Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Nova Exposição de Pintura para visitar em Grândola : The More I SEE, The Less I Know

Folha de Sala FM _Prancheta 1.jpg

 

A primeira exposição individual de Filipe Real Marinheiro, jovem artista visual natural de Grândola, vai ser inaugurada dia 27 de agosto, às 18h, na Sala de Exposições da Biblioteca e Arquivo do Município de Grândola.

The More I See - The Less I Know, apresenta um novo corpo de trabalho que marca a sua primeira abordagem sistemática da cor amarela. Conhecido por telas abstratas onde prevalece o preto, o branco e as linhas de spray, estas pinturas amarelas representam um novo capítulo na sua obra artística.

As novas obras assumem uma qualidade pictórica, gráfica e complexa que é evidenciada nos diferentes formatos. Apesar dos seus diferentes tamanhos, todas têm uma presença significativa e um efeito envolvente – características essas que são reforçadas por uma apresentação em galeria que permite que as pinturas se tornem parte integrante do espaço.

O conjunto das obras em exposição, criadas entre 2020 e 2021 num contexto global de pandemia, sugerem o título irónico da exposição, deixando o espectador livre para experimentar as emoções descritas nas telas e projectar o seu próprio significado, buscando produzir um eco da experiência pessoal de cada individuo.

A Exposição que ficará patente ao público até 30 de setembro, pode ser visitada gratuitamente de segunda a sexta-feira, das 09h30 às 19h00, e aos sábados, das 10h00 às 13h00.

 

Filipe Real Marinheiro

Filipe explora através da sua pintura a necessidade que a sociedade tem em deixar a marca humana. É explorada a mudança, degradação e efemeridade dos espaços físicos. A súbita vontade ou desejo forte e irreflectido de agir. A sua pintura revela através de traços de tinta spray arrojados, a ideia de velocidade, erro e impetuosidade. As suas pinturas podem parecer rápidas e gestuais mas todas as obras surgem derivadas de deliberação, estudo e modificação.

O artista expõe regularmente em Portugal e no estrangeiro, onde participou este ano numa residência artística em Florença da qual surgiu uma exposição no Museo Leonardiano em Vinci.  Atualmente tem patente uma exposição individual na Galeria Ahtaki em Lisboa.

Grândola recebe Encontro da Canção de Protesto | 10 a 12 de Setembro

Cartaz-ECP-v6.png

 

Grândola recebe entre os dias 10 e 12 de Setembro de 2020, uma nova edição do Encontro da Canção de Protesto, que se realiza no âmbito da atividade do Observatório da Canção de Protesto. *

O programa, composto por uma exposição produzida pelo Observatório da Canção de Protesto para o efeito, seis espectáculos musicais inéditos, três sessões testemunhais, uma de cinema documental cuja peça foi traduzida para o propósito, uma sessão de canto livre internacional e um colóquio, é dedicado ao hino A Internacional e às canções da Comuna de Paris bem como aos discos de José Afonso, José Mário Branco e Sérgio Godinho gravados em 1971 em Hérouville, no âmbito dos 150 e dos 50 anos que este ano se comemoram, respectivamente, sobre esses acontecimentos. 


O Encontro irá iniciar em 10 de Setembro às 18h no Jardim 1.º de Maio com a inauguração da exposição organizada pelo Observatório da Canção de Protesto e idealizada para itinerância designada A Internacional: 150 anos de um hino, seguindo-se um espectáculo protagonizado pelo Coro da Casa da Achada — Centro Mário Dionísio intitulado Se toda a gente se juntar: textos e canções da Comuna de Paris.

 

Às 21h, no recinto do complexo desportivo José Afonso, Sérgio Godinho, cantor, compositor, escritor, actor de teatro e cinema, irá proporcionar uma viagem musical pela sua profusa carreira, com a recriação de algumas canções que marcaram os discos Os sobreviventes e Pré-Histórias — gravados em 1971 e 1972, respectivamente, em França – e a interpretação de outras, mais ou menos recentes, poeticamente associadas ao conceito de exílio, no âmbito das comemorações dos 50 anos sobre a publicação do disco Romance de um dia na estrada e a gravação do disco Os sobreviventes.

 

Às 23h, no Jardim 1.º de Maio, Portugal acolhe, pela primeira vez, um espectáculo musical protagonizado por Grace Petrie, cantora folk, compositora e ativista de Leicester, Reino Unido, que tem escrito, gravado e feito digressões de modo incessante durante os últimos dez anos, e pelo grupo que a acompanha, The Resistance Band.


Sábado, dia 11 de Setembro, o Cine Granadeiro irá acolher, entre as 10h e as 13h30m, e as 16h e as 18h, um conjunto de sessões testemunhais dedicadas às geografias de Grândola, vila morena, aos discos de 1971 gravados em Hérouville e aos usos e contextos e do hino A Internacional, protagonizadas por António Mota Redol, Arturo Reguera, Joana Manuel, Maite Angulo, Susana Martins, Adelino Gomes, Francisco Fanhais, José Manuel Nunes, Sérgio Godinho, Ricardo Andrade, António Moreira, Carlos Moreira, Paulo Guimarães, Samuel Quedas e Hugo Castro.

Entre sessões será exibido o documentário de Peter Miller intitulado The Internationale.

Durante a noite, no recinto do complexo desportivo José Afonso, às 21h, decorrerá a apresentação de um espectáculo poético e musical inédito intitulado Sessão de Canto Livre Sem Muros nem Ameias, com as actuações de Bernardo Fuster (canta Pedro Faura), Carlos Alberto Moniz, José Fanha, Luis Pastor, Paco Ibañez, Quico Pi de La Serra e Samuel Quedas.

Domingo, dia 12 de Setembro, às 11h, no Cine Granadeiro, Anthony Seeger fará uma comunicação sobre o tema A função política e social da canção, seguida de intervenções de Diana Dionísio, Mário Correia, Salwa Castelo-Branco e João Carlos Callixto.

 

Às 16h, no jardim 1.º de maio, a banda portuguesa El Sur apresenta um espectáculo musical baseado no seu disco Todas as sombras, que explora territórios artísticos e humanos da América do Sul – as lutas dos povos, os seus sonhos interrompidos, o amor à vida —, bem como os tempos que vivemos e os territórios que nos habitam, enfrentando sombras antigas como os fascismos, os colonialismos, a exploração, o racismo e a desumanidade.

 

O Encontro da Canção de Protesto de 2021 encerra com um espectáculo dedicado ao disco Cantigas do Maio, interpretado por Francisco Fanhais, João Afonso e a Sociedade Musical Fraternidade Operária Grandolense. Rui Pato será o convidado especial.

A entrada em todas as iniciativas é gratuita mediante reserva antecipada de lugar através do número 269 448 030 e sujeita à lotação dos espaços.

 

 

 

*Observatório da Canção de Protesto

 

O Observatório da Canção de Protesto (OCP) é um organismo resultante da parceria entre o Município de Grândola, entidade promotora, a Associação José Afonso, a Sociedade Musical Fraternidade Operária Grandolense, e os institutos da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa Centro de Estudos de Sociologia e Estética Musical (CESEM), Instituto de Etnomusicologia – Centro de Estudos em Música e Dança (INET-md), e Instituto de História Contemporânea (IHC).

Os seus objectivos são o estudo, a salvaguarda e a divulgação do património musical tangível e intangível da canção de protesto produzido durante os séculos XX e XXI, através da realização de iniciativas culturais diversas.

 

 

Grândola: Encontro da Canção de Protesto apresenta 6 Espetáculos Musicais Inéditos | 10 a 12 de setembro

Encontro da Canção de Protesto apresenta 6 Espetáculos Musicais Inéditos

Cartaz-ECP-v6 (1).png

 

 

Grândola recebe entre os dias 10 e 12 de Setembro de 2020, uma nova edição do Encontro da Canção de Protesto, com um  programa, composto por uma exposição produzida pelo Observatório da Canção de Protesto para o efeito, seis espectáculos musicais inéditos, três sessões testemunhais, uma de cinema documental cuja peça foi traduzida para o propósito, uma sessão de canto livre internacional e um colóquio, é dedicado ao hino A Internacional e às canções da Comuna de Paris bem como aos discos de José Afonso, José Mário Branco e Sérgio Godinho gravados em 1971 em Hérouville, no âmbito dos 150 e dos 50 anos que este ano se comemoram, respectivamente, sobre esses acontecimentos.  *programa em anexo


O espetáculo que marca o arranque do Encontro da Canção de Protesto, no dia 10 às 18h30 no Jardim 1º de maio é protagonizado pelo Coro da Casa da Achada — Centro Mário Dionísio intitulado Se toda a gente se juntar: textos e canções da Comuna de Paris.

 

Às 21h, no recinto do complexo desportivo municipal José Afonso, Sérgio Godinho, cantor, compositor, escritor, actor de teatro e cinema, irá proporcionar uma viagem musical pela sua profusa carreira, com a recriação de algumas canções que marcaram os discos Os sobreviventes e Pré-Histórias — gravados em 1971 e 1972, respectivamente, em França – e a interpretação de outras, mais ou menos recentes, poeticamente associadas ao conceito de exílio, no âmbito das comemorações dos 50 anos sobre a publicação do disco Romance de um dia na estrada e a gravação do disco Os sobreviventes.

 

Às 23h, no Jardim 1.º de Maio, Portugal acolhe, pela primeira vez, um espectáculo musical protagonizado por Grace Petrie with Bem Moss, cantora folk, compositora e ativista de Leicester, Reino Unido, que tem escrito, gravado e feito digressões de modo incessante durante os últimos dez anos.


Sábado, dia 11 de Setembro, durante a noite, no recinto do Complexo Desportivo Municipal José Afonso,  recebe às 21h, a apresentação de um espectáculo poético e musical inédito intitulado Sessão de Canto Livre Sem Muros nem Ameias, com as actuações de Bernardo Fuster (canta Pedro Faura), Carlos Alberto Moniz, José Fanha, Luis Pastor, Paco Ibañez, Quico Pi de La Serra e Samuel Quedas.

Domingo, dia 12 de Setembro, às 16h, no jardim 1.º de maio, a banda portuguesa El Sur apresenta um espectáculo musical baseado no seu disco Todas as sombras, que explora territórios artísticos e humanos da América do Sul – as lutas dos povos, os seus sonhos interrompidos, o amor à vida —, bem como os tempos que vivemos e os territórios que nos habitam, enfrentando sombras antigas como os fascismos, os colonialismos, a exploração, o racismo e a desumanidade.

 

O Encontro da Canção de Protesto de 2021 encerra no dia 12 às 18h no recinto do Complexo desportivo Municipal José Afonso com um espectáculo dedicado ao disco Cantigas do Maio, interpretado por Francisco Fanhais, João Afonso e a Sociedade Musical Fraternidade Operária Grandolense. Rui Pato será o convidado especial.


A entrada em todas as iniciativas é gratuita mediante reserva antecipada de lugar através do número 269 448 246 / 032 e sujeita à lotação dos espaços.

A música nacional regressa ao palco do Parque de Feiras e Exposições de Grândola

A música nacional regressa ao palco do Parque de Feiras e Exposições de Grândola

Carlão, Fátima Rebordão e Tais Quais encerram o programa de

Animação de Verão

 

Agosto-AnimaçãoVerão_Itinerante.png

 

A música marca o final da época estival em Grândola e do programa municipal “Animação de Verão” cuja edição de 2021 foi prolongada até ao fim de agosto com o objetivo de promover a retoma económica e cultural do concelho num ano em que, mais uma vez, a pandemia da Covid 19 levou ao cancelamento de grandes eventos, nomeadamente, da Feira de Agosto que deveria realizar-se no último fim-de-semana do mês.

Nos dias 27, 28 e 29 o Parque de Feiras e Exposições abre as portas para três concertos com o melhor da música nacional.

Carlão que, em abril último, prometeu regressar a Grândola para um grande espetáculo “com a família toda reunida” sobe ao palco a 27 de agosto para um concerto onde vão ser revisitados sucessos dos Da Weasel e temas da sua carreira a solo. Com muitos projetos lançados no mundo da música, televisão, literatura e de cariz social e solidário, o atual mentor do programa da RTP1 - The Voice Kids prepara para muito em breve o lançamento de mais um tema inédito, depois do enorme sucesso de “Assobia para o Lado” uma canção luminosa e positiva que, chama a atenção para o lado bom da vida.

Fábia Rebordão, considerada unanimemente uma das vozes de referência do fado novo, apresenta-se pela primeira vez em Grândola, na noite de sábado. O seu nome tornou-se conhecido do grande público quando participou na “Operação Triunfo”. Em 2012 é distinguida pela Fundação Amália com o Prémio Revelação Amália Rodrigues e o conceituado Jornal Expresso considera-a uma das 50 personalidades revelação do ano. Em palcos nacionais e internacionais destacam-se as atuações no Hifa Festival no Zimbabué, considerado um dos 5 festivais mais importantes do mundo ou no “Carnegie Hall”, a emblemática sala de Nova York.

O encerramento da Animação de Verão está a cargo dos Tais Quais, no domingo dia 29.
O Alentejo ocupa grande espaço do reportório deste grupo formado por João Gil, Vitorino, Tim, Vicente Palma, Celina da Piedade, Paulo Ribeiro e Sebastião. As violas, o acordeão, a percussão, a viola campaniça, um coro de arrepiar, e, pelo meio, Jorge Serafim, conhecido contador de histórias, que partilha com o público as suas pérolas desafiando histórias, anedotas e contos populares. Pela primeira vez em Grândola os Tais Quais prometem espalhar música e histórias e fazer novos amigos.

Os espetáculos começam às 21h30. A entrada é gratuita mediante reserva de lugar.

 

 

Animação de itinerante pelas ruas da Vila Morena

 

No último fim-de-semana da Animação de Verão a festa faz-se também nas ruas da Vila Morena com muita música e artes circenses. Antes dos concertos marcados para o Parque de Feiras e Exposições, grupos de música e de animação vão percorrer as artérias do centro de Grândola para atuações junto aos estabelecimentos de restauração.

De sexta-feira a domingo entre as 19h00 e as 21h00 a dupla de animadores “TriCirco” caracterizados de personagens de Circo desloca-se pelas ruas de andas e numa divertida bicicleta a interagir com o público. A música vai estar a cargo dos Marchinha do Botequim, street band com cantor, guitarra, banjo, sopros e DJ colunas com portátil móvel e um reportório de clássicos do Blues ao Rock, do Twist ao Dixie da Tradicional Portuguesa à Pop e covers; dos Ruído à Portuguesa – Dixie Band: quatro músicos ribatejanos que espalham magia musical e muita animação por onde passam com temas de Mozart, AC/DC ou Quim Barreiros; e dos Original Bandalheira:  Música balcânica,  ska, reggae e o Jazz tradicional são as influências desta conhecida Big Band com 19 músicos, um projeto musical criado em 2007, para levar a música mais perto das pessoas, nas ruas.

O Dia Internacional da Juventude celebra-se em Grândola com jovens artistas locais

Mori’Rosso, Sopa, Épikos e Pazcal atuam nos dias 13 e 14 de agosto no palco do Jardim 1.º de Maio

 

NoitesAoLuar_cartaz.png

 

No dia 13 de agosto, a partir das 21h30, sobem ao palco Mori’Rosso – banda cujo estilo concilia o vintage com o moderno, trazendo a palco hits antigos e temas originais – e Sopa, que no estilo musical Hip Hop transforma as suas palavras em música.

Na noite de dia 14, a partir das 21h30, as atuações são de Épikos, a banda de Covers Pop Rock e em seguida, Pazcal – Rapper e Produtor musical - que encerra os dois dias de concertos no palco do Jardim 1.º de Maio.

 

A iniciativa “Dia Internacional da Juventude / Noites ao Luar” é organizada pela Câmara Municipal de Grândola e a Junta de Freguesia de Grândola e Santa Margarida da Serra, para assinalar o Dia Internacional da Juventude.

Grândola: Central da Biblioteca recebe diversas atividades Culturais em Julho

O Município de Grândola promove durante o mês de Julho no Pátio Central da Biblioteca e Arquivo um programa de Animação de Verão com espetáculos de Teatro, Contos e Sessões de  apresentação de livros, cumprindo todas as normas de segurança e higiene recomendada pela DGS, nomeadamente lugares sentados para assistir aos espetáculos  com o devido distanciamento e em espaço delimitado, com o devido controlo à entrada. As atividades são gratuitas, mas requerem marcação antecipada através do 269 450 081 ou biblioteca@cm-grandola.pt

 

“É uma Vez…O Livro” um espetáculo de teatro para todos, com Antonio Bexiga e Diogo Duro é a proposta já para o próximo sábado, dia 10, às 11h00.

 

 

Na sexta-feira, dia 16, às 18h00, tem lugar a sessão de apresentação do livro “O Plantador de Abóboras” por Catherine Dumas e pelos autores Luis Cardoso (texto) e Ana Jacinto.

“A Ilha de Plástico”, um espetáculo de teatro para todos levado à cena pela Animateatro – Associação de Teatro e Animação do Seixal está agendado para 17 de julho às 18h00.

cartazes_17julho1.png

 

No dia 22 de Julho pelas 18h, terá lugar a sessão de apresentação do livro “Igor: O Cão Emigrante” pela editora Andreia Salgueiro e pelas autoras Elisabete José (texto) e Alexandra Couto (ilustração).

cartazes_22julho1.png

 

A Assocação Cultural Truta apresenta no dia 24 às 11h00, a Sessão de Contos “Biblioteca Sensível Itinerante – as mais estranhas histórias de contos saem dos livros mais incríveis…”

cartazes_24julho1.png

 

A Programação de Julho termina no dia 31, às 11h00 com a sessão de contos e atividades lúdicas “A Mina Vai à Biblioteca” dinamizados por técnicos do Centro Ciência Viva do Lousal.

 

*nota: as iniciativas agendadas podem ser adiadas ou canceladas conforme a evolução da Pandemia Covid 19.

Biblioteca e Arquivo do Município de Grândola - Canções Heroicas e poesia do Neo-Realismo, nos 75 anos de Marchas, Danças e Canções de Fernando Lopes-Graça

10 de julho – Biblioteca e Arquivo do Município de Grândola

 

Canções Heroicas e poesia do Neo-Realismo, nos 75 anos de Marchas, Danças e Canções de Fernando Lopes-Graça

2.jpg

1.jpg

0.jpg

 

 

No âmbito da atividade do Observatório da Canção de Protesto (OCP)* irá realizar-se em Grândola, na Biblioteca e Arquivo do Município, em 10 de julho (data condicionada, naturalmente, pela evolução da Covid-19), um conjunto de iniciativas dedicadas às Canções Heroicas e à poesia do Neo-Realismo, no quadro das comemorações dos 75 anos sobre a publicação de Marchas, Danças e Canções, de Fernando Lopes-Graça, com poemas de Armindo Rodrigues, Arquimedes da Silva Santos, Carlos de Oliveira, Edmundo Bettencourt, João José Cochofel, Joaquim Namorado, José Ferreira Monte, José Gomes Ferreira e Mário Dionísio.


As atividades irão iniciar às 17h30, com a realização de um colóquio designado As Canções Heroicas e a Poesia do Neo-Realismo, protagonizado por João Madeira, Manuel Deniz Silva, Pedro Lamares e Teresa Cascudo, também responsável pela sua moderação.

Seguir-se-á, às 19h00, a apresentação de um espectáculo poético e musical inédito intitulado Qualquer coisa que está para acontecer, protagonizado por Pedro Lamares e Rui David.

As atividades terminam após a actuação do Coro Lopes-Graça da Academia de Amadores de Música de Lisboa, que irá iniciar às 22h.

 

A entrada é gratuita mediante reserva antecipada de lugar através do 269 448 246 | 032 e sujeita à lotação do espaço.

O colóquio será transmitido também, através do sitio em rede OCPROTESTO.ORG

 

*Observatório da Canção de Protesto

 

O Observatório da Canção de Protesto (OCP) é um organismo resultante da parceria entre o Município de Grândola, entidade promotora, a Associação José Afonso, a Sociedade Musical Fraternidade Operária Grandolense, e os institutos da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa Centro de Estudos de Sociologia e Estética Musical (CESEM), Instituto de Etnomusicologia – Centro de Estudos em Música e Dança (INET-md), e Instituto de História Contemporânea (IHC).

Os seus objectivos são o estudo, a salvaguarda e a divulgação do património musical tangível e intangível da canção de protesto produzido durante os séculos XX e XXI, através da realização de iniciativas culturais diversas.

Biblioteca do Município de Grândola recebe Ciclo de Cinema

Ciclo de Cinema.jpg

 

O Pátio Central da Biblioteca e Arquivo do Município de Grândola recebe durante as quartas-feiras do mês de Junho, às 20h30 o Ciclo de Cinema «Não deixar ninguém para trás» no âmbito dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável – ODS, no seguimento do compromisso assumido pelo Município de Grândola de desenvolver a campanha “Rumo a 2030” no quadro da participação na Rede Intermunicipal de Cooperação para o Desenvolvimento.

 

Associados a cinco Objetivos de Desenvolvimento Sustentável - Erradicar a Pobreza |Erradicar a Fome | Saúde de Qualidade| Educação e Qualidade |Igualdade de Género| vão ser exibidos os seguintes filmes: Cafarnaum (dia 2 ) A Quimera do Ouro (dia 9), Patch Adamas (dia 16) O Clube dos Poetas Mortos (dia 23) e Persépolis (dia 30).

 

Este é um ciclo de cinema ao ar livre, com entrada gratuita que vai decorrer no Páteo Central da recentemente inaugurada Biblioteca e Arquivo do Município, espaço primordial do novo equipamento cultural, que está idealizado para albergar diversas  atividades culturais, como cinema, teatro, concertos, festivais ou feiras do livro.

A nova Biblioteca situada junto à Praça da Republica, no coração de Grândola, foi concebida para ser um centro da vida social, de arte e cultura e um espaço educativo e de lazer, que apresenta as condições ideais para acolher todos os utilizadores: acessibilidade, conforto, qualidade e inovação são características que definem e distinguem este novo centro de história e cultura multifuncional.

 

Município de Grândola Assinala Dia Internacional dos Arquivos

O Município de Grândola celebra o Dia Internacional dos Arquivos,  a 9 de junho,

com a apresentação do fac-símile do livro Preludios - Poesias de Rita Pereira de Mattos (1882), da autoria de Rita Pereira de Mattos, e um opúsculo designado Rita Pereira de Mattos - uma chamma de fogo sombrio, da autoria de Idálio Nunes e José Abreu, constituído por um estudo biográfico sobre a poeta e um breve texto sobre a sua obra.

Durante a sessão, com início às 18H00 no pátio da Biblioteca e Arquivo do Município de Grândola, serão lidos poemas de Rita Pereira de Mattos por alunos do Agrupamento de Escolas de Grândola e da Escola Profissional de Desenvolvimento Rural de Grândola.

Dia Internacional dos Arquivos.jpg

 

Mais de 80 Obras da artista Ana Jacinto Nunes em Exposição em Grândola

Exposição Entre Nuvens e Papiros - de Ana Jacint

 

«Entre Nuvens e Papiros» é a exposição de pintura de Ana Jacinto Nunes que marcou a inauguração do novo edifício da Biblioteca e Arquivo do Município de Grândola. Encontra-se aberta ao público até dia 31 de julho, nas salas polivalente e de exposições, podendo ser visitada gratuitamente de segunda a sexta-feira, das 09h30 às 19h00, e aos sábados, das 10h00 às 13h00.

 

De acordo com a autora que, curiosamente, é sobrinha bisneta do Dr. José Jacinto Nunes (destacado membro do Partido Republicano Português, Presidente da Câmara de Grândola e administrador do Concelho),  esta é a «exposição de uma vida inteira que tem a sua vida lá dentro: a música, os livros, as mulheres, os animais, as inspirações do dia a dia». Do seu processo criativo fazem parte as ideias, os erros, as emendas e o prazer. As técnicas e os materiais que usa são infinitos, mas é com a tinta da china que trabalha diariamente, influenciada por passar metade do ano em Macau. Nesta grande exposição há obras de vários períodos da sua produção artística, elaboradas com materiais diversos, e trabalhos que nunca foram expostos. No total são 83 obras, entre Azulejos, Telas, Painéis de Azulejo, Cerâmicas e Painéis em Tecido.

 

Ana Jacinto Nunes viveu na Alemanha e nos Estados Unidos, onde expôs individualmente. Participou em projetos na Bélgica, Espanha, Grécia, Itália, EUA, Macau, China e Portugal. Tem realizado ilustrações para livros e jornais e participado em residências artísticas em Itália, EUA e Canadá. Ao longo dos anos, como reconhecimento pelo trabalho desenvolvido, tem sido distinguida com prémios de âmbito nacional e internacional.