Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Espetáculo de rua “A Estória de um Palhaço e da Bailarina” na Moita | ALTERAÇÃO DE HORA

estoria do palhaço e bailarina.jpg.png

 

A Escola Circus VagabunT apresenta, no dia 24 de agosto, na Praça da República, na Moita, o espetáculo “A Estória de um Palhaço e da Bailarina”. A iniciativa, inicialmente prevista para as 22:00h, irá realizar-se às 19:00h. Inserido no programa “Cultura em Movimento”, que pode ser consultado na íntegra em www.cm-moita.pt, este espetáculo de Clown, absurdo e interativo com o público, utiliza a mímica e a manipulação de objetos.

 

Ficha Artística e Técnica

Direção artística e Encenação: Leo Lobo | Cocriação: Anitxa Roots | Atores: Leo Lobo, Anitxa Roots | Projeto: Escola Circus VagabunT.

 

Artes performativas, cinema, música, teatro e muita animação percorreram, nos meses de verão, diferentes espaços públicos em todas as freguesias do concelho da Moita. A Câmara Municipal da Moita, as Juntas de Freguesia e o Movimento Associativo uniram-se, uma vez mais, para preparar o programa “Cultura em Movimento” que apresenta um conjunto de espetáculos de qualidade, dando, desta forma, uma nova vida, aos locais mais frequentados nas noites de verão.

 

Pesadelo no MNAA com o MOTELX | Curtas Internacionais Anunciadas

Pela primeira vez, o Museu Nacional de Arte Antiga abre portas à meia-noite para receber o MOTELX

 

***

É à meia-noite e com uma descida aos infernos da colecção do Museu Nacional de Arte Antiga que tudo começa na 13.ª edição do MOTELX. Antes de tomar de assalto o Cinema São Jorge entre 10 e 15 de Setembro, o Festival Internacional de Cinema de Terror de Lisboa arranca em modo Warm-Up a 5 de Setembro com uma visita nocturna inédita às obras mais desconcertantes do MNAA. Já é também conhecida a programação da secção de curtas internacionais do Festival.

***

31 desconhecidos encontram-se à meia-noite na penumbra de um vasto museu para explorar arte macabra. Podia ser o princípio de um filme de terror mas é mesmo o início da 13.ª edição do MOTELX, que em parceria com o Museu Nacional de Arte Antiga (MNAA) oferece a 31 participantes uma experiência única na noite de 5 para 6 de Setembro.

Que demónios assombram as Tentações de Santo Antão de Bosch ou o Inferno que um mestre português desconhecido pintou no século XVI? Que forças regem Salomé com a Cabeça de São João Batista de Cranach? “Pesadelo no Museu” irá percorrer algumas das obras mais impactantes da coleção do MNAA à luz da sua relação com o imaginário do terror e do fantástico. Os interessados deverão inscrever-se através do email inscricoes@motelx.org a partir das 9h00 desta Sexta-feira, 2 de Agosto. A entrada é gratuita mas restrita a maiores de 18 e só para os primeiros 31 a responder (uma inscrição por email).

E se a noite é dos adultos, a parceria MOTELX/MNAA garante também um dia em cheio para os miúdos com “Criaturas à espreita”, uma visita-jogo ao Museu para 13 crianças com idades entre os 6 e os 12 anos (15 de Setembro, 11h30). Parte da programação Lobo Mau, esta é uma das actividades que integram a grande festa para os mais pequenos que o MOTELX está a preparar para a última manhã do Festival. A diversão estende-se ao Cinema São Jorge com o ateliê de figuras de luz “Maria Brinca à Sombra” e um peddy paper (sessões às 10h30 e 12h, 15 de Setembro). As marcações devem ser feitas também através do email inscricoes@motelx.org.

Curtas internacionais no MOTELX

Depois de a 16 de Julho terem sido reveladas as curtas em competição para o Prémio MOTELX – Melhor Curta de Terror Portuguesa 2019, destaque agora para a secção que apresenta as melhores curtas internacionais de terror de 2018 e 2019. São 24 propostas de países como Tailândia, Itália, Espanha, EUA, França, Reino Unido, Canadá ou Nova Zelândia, para ver antes das longas-metragens ou nas famosas “Curtas ao Almoço”.

Entre as curtas mais antecipadas estão “The Haunted Swordsman”, épico de animação com fantoches samurai do veterano dos efeitos especiais Kevin McTurk (VFX “Parque Jurássico”, “Hellboy”, “Stranger Things”), e “Aquarium”, thriller de Lorenzo Puntoni sobre um massacre numa piscina pública que já foi visto em mais de 40 festivais. A causar sensação no circuito internacional tem estado também T.J. Yoshizaki com “Hot Dog”, história experimental sobre uma mulher-polícia de Los Angeles que tem um confronto fatal com um vendedor de cachorros-quentes.

A secção apresenta ainda fora de competição três curtas de realizadores portugueses, servindo artistas psicopatas em “Dessert” (Martim David Gomes), rituais de passagem em “Nojo” (Pedro Mira) e vampiros haitianos em “Look No Further” (André Marques). Outros destaques incluem “The Desecrated”, do criador da série “Ghost Whisperer” (John Gray); “The Procedure 2”, sequela da curta sensação do MOTELX 2016; o surrealismo sci-fi de “Your Last Day on Earth” (Marc Martínez Jordan); e as comédias negras “O.I.” (N’cee van Heerden) e “Possessions” (Zeke Farrow), falso documentário sobre um homem que decide vender todos os seus pertences, incluindo um pedaço do muro de Berlim que está amaldiçoado.

Os horários das sessões serão anunciados na segunda quinzena de Agosto, juntamente com a programação completa do Festival. De recordar que entre as novidades já anunciadas para esta edição está a presença do realizador de “Hereditário” e “Midsommar”, Ari Aster, e sessões especiais para comemorar os 40 anos de “Alien” e a primeira Sexta-feira 13 em 13 anos de MOTELX. O Warm-Up do Festival decorre entre os dias 5 e 7 de Setemb

Troia com sessões de cinema ao ar livre pata toda a família

Noites cinéfilas estão de volta às sextas e sábados até 14 de setembro

Cine_NOS Troia.jpg

 

Numa parceria com a NOS, o Troia regressa neste verão com as sessões gratuitas de cinema ao ar livre nas noites de sexta-feira e sábado. A programação traz filmes para toda a família que serão exibidos até 14 de setembro.

 

Os mais icónicos filmes de animação, ação, drama e comédia, estão em cartaz no Cine NOS Troia, situado no anfiteatro do Jardim do Norte, da Alameda Pinheiro Manso.

 

Neste cinema ao ar livre, os turistas e residentes da Península de Troia-Comporta podem assistir a sessões gratuitas que decorrem todas as sextas e sábado, a partir das 21h30. Antes porém, pelas 20h00, o espaço conta já com animação para entreter as famílias que por esta altura não prescindem da tranquilidade e exclusividade deste destino único de férias.

 

Conheça a programação completa do Cine NOS Troia:

12/07 – Gru – O Maldisposto 3

13/07 – Velocidade Furiosa 8

19/07 – Coco

20/07 – Monstros Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald

26/07 – Príncipe Bué Encantado

27/07 – Mundo Jurássico: Reino Caído

02/08 – Teen Titans Go! O Filme

03/08 – Tom Raider

09/08 – Incredibles 2: Os Super-Heróis

10/08 – Mamma Mia! Here We Go Again

16/08 – Bailarina

17/08 – A Bela e o Monstro

23/08 – Mr. Link

24/08 – Bumblebee

30/08 – Ralph vs Internet

31/08 – Johnny English Volta a Atacar

06/09 – A Ovelha Choné – O Filme

07/09 – O Mistério da Casa do Relógio

13/09 – Como Treinares o teu Dragão: Mundo Secreto

14/09 – Shazam!

 

Toda a agenda de eventos do Troia disponível aqui.

Julho e Agosto no Museu de Lisboa

 

csm_lisboa_plural_7c545a4799.png

Palácio Pimenta

Convivência(s). Lisboa Plural. 1147-1910
24 Mai 2019 a 22 Dez 2019
Exposição temporária
 

Exposição que revela o papel das minorias religiosas e dos residentes estrangeiros na construção da imagem de Lisboa, entre a Idade Média e a 1.ª República.

Dessa imensa população que habitou Lisboa, recebendo o rótulo histórico de minoritária, chegaram até hoje impressivos e surpreendentes testemunhos, que sublinham o carácter plural de uma cidade que se fez de rejeição, de segregação e de expulsão, mas também de tolerância, de miscigenação e de integração.

A exposição mostra-nos provas dessa Lisboa multicultural, feita por muçulmanos, cristãos e judeus, mas também por espanhóis, franceses, ingleses, italianos, flamengos, alemães e galegos e pelos africanos da era da escravatura; é mesmo possível falar numa Lisboa africana, paulatinamente mestiça, que caracterizou a cidade, entre os séculos XV e XIX.

 

Das grandes construções à vivência quotidiana, dos ofícios especializados à definição de bairros, da promoção de obras de arte à atividade livreira, da ocupação e da guerra, ao comércio e à paz cemiterial, não houve praticamente dimensão da existência de Lisboa da qual as comunidades religiosas minoritárias e estrangeiras residentes estivessem ausentes.

Comissários: Paulo  Almeida Fernandes e Ana Paula Antunes

Inauguração: 23 mai 2019, 18h30 (entrada livre, sujeita à lotação)

24 mai - 22 dez 2019, terça-domingo, 10h00-18h00

VISITAS ORIENTADAS

25 mai, sáb, 15h00 | Por Paulo Almeida Fernandes e Ana Paula Antunes, comissários da exposição

Inscrição obrigatória (até 24 maio, 14h00): info@museudelisboa.pt 

28 jun, sex, 15h30 Inscrição obrigatória (até 27 jun, 14h00):servicoeducativo@museudelisboa.pt 

VISITA-OFICINA PARA FAMÍLIAS

23 jun, dom, 11h30 Inscrição obrigatória (até 21 jun, 14h00):servicoeducativo@museudelisboa.pt 

Exposição “O homem que só queria ser Tóssan”: obra de artista algarvio em destaque em Loulé

Tossan - imagem exposição.jpg

 

De 30 de maio a 31 de agosto, vai estar patente ao público, na Galeria de Arte do Convento Espírito Santo, em Loulé, a exposição “O homem que só queria ser Tóssan”, que aborda a vida e obra deste importante homem das artes de origem algarvia.

Tóssan teria gostado da coincidência: o 30 de maio, dia do seu aniversário, fecha o centenário do seu nascimento e abre, em pleno feriado municipal, uma exposição da sua vida e obra, na cidade onde deixou indelével memória e talento na decoração de antigos cortejos carnavalescos.

A exposição, para além de percorrer o seu ilustre trajeto nas artes visuais portuguesas, evidencia a sua profunda admiração e relação fraternal com o poeta António Aleixo.

Tossán (António Fernando dos Santos) nasceu em Vila Real de Santo António, no ano de 1918, e faleceu em Lisboa em 1991. Foi um homem multifacetado que dedicou a sua vida à arte, como pintor, ilustrador, cenógrafo, vitralista, caricaturista, humorista, decorador, designer e gráfico. Mas o que o destacou foi o seu enorme talento e a sua maneira de ser divertida, acutilante e de contador de histórias. 

Como ilustrador, iniciou o seu percurso ilustrando a capa do livro “O Teatro dos Estudantes de Coimbra no Brasil”. Nesta arte realizou mais de meia centena de capas de livros, de onde se destacam as obras de Curvo Semedo “O Velho, O Rapaz e o Burro” (1978) e de Leonel Neves “O Elefante e a Pulga” (1976). Esteve ligado vários anos à Editora Terra Livre como responsável gráfico, foi orientador gráfico da Revista Brazil a convite do governo brasileiro, editou dois livros de desenhos, “Cão Pêndio” e “Fidelidade 1835”, e retratou várias personalidades entre as quais António Aleixo, Camilo Castelo Branco, Manuel Teixeira Gomes, Teixeira de Pascoaes, José Régio e Lins do Rego.

Pertenceu, desde 1947, ao Teatro dos Estudantes da Universidade de Coimbra (TEUC), onde foi cenógrafo e caracterizador. A sua primeira obra como ilustrador foi a capa do livro “O Teatro dos Estudantes de Coimbra no Brasil”. Durante o período em que residiu em Coimbra foi o caricaturista de centenas de estudantes.

Entre 1961 e 1964, orientou os trabalhos gráficos da Embaixada do Brasil em Lisboa, cuja Biblioteca Sala Brasil decorou.

Na imprensa, foi um dos criadores do suplemento juvenil do Diário de Lisboa e colaborador do jornal humorístico O Bisnau.

O ator Mário Viegas, amigo de Tóssan, reuniu num documento, em 1992, poemas e textos de prosa inéditos para um espetáculo intitulado “Tótó”, que representou a solo, nesse ano.

A exposição pode ser visitada de terça a sexta-feira, das 9h30 às 17h30, e aos sábados, das 9h30 às 16h00. A inauguração acontece no dia 30 de maio, às 18h00, no âmbito do Dia do Município.

 

CML/GAP /RP

Próximas atividades no CCB

 

GARAGEM SUL / EXPOSIÇÕES DE ARQUITETURA
Os Ossos da Arquitetura
Curadoria: Mario Rinke
ATÉ 15 SET 19H /  ENTRADA LIVRE NO PRIMEIRO DOMINGO DE CADA MÊS

Abre hoje ao público Os Ossos da Arquitetura, nova exposição da Garagem Sul, que põe a arquitetura a nu. Patente até 15 de setembro.

Como é que os edifícios se aguentam em pé? E como é que os arquitetos e engenheiros europeus pensam a construção do espaço em que habitamos? Venha descobrir a exposição Os Ossos da Arquitetura, onde se mostram obras de 6a architects, Alejandro Bernabeu, Brandlhuber+, Bruther, ingegneri pedrazzini guidotti, Johansen Skovsted Arkitekter e Rui Furtado.

 

Visitas à exposição e à cidade - AQUI

 

MÚSICA
Festival Coros de Verão

 

21 A 24 JUN 
GRANDE AUDITÓRIO E
CAMINHO PEDONAL


Nesta 8.ª edição do Festival Coros de Verão apresentam-se coros de seis países: Portugal, Eslovénia, Espanha, Irlanda, Croácia e Alemanha. No Concerto de Abertura, dia 21, às 21h, no Grande Auditório, será estreada a obra Linhagem, de Eurico Carrapatoso, num concerto comemorativo dos 500 anos da viagem de circum-navegação de Fernão de Magalhães.

 

 

Nathan Thornburgh realiza masterclass sobre Viagens no Mercado de Matosinhos

image002.jpg

 

Dia 14 de setembro às 10h00

 

Nathan Thornburgh realiza masterclass sobre Viagens no Mercado de Matosinhos

image004.jpg

 

Nathan Thornburgh irá realizar uma Masterclass no dia 14 de Setembro, entre as 10h00 as 13h00 dedicada ao tema “Travel Journalism”. De acordo com Thornburgh “quanto mais aprendemos, melhor viajamos”. Foi com esta máxima em mente que fundou o Roads & Kingdoms depois de ter trabalhado durante 10 anos como editor e correspondente estrangeiro da revista TIME. Nathan produziu para a CNN a plataforma “Anthony Bourdain: Explore Parts Unknown”, vencedora de um Emmy. Ao longo desta formação vamos analisar a abordagem da Roads & Kingdoms à narrativa de viagem. Da construção da história à sua distribuição. Debatendo também onde está a fronteira entre jornalismo e o entretenimento.

 

Realizada no âmbito da 1ª Edição do Festival de Cinema de Aventura, a Masterclass “Travel Journalism” terá lugar no Mercado Municipal de Matosinhos, e irá debater onde está a fronteira entre jornalismo e o entretenimento. Embora gratuita esta ação é limitada à presença de 20 pessoas.

 

 

O Festival de Cinema de Aventura pretende destacar o poder do vídeo como elemento unificador entre culturas. Assim, ao longo de três noites, o Mercado de Matosinhos irá projetar mais de 20 filmes que despertam a sede de aventura e que, sobretudo, se propõem a inspirar. O evento irá ser também, um ponto de encontro e partilha entre viajantes, exploradores e curiosos, de troca de ideias e conhecimento. O programa do festival inclui ainda conferências, exposições fotográficas, festas, workshops, conversas e muito mais.

 

Casa das Artes: Ciclo de Cinema ao Ar Livre

image006.jpg

 

 

Organizado pelo Cineclube do Porto em parceria com a Direção Regional de Cultura do Norte, o Ciclo de Cinema ao Ar Livre «As Noites de Boris» decorre, este ano, pela primeira vez, nos jardins da Casa das Artes, no Porto.

O Ciclo decorre todas as quartas-feiras ao longo do mês de agosto (dias 7, 14, 21 e 28), sempre às 22 horas, com entrada livre.

«As Noites de Boris» – Ciclo de Cinema ao Ar Livre nasceu em 2016, numa iniciativa do Cineclube do Porto, o mais antigo da Península Ibérica e um dos mais antigos da Europa, que continua a marcar o panorama cinematográfico da cidade do Porto, com programação mensal regular na Casa das Artes.

A parceria estabelecida, este ano, para acolher o Ciclo de Cinema ao Ar Livre é, assim, uma natural sequência do trabalho que tem vindo a ser desenvolvido ao longo dos últimos anos entre a Direção Regional de Cultura do Norte e o Cineclube do Porto.

A programação abre, dia 7, com o Best of Curtas, uma seleção das melhores obras exibidas na 27ª edição do Festival Internacional de Cinema de Vila do Conde.       

Na semana seguinte, dia 14, serão exibidas algumas curtas-metragens de realizadores com ligações ao Porto, destacando-se a estreia, na cidade, do filme Flutuar do portuense Artur Serra Araújo.              

No dia 21, será a vez do BEAST WARM UP, uma antevisão do Festival de Cinema da Europa de Leste que se realizará de 28 de setembro a 6 de outubro.

No dia 28, a programação está entregue à Casa da Animação com destaque, claro, para o cinema de animação.

 

Janis Dellarte | Exposição "Nós Enredamentos, Entrecidos Despojos"

JANIS DELLARTE


 Nós Enredamentos, Entrecidos Despojos

909189f7-aa87-4868-bd48-c4b599c21481.jpeg

 

© Ana Paganini

 

Inauguração: 6 de junho, 18h30
Exposição de 7 junho a 31 agosto de 2019 | todos os dias, das 9h às 20h.  
Jardim Botânico da Universidade de Lisboa | Museu Nacional de História Natural e da Ciência
Rua da Escola Politécnica, 56-58, Lisboa
 
No próximo dia 6 de junho, às 18:30h, inaugura a exposição “Nós Enredamentos, Entrecidos Despojos ” de Janis Dellarte, no Jardim Botânico da Universidade de Lisboa.
Esta exposição, composta por um conjunto de 6 instalações organicamente enredadas com o ecossistema do Jardim Botânico, materializa a resposta da artista, no momento histórico particular que vivemos, a navegar entre a (i)moralidade da poluição e a sua beleza plástica-simbólica, e o aparente paradoxo, talvez inescapável, de integrar essa poluição na sua prática artística.
Interpelada pelas grandes ilhas de lixo nos oceanos, Janis resgata os despejos marítimos que dão à costa no naufrágio permanente do consumo contemporâneo e da atividade piscatória - material físico e simbólico, usado entre as suas linhas, enredamentos, despojos de entretecidos e nós, para criar os seus seres híbridos, testemunho de conhecimentos ancestrais, de novas e velhas memórias, na esperança de poder contribuir para uma consciência individual, cada vez mais ativa, participativa e solidária.
A eleição do Jardim Botânico do Museu Nacional de História Natural e da Ciência para a sua exibição, pretende reforçar a primordial missão educativa deste espaço, usando-o como veículo de reflexão sobre a importância da preservação dos ecossistemas naturais e de sua vulnerabilidade às ações humanas. 

No evento de  inauguração Janis convida artistas – performers, bailarinos e músicos para realizar uma cerimónia/ neo-ritual/ peregrinação de apresentação das peças pelo Jardim Botânico.
 
Esta exposição é produzida pelo Museu Nacional de História Natural e da Ciência em parceria com a Ocupart.
 
Janis, Lisboa 1989, vive e trabalha em Lisboa. Cria híbridos escultóricos, peças têxteis performativas, objectos ritualisticos e instalações iterativas, através do croché, tricô, tradições têxteis em vias de extinção, o quase perdido feito-á-mão. Morou nove anos em Madrid onde estudou Belas Artes e sete em Londres onde fez um Art & Design Foundation na Chelsea College of Art. Licenciou-se em Textiles and Surface Design na Buckinghamshire New University, concluiu um curso de Joalharia Experimental na Central Saint Martins e tornou-se Mestre em Knitted Textiles (tricô) na Royal College of Art. No verão de 2014 voltou para Portugal, sua terra natal, onde tem vivido desde então. Em Lisboa, assistiu ao Workshop de Estratégias para o Intérprete Contemporâneo, por Vânia Rovisco, e o curso Livre de Performance Arte Portuguesa: Performers e Performances na Universidade Nova de Lisboa. Colabora com designers, músicos, bailarinos e performers, e faz parte de iniciativas artivistas como a Linha Vermelha e o Zero Waste Lab– por um futuro mais consciente e menos plásticos! Este ano mudou-se para o Litoral Alentejano onde se entregou a este projeto de resgate de plásticos da praia e criação das peças presentes nesta exposição.
Já expôs em Londres, Nova Iorque, Jalisco (México), Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto e Lisboa. Entre outras, destacam-se para as exposições no Palácio das Artes do Porto, no Museu da Eletricidade e no MUDE em Lisboa, na abertura da Z42 no Rio de Janeiro, The Java Projects en Nova Iorque, na MilMa e na Geddes Gallery em Londres.

Feira de Agosto está de regresso a Grândola com cartaz de luxo - 22 a 26 de agosto - entrada gratuita

 

 

Dos lendários Xutos e Pontapés a um dos maiores sucessos da nova geração de música pop portuguesa, David Carreira, a maior festa de verão do litoral alentejano apresenta ainda o “Delfim” e “Resistente” Miguel Ângelo com a banda da Sociedade Musical Grandolense, a vibrante e contagiante Blaya e os sons dos DJ referência em Portugal: Mastiksoul, Dynamic Duo e Wilson Honrado.

David Carreira é o primeiro nome a subir ao palco principal da Feira para apresentação do álbum “7”. O seu último trabalho foi disco de Ouro em apenas 5 semanas e soma já mais de 30 milhões de visualizações nos seus singles.

Na sexta-feira, a noite é de dança com os ritmos de Dynamic Duo: DJ Cruzfader & Stikup. Em conjunto, os 2 turntablists contam com mais de 35 anos de experiência. Quando se juntam e formam o “Duo Dinâmico” a música ganha outra definição: sem estilos, sem rótulos, sem preconceitos!

A seguir o palco pertence ao DJ e produtor Mastiksoul. O artista, presença confirmada nos maiores e melhores eventos musicais nacionais e internacionais, é visto por muitos como uma verdadeira lenda da música de dança.

A noite termina com os ritmos de Wilson Honrado. DJ e uma das vozes mais conhecidas da rádio em Portugal tem uma capacidade rara de animar o público, com um mix musical eclético, onde não faltam os grandes êxitos do momento.

No sábado, a banda da Sociedade Musical Fraternidade Operária Grandolense (SMFOG), presença bianual na Feira de Agosto, convida Miguel Ângelo, um dos fundadores dos grupos “Delfins” e “Resistência” para um espetáculo musical com muitas surpresas.

Blaya, a primeira mulher portuguesa a atingir o número um no Spotify das 50 músicas mais tocadas em Portugal, promete pôr toda a gente a dançar no domingo à noite com um espetáculo que reúne grandes sucessos como “Faz Gostoso”, o primeiro single da cantora e um hit com mais de 29 milhões de plays no YouTube e líder dos tops de vendas e das plataformas de streaming.

Não necessitam de apresentação! Os “Xutos e Pontapés”, banda de rock portuguesa que move gerações, têm a seu cargo o concerto de encerramento da edição de 2019 do certame. Pela primeira vez, em Grândola, sem Zé Pedro, os “Xutos e Pontapés” prometem um espetáculo de temas de sucesso de 40 décadas “a dar no duro”.

De 22 a 26 de agosto a Feira de Agosto é ponto de paragem obrigatória e gratuita!