - Eletroacústico, o Cool Jazz e a World Music, gerando um clima de festa com forte participação do público.

Se a maioria das vezes as canções parecem ter voz de mulher, podem também transfigurar-se em pele de qualquer um ao abordar o quotidiano atual com ironia.

A sua autenticidade tem merecido o reconhecimento do público em concertos em Portugal e no Brasil e do meio musical, com a seleção de duas canções (Serei Feliz por Acaso e Mais Um Gole) para os prémios Zeca Afonso e Ary dos Santos. FURA tem também o reconhecimento do meio cinematográfico com a integração da canção "Fui Eu" na curta metragem francesa "La Loi Sana Moi" de 2019.

Exposição Grândola, vila morena patente ao público no Cineteatro Grandolense

Exposição - Grândola Vila Morena.JPG.png

 

O Município de Grândola organizou uma exposição que relata a história de um encontro que se fez poema, canção e Liberdade. Esta exposição é constituída por vinte e uma molduras com as dimensões de 50X70 cm e foi concebida a pensar em futuros projetos de itinerância. Assim, tal como a canção que a motivou, que há muito encetou a sua viagem, ultrapassando fronteiras e alcançando a intemporalidade, também esta mostra pretende viajar, contribuindo para a construção de um mundo mais inclusivo, justo e fraterno.

A exposição  percorre diverso conteúdo documental, com imagens e textos cronologicamente fixados, dedicados ao percurso de Grândola, vila morena desde aquele maio, maduro maio, de 1964 em que as histórias de José Afonso e da terra da fraternidade se cruzaram, até àquele 25 de Abril em que tudo, finalmente, pareceu possível.

A exposição encontra-se no Cineteatro Grandolense e pode ser visitada mediante marcação prévia via telefónica (269448036/269450065 ) ou através de correio electrónico (isabelrevez@cm-grandola.pt / jose.abreu@cm-grandola.pt)

2.º edição Sobr’Arte - Concurso de Obras Escultóricas - Entre a serra e mar é o tema escolhido

Sobr'Arte.jpg.png

 

 

No âmbito do projeto de educação não formal, EnRaiz’Artes que o Município de Grândola está a desenvolver desde 2018, irá realizar-se, em março, a 2.ª edição do Sobrarte – Concurso de Obras Escultóricas com o tema “entre a serra e o mar”.


A competição não tem limite de idade, nem de criatividade. Os trabalhos apresentados devem, obrigatoriamente, ser realizados com material proveniente do sobreiro tais como a cortiça, raiz, madeira, fruto ou folhas, e material reciclável. Sejam elas obras individuais ou colectivas, podem concorrer naturais ou residentes no concelho de Grândola.


As obras deverão ser entregues no dia 9 de março, na Casa Mostra de Produtos Endógenos, entre as 14h e as 19h. Serão premiados os três melhores trabalhos por cada grupo etário: o 1.º grupo de idade inferior aos 6 anos, o 2.º grupo dos 6 aos 12 anos, o 3.º grupo dos 13 aos 17anos e o 4.ºgrupo a partir dos 18 anos.

 

De 13 a 22 de março será possível ficar a conhecer todos os trabalhos escultóricos a concurso, na Casa Mostra de Produtos Endógenos. 

"Natal em Grândola" com programa para toda a família

ConcertosNatal '19-01.png

ProgramaGeral Natal '19-02.png

 

Mercadinho, animação de rua, concertos, animação infantil, workshops e cinema são destaques do programa “Natal em Grândola” promovido pelo Município de Grândola que irá decorrer até 5 de janeiro em todo o concelho com o objectivo de dinamizar com magia e diversão esta quadra Natalícia.

 

A envolver todas as iniciativas, as luzes de Natal já iluminam com muita cor a vila morena. Este ano são cerca de 150 mil lâmpadas led que dão luz a peças decorativas de grande dimensão, colocadas em espaços públicos emblemáticos e centrais: a estrela de natal instalada  na rotunda, a árvore de natal com 15 metros de altura, a bola gigante de natal no Jardim 1º de Maio, e as iluminações no Coreto e no edifício dos Paços do Concelho.

 

O tradicional Mercadinho de Natal já abriu portas ao público na Rua Dr. Jacinto Nunes e oferece uma vasta oferta de artesanato e produtos regionais. Funciona de segunda a sábado.

 

O Largo São Sebastião, no centro tradicional da vila, tem em permanência uma instalação natalícia pelo agrupamento de escolas de Grândola. O mesmo espaço, recebe já este sábado, dia 7, entre as 10h e as 13h, a iniciativa “Natal à Mesa” com degustação e venda de iguarias tradicionais de natal. Na mesma manhã, em vários pontos do comércio local há música ao vivo com o Grupo Coral e Instrumental do Núcleo dos Amigos do Concelho de Barrancos.

 

No dia 14, no Largo São Sebastião, a partir das 10h, há mostra e venda de produtos regionais pelo movimento associativo e produtores locais e em vários pontos do comércio local haverá música ao vivo pelo Ensemble da SMFOG.

 

O “Natal em Grândola” foi pensado nas famílias e em particular nas crianças. O dia 21 de dezembro é dedicado aos mais novos com a grande festa “Aqui há Natal” que decorre a partir das 14h45 no Largo São Sebastião e zona envolvente com várias atividades: Parada de Natal, “A Família Natal” pelo ao Luar Teatro, Saltimbancos, Grupos de Dança, Gigantones e Pinhata, Canhão de Neve e Insufláveis, Glutões Doces e os ateliers de Pinturas Faciais da Associação Pattel e da Biblioteca Municipal.

 

O cinema para as crianças está agendado para dia 14 de dezembro, com a exibição às 15h, no Cine Granadeiro, do filme Frozen 2 – O Reino do Gelo.

 

A música é outro dos destaques do programa de Natal. Os concertos de Natal vão realizar-se em todas as freguesias do concelho, com espectáculos no Cine Granadeiro, Igreja Matriz de Grândola, Igreja de S. Jorge, no Lousal, Igreja Matriz S. Pedro de Melides, Igreja Matriz de Azinheira dos Barros, Pavilhão Polivalente do Carvalhal e na Igreja de Santa Margarida da Serra.

 

Grândola - Intervenção Artística de THE CAVER em destaque na 6ª edição do Arte na Rua

Cartaz ArteRua '19 JG-01.jpg

 

THE CAVER irá desenvolver uma intervenção artística na totalidade da fachada lateral do Pavilhão do Parque Desportivo Municipal, no âmbito da 6º edição do Arte na Rua, projecto da Câmara Municipal que tem como objectivo criar um circuito de Arte Urbana em Grândola.

 

A Vila Morena apresenta até ao momento  obras de Street Art da autoria de Smile1 Art – Ivo Santos  (Pintura Mural com 31mx2m inspirado na Revolução dos Cravos),  João Samina (Pintura  Mural a António Inácio da Cruz  com 32 m2 executada num posto de transformação da EDP) e STYLER – João Cavalheiro (Intervenção em grafitti com 11,5m x 5,6 m na fachada sul do Complexo Desportivo Municipal José Afonso e  junto aos Paços do Concelho, uma intervenção artística de homenagem a Jacinto Nunes)

 

Os diversos desportos praticados no concelho são a inspiração para este projeto artístico que vai ser desenvolvido por THE CAVER entre 28 de outubro e 2 de novembro.

 

Natural de Lisboa (1983), THECAVER é um artista principalmente de rua, mas que tem trazido também o seu trabalho para galerias.

O seu background é o graffiti tradicional que começou a fazer regularmente nas ruas desde 1998, mas hoje em dia podemos ver o seu trabalho evoluído e refinado em grandes fachadas e murais de bastantes cidades.
O seu trabalho é bastante caracterizado pela utilização de formas simples mas bastante fortes, aliadas a uma harmoniosa composição de cores e um conteúdo muitas vezes enigmático.

48 Horas Automóveis Antigos ao Alentejo chega a Grândola dia 3 de Novembro com exibição dos clássicos às 10h no Largo Catarina Eufémia

cartaz48horasalentejo.jpg

 

 

A vigésima quarta edição do 48 Horas Alentejo, o mítico evento alentejano de automóveis clássicos, regressa cheio de novidades entre 1 e 3 de novembro.

 

Na sua edição de 2019, este rali de regularidade histórico, organizado pelo Portugal Classic em conjunto com o Clube Português de Automóveis Antigos, vai contar com um percurso que irá percorrer os concelhos de Beja, Serpa, Moura, Vidigueira, Ferreira do Alentejo e Grândola

 

O 48 Horas Alentejo, terá inicio, no dia 1 de Novembro, no Beja Parque Hotel, pelas 15h, com a abertura do secretariado e pelas 16h, com a recepção dos concorrentes.

No dia 2, sábado, o 48 Horas Alentejo, começa com a partida de Beja, para a 1ª etapa pelas 9h30m, com uma neutralização em Serpa às 10h, com chegada a Moura por volta das 11h30m, seguido-se às 12h uma visita guiada aos Azeites na Cooperativa Agrícola de Moura e Barrancos, para conhecer como se produz um dos melhores azeites do mundo.

No mesmo dia, às 13h00m acontecerá um dos momentos mais emblemáticos com o almoço no Castelo de Moura seguindo-se por volta das 14h30m uma visita à exposição 120 anos da Água de Castello. Logo a seguir dá-se a partida às 15h30m para a 2ª etapa contado com uma neutralização na Vidigueira por volta das 16h30m seguindo-se de uma visita ás Ruínas Romanas de S. Cucufate e chegada a Beja às 18h.

No último dia, 3, domingo, o mítico rali de regularidade histórica começa com a partida da 3ª etapa de Beja por volta das 9h e com passagem por Ferreira do Alentejo às 9h30m e uma neutralização em Grândola às 10h e chegada a Tróia pelas 12h e finalizando com a entrega dos prémios por volta das 15h30m.

Segundo o director da prova, Luís Brito “uma das grandes novidades será o encerramento do evento em Tróia, no Concelho de Grândola, que será um encontro com um Alentejo virado para o mar e para o turismo, com o magnifico Estuário do Sado”.

O 48 Horas Alentejo é considerado um dos melhores eventos de automóveis clássicos realizados em Portugal pelas suas características únicas que juntam dois percursos turístico e desportivo de elevada qualidade e conta com o apoio de várias entidades públicas e privadas, onde se destaca os municípios de Beja, Grândola e Moura, Raposeira, Turismo do Alentejo, Netsigma.

Espetáculo com Sara Correia é momento alto das Comemorações do Dia do Concelho em Grândola

Sara Correia - Espetáculo.png

 

O Cine Granadeiro recebe na próxima segunda-feira, 21 de outubro, às 21h30, o espectáculo com a nova voz do fado: Sara Correia

Em palco, Sara Correia será acompanhada por um quarteto de luxo:  
Diogo Clemente na viola, Ângelo Freire na guitarra portuguesa, Marino de Freitas no baixo e Vicky Marques nas percussão

Sara Correia lançou, em setembro, o seu álbum de estreia, homónimo, que acabou de lhe valer duas nomeações para a 1ª edição dos Prémios Play – Prémios de Música Portuguesa, na categoria de Melhor Álbum Fado concorrendo ao lado de nomes consagrados como Cristina Branco, Carminho e Kátia Guerreiro, e ainda na categoria de Melhor Artista Revelação, ao lado de artistas como Conan Osiris, Papillon e Selma Uamusse.

O álbum, criado em parceria com o produtor Diogo Clemente, foi antecipado com o lançamento de dois singles que se tornaram o seu cartão de visita: “Fado Português” e “Quando o Fado Passa”. Duas formas diferentes de abordar o Fado, a mesma voz: poderosa, envolvente, que põe os pontos nos is, com propriedade e força, e ao mesmo tempo harmoniosa, jovem, gaiteira.

A primeira apresentação ao vivo das canções que compõem “Sara Correia” foi na Praça do Município em Lisboa. Uma noite que ficará certamente marcada na história da Fadista, que emocionou todos os que assistiam, numa Praça do Município completamente lotada e totalmente rendida ao talento e presença deste furacão. Mas não só o público se tem rendido aos encantos da sua voz. A reação dos media também é unânime.

A Fadista também já despertou a atenção dos meios internacionais, nomeadamente da World Music Central, All About Jazz e Entertainment Focus.

A edição internacional do álbum “Sara Correia” foi lançada em Junho de 2019, com edição física disponível no Japão, Reino Unido, Alemanha, França e Benelux.
Estes têm sido meses muito intensos para Sara Correia, desde que editou o seu álbum em setembro do ano passado. Recebeu o elogio da crítica e dos seus pares, esgotou o Capitólio, em Lisboa, na apresentação oficial do disco, iniciando uma TOUR com concertos dentro e fora do País. Além fronteiras, Sara Correia levou e levará toda a força do seu Fado a países como Espanha, Noruega, Itália, Polónia, Coreia, Ilhas Reunião, Áustria entre outros.

Sara Correia em Grândola, um espectáculo a não perder na próxima segunda-feira no Cine Granadeiro.

 

Grândola: Encontro da Canção de Protesto - 10 a 13 de Outubro

10Out.jpg

11Out.jpg

 

O Observatório da Canção de Protesto (OCP) é um organismo resultante da parceria entre o Município de Grândola, entidade promotora, a Associação José Afonso, a Sociedade Musical Fraternidade Operária Grandolense, e os institutos da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa Centro de Estudos de Sociologia e Estética Musical (CESEM), Instituto de Etnomusicologia – Centro de Estudos em Música e Dança (INET-md), e Instituto de História Contemporânea (IHC).

Os seus objetivos são o estudo, a salvaguarda e a divulgação do património musical tangível e intangível da canção de protesto produzido durante os séculos XX e XXI, através da realização de iniciativas culturais diversas.

 

No âmbito da atividade do OCP irá realizar-se em Grândola, entre os dias 10 e 13 de Outubro de 2019, um Encontro da Canção de Protesto, com espetáculos musicais, colóquios, sessões testemunhais, exposições e documentários, em que estarão presentes figuras relacionadas com o universo da canção de protesto, nomeadamente António Moreira, Arturo Reguera, Carlos Moreira, Eduardo Paes Mamede, Filipe Sambado, Francisco Fanhais, Hugo Castro, João Carlos Callixto, João Lóio, João Madeira, Joaquim Vieira, José Fortes, Luís Galrito, Manuel Freire, Mário Correia, Miguel Almeida, Napoleão Mira, Nuno Pacheco, Pedro Boléo, Ricardo Andrade, Salwa Castelo-Branco, Samuel Quedas, Soraia Simões, Tino Flores e Viriato Teles.

 

O Encontro iniciará com a mostra de capas de discos de vinil representativas da produção discográfica editada em Portugal entre 1960 e 1979, da coleção privada de Hugo Castro. A exposição será inaugurada às 18:00, no Cineteatro Grandolense, seguindo-se, às 21:30, no mesmo local, a exibição do documentário realizado por Joaquim Vieira A cantiga era uma arma, sobre o papel da canção antes e durante o período revolucionário português.

 

Na sexta-feira, dia 11 de Outubro às 21h30m Luís Galrito apresentará em Grândola, no Cinegranadeiro, o seu mais recente disco, Menino do Sonho Pintado.

 

Num diálogo permanente entre palavra, música e imagem, estarão ainda em palco Napoleão Mira, João Nunes (guitarra), Filipa Teles (coros), Gabriel Costa (guitarra-baixo), Luís Melgueira (percussões) e João Espada (arte visual e sonoplastia).

 

O desejo de mudança, através do sonho puro de uma criança que esboça cores de harmonia, paz e amor num céu antes riscado com tintas de medo, é a mensagem deste quinto álbum de Luís Galrito, uma voz incontornável da música portuguesa, que colaborou em projectos de tributo, nomeadamente a José Afonso, ou de sua autoria, com artistas como Kalú, Luís Jardim, João Afonso, Ricardo Martins e João Frade, entre outros.

 

Antes, às 21:00 haverá um momento dedicado à Poesia. Sob o tema é urgente construir certas palavras, os alunos do Agrupamento de Escolas de Grândola irão procurar, através da leitura, dar resposta às inquietações do Poeta Eugénio de Andrade, é urgente destruir certas palavras / ódio, solidão, crueldade.

 

Sábado, dia 12 de Outubro, o Cineteatro acolherá, entre as 10h e as 13h15m, e as 14h30m e as 17h45m, um conjunto de sessões testemunhais dedicadas ao universo da canção de protesto —Os processos de produção fonográfica e a Música Popular Portuguesa; Juventude Musical Portuguesa, GAC e Coro Popular ‘’O Horizonte é Vermelho’’: música e política no contexto revolucionário português; José Afonso: umha forte relaçom com a Galiza; Novos Protestos, Outras canções – protagonizadas por António Moreira, Arturo Reguera, Carlos Moreira, Eduardo Paes Mamede, Filipe Sambado, Francisco Fanhais, Hugo Castro, João Madeira, José Fortes, Miguel Almeida, Nuno Pacheco, Pedro Boléo e Ricardo Andrade.

 

Durante a noite, no mesmo espaço, a partir das 21h30m, decorrerá a apresentação de um espetáculo inédito designado Uma mão cheia de Abril, com a atuação dos músicos Francisco Fanhais, João Lóio, Manuel Freire, Tino Flores e Samuel Quedas. Unidos pelas palavras, as violas e os ideais, e evocando o espírito das sessões de canto livre, irão conversar com a plateia e cantar os temas em que prevalecem os valores que sempre defenderam: Liberdade, Justiça e Fraternidade.

 

O Encontro da Canção de Protesto de 2019 encerrar-se-á no domingo, dia 13 de Outubro, com um espetáculo dedicado a canções de resistência portuguesas executado pela Sociedade Musical Fraternidade Operária Grandolense, a apresentação do novo sítio em rede do Observatório da Canção de Protesto— https://ocprotesto.org —, um encontro-colóquio com a participação de alguns membros do Conselho Consultivo do Observatório da Canção de Protesto —João Carlos Callixto, Joaquim Vieira, José Fortes, Manuel Freire, Mário Correia, Salwa Castelo-Branco, Samuel Quedas, Soraia Simões e Viriato Teles — e um momento de Cante Alentejano, pelo Grupo Coral Etnográfico Vila Morena.

 

A entrada é gratuita em todas as iniciativas.

O Encontro da Canção de Protesto tem o apoio da Antena 1