Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

“Cultura em Movimento” em todo o concelho da Moita

“Cultura em Movimento” em todo o concelho da Moita

cartaz.jpg

 

Artes performativas, cinema, música, teatro e muita animação percorrem, de junho a agosto, diferentes espaços públicos em todas as freguesias do concelho da Moita. A Câmara Municipal da Moita, as Juntas de Freguesia e o Movimento Associativo uniram-se, uma vez mais, para preparar o programa “Cultura em Movimento” que apresenta um conjunto de espetáculos de qualidade, dando, desta forma, uma nova vida, aos locais mais frequentados nas noites de verão.

 

Programa

 

JUNHO

 

Dias 14 e 15 | 21:30h

Cais do Descarregador | Alhos Vedros

rock no cais

Público em geral | M/6 anos

Org.: Junta de Freguesia de Alhos Vedros

Apoio: Câmara Municipal da Moita, GNR, Associação de Desportos Náuticos Alhosvedrense Amigos do Mar

 

Dia 15 | 21:00h

Rua São Francisco de Assis | Baixa da Banheira

Desfile das Marchas Populares da União Desportiva e Cultural Banheirense

Público em geral | M/6 anos

Org:.União Desportiva e Cultural Banheirense

Apoio: Câmara Municipal da Moita e União de Freguesias da Baixa da Banheira e Vale da Amoreira

 

Dias 21 e 22 | Dia 21 das 19:00h às 1:00h; Dia 22 das 10:00h às 1:00h

Fonte da Prata | Alhos Vedros

CULTURFEST

Público em geral | M/6 anos

Org.: Associação Juvenil da Fonte da Prata

Apoio: Câmara Municipal da Moita, Junta de Freguesia de Alhos Vedros e Fundação Santa Rafaela Maria

 

Dia 22 | 21:30h

Largo do Coreto | Alhos Vedros

Animação no largo

Público em geral | M/6 anos

Org.: SFRUA – Sociedade Filarmónica Recreio e União Alhosvedrense ("A Velhinha")

Apoio: Câmara Municipal da Moita e Junta de Freguesia de Alhos Vedros

 

Dia 22 | 22:00h

Praça da República | Moita

Noite de Fado Vadio

Público em geral | M/6 anos

Org.: Junta de Freguesia da Moita

Apoio: Câmara Municipal da Moita

 

De 27 a 30 | 21:00h (abertura)

Largo do Coreto | Alhos Vedros

48º Feira do Livro de Alhos Vedros

Público em geral | M/6 anos

Org.: Associação Musical e Recreativa 8 de Janeiro

Apoio: Câmara Municipal da Moita e Junta de Freguesia de Alhos Vedros

 

Dia 28 | 21:30h

Praça da República | Moita

Concerto Final de Ano Lectivo da Academia Musical da Moita

Público em geral | M/6 anos

Org.:  Academia de Artes da Moita

Apoio: Junta de Freguesia da Moita

 

Dia 29 | 21:00h

Junto à sede do Clube Recreativo Sport Chinquilho Arroteense | Alhos Vedros

XXXII Festival de Folclore das Arroteias

Público em geral | M/6 anos

Org.: Clube Recreativo Sport Chinquilho Arroteense

Apoio: Câmara Municipal da Moita e Junta de Freguesia de Alhos Vedros

 

JULHO

 

Dia 5 | 22:00h

Praça da República | Moita

Noite de Fados

Público em geral | M/6 anos

Org.: Junta de Freguesia da Moita

Apoio: Câmara Municipal da Moita

 

Dia 6 | 15:00h

Largo Conde Ferreira | Moita

Uma Rua para brincar

Público em geral | M/3 anos

Brinquedos e jogos tradicionais

Org.: Junta de Freguesia da Moita

Apoio: Câmara Municipal da Moita

 

Dia 06 | 21.00h

Junto ao CRIVA I Vale da Amoreira

Desfile das Marchas Populares da União Desportiva e Cultural Banheirense

Público em geral | M/6 anos

Org.: União Desportiva e Cultural Banheirense

Apoio: Câmara Municipal da Moita e União de Freguesias da Baixa da Banheira e Vale da Amoreira

 

Dia 10 | 21.00h

Av. Capitães de Abril I Baixa da Banheira

Desfile das Marchas Populares da União Desportiva e Cultural Banheirense

Público em geral | M/6 anos

Org:. União Desportiva e Cultural Banheirense

Apoio: Câmara Municipal da Moita e União de Freguesias da Baixa da Banheira e Vale da Amoreira

 

Dia 13 | 21:30h

Praça da República | Moita

Desfile de Moda

Público em geral | M/6 anos

Org.: LM Publicidade

Apoio: Junta de Freguesia da Moita

 

Dias 19 e 20 | 21:00h às 23:00h

Local:  Praça da República | Moita

Festival das Artes

Público em geral | M/6 anos

Org.: Associação Abismo Humano

Apoio: Junta de Freguesia da Moita / AMOCA – Associação Movimento Organizado Cultural e Artístico

 

Dia 26 | 22:00h

Anfiteatro exterior do CEA – Centro de Experimentação Artística | Vale da Amoreira

Noite de Cinema e Música – “O Nosso Lugar é Um Mundo I”

Público em geral | M/6 anos

Org.: Câmara Municipal da Moita

Apoio: União de Freguesias da Baixa da Banheira e Vale da Amoreira

 

Dia 28 | 19:00h           

Junto às Piscinas do Parque José Afonso | Baixa da Banheira

“ARQUÉTIPO”, pela Radar 360º Associação Cultural | Acro dança e teatro físico

Público em geral | M/3 anos

Org.: Câmara Municipal Moita

Apoio: União de Freguesias Baixa da Banheira e Vale da Amoreira

 

AGOSTO

 

Dia 3 | 19:00h

Praia Fluvial do Rosário | Gaio-Rosário

música e dança com areia no pé | Mostra de projetos de jovens artistas locais

Público em geral | M/6 anos

Org.: Câmara Municipal da Moita

Apoio: União de Freguesias de Gaio-Rosário e de Sarilhos Pequenos

 

Dia 10 | 22:00h                                              

Praceta Almada Negreiros, Bairro Gouveia | Alhos Vedros

Homem Delírio, pela Passos e Compassos

Público em geral | M/6 anos

Org.: Câmara Municipal da Moita

Apoio: União de Freguesias de Gaio-Rosário e de Sarilhos Pequenos

 

De 16 a 23

Sede do Rancho – Barra Cheia | Alhos Vedros

38º aniversário do Rancho Folclórico FAzendeiros da Barra Cheia e Arredores

Público em geral | M/6 anos

Org.: Rancho Folclórico Fazendeiros da Barra Cheia e Arredores

Apoio: Câmara Municipal da Moita

 

Dia 23 | das 15:30h às 17:30h

Associação Naval Sarilhense | Sarilhos Pequenos

Oficina de cinema de Animação - “Vamos fazer um filminho? Oficina de Stop Motion”

Para crianças dos 7 aos 12 anos (lotação de 15 participantes)

Inscrições: de 5 a 16 agosto

Outras Informações pelo telefone 210 817 040

Org.: Câmara Municipal da Moita, com a Zero em Comportamento

Apoio: Associação Naval Sarilhense e União de Freguesias de Gaio-Rosário e Sarilhos Pequenos

 

Dia 23 | 22:00h

Largo 5 de outubro | Sarilhos Pequenos

CINEMA AO AR LIVRE – Filminhos Infantis

Público em geral | M/4 anos

Org.: Câmara Municipal da Moita, com a Zero em Comportamento.

Apoio: Associação Naval Sarilhense e União de Freguesias de Gaio-Rosário e de Sarilhos Pequenos

 

Dia 24 | 22:00h                                  

Praça da República | Moita

“A EstÓria de um PalhaÇo e da Bailarina", pela Escola CircusVagaBunt

Público em geral | M/3 anos

Org.: Câmara Municipal da Moita

Apoio: Junta de Freguesia da Moita

 

Dia 30 | 22:00h

Praça da República | Moita

Noite de Fados

Destinatários: Público em geral | M/6 anos

Org.: Junta de Freguesia da Moita

Apoio: Câmara Municipal da Moita

Sessão de Abertura do Festival de Terra com a participação da OCCO

b2ebf92d-eadf-4a4e-8d85-521837b3d8c0.jpg

 


Quarta, 19 de Junho, 21h
Casa das Histórias Paula Rego
(Av. de República, 300, Cascais)
 

Sessão de Abertura do II Festival da Terra que terá lugar no auditório da Casa das Histórias Paula Rego, na próxima quarta-feira, dia 19 de Junho, às 21h.

A Sessão terá início com um concerto pela OCCO (Orquesta de Câmara de Cascais-Oeiras), dirigida pelo Maestro Nikolay Lalov, no qual serão interpretadas obras de Vivaldi, Sousa Carvalho, Schubert, Tchaikovsky e Mozart. Segue-se um Recital de Poesia e a apresentação do programa deste II Festival da Terra. Ainda na sessão, prometemos desvendar o «Segredo do Conde» de Castro Guimarães».

A entrada nesta Sessão de Abertura é gratuita,

Arraial da Cascata

Terça-feira, 18 de junho // Todo o dia // Museu da Quinta de Santiago

Uma cascata à moda antiga para conhecer em Leça da Palmeira

DSC_8768.jpg

 

O Santo António, como diz a canção, está-se a acabar – mas as festas dos santos populares ainda vão no adro. Para dar a conhecer uma das mais antigas tradições da época, o Museu da Quinta de Santiago, em Leça da Palmeira, abre na terça-feira, 18 de junho, as portas da pitoresca Cascata Leceira, composta por mais de trezentas peças. A entrada neste Arraial da Cascata é gratuita.

 

Para além da possibilidade de visitar a Cascata Leceira, doada há nove anos à Câmara Municipal de Matosinhos, o programa da iniciativa inclui jogos tradicionais, marchas populares nos jardins do museu e a atuação de um rancho folclórico sénior. O arraial decorrerá desde o início da manhã até ao final da tarde, sendo especialmente dirigido ao público escolar, sénior e com necessidades especiais, contando com a colaboração de diversas instituições do concelho. Mas todos são bem-vindos.

 

Com cerca de 15 metros quadrados, a Cascata Leceira foi concebida pelo artesão José Moreira, que ali retratou, com pormenor, a Leça da Palmeira da sua infância, nos anos 1920/1930, época em que a localidade era uma importante estância de veraneio, frequentada por artistas, pela burguesia portuense e pela comunidade inglesa. As cerca de 300 peças e bonecos presentes nesta obra, diversas com movimento, foram construídas ao longo de décadas.

 

Cada casa e cada figura da cascata têm uma história e um significado para o seu autor. Nela são reconhecíveis os principais lugares e monumentos da localidade, o rio Leça e as suas seis pontes (destruídas durante as obras de construção do Porto de Leixões), as praias, a Igreja Matriz, o Forte de Nossa Senhora das Neves e o Farol, mas também as vivências e tradições, em parte já perdidas – as romarias de S. João da Boa Nova, do Senhor de Matosinhos (com a feira das louças, as bancas, o Teatro dos Robertos –, as procissões, as artes e os ofícios – a lavoura, a lavadeira, os vendedores, a leiteira, o pescador ou o sapateiro – e as figuras ilustres da terra, como o poeta António Nobre ou o marítimo José Rabumba.

Mafalda Mendonça: a artista que quer partilhar com o mundo a razão impetuosa que rente à alma a faz pintar

Outlook-kvf5osnz.png

 

A exposição chama-se Journey Through Infinity e será apresentada na galeria Welcome to Art no Príncipe Real, Lisboa, até dia 27 de junho. Uma viajem pela mão da artista Mafalda Mendonça,  uma “eternizante” de histórias de amor – o local onde a obra ganha densidade e uma suprema razão de ser.

 

Arquiteta de profissão, foi na pintura e na ilustração que Mafalda Mendonça mergulhou mais fundo e se apaixonou. Depois de apresentar algumas das suas coleções no Brasil e na Foire Internationale du Dessin, em Paris, a artista revela, agora, a sua obra bem aqui perto de nós: na galeria Welcome to Art, no Espaço da Embaixada em Lisboa.

 

A exposição chama-se “Journey Through Infinity”, ou, em português, Percurso Pela Infinitude, e divide-se entre acrílicos sobre tela, onde Mafalda imprime histórias de amor como as de Frida Kahlo e Diego Rivera, assim como a de Salvador Dali ao lado de Gala – como que um impulso reflectido na tela, um coeficiente subjetivo que se tornou concreto, denominador comum de uma forma de arte sensível e sincera que a artista tanto admira e cujo âmago tenta conhecer melhor. Mas o destaque da exposição vai para o quadro “As Paixões de Picasso”, um políptico, isto é um quadro que é associado em 9 telas.

 

Haverá também espaço para ilustrações em aguarela - com interpretações pessoais da artista – algumas delas sobre o clássico de Lewis Carroll, “Alice no País das Maravilhas”, recriações de memórias de infância - e ainda óleos sobre tela com várias figuras de bailado, que representam na perfeição uma das outras grandes paixões de Mafalda: a dança.

 

A exposição estará presente na galeria Welcome to Art, em Lisboa, entre os dias 14 e 27 de junho.

Festival de Jazz de Viseu divulga programação completa do que acontece de 24 a 28 de Julho

aacaa02e-df59-497b-8b28-ef86985a485b.jpeg

A 7.ª edição do Que Jazz É Este? celebra-se de 24 a 28 de julho no Parque Aquilino Ribeiro em Viseu.

Para esta 7.ª edição, Viseu irá receber nos seus palcos, ruas, varandas e até mesmo hospital, um sem número de artistas nacionais e internacionais com uma diversidade estilística e musical – dentro e fora do jazz – capazes de contaminar as gentes um pouco por toda a cidade.

No cartaz inserem-se alguns dos mais destacados músicos do panorama musical contemporâneo: o multicultural baixista/guitarrista Munir Hoss, o saxofonista e MC Soweto Kinch, o concerto único do Coletivo Gira Sol Azul feat. Roger Biwandu e R!X, a estreia do novo álbum do saxofonista galego Xosé Miguelez com Jean-Michel Pilc., o noise-jazz-rock dos holandeses Cactus Truck, os Centauri pela mão do inconfundível guitarrista André Fernandes, a energia dos Triciclo Vivo feat. Rodolfo Embaló, o pote musical étnico dos Terra Livre e elegância dos Osso Vaidoso e dos Homem ao Mar.

A programação do festival, tal como já mencionado, vai passar pelos cinco palcos espalhados pelo Parque Aquilino Ribeiro mas não só. O festival, irá desenvolver outras iniciativas noutros lugares mais ou menos íntimos de Viseu, um pouco por toda a cidade com Jazz Na Rua, Jazz Nas Varandas e Doutor Jazz. A música vai estar em todo o lado, ao alcance de todos. Até mesmo na rádio...

A Rádio Rossio (um clássico deste festival) estará este ano em força máxima, com uma grande variedade de programas de autor da mais diversa índole, em horários intercalados com a programação diária, com 19 radialistas oriundos de Viseu.

Destaque também para a aposta na música de jovens da região de Viseu, como por exemplo no Jazz na Rua com os colectivos Suspendis e Osso Ruído e no projecto Oh yes pigs, can fly – encomendado ao guitarrista e compositor Leonardo Outeiro, em estreia.

Não podemos esquecer de mencionar, que irá existir o Mercado do Festival, onde se poderão encontrar entre outros produtos, comida e bebida, para melhor se apreciar a música e a festa que se faz.

Génese do Festival de Jazz de Viseu e os seus objectivos

Desde 2013 que o Festival de Jazz de Viseu tem procurado afirmar-se como um projeto de relevo e prestígio na região centro, destacando-se pelos concertos que organiza, mas também pelas diversas atividades que promove desde formação na área do jazz e música pela rua.

Organizado pela Gira Sol Azul, as mais recentes edições do Que jazz É Este? pautam-se por objetivos bem concretos: divulgar música jazz de qualidade; promover episódios de formação selecionada e perspetiva aberta; incentivar e investir em músicos e grupos da região apoiando a mostra do seu trabalho; envolver ativamente as comunidades mais e menos inusitadas; cimentar a sua dimensão internacional convidando músicos e coletivos de topo além-fronteiras e, acima de tudo, contribuir para a criatividade e troca de conhecimento.

Para além de um festival de música, Que jazz É este? é simultaneamente um grito de apelo à formação, criação e profissionalização musical e uma convocatória à comunidade em geral para se envolver.

 

SERRALVES // 17 JUN, 21H30 // MINISTRO MANUEL HEITOR DEBATE O PAPEL DA CIÊNCIA NA COMUNIDADE EM SERRALVES // Ciclo de Conferências: A Ciência ao Serviço da Comunidade

 

O Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, participa em debate sobre comunicação e divulgação da ciência e seu papel na comunidade na próxima 3ª feira, dia 18, às 21h30 em Serralves

MINISTRO MANUEL HEITOR DEBATE O PAPEL DA CIÊNCIA NA COMUNIDADE EM SERRALVES

RAZÃO, CIÊNCIA, HUMANISMO E PROGRESSO

17 JUN 21h30

Ciclo de Conferências: A Ciência ao Serviço da Comunidade

Oradores convidados:

Manuel Heitor (Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior)

Claudio Sunkel (Diretor do IBMC);

Miguel Coleta (Diretor de Sustentabilidade da Philip Morris Internacional)

Elvira Fortunato (Vice-Reitora da Universidade Nova de Lisboa)

Moderador: Júlio Magalhães (jornalista)

 

A Fundação de Serralves, em parceria com o Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos, (CIBIO-InBIO) e a Tabaqueira, organizam um Ciclo de Conferências dedicado à comunicação e divulgação da Ciência e Investigação Científica, e do seu papel na comunidade - "A Ciência ao Serviço da Comunidade”.

Neste sentido, realiza-se uma conferência subordinada ao tema " Razão, Ciência, Humanismo e Progresso”, no dia 17 de junho, pelas 21h30, na Fundação de Serralves.

No mundo moderno, a literacia científica assume um papel fundamental dado que pretende tornar os cidadãos capazes de colocar ou encontrar respostas a questões que resultam do impacte da ciência e tecnologia no dia-a-dia. Os benefícios de caráter social no âmbito da literacia científica das populações manifestam-se na economia nacional, no próprio desenvolvimento da ciência, nas políticas de ciência e nas práticas democráticas.

Consciente desta realidade, a Fundação de Serralves desenvolve, em concordância com a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, um novo modelo global que integra 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), um trabalho de articulação com o ensino superior e unidades de investigação, no sentido de aceder e/ou validar informação de base à sua programação educativa e cultural.

Acesso: Gratuito mediante inscrição prévia para : a.silva@serralves.pt

zet gallery: Escultura Volker Schnüttgen e pintura de Domingos Loureiro | Exposição de entrada livre | até 29 de junho

Escultura de Volker Schnüttgen e pintura de Domingos Loureiro

 

DIÁLOGO(S) COM UM UNIVERSONAUTA

EM EXPOSIÇÃO NA ZET GALLERY

zetgallery.jpg

 

A zet gallery, em Braga, apresenta até dia 29 de junho "DIÁLOGO(S) COM UM UNIVERSONAUTA", um exercício curatorial que reúne obras de Volker Schnüttgen e Domingos Loureiro.

 

Mais do que uma exposição, “DIÁLOGO(S) COM UM UNIVERSONAUTA” é, de acordo com Helena Mendes Pereira, curadora da galeria, “um encontro e um exercício curatorial de contágio conceptual entre as produções artísticas de Volker Schnüttgen e Domingos Loureiro, entre as suas esculturas e pinturas (respetivamente)”. As ligações que estas trazem da natureza e as que estabelecem com um processo de pensamento sobre o Homem  despertam, de acordo com a curadora, “o apelo da fuga para a frente, para o cosmos dos nossos delírios, voltando ao sonho de criança de sermos astronautas e podermos flutuar no universo enquanto observamos a vida na Terra com a distância dos sábios.”

 

O nome da exposição parte de uma obra de arte de Costa Pinheiro (1932-2015), percursor da integração de práticas conceptuais que marcaram a conjuntura de rutura artística de 1960/70. Segundo a curadora da zet gallery, “as suas palavras e a irreverência proporcionaram o mote para o casamento entre os dois artistas, que resulta na emergência da madeira-suporte da obra de arte e que combina as dimensões do vídeo e da performance, com a das possibilidade de pintura”.

 

Em DIÁLOGO(S) COM UM UNIVERSONAUTA, Habitat,de Volker Schnüttgen, artista que integra a coleção de obras de Arte do dst group, proporciona um cenário feito de objetos escultóricos de madeira de carvalho que vertem a identidade plástica de um artista que, desde 1993, escolheu Sintra como local de residência fixa. Cada escultura de Habitat tem um universo interior para ser descoberto pelo espetador, “como se a respiração e a alma das árvores contivessem a senda dos nossos quereres e não quereres. Poderiam ser esculturas falantes ou a natureza a indagar, mas é antes a multidisciplinaridade da proposta artística que faz o objeto integrar um monitor e uma coluna que servem de palco virtual à dança”.

 

Por sua vez, Domingos Loureiros apresenta quatro séries de trabalhos - Blind Lanscape, Landscape_Body_Landscape,  Manmade Landscape e Building Utopia - e, ainda, a obra Visible, non visible landscape, que não sendo pertença de nenhuma das séries, cruza as fases Blind e Manmade Landscapes. As obras em exposição correspondem a uma visão antológica do seu percurso e representativas das diversas fases da sua carreira, ainda que a maior parte das produções artísticas sejam resultado de criação recente ou recuperações de processos inacabados.

 

A exposição é de entrada livre. Todas as obras de arte estão também disponíveis em www.zet.gallery

 

Junho com várias propostas de cinema nos equipamentos culturais

Biblioteca Municipal de Palmela.jpg

 

No mês de junho, há filmes de vários géneros para ver na Biblioteca Municipal de Palmela, Cineteatro S. João e Auditório Municipal de Pinhal Novo, com destaque para o cinema infantil.

Na Biblioteca Municipal de Palmela, as tardes de sábado continuam a proporcionar sessões de cinema para o público infantil/juvenil, organizadas pela Câmara Municipal de Palmela. Em junho, vão ser exibidos os filmes para maiores de 6 anos “Zootrópolis”, no dia 8, e “Hop”, no dia 22, sempre às 16h00, com entrada livre.

            O cinema infantil vai também marcar presença no Cineteatro S. João, em Palmela, que exibe “A Idade da Pedra”, de Nick Park, no dia 9, às 16h00. O filme de animação/comédia, para maiores de 6 anos, é de 2018 e tem 89 minutos de duração. “Astérix – O segredo da Poção Mágica”, de Alexandre Astier e Louis Clichy, é a sugestão para dia 23, às 16h00, no Auditório Municipal de Pinhal Novo. Trata-se de um filme de animação/comédia para maiores de 6 anos, de 2018, com 105 minutos de duração. As duas sessões são organizadas pela Câmara Municipal e os bilhetes têm o valor de 2,16 euros.

            O Auditório Municipal de Pinhal Novo recebe também as já habituais sessões do Cineclube Odisseia, em junho com três propostas: “O Fantástico Senhor Raposo”, de Wes Anderson, no dia 12 (animação, aventura e comédia, de 2009, para maiores de 6 anos e com 1h27min. de duração); “Cold War”, de Pawel Pawlikowski, no dia 19 (drama, música e romance, de 2018, para maiores de 14 anos e com 1h29min. de duração); e “Get Out”, de Jordan Peele, no dia 26 (horror, mistério e thriller, de 2017, para maiores de 16 anos, com 1h44min. de duração). Todas as sessões têm início às 21h30 e são organizadas pela Associação Juvenil Odisseia, com o apoio da Câmara Municipal. Informações: cineclubeodisseia2017@gmail.com.